Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Olá a todos, esta é a minha primeira participação mas já muito li e aprendi neste forum.
    Aqui está um texto acerca de uma boa forma de encarar as questões energéticas dos edifícios, na minha opinião ainda pouco explorada, com aquilo a que se pode chamar de contruções passivas geradoras de dinamicas energéticas, anexas às construções principais que se pretendem climatizar. O efeito de convecção referido, pode sem dúvida ser utilizado para climatizar o edifício principal, apesar de ainda não estar plenamente desenvolvido. Se uma construção deste género for fechada, pode servir de reservatório de energia.
    Outra coisa que considero interessante é o betão feito com papel, assim como o cariz artístico da construção.
    Esta construção foi feita com uma estrutura em ferro, e preenchida com o referido betão leve.

    Arvore de papel-betão
    A Árvore de Papel

    Uma obra da Eco Estação, foi projectada por Guy Arnaud e vem no seguimento do Projecto “À porta do caracol – Casa Ecológica com Tijolo de Papel”.

    “A Árvore de Papel” tem como conceito recriar uma árvore a partir de papel reciclado, papel esse que teve origem numa árvore, com uma função habitacional e estética.
    O papel-betão é uma mistura de cal, inertes e papel reciclado, um produto resistente às intempéries usado em isolamento térmico, assim como sistema construtivo.
    Tem um estilo art-deco e é uma construção com várias funções e formas de a encarar, assim como residem várias formas de vida numa árvore. Esta construção-escultura pode ser descrita como um abrigo, um local exterior de convívio ou simplesmente lúdica, mas que tecnicamente funciona como uma máquina térmica. A chaminé (tronco) cria um efeito de sucção na cúpula, substituindo o ar interior por ar fresco, constituindo assim o fenómeno de convecção.

    O papel-betão surge como uma oportunidade altamente competitiva, porque é dos poucos que consegue conjugar a redução do impacto ecológico com uma alta capacidade térmica e o factor de condutividade (lambda) abaixo dos padrões máximos da comunidade europeia. A sua característica activa principal é o desfasamento térmico entre o interior e o exterior, com a superfície isolada a suportar elevadas oscilações térmicas durante mais de 10 horas. Isto resulta em excelentes performances durante todo o ano, Verão ou Inverno.(mais informação em isosolução.com)

    Esta construção-escultura em papel-betão, foi exibida pela primeira vez no Encontro “Arte do Carvalho“ que teve lugar na Quinta do Carvalho, em Travassos.
    A obra está integrada num design paisagístico ao estilo de um anfiteatro natural sendo um exemplo vivo do que se pode fazer para integrar a arquitectura com a natureza. Deste modo, toma vantagem do equilíbrio entre o aspecto funcional, o design arrojado e os materiais ecológicos.

    Em suma, este tipo de construção amiga do ambiente, é bastante promissor em Portugal, constituindo uma solução para poupar, vindo propor a todos os portugueses uma nova forma poupança e de energia alternativa, que funciona de forma passiva.

    Neste contexto estamos agora a desenvolver uma casa ecológica móvel itinerária com todas as energias alternativas e arquitectura e design eco, estando à procura de empresas para estabelecer parcerias neste projecto, no qual pretendemos ser um exemplo de casa ecológica e sustentável de baixo custo.

    Equipa criativa da Oficina Eco Estação:
    Albino da Cunha - Construção e Mecânica
    Henrique Cachetas - Escrita e Ciência
    Guy Arnaud - Arquitectura e Design


    existem mais fotos no site da eco estação

    cumprimentos
      arvore.jpg
  2. Ícone informação Anunciar aqui?

data-ad-format="auto" data_ad_region="test">