Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 21

    Colocado por: SabrinaDepende da zona geográfica. Aqui na minha zona, um projecto com essas característica tem um valor bem mais baixo nos diversos gabinetes que por aqui há.
    Concordam com este comentário:Mind


    O meu ficou em 4680€ com IVA para uma edificação de 240m2 de implantação, 360m2 de contrução. Zona centro. 3 anos atrás.

    cumps
  2. Ícone informação Anunciar aqui?

  3.  # 22

    Não me leva a mal mas por esses valores vai ter mais uma casa como tantas outras por esse país fora.

    Atenção á fiscalização da sua obra...
    Toda a burocracia com camara municipal...

    Eu paguei "UM BOCADITO" mais mas não precisei de me deslocar uma única vez á Camara, tenho uma casa única e que foi desenhada a pensar no que queriamos e tinhamos idealizado. tive o arquitecto mais preocupado com a obra que eu... era o nome dele que ficava manchado se algo corresse mal, etc...
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Mind
    •  
      marco1
    •   agradecimentos
    • 29 Janeiro 2015

     # 23

    Mind

    acho engraçado no 2º estarem a dizer que incluem a ficha estatística penso que será INE e não ENE, ora é mesmo para encher o olho, pois isso faz parte obrigatória quando se entrega um projecto na camara, basicamente é uma folha em que se descriminam o local da obra e as áreas e numero de divisões e pouco mais.

    o que o Mind devia fazer era tentar ver ai na sua zona casas já construídas que goste e tentar saber quem foram os projectistas e se tudo correu bem, inclusive se já tem autorização de utilização. Já agora pergunte também quem foi o empreiteiro pois será futuramente uma boa informação.

    quanto ao 1º orçamento já lhe apontei algumas incongruências que por si só já me via com uma pulga atras da orelha.
    Concordam com este comentário: Pedro Barradas, electrao
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Mind
  4.  # 24

    A minha opinião, na qualidade de dono de uma empresa de projectos.
    Uma casinha simples num terreno de topografia simples, de piso térreo até 150m2, sem complicações com indíces, estremas, etc..., nas condições de fornecimento dos orçamentos que aqui meteu, nunca, mas nunca, menos de 3700€ + IVA.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Mind
  5.  # 25

    Ai que saudades dos tempos em que um projeto custava 50 contos.
    Arquitetura, águas, esgotos e betão armado…
    Concordam com este comentário: Mind
  6.  # 26

    Colocado por: zedasilvaAi que saudades dos tempos em que um projeto custava 50 contos.
    Arquitetura, águas, esgotos e betão armado…


    E não era preciso mais nada! E as casas aí estão... são um bocadito para o frio mas não caem :-)
    Concordam com este comentário: zedasilva, Mind
    •  
      marco1
    •   agradecimentos
    • 29 Janeiro 2015

     # 27

    zedasilva

    você deve ser um fóssil, isso deve ter sido á mais de um seculo :)))
    Concordam com este comentário: Pedro Barradas
  7.  # 28

    Lolol...
    50 contos...

    Deixa-me cá ver um orçamento de 1999 (quando começámos).
    Ora cá está... moradia, 150m2, em zona REN, Z. protecção a barragem, etc... - 450 contos + IVA ( cerca de 2250€)
    ... cada vez maiores exigências de projectos e outras situações...
    em 2004 - 200m2 em zona REN, etc e tal.. com edifícios existentes, - 4700€ + IVA
    em 2004 - 100m2 sem condicionantes - 1900€ + IVA
    2006 e 2008... mais exigências, mais projectos/ planos.
    2008 > moradia até 200m2... entre 5000 a 6000€, mais coisa menos coisa... depende. (+ IVA)

    PS: o IVA, também tem vindo a crescER!!! assim como as outras despesas inerentes a quem monta um negócio.
  8.  # 29

    Colocado por: marco1zedasilva

    você deve ser um fóssil, isso deve ter sido á mais de um seculo :)))


    É pá eu sou tão velho, que ainda sou do tempo em que fazia projetos e os arquitetos não embirravam comigo.
    :))
  9.  # 30

    Colocado por: Pedro BarradasLolol...
    50 contos...

    Deixa-me cá ver um orçamento de 1999 ...

    1999?
    É pá isto é só meninos aqui.
    :)))
    Concordam com este comentário: Pedro Barradas, jorgealves
  10.  # 31

    Do conhecimento que tenho, o cálculo de honorários por parte de um gabinete de arquitectura / arquitecto é calculado tendo em conta a tabela de honorários publicada em diário da república e depois é aplicado um desconto (este valor é consoante a vontade do arquitecto). Logo um projecto orçamentado em 200.000€ (s/ IVA) dará lugar a um projecto de arquitectura a rondar os 12.000,00€, se o arquitecto fizer um desconto de 60%, vai propor um projecto de 7000,00€.

    Do meu ponto de vista, há uma relação muito directa com o valor do edifício. Se por um lado a complexidade técnica leva a um aumento do valor da obra, e consequentemente ao aumento dos honorários, por outro lado, uma obra com complexidade técnica baixa, mas com acabamentos de qualidade elevada, pode não justificar o valor dos honorários, pelo simples facto de que escolher um pavimento de 100€/m² e um de 15€/m² é o mesmo (ou melhor o tempo é o mesmo).

    Se por um lado, se avaliar (fundamentalmente pela experiência) qual o número de horas que trará todo o processo, os valores podem ser mais baixos, porém também podem ser mais altos, mas tendencialmente seria de esperar que seriam mais baixos. Isto porque em qualquer profissão, um orçamento dado com base numa ideia ou ao m² ficará sempre inflacionado.

    Há portanto uma grande disparidade entre os valores de um projecto de arquitectura, atendendo a dois factores:
    - forma de cálculo;
    - honorários base que o arquitecto reconhece necessário para o seu trabalho (baseado na sua reputação/portfolio)

    Encontramos bons arquitectos com valores a rondar os 3000€-4000€, como também maus arquitectos com valores a rondar os 10.000€. Acho que a avaliação do arquitecto na fase inicial de apresentação de propostas (concurso) é fundamental, pois aí podemos ver se o arquitecto tem ideias muito vincadas e portanto será difícil introduzir alterações, como também podemos chegar à conclusão que o arquitecto é demasiado permeável às nossas ideias e acaba por produzir o nosso conceito, ao invés de integrar as necessidades no seu conceito arquitectónico.

    Da minha experiência, acho que projectos de arquitectura (com estudo prévio e projecto de execução) valores acima de 4000€ é exagerado para uma moradia normal (+/-200m² com soluções contemporâneas, com especialidades depende do que se contrata, se freelancers ou gabinetes. No caso dos gabinetes, é difícil prever um valor, no caso de freelancers, um projecto de especialidades a rondar os 1500€-2000€ é aceitável.

    O mercado actual obriga a uma maior aposta na fase de concurso (o que implica um risco) mas é graças a essa fase ser mais sólida que se consegue bons preços para o cliente, e menos surpresas na hora de fazer contas à margem de lucro do trabalho.
    Concordam com este comentário: Pedro Barradas, Ricardo Al
  11.  # 32

    A Tabela de honorários máximos para projectos de obras publicas, já não está em vigor, desde 2008.

    Não existem tabelas de honoraríos e/ou concertação de preços. o mercado é livre... livre concorrência.

    Os valores que postei acima são apra Arquitectira, lev. top e especialidades.... fase de licenciamento, sem Projectos de execução.
    • Neon
    •   agradecimentos
    • 29 Janeiro 2015

     # 33

    Colocado por: zedasilvaAi que saudades dos tempos em que um projeto custava 50 contos.
    Arquitetura, águas, esgotos e betão armado…


    hehehe :)
    • Neon
    •   agradecimentos
    • 29 Janeiro 2015

     # 34

    Boa tarde Mind

    Uma vez que o dinheiro é uma preocupação forte ( o que acho bem) vou mandar o meu bitaite e sugerir que não tenha pressa e faça as coisas um bocadito ao contrário.

    1. Ver quanto dinheiro tem para disponibilizar para a obra e quanto dinheiro pensa/pode pedir ao banco de forma a ficar a pagar prestações comportáveis para si (número de anos a pagar, mensalidades, e acautelar o aumento das taxas de juro no futuro).

    2. Com esse valor já pode ter uma ideia da casa que pode construir em termos de áreas (faça uma estimativa de uns 600 €/ m2)

    3. Não esqueça de levar em consideração a maior quantidade de custos administrativos que vai suportar inclusive com empréstimo (registos de conservatória, taxas, licenças, impostos, comissões, etc) aqui vai ter de despender muito tempo da sua parte a correr as capelinhas para averiguar os custos no banco, na conservatória, na câmara, certificados energéticos, medições acústicas (se forem exigidas), etc etc.
    Mentalize-se e aceite que alguma coisa vai falhar pois o optimo é inimigo do bom. O que se pretende é ter uma ideia o mais aproximada possível dos gastos em papeis, mas temos de aceitar que surpresas vão sempre surgir.

    4. Por fim tendo uma ideia aproximada dos custos, seja você a definir o serviço que quer e elabore uma lista bem definida do que pretende e onde vai incluir
    Levantamento topografico
    Projecto de arquitectura
    Projectos de especialidades
    e tudo o que achar importante

    Também é importante definir um prazo máximo, que deve ser razoável para entrega dos vários projectos (1.º fase arquitectura) e (2.ª fase especialidades)
    Só assim pode comparar propostas de forma conveniente, se não um gabinete diz uma coisa outro diz outra.

    5. Um conselho que lhe deixo é que não deve ir só atras do gabinete que lhe oferece a simpatia e um cafezinho (isso também é importante mas não é o essencial)
    Procure informar-se sobre os gabinetes, procure saber que obras fizeram, procure visitar as obras que fizeram e inclusive obter a opinião dos clientes.

    6. Outro conselho, é que não vá só atrás do que faz mais barato pois isso regra geral traz muitos dissabores...todos sabemos que por regra (também há excepções mas....) os preços mais baratos pecam por falta de brio, profissionalismo e qualidade.
    Consequentemente aquilo que era barato acaba por se tornar muito mais caro.
    Pessoalmente considero que um projecto de execução com um bom caderno de encargos é uma gasto inicial mas uma poupança nas etapas seguintes pois ali esta tudo definido e se não se puser com alterações a meio da obra a probabilidade de existirem surpresas e custos acrescido é radicalmente menor.
    Além de que com maior definição das soluções também pode definir de quem são as responsabilidades caso alguma coisa esteja mal.

    7. Também não poupe na fiscalização da obra. Tal como para o autor de projecto defina um numero mínimo de visitas á obra a realizar em alturas determinantes da mesma
    O fiscal será o técnico que defende os seus interesses perante o empreiteiro.

    Abraços
    Concordam com este comentário: Pedro Barradas, zedasilva, powerenergie
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Mind
  12.  # 35

    Colocado por: Neon
    7. Também não poupe na fiscalização da obra.
    O fiscal será o técnico que defende os seus interesses perante o empreiteiro.


    Um serviço de fiscalização não se resume a meia dúzias de vistas à obra, e no fim fazer o fecho do livro de obra.
    Um serviço de fiscalização começa antes da obra!
    Quando tiver todos os projetos na sua mão, peça ao fiscal para os analisar, no sentido de detetar possíveis situações de conflito ou menos explícitas. Se forem detetadas, peça esclarecimentos ou correções aos projetistas.
    Só depois disto dê os projetos para orçamentar. Quando tiver os orçamentos peça de novo ao seu fiscal para os analisar do ponto de vista técnico, há sempre umas variantes que passam despercebidas ao Dono de obra.
    Isto custa-lhe poucas centenas de euros, mas acredite que o fará poupar muitos milhares.
    Concordam com este comentário: Neon, powerenergie
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Mind
  13. Ícone informação Anunciar aqui?

    • Mind
    • 31 Janeiro 2015

     # 36

    Colocado por: marco1Mind

    acho engraçado no 2º estarem a dizer que incluem a ficha estatística penso que será INE e não ENE, ora é mesmo para encher o olho, pois isso faz parte obrigatória quando se entrega um projecto na camara, basicamente é uma folha em que se descriminam o local da obra e as áreas e numero de divisões e pouco mais.

    o que o Mind devia fazer era tentar ver ai na sua zona casas já construídas que goste e tentar saber quem foram os projectistas e se tudo correu bem, inclusive se já tem autorização de utilização. Já agora pergunte também quem foi o empreiteiro pois será futuramente uma boa informação.

    quanto ao 1º orçamento já lhe apontei algumas incongruências que por si só já me via com uma pulga atras da orelha.
    Concordam com este comentário:Pedro Barradas,electrao
    Estas pessoas agradeceram este comentário:Mind


    Caro marco1 poderia entao apontar especificamente quais são esses pontos? Visto que optei por escolher o arquiteto do 1º orçamento!
    Obrigado
    • Mind
    • 31 Janeiro 2015

     # 37

    Muito obrigado a todos pelos comentários e opiniões, são todas bem recebidas, mais uma vez obrigado.

    Relativamente ao projectista foi escolhido não só a pensar no valor da proposta, mas sim na experiência e nos trabalhos que me demonstrou e que tem vindo a fazer em obras recentes na minha zona. Penso que seja uma pessoa que a partida poderei confiar e que "percebe da poda"!

    Existem claro algumas coisas que ainda estou de pé atrás como a tal fiscalização a obra. Na ultima reunião que tivemos fiz referencia a isso mesmo visto que é um dos pontos que exclui no seu orçamento e apontei o facto de que pretendo que alguém assuma responsabilidades tanto no acto do projecto como na execução para que no final tudo corra como esperado.

    Para ja não acordamos valores em concreto mas segundo o que me disse se eu pretender um acompanhamento por inteiro, do principio ao fim, pela parte dele eram necessários 800€. Se fosse la só meia dúzia de vezes, nas alturas "cruciais", estruturas e enchimento de placas e afins, cobrava pra'i 300€.

    Segundo o que se consta, a Direcção Técnica da Obra é responsabilidade do Empreiteiro, mas perante a lei parece que o Empreiteiro pode ser ele próprio o director técnico da obra, ou seja, fica tudo ao seu encargo e não a controlo de nada. Ainda por cima eu não percebo nada da "agricultura". Por tudo isto eu compreendo que esta fiscalização é importantíssima mas também tenho que ver porque 800€ da-me para muito cimento e tijolo!

    Venham de lá essas opiniões sff!

    Obrigado,

    mind
    •  
      marco1
    •   agradecimentos
    • 31 Janeiro 2015

     # 38

    era a questão da direção e fiscalização de obra, havia ai um equivoco mas penso que já percebeu.

    não abdique da fiscalização, é importante que seja alguém que não conheça nem projectista nem empreiteiro.

    no entanto se tem muita confiança no projectista, se acha que ele será uma pessoa para ter primor depois na obra feita, dê-lhe os tais 800 que serão bem empregues.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Mind
  14.  # 39

    Os 800€ correspondem a quantas visitas?
    Nesse valor está incluída a responsabilidade pela Coordenação de segurança?
    • 1255
    •   agradecimentos
    • 31 Janeiro 2015

     # 40

    Colocado por: zedasilvaAi que saudades dos tempos em que um projeto custava 50 contos.
    Arquitetura, águas, esgotos e betão armado…
    Concordam com este comentário:Mind

    E ganhava mais dinheiro do que agora :-)
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">