Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 101

    como houve erro no pilar tenha quer ser feito assim
    vermelho parede de 20 e verde parede de 25 e fezeram toda de 20
    em cima teve que ser 20 na caixa de escadas por causa do muro de betao que era 20
  2. Ícone informação Anunciar aqui?

  3.  # 102

    Nelson eu obrigava a fazer, se foi alterado no projecto ele só tem de corrigir o erro.
  4.  # 103

    A lâmina de compressão foi completamente destruída.
    Consequências:
    Quase certa a fissuração da cerâmica nessa divisão
  5.  # 104

    E viga de equilíbrio foi completamente destruída.
    Consequências:
    Quase certa a fissuração de pavimentos e paredes na zona de ação desse pilar. Todo o resto da estrutura da casa vai sofrer as consequências desta irresponsabilidade.
    Tubagem assente em leitos nas estáveis.
    Consequências
    Na eventualidade de um pequeno assentamento daquelas terras (se uma coisa pode acontecer, vai acontecer certamente) a tubagem vai ceder e vão existir infiltrações no piso.
  6.  # 105

    Colocado por: dryfussei que não dá para fazer de outra forma, mas ainda assim

    Dá para fazer de outra forma, aliás o trabalho que vemos aqui é de uma completa irresponsabilidade, não só do técnico que o executou, como igualmente dos responsáveis que permitem que se continue a trabalhar desta forma.
    Empreiteiro geral, diretor técnico e diretor de fiscalização são corresponsáveis pelas patologias que a casa do Nelson irá ter no futuro.
    Concordam com este comentário: Mk Pt
  7.  # 106

    Colocado por: zedasilvaA lâmina de compressão foi completamente destruída.
    Consequências:
    Quase certa a fissuração da cerâmica nessa divisão
      13.jpg

    A abobadilha por baixo desta lâmina parece ter caído provavelmente aquando da abertura do roço ou é impressão minha?
  8.  # 107

    Colocado por: jorgferrA abobadilha por baixo desta lâmina parece ter caído

    A abobadilha é o menos só lá está para fazer altura.
    Mas sim por neste tipo de situação metade das abobadilhas vão à vida
  9.  # 108

    Colocado por: zedasilvaE viga de equilíbrio foi completamente destruída.
    Consequências:
    Quase certa a fissuração de pavimentos e paredes na zona de ação desse pilar. Todo o resto da estrutura da casa vai sofrer as consequências desta irresponsabilidade.
    Tubagem assente em leitos nas estáveis.
    Consequências
    Na eventualidade de um pequeno assentamento daquelas terras (se uma coisa pode acontecer, vai acontecer certamente) a tubagem vai ceder e vão existir infiltrações no piso.
      2.jpg
    e um crime embora se desse prisao este tipo de trabalhos nao havia sitio para tanta gente.
  10.  # 109

    Colocado por: zedasilvaDá para fazer de outra forma...


    Zé, creio que não me fiz entender, o que disse que não dá para fazer de outra forma não é isso de partir o chão todo, até por que já vi obras de outros foristas que não o fizeram, mas falo dos rocos nas paredes, para as tubagens de água/luz/gás! Era nesse sentido! Sei que algumas tubagens o pessoal esconde pelo teto falso, mas eventualmente vão partir as paredes, depois de elas estarem todas bonitinhas e tudo mais... Isso que fere o coração, mas pronto, lá tem de ser para continuar a obra!

    E pelos avisos que deu, o medo com que fiquei acho que iria martelar não era só os mindinhos do empreiteiro mas iam todos os dedos, das mãos e dos pés!
  11.  # 110

    Completo desperdício de material e de tempo, o DO foi aqui completamente enganado e roubado, por estar a pagar material e custos de uma técnica construtiva que não foi aplicada.
    Os restícios de pintura/impermeabilização que ali se vê não servem para rigorosamente nada
    Concordam com este comentário: pc ferreira, Mk Pt, riscos
  12.  # 111

    Embora esta não seja a melhor forma de fazer as coisas é provavelmente o que mais se vê por aí, não é por isso que a casa cai :)
    Concordam com este comentário: Pedro Barradas
  13.  # 112

    Colocado por: dryfusmas pronto, lá tem de ser para continuar a obra!

    Este é o mal dos nossos DO, acabam por ser confrontados com situações (perfeitamente evitáveis) em que todos lhe dizem:
    Pois agora já não há nada a fazer, mas isso não tem problema nenhum, agora é seguir em frente.
    Concordam com este comentário: Pedro Barradas, Mk Pt
  14.  # 113

    Eu não queria dar o meu contributo, pois se eu estivesse no lugar do Nelson, já tinha tinha uma ataque com os trabalhos mostrados.
    Não vale a pensa andar-mos a bater mais no ceguinho, porque mais do que nós, quem deve "sofrer" com esta situação é o próprio Nelson.
    Por isso não quero dar ainda mais ênfase aos problemas que muito provavelmente irá ter no futuro.

    Apenas gostava de colocar uma questão. Porquê andar a partir o chão todo??
    Não teria sido mais fácil aumentar o pé direito bruto para ter margem suficiente devido às dimensões das tubagens de esgoto, e no final levar uma camada de betão leve (celular, EPS, leca,...)!?? Pelo menos no meu caso é assim que foi/está a ser feito.

    Nelson, muito sinceramente é neste tipo de pormenores que se consegue perceber como é que conseguiu um orçamento para a casa de 123 mil euros.
    Quando comparo com o preço da minha (com areas e acabamentos semelhantes), até fico parvo :(
  15.  # 114

    Colocado por: zedasilva
    Este é o mal dos nossos DO, acabam por ser confrontados com situações (perfeitamente evitáveis) em que todos lhe dizem:
    Pois agora já não há nada a fazer, mas isso não tem problema nenhum, agora é seguir em frente.


    Mas também o que vai o Nelson fazer? vale-lhe que não tem crédito, agora imagine um gajo a pagar renda de casa e a somar a isso juros do crédito, acha que pode andar a parar a construção e a substituir empreiteiros? o erro dele e aí ele sabe que falhou é não ter fiscalização que obrigasse o empreiteiro a andar mais na linha, mas pronto foi uma opção (eu como já lhe disse publicamente aqui preferia abdicar dum qualquer extra e ter uma fiscalização decente)
  16.  # 115

    Colocado por: zedasilvaEste é o mal dos nossos DO, acabam por ser confrontados com situações (perfeitamente evitáveis) em que todos lhe dizem:
    Pois agora já não há nada a fazer, mas isso não tem problema nenhum, agora é seguir em frente.


    Mas Zé, me elucida de uma coisa então, por favor!
    O que disse é por algo que, eu, no meu parco conhecimento, não sei ser possível evitar!

    É possível embutir as tubagens na parede sem ter de às partir?

    É que na minha cabeça a única solução seria, no momento de construir essa parede, não colocar tijolo onde iriam passar os tubos, mas isso não é possível por que iria fragilizar a parede e provavelmente só iria funcionar para as paredes interiores, como então é possível embutir os tubos sem fazer os rocos nas paredes?

    Atenção, como disse, isso é uma pergunta inocente de quem nunca construiu nem esteve no mundo das obras!
  17. Ícone informação Anunciar aqui?

  18.  # 116

    Colocado por: santosvieiraEu não queria dar o meu contributo, pois se eu estivesse no lugar do Nelson, já tinha tinha uma ataque com os trabalhos mostrados.
    Não vale a pensa andar-mos a bater mais no ceguinho, porque mais do que nós, quem deve "sofrer" com esta situação é o próprio Nelson.
    Por isso não quero dar ainda mais ênfase aos problemas que muito provavelmente irá ter no futuro.

    Apenas gostava de colocar uma questão. Porquê andar a partir o chão todo??
    Não teria sido mais fácil aumentar o pé direito bruto para ter margem suficiente devido às dimensões das tubagens de esgoto, e no final levar uma camada de betão leve (celular, EPS, leca,...)!?? Pelo menos no meu caso é assim que foi/está a ser feito.

    Nelson, muito sinceramente é neste tipo de pormenores que se consegue perceber como é que conseguiu um orçamento para a casa de 123 mil euros.
    Quando comparo com o preço da minha (com areas e acabamentos semelhantes), até fico parvo :(
    pois e mas muitas vezes o fazer mal fica aomesmo preço de bem ,um concelho nao deixe passar mais nenhum falho ,se fizer mal desfaz e volta a fazer de novo ,so assim a gente aprende.
  19.  # 117

    Colocado por: santosvieiraEu não queria dar o meu contributo, pois se eu estivesse no lugar do Nelson, já tinha tinha uma ataque com os trabalhos mostrados.
    Não vale a pensa andar-mos a bater mais no ceguinho, porque mais do que nós, quem deve "sofrer" com esta situação é o próprio Nelson.
    Por isso não quero dar ainda mais ênfase aos problemas que muito provavelmente irá ter no futuro.

    Apenas gostava de colocar uma questão. Porquê andar a partir o chão todo??
    Não teria sido mais fácil aumentar o pé direito bruto para ter margem suficiente devido às dimensões das tubagens de esgoto, e no final levar uma camada de betão leve (celular, EPS, leca,...)!?? Pelo menos no meu caso é assim que foi/está a ser feito.

    Nelson, muito sinceramente é neste tipo de pormenores que se consegue perceber como é que conseguiu um orçamento para a casa de 123 mil euros.
    Quando comparo com o preço da minha (com areas e acabamentos semelhantes), até fico parvo :(


    A esse valor soma o iva e não tem cozinha incluída por isso acho que nem foi assim tão barata. Além disso se pagasse mais 20 ou 30 000 acha que o empreiteiro ia fazer diferente? eu acho que ia fazer igual
    Concordam com este comentário: jorgand
  20.  # 118

    claro que ia nao sabe fazer de outra maneira.
  21.  # 119

    Colocado por: jorgferrA esse valor soma o iva e não tem cozinha incluída por isso acho que nem foi assim tão barata. Além disso se pagasse mais 20 ou 30 000 acha que o empreiteiro ia fazer diferente? eu acho que ia fazer igual

    Até podia pagar o dobro e ser ainda pior, mas bom e barato não existe.
    Concordam com este comentário: santosvieira
  22.  # 120

    Colocado por: dryfusno momento de construir essa parede, não colocar tijolo onde iriam passar os tubos

    O problema não é nas paredes de tijolo, ela estão lá só par servir de "tapume" . O problema é nos elementos de betão, vigas, pilares e lajes. As soluções são várias, aumentar o pé direito é uma delas, deixar negativos devidamente previstos e calculados, é outra.
    Em boa verdade aquilo que aqui vemos nunca deveria acontecer, os trabalhos deveriam ser imediatamente suspensos e chamados à razão todos os responsáveis.
    Evitar situações destas, só se consegue com um controlo apertado e por vezes mesmo carraça, desde o arranque da 1ª erva daninha, para começar a marcar a obra.
    Deixar um empreiteiro chegar a este nível de facilitismo, é o mesmo que nunca mais ter controle algum sobre a obra.
    Concordam com este comentário: Mk Pt, VXMC
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">