Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Boa tarde,

    Aproveito para partilhar convosco mais uma preocupação existente ao nível do piso radiante eléctrico e que continua constantemente a ser divulgada muitas vezes com a "colaboração" de engenheiros, arquitectos, técnicos, etc.
    Falo do isolamento por reflexão.

    Apenas para entendam onde quero chegar resumo as 3 formas de transferência de energia:
    - Convecção: esta forma de transferência de energia utiliza um fluido para transferir energia. No fundo é o conceito associado aos radiadores de parede em que o ar é o fluido de transferência de energia.
    -Condução: esta forma é a mais vulgar e associada a qualquer tipo de material devendo existir continuidade ou contacto para que exista.
    - Radiação: é um fenómeno de transferência electromagnético em que basta dois corpos (em linha de vista) terem temperaturas diferentes para que troquem energia entre si. Poderemos constatar este fenómeno tanto na porta de um forno que nos aquece à distãncia como todos os dias através da radiação solar.

    No caso do piso radiante onde os cabos de aquecimento são incorporados na betonilha facilmente perceberemos que existirá apenas um fenómeno de transferência de energia no meio da betonilha: a condução. Esta condução será realizada em todos os sentidos (para cima, para baixo, para os lados,...) sendo assim importante "sermos bons" no isolamento que realizamos por baixo dos cabos de aquecimento de forma a diminuir as perdas por condução. A consequência desta condução de energia será o responsável por levar a energia para a superfície ( onde aqui sim funcionará a radiação e claro alguma convecção) ou para o tecto do vizinho e/ou exterior (perdendo-se).

    O que acontece é que existem empresas aplicadores de piso radiante eléctrico que promovem telas termorelectoras, com o argumento de reflexão térmica.
    Reflexão térmica no meio da betonilha??? Simplesmente não existe. Puro engano para o cliente que fica "alegrado" com este desempenho.
    Entendo que estas telas são simpáticas: não exigem um pavimento regular e até contornam tubos existentes. No caso de placas de XPS é uma chatice, obrigam a ter uma base regular e cotas disponíveis.

    "As películas termo relectoras vão reflectir o calor para cima"....vejam bem a barbaridade desta afirmação quando falamos de piso radiante eléctrico e quando estamos a falar num fenómeno que estará a acontecer no meio da betonilha, onde não existe qualquer espaço de ar logo, onde a reflexão simplesmente não existe.
    No final o cliente estará a aplicar 5mm (ex.) de um "chamado isolamento" o que no caso do piso radiante eléctrico é manifestamente pouco. Imaginem ainda que o cliente coloca um soalho maciço ou ainda um pavimento flutuante com 3mm de espuma por baixo. O que estará por cima dos cabos de aquecimento é igual, senão melhor, do que aquilo que chamaram isolamento térmico de pavimento (5mm).
    Conclusão: a condução estará preveligiada no sentido que tiver menos resistência térmica.

    É apenas um alerta: se a sua opção passar por piso radiante eléctrico e a não ser que seja manifestamente impossível outra solução instalem 3, 4, 5 cm de poliestireno extrudido (XPS).
    Esqueçam as telas termo reflectoras...estarão apenas a colocar a espessura do material proposto (ex: 5mm).
    Se a opção passar, por falta de cotas disponíveis, pelas "telas" optem por acabamento cerâmicos, pedras, marmore, etc. É importante diminuir nestes casos a resistência térmica dos materiais acima dos cabos de aquecimento de forma a favorecer a "condução" da energia no sentido que se deseja: para cima.

    Perdoem-me utilizar este espaço mais uma vez, mas sempre será uma alerta para os menos esclarecidos e de forma a que se possa dignificar como uma solução viável o piso radiante eléctrico pois acreditem quando devidamente dimensionado e instalado rivaliza com uma serie de sistemas que se aplicam todos os dias.

    Cumprimentos
    Estas pessoas agradeceram este comentário: raquel.jma, bhp | arq, raulschone, JoseBlino, Tocha
  2. Ícone informação Anunciar aqui?

  3.  # 2

    Boas

    Gostei. Explicação simples, clara e sintética. E, acima de tudo, absolutamente verdadeira.

    cumps
    José Cardoso
    Concordam com este comentário: JoseBlino
  4.  # 3

    Viva Sr. Piso Radiante,

    Boa explicação, apenas tenho algo a acrescentar:

    - As películas termo-reflectoras ( como lhe chamam) quando bem usadas e conjugadas com um bom isolamento apresentam um fenómeno muito importante para um sistema radiante.

    Porquê?
    Estas películas normalmente são compostas por materiais de elevada condução térmica como a prata, logo, ajudam a distribuir mais uniformemente as emissões térmicas da tubagem pela laje flutuante. Um bom exemplo é o que se passa com os tradicionais aquecedores a gás, apenas um pequeno foco de chama, quando incide numa grelha metálica consegue distribuir e ramificar o seu poder calorifico, o mesmo acontece com estas películas reflectores.


    Contudo, é um facto que em caso algum se deve aplicar as peliculas termo-reflectoras como isolamento primário, pois está-se a cometer um grave erro.

    Cumprimentos.
  5. Procura serviços ou materiais para a sua casa? Contrate quem ajuda no fórum.

  6.  # 4

    Boa tarde Sr. Ricardo.mrd,

    Concordaria com a Sua observação se ao final de algum tempo o material (prata, aluminio, etc) se mantive-se já que com o tempo essa "camada metálica" tenderá a reagir com as próprias massas, oxidar, e perder o efeito que refere.
    Como facilmente perceberá uma camada "metálica" com alguns décimas de mm nunca poderá ser responsável pela difusão calorifica que refere.
    Os radiadores a gás têm uma grelha bem mais espessa...
    De qualquer forma teste. Pegue num pedaço dessas películas e coloque-a por baixo de uma betonilha. Parta mais tarde a betonilha e observe.
    Deixo-lhe uma reparação que necessitámos de fazer numa instalação da "concorrência" onde foi utilizada precisamente as "famosas telas termo reflectoras". Como pode observar já se nota a ausência em alguns locais da "película metálica, metalizada"...como lhe queira chamar.
    (1)


    Cumprimentos
    Estas pessoas agradeceram este comentário: raquel.jma, Ricardo.mrd
  7.  # 5

    Boa tarde Sr. piso radiante,

    Desconhecia de todo a degradação desse material. Boa nota!!!

    Cumprimentos.
    • calom
    • 20 Julho 2010 editado

     # 6

    Alguém pode indicar contactos de fornecedores e aplicadores de piso radiante eléctrico na zona do Porto?
    Obg.
    • eu
    • 21 Julho 2010

     # 7

    Colocado por: Piso RadianteDeixo-lhe uma reparação que necessitámos de fazer numa instalação da "concorrência"

    Reparação? Não é suposto que o piso radiante eléctrico "não avarie" ?
  8.  # 8

    Boa noite,

    Colocado por: eu
    Colocado por: Piso RadianteDeixo-lhe uma reparação que necessitámos de fazer numa instalação da "concorrência"

    Reparação? Não é suposto que o piso radiante eléctrico "não avarie" ?


    Não sei com que sentido faz a Sua pergunta !
    De qualquer forma avaria se for estragado como qualquer equipamento. Da mesma maneira pode ser reparado como qualquer equipamento.
    No caso em questão foi até mais fácil já que o cliente se lembrava de algo estranho que se tinha passado naquele local.
    Em muitas situações não existe um registo de como os cabos de aquecimento ficam distribuidos o que leva a que perante uma avaria seja mais dificil e dispendiosa (€€) a localização e reparação. Apenas como informação complementar TODAS AS MARCAS obrigam a que se faça um registo detalhado da instalação de forma a que a garantia de 10 (normalmente) esteja em vigor.
    (1)



    Cumprimentos
  9.  # 9

    A reparação de um sistema Radiante Eléctrico é algo muito complicado, especialmente porque a localização da degradação ou obstrução dos fios é desconhecida… uma grande dor de cabeça…


    Relativamente à degradação do sistema radiante eléctrico, qual será a duração média de um sistema desses?

    As tubagens Multibeton têm uma garantia de 30 Anos. A Multibeton tem instalações em moradias familiares à mais de 45 anos a funcionar na perfeição sem qualquer anomalia. Inclusive, houve uma situação em que o cliente pretendia mudar todo o pavimento do chão e que fosse colocado um novo Sistema Radiante Multibeton. No entanto, foram feitos testes às tubagens MB e ambos apresentavam as mesmas caracteristicas físicas. A Multibeton passou novamente uma garantia de 30 anos sem que fosse mudado um único circuito ou tubagem. Fantástico!
  10.  # 10

    Boa noite,

    Ricardo.mrd
    A reparação de um sistema Radiante Eléctrico é algo muito complicado, especialmente porque a localização da degradação ou obstrução dos fios é desconhecida… uma grande dor de cabeça…


    A reparação dera mais difícil ou mais fácil em função da informação reunida e guardada durante a fase de aplicação da solução. Imagino que na Sua área se passará o mesmo. Conforme referi faz parte dos procedimentos de instalação manter um registo de como os cabos de aquecimento estão distribuídos com registo do local de união cabo quente/cabo frio, assim como foto do local onde o cabo termina ( no caso de cabo mono-condutor termina perto de onde começa pois tem 2 pontas). Manter uma foto do local de instalação da sonda de pavimento também poderá ser necessário em que seja necessário afinar a temperatura máxima de pavimento. Penso que no caso dos sistemas radiantes a água também deverá ser igual.

    No radiante eléctrico os cabos de aquecimento devem ser verificados após a instalação (antes de serem cobertos) e após colocação da betonilha. Serão assim despistadas prováveis avarias provocadas durante a aplicação das betonilhas. Penso que no Seu caso, radiante a água Multibeton, que deverá colocar o sistema à carga de forma a verificar a integridade dos circuitos após instalação e após colocação das betonilhas. Certo?
    Como pode ver é apenas uma questão de seguir os procedimentos correctos de instalação, em ambos os sistemas.

    especialmente porque a localização da degradação ou obstrução dos fios é desconhecida… uma grande dor de cabeça…


    Existem equipamentos que permitem localizar com precisão o local onde um cabo está interrompido. De qualquer forma em mais de 8 anos nunca me aconteceu nem o ouvi de qualquer produto que revendemos.

    Pergunto-lhe:
    Também mantêm um registo detalhado da instalação?
    Em caso de uma fuga como a detectam?
    Já que a água tem um comportamento muito peculiar: foge aqui e aparece acolá

    Relativamente à degradação do sistema radiante eléctrico, qual será a duração média de um sistema desses?


    Instalamos piso radiante eléctrico há mais de 8 anos. Nunca tivemos uma avaria e estou certo que qualquer marca, digamos decente, onde os procedimentos de instalação sejam seguidos, que poderá afirmar o mesmo: zero avarias. Uma grande parte das avarias advêm de más instalações e/ou de não serem seguidos os procedimentos de instalação.
    Julgo que na Sua área será semelhante.
    Assim sendo, neste momento, independentemente de os cabos de aquecimento terem uma garantia de 10 anos, posso afirmar que duram mais de 8 anos sem problemas. Daqui a uns anitos…serão mais.

    Instalará o Senhor sistemas Multibeton há 30 anos?

    Da mesma forma que existem sistemas Multibeton em radiante a água há mais de 45 anos a funcionar também existem sistemas radiantes eléctricos a funcionar há tantos anos como refere.

    Parece-me importante referir que não tenho nada contra as soluções de radiante a água. Muito pelo contrário. Se o cliente tiver disponibilidade monetária para fazer esse tipo de investimento que o faça. Concordo que associado a algumas fontes de energia é imbatível no consumo mensal (exploração) acabando por proporcionar o mesmo conforto que o radiante eléctrico.

    Existe apenas um senão Sr. Ricardo: o preço.

    Repare que partilho apenas minha opinião.
    Como não somos todos ricos. Como muitos portugueses anseiam ter a sua “casita”. Como nem todos podem passar acima dos, digamos, 150.000 Euros.
    Pergunto: fará sentido colocar 15%/20% dos 150.000 Euros só para o sistema de climatização? E o resto? Fica sem telhado a casa? Não…..pede-se mais algum ao banco....

    Seria mais fácil perceber se o Senhor nos desse um exemplo do custo de uma moradia térrea (ex.) com 200m2 de área a climatizar. Quanto custaria uma solução Multibeton completa, com fonte de energia ( poderá considerar um bomba de calor baratinha ;-)), com 3cm de isolamento térmico de pavimento….etc. Completo. Dê-nos o Seu “orçamento”.

    Pelo meu lado digo-lhe: radiante eléctrico para 200 m2 rondará os 3.500/3.750 Euros + IVA.
    Acrescento: uma moradia com radiante eléctrico, na zona de Pombal, o Senhor pelo que eu seu também é de perto, gastou no último ano 1.200 Euros de luz no total: aquecimento, iluminação, electrodomésticos, taxa de potência, etc.

    Quanto gastará (empiricamente!) para aquecimento com bomba de calor numa solução Multibeton?

    No final, e se me responder, perceberá onde quero chegar.

    Cumprimentos
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Ricardo.mrd
    • eu
    • 22 Julho 2010 editado

     # 11

    Colocado por: Piso RadianteNão sei com que sentido faz a Sua pergunta !


    LOL... não estava a ser irónico, era a sério: como pode uma resistência de baixa temperatura, ainda por cima embutida em argamassa, avariar ?
  11.  # 12

    Colocado por: eu
    Colocado por: Piso RadianteNão sei com que sentido faz a Sua pergunta !


    LOL... não estava a ser irónico, era a sério: como pode uma resistência de baixa temperatura, ainda por cima embutida em argamassa, avariar ?


    Pela nossa experiência não conheço avarias provocadas pel degradação de cabos de aquecimento.
    Conheço avarias provocadas ( ex: durante a realização de um furo) ou avarias que estão associadas a más ligações entre cabo quente/ cabo frio.

    Cumprimentos
  12.  # 13


    deverá colocar o sistema à carga de forma a verificar a integridade dos circuitos após instalação e após colocação das betonilhas. Certo?


    Está Certo! Nos Sistemas Radiantes Multibeton, após instalação da tubagem e colocação argamassas os sistemas são postos à carga no minimo a 6Bar de pressão.


    Também mantêm um registo detalhado da instalação?
    Em caso de uma fuga como a detectam?
    Já que a água tem um comportamento muito peculiar: foge aqui e aparece acolá


    .Todas as instalações efectuados por técnicos instaladores são acompanhadas com um projecto de montagem, onde consta toda a informação
    das passagens de tubagem.
    .Nunca foi observado uma degradação natural das tubagens Multibeton, os únicos problemas relativamente às reparações, deveu-se exclusivamente por
    culpa de pessoas irresponsáveis que resolveram furar o solo sem terem o mínimo conhecimento do que por baixo estava. Logo as reparações são de fácil reparação. Para além disso, como as tubagens Multibeton têm uma película em alumínio difusora de oxigénio, temos equipamento que detectam facilmente as zonas de contorno da tubagem e quando é necessário fazer alguma furação temos a certeza que não estamamos a danificar nehuma tubagem.

    Instalará o Senhor sistemas Multibeton há 30 anos?


    Como deve calcular, a Multibeton Portugal (Bockemuehl, Lda) é a representante oficial dos sistemas radiantes Multibeton em Portugal, logo não instalamos nenhum sistema, apenas fazemos os devidos acompanhamentos técnicos das empresas instaladoras no local de obra. Portanto, posso afirmar que a Multibeton team à mais de 45 Anos tem uma larga experiência, esta dedicada exclusivamente ao Piso Radiante Hidráulico.

    Existe apenas um senão Sr. Ricardo: o preço.
    Repare que partilho apenas minha opinião.
    Como não somos todos ricos.

    Pelo contrário, um sistema de Piso Radiante Hidráulico Multibeton é para gente pobre, pois gente rica não se preocupará em pagar a factura de electricidade, gás ou gasóleo. Nos dias de hoje, quando se faz uma casa, não é uma casa para os últimos 30 anos mas sim para os próximos 50 anos. Como deve reparar os sistemas radiantes hidráulicos são os únicos que se adaptam a todos os tipos de fontes de energia, e se acompanharmos de perto a recente tecnologia é para lá que ela caminha, daqui a n de anos teremos um equipamento instalado nas nossas casas capazes de acompanhar a ultima tecnologia a nível de eficiências energéticas.




    Sr. Piso Radiante, aprecio com atenção os seus comentários. Você é um profissional com muito conhecimento e que dá a este forúm uma contribuição exemplar. Espero que o continue a fazer!
    Tomara que todos os profissionais do seu ramo tivessem a responsabilidade e moral que até aqui tem vindo a demonstrar.



    Cumprimentos.
  13.  # 14

    Bom dia,

    Ricardo.mrd, tenho pena que não tenha respondido às restantes questões ;-)
    Seria mais fácil perceber se o Senhor nos desse um exemplo do custo de uma moradia térrea (ex.) com 200m2 de área a climatizar. Quanto custaria uma solução Multibeton completa, com fonte de energia ( poderá considerar um bomba de calor baratinha ;-)), com 3cm de isolamento térmico de pavimento….etc. Completo. Dê-nos o Seu “orçamento”.


    Quanto gastará (empiricamente!) para aquecimento com bomba de calor numa solução Multibeton?


    .....................
    Pelo contrário, um sistema de Piso Radiante Hidráulico Multibeton é para gente pobre, pois gente rica não se preocupará em pagar a factura de electricidade, gás ou gasóleo.

    Permita-me: é precisamente por causa de posturas desse género que estamos perante uma abordagem errada na forma como se utiliza a energia. Fala-se em equipamentos eficientes, fontes de energia renováveis, etc, mas existe uma abordagem mediocre á forma como o utilizador usa a energia ou ainda à forma como a energia é disponibiliza ao cliente ( radiadores, piso radiante, VC, etc).
    Dou-lhe um exemplo: um AC tem um COP, vamos de dizer de 1:2 em aquecimento, os mais afoitos dirão logo, boa consumo 1 e tenho 2 produzidos. Fantástico. Depois vai ter uma unidade a introduzir essa energia num determinado espaço "bufando" ar de forma a manter um determinado conforto. E a eficiência na introdução dessa energia?
    Apenas por convecção, com uma elevada velocidade do ar (falta de conforto), diferenças de energia no espaço, etc.
    Sabe o que sobra no final: consume 1 e disponibiliza 2. O resto não importa.

    Como deve reparar os sistemas radiantes hidráulicos são os únicos que se adaptam a todos os tipos de fontes de energia, e se acompanharmos de perto a recente tecnologia é para lá que ela caminha, daqui a n de anos teremos um equipamento instalado nas nossas casas capazes de acompanhar a ultima tecnologia a nível de eficiências energéticas.

    A forma de energia do futuro ( e do presente) a ser disponibilizada ao consumidor é a electricidade.
    E é precisamente na forma como vamos utilizar a energia eléctrica que está a questão.
    No caso do piso radiante eléctrico terá um sistema com custo de instalação mais baixo do que muitas soluções de aquecimento rivalizando com muitas soluções nos consumos mensais.
    Conforme afirmei já se determinado cliente tiver condições para instalar PR a água e ter associada uma bomba de calor ainda suportados por solar térmico, será à priori um excelente sistema com consumos baixos.

    Volto à questão de outra interveção: quanto custa tudo isso Sr. Ricardo? Quantos portugueses conseguem pagar um sistema desses? É precisamente essa questão que nenhum fornecedor de PR a água está na disposição de partilhar aqui para que possamos mostrar a quem nos lê uma comparação entre investimento inicial / consumos mensais / retorno (ou não) do investimento.

    Cumprimentos
  14.  # 15

    Boa noite,

    O Sr. Ricardo não respondeu ao meu amigável "desafio" no entanto e como este forum é rico nisso mesmo, partilha de informação, alcancei aqui informãção disponibilizada por quem me parece um cliente final.

    Área total a aquecer: 150 m2 (Moradia T3 + 1, com cave - que não vai ser aquecida, R/C com cozinha, sala, escritório, W/C, 1ºandar com suite c/WC privativo, 2 quartos e 1 W/C público)

    Piso radiante hidráulico UPONOR (C/ 10 termostátos, restante equipamento e instalação) - 7080 Eur c/iva incluído

    Pack solar Easy BAXIROCA AQS 2 300 lts ( C/2 colectores solares, depósito c/dupla serpentina, restantes equipamentos e instalação) - 3600 Eur c/iva incluído

    Caldeira mural de condensação gás natural NOVANOX PLATINIUM 24 AF Roca - 2100 Eur c/iva incluído

    Total: 12780 Eur

    Qual a Vossa opinião?


    Teremos então para piso radiante a água já com fonte de energia: 9.180 Euros (IVA incluído).
    No caso do piso radiante eléctrico para os 150m2 teríamos 3.630 Euros (IVA incluído).
    Diferença de investimento inicial: a mais no piso radiante a água de 5.550 Euros.

    Piso radiante eléctrico + electrodomésticos ( gás apenas para banhos) gastou no ultimo ano Junho a Junho, 1.100 Euros (encargos de potência contratada incluídos).
    Se atribuirmos 35 Euros mensais para o consumo normal de uma moradia teremos 420 Euros. Restarão 680 Euros que iremos associar ao aquecimento eléctrico por piso radiante.
    Teremos assim, se pensarmos em 4 meses de aquecimento, 170 Euros.

    Vamos "imaginar" que uma caldeira de condensação acoplada ao chão radiante a água consegue no seu conjunto uma redução de 50% nos custos para aquecimento: teremos assim uma poupança mensal 85 Euros o que para 4 meses de aquecimento nos dará 340 Euros.

    O investimento inicial realizado a mais no radiante a água com caldeira de condensação a gás, 5.550 Euros, demorará 16 anos a ser realizado.

    É precisamente este tipo de conclusão que pretendia partilhar.
    Mostrar que o radiante a água associado a fontes de energia mais eficiente ou fontes renováveis, é uma EXCELENTE solução de aquecimento contudo, a correr bem teremos pela frente pelo menos mais de 16 anos para reaver apenas o investimento que fizemos. Só a partir dos 16 anos passará o cliente a ter, digamos, "lucro".

    Fará sentido este tipo de abordagem?
    Fará sentido para alguém que gasta, digamos, 150.000 Euros numa moradia, que gaste 6% do orçamento só em aquecimento? Isto sem contar com os paineis para AQS.
    Fará sentido apostar por exemplo no gás natural quando cada vez produzimos mais electricidade vinda de fontes renováveis? Pois é temos as lusitania gás, beiragás, galp, etc...etc.

    Ainda me recordo há mais de 8 anos em que o gasóleo era "rei e senhor". Era caldeiras a gasóleo por todo o lado.
    Vejam as mudanças que ocorreram. Poucas se instalam e as que se instalam é pq não há gás natural por perto ou os clientes que ficam aterrorizados quando lhes falam no radiante eléctrico...

    Cumprimentos
    Estas pessoas agradeceram este comentário: raulschone
  15. Ícone informação Anunciar aqui?

  16.  # 16

    Sr. Piso Radiante,

    Peço desculpa, tenho andado um pouco ocupado. Aceito o desafio!

    Para que possamos fazer uma análise dos diferentes consumos, tomando como exemplo estes 150m2 a climatizar, agradecia que completasse a seguinte informação:

    - Qual a necessidade de potência eléctrica instalada para estes 150m2.

    Deixamo-nos de exemplos e passamos a contas certas, pois cada caso é um caso e a utilização de um sistema de climatização é diferente para cada utilizador, uns preferem manter constantemente a mesma temperatura ambiente em casa e outros apenas a pretendem algumas horas por dia.
    Ora esquecemos as médias de consumos anuais e passemos a consumos efectivos mensais.

    Aguardo seu feedback para poder dar continuidade ao "desafio" :)

    Cumprimentos
  17.  # 17

    Bom dia Sr. Ricardo,

    Obrigado por participar naquilo que chamo uma secção de esclarecimento.

    Para os 150m2 em piso radiante eléctrico serão instalador na ordem dos 12,75KW.

    Cumprimentos
    • eu
    • 29 Julho 2010

     # 18

    12,75 KW apenas para o piso radiante? Então, se somarmos os restantes consumos, teremos que contratar uns 18 KVA à EDP ?
    • lbvp
    • 29 Julho 2010

     # 19

    Não necessita de contratar 18 KVA á EDP,
    basta programar o aquecimento através de termostato programável e também podemos ter um deslastrador para controlar os consumos do piso e não fazer o disjuntor disparar...
  18.  # 20

    Bo tarde,

    12,75 KW apenas para o piso radiante?

    Acha muito ou acha pouco?
    Tipicamente, pelos projectos térmicos que temos consultado, para aquecimento teremos na ordem dos 35W/40W por m2 isto para as condições de projectos. Como a experiência nos diz que as condições de projecto podem divergir imenso e que na maior parte os dados utilizados nos cálculos térmicos são, digamos, menos exactos, optamos por instalar na ordem dos 85W/m2. Se o espaço for mais eficiente logicamente o sistema estará menos tempo ligado, se for menos eficiente térmicamente estará ligado mais tempo mas, o sistema terá capacidade para "suportar" as diferentes situações.
    Apenas UMA VEZ tivemos um cliente que tinha todos os materiais perfeitamente catalogados do ponto de vista térmico e nesse caso instalamos 65W/m2. Situação muito rara.

    Então, se somarmos os restantes consumos, teremos que contratar uns 18 KVA à EDP ?

    Se no 1º dia que ligar o aquecimento ligar todos os cicruitos ao mesmo tempo + electrodomésticos + iluminação + etc, sim precisará de ter a potência disponível correspondente ao somatório de todos os equipamentos. Em muitas situações precisaria é de um PT só para si ;-). De qualquer forma o Senhor sabe tão bem como eu que poucas são os casos onde isso acontece.
    No caso do piso radiante eléctrico poderá arrancar com o sistema por fases. Após atingir o equilibrio térmico a simultaneidade rondará os 50%/60%.
    Obviamente que existem formas de gerir as cargas, seja à "unha" como expliquei seja com equipamentos adequados ( deslastradores ou racionalizadores de consumo).

    Relativamente à potência contrada o importante é certificar a instalação para o escalão máximo que se pretende ( max. doméstico é de 20,7KW trifásicos). Ao longo do ano poderá ter uma potência instalada dentro dos escalões existentes até ao máximo da certificação. Ou seja, no inverno terá mais potência instalada e no fora do inverno terá menos potência instalada. Não fará sentido como deve compreender pagar todo o ano uma potência instalada alta quando não precisa.

    Cumprimentos
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">