Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Colocado por: Jorge Rocha
    No momento negativo que atravessamos em relacção à justiça...começando logo pelos tais 8 anos,estou para tudo...
    Continuando pelo estado de justiça...o desconhecimento dos factos que levaram a que o tribunal condene alguém em x anos de prisão(outra)não me leva a crer que toda a credibilidade assente na condenação...aliás também sinto deveras muitas dúvidas sobre o diferencial de 18 anos/7anos...pois a nova lei pretende dar a entender que quem mata ou atenta contra a vida de outras pessoas várias vezes,apenas se trata de 1 crime,sendo feito da mesma forma,logo se depreende(depreendo)que se alguém mata 1 ou 2 pessoas deverá levar pena máxima assim como quem mata 20...neste tipo de crime(pedófilia)cá para mim a mesma coisa,logo estranhíssimo o bibi levar muitos mais anos que os outros,ainda por cima com a agravante de ter colaborado com a justiça...logo também posso depreender que o tribunal para limpar um pouco a cara devido à má conotação actual da justiça perante a opinião pública e mesmo internamente,preocupou-se mais em conseguir o prazo para estes crimes não prescreverem devido à pressão da opinião pública,e assim também posso depreender que como o colectivo estava sobre pressão agiu deste modo atribuindo logo em praça pública a condenação dos réus desta forma...sem eles próprios saberem em que parâmetros foram apanhados pelas malhas da lei.Até poderia adiantar que houve politiquice neste processo(digo eu)porque afinal estes crimes foram prepertados no tempo de Cavaco ser 1º ministro,e logo havia alguém nessa época que pouco falou ou pouco se sabe o porquê da falta de control nesta instituição pública,logo por azar são os réus quase todos do PS,excepto o BIBI(digo eu)até o ferro rodrigues levou dose...
    Será que nos envolvidos por esta marosca só há tipos do PS?Será que não existe pedofilia do PSD?...logo por azar quem estava à frente da casa pia durante tantos anos até eram do PSD...quero que compreenda...não estou a fazer política,mas não me esqueço por exemplo da tal casa do monte que o Vitorino(ex ministro da defesa)não pagava impostos dessa propriedade,logo por azar no fim ele demitiu-se de funções,e provou-se que tudo era mentira,para não falar no caso de Duarte Lima com o Tal&Qual...que foi tanto acusado sobre a tal propriedade que afinal foi tudo mentira,também custou o demitir-se do cargo público que tinha.


    concordo com isto plenamente!!!também não percebo isto de um levar 18 e os outros5-6-7 anos,alguém pode explicar isto(princesa help!!!)ja que foi eu a dizer que nao ha fumo sem fogo e irrita muitos,venho agora com outra ideia maluca:ja que o CC anda a dar conferencias de imp.aparece muito na televisao a dizer que e inocente(nao digo que nao ou que sim)mas que tal uma aparência na tv em directo com um teste no Polígrafo.sei que Estudos demonstram que esse aparelho pode detectar correctamente sete em cada dez mentiras. Porém em alguns casos o criminoso mente de forma tão convincente que o equipamento não registra nenhuma reacção que indique a mentira. Portanto os resultados fornecidos por esse aparelho não são considerados conclusivos, sendo utilizados somente como auxiliares nos julgamentos.mas,vai la,mais uma ideia maluca!
    Estas pessoas agradeceram este comentário: two-rok
  2. Ícone informação Anunciar aqui?

  3.  # 2

    Colocado por: maria carolina
    Eu nem acredito que a lobito me respondeu isto. E os homens que tinham refeito a sua vida e que tentaram esquecer esta humilhação a que foram sujeitos quando cranças? Ou acha que é fácil vir a público dizer que foi abusado em criança por outro homem?!??


    É uma afirmação MUUUUUITO irónica!
    Estas pessoas agradeceram este comentário: maria carolina
  4.  # 3

    Caro Serjmar,

    Como me chamou eu tento explicar. Chama-se medida abstracta da pena. Cada crime tem uma medida abstracta que vai de x a y anos (ou valor de multa). Ora esta graduação vai fazer-se tendo em consideração muitos factores (ex. muito imperfeito (pois neste caso há homicidio e há a forma qualificada de homicidio): uma coisa é matar com um tiro à queima-roupa e outra coisa é matar e cortar às postas e pendurar na varanda; outro exemplo: uma coisa é um homem violar a sua namorada (ter relações sexuais contra a sua vontade), outra é esse mesmo homem atacar uma mulher na rua e violá-la). Dependendo vá, grosso modo e só para que perceba, da "censurabilidade" do acto, a medida concreta da pena (a que é aplicada concretamente ao caso) irá diminuir quanto menor seja a censurabilidade do acto. Não sou penalista e não estou a consultar coisa nenhuma para dar a explicação e por isso perdoem-me as imperfeições da explicação...

    Coisa diferente é a figura do crime continuado... Um dia peço ao meu marido para vir praqui explicar penal :)
  5.  # 4

    Todos os acusados neste processo se presumem inocentes porque a sentença ainda não transitou em julgado.
    É difícil de perceber isto?
  6.  # 5

    e quem defende socialmente a possível inocência de quem abusa de crianças, mesmo de quem foi sentenciado em tribunal, sendo esta a sua maior preocupação, face ao notório sofrimento vivido pelas crianças.


    25% das sentenças recorridas em Portugal são revistas, por erros na apreciação dos factos ou do direito aplicável. Acha uma margem suficientemente pequena para se ignorar ? Se não percebe o que isto significa, não tem remédio.
    Escusa de insistir nos abusadores - porque há a hipótese não desprezável de serem inocentes.
    •  
      MRui
    • 10 Setembro 2010

     # 6

    Colocado por: luisvvEscusa de insistir nos abusadores - porque há a hipótese não desprezável de serem inocentes.
      vampiro_08.jpg
  7.  # 7

    Não sei. Não tenho a certeza de que esta sucessão de programas de televisão, isto e aquilo, limpem extraordinariamente a imagem de quem está a recorrer a esse método. Por outro lado, estou convencida (ao contrário de muitos aqui, obviamente) de que não será toda essa exposição mediática que vai fazer com que sejam condenados ou inocentados em segunda instância. All things considered, duvido que eu fosse por aí. Mas como não sou a Senhora Televisão...

    Fala de barriga cheia, só isso. No dia em que lhe acontecer ser apontada na rua por alguma coisa que não fez, talvez mude de ideias. Qualquer pessoa normal lançará mão de todas os meios para se defender. E para julgamentos do público, defesa em público. O desespero de ver uma vida manchada indelevelmente é perfeitamente compreensível - mesmo que os efeitos não sejam os desejados, é humano tentar.

    Cada um tem o direito a defender-se o melhor que pode e sabe. Eu duvido que este sistema seja eficaz. Mas pode ser whishful thinking, porque isso significaria que uns têm uns trunfos na mão que outros não têm... Quando é que a Judite de Sousa vai entrevistar os outros?


    Pode ser ou não, mas não se pode deixar de compreender.
  8.  # 8

    Não, luisvv, não sou eu que digo que a justiça não trata por igual os mediáticos e os outros, é o luisvv. E ao que parece não dá por isso. Está há horas a dizer, de várias maneiras possíveis, que não é possível julgar correctamente uma personalidade mediática porque faça-se o que se fizer a sua reputação é destruída, e é humanamente impossível o juiz abstrair-se do circo. O que é que propõem então para as personalidades mediáticas que cometem crimes? Ou não cometem?


    Desculpe, mas deve distinguir 2 coisas : o julgamento popular, e o julgamento nos tribunais.
    E a nível da opinião pública, alguém mediático é sempre culpado à partida, ponto final. A absolvição no tribunal deixará sempre a marca - foi absolvido porque é famoso ou poderoso..

    Quanto ao tribunal, duvido de facto que seja possível abstrair-se da pressão mediática. Soluções? Nenhuma milagrosa, mas o fim do segredo de justiça talvez não fosse mau.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: two-rok, crisatnet
  9.  # 9

    Colocado por: lobito

    Desculpe, mas a mim dá-me 0,087 e não 0,66.


    A mim dá cerca de 71%.
  10.  # 10

    Colocado por: luisvv

    A mim dá cerca de 71%.


    Estamos a falar da mesma coisa???

    "Nos últimos 10 anos,os recursos com provimento registaram sempre valores superiores aos 35% do total de recursos findoso que significa uma taxa de recurso com sucesso abaixo dos 50%.Desses recursos cerca de 25% são recursos findos com provimento total"
    • lobito
    • 10 Setembro 2010 editado

     # 11

    Colocado por: luisvv

    Desculpe, masdeve distinguir 2 coisas: o julgamento popular, e o julgamento nos tribunais.
    E a nível da opinião pública, alguém mediático é sempre culpado à partida, ponto final. A absolvição no tribunal deixará sempre a marca - foi absolvido porque é famoso ou poderoso..

    Quanto ao tribunal, duvido de facto que seja possível abstrair-se da pressão mediática. Soluções? Nenhuma milagrosa, mas o fim do segredo de justiça talvez não fosse mau.


    Até parece que não ouve ou não lê por aí que é IMPOSSÍVEL que o Carlos Cruz tenha cometido os crimes de que foi acusado! E quantas pessoas não mediáticas têm uma colega a perguntar, em frente de não sei quantos milhares de telespectadores "Queres fazer alguma pergunta (a uma das pessoas que te estão a acusar, naturalmente)?" Por amor de Deus, luisvv, pelo menos reconheça que tanto pode dar para um lado como para o outro!

    E em que é que o fim do segredo de justiça resolvia a questão? Se por hipótese os miúdos acusaram a esmo pessoas conhecidas, que obviamente foram investigadas e tiveram de serem eliminadas da investigação, quantas pessoas conhecidas estariam agora na praça pública?

    Repito: a sua preocupação com a reputação de pessoas que têm uma imagem a defender redunda inevitavelmente na impossibilidade de serem investigadas como o luisvv ou eu. Se isso é um mal menor para si...
  11.  # 12

    Colocado por: luisvv
    Fala de barriga cheia, só isso. No dia em que lhe acontecer ser apontada na rua por alguma coisa que não fez, talvez mude de ideias. Qualquer pessoa normal lançará mão de todas os meios para se defender. E para julgamentos do público, defesa em público. O desespero de ver uma vida manchada indelevelmente é perfeitamente compreensível - mesmo que os efeitos não sejam os desejados, é humano tentar.



    Pode ser ou não, mas não se pode deixar de compreender.


    Mas eu já disse que reconheço todos os direitos a uma pessoa acusada de se defender! Só me parece mais eficaz a defesa no tribunal, se não fica sempre aquela dúvida "porque é que em vez de tentar convencer os espectadores não tenta convencer os juízes?". Depois há o pequeno pomenor de pôr a televisão pública ao serviço de UM dos arguidos, mas isso reconheço que é problema nosso, não dele.
  12.  # 13

    Estamos a falar da mesma coisa???

    "Nos últimos 10 anos,os recursos com provimento registaram sempre valores superiores aos 35% do total de recursos findoso que significa uma taxa de recurso com sucesso abaixo dos 50%.Desses recursos cerca de 25% são recursos findos com provimento total"


    Sim. 25% com provimento total, 11% com provimento parcial = 36% dos recursos totais.
  13.  # 14

    Até parece que não ouve ou não lê por aí que é IMPOSSÍVEL que o Carlos Cruz tenha cometido os crimes de que foi acusado! E quantas pessoas não mediáticas têm uma colega a perguntar, em frente de não sei quantos milhares de telespectadores "Queres fazer alguma pergunta (a uma das pessoas que te estão a acusar, naturalmente)?" Por amor de Deus, luisvv, pelo menos reconheça que tanto pode dar para um lado como para o outro!


    Impossível? Eu não vi isso escrito aqui, mas admito que possa estar a ver mal...

    Conto-vos um pormenor que até agora não contei... Tenho um amigo muito próximo que o conhece e que também diz que é impossível. O que diria cara lobito se fosse por exemplo o seu pai? Não afirmaria que era impossível somente por achar que o conhece bem?

    Mas tenho que fazer aqui uma correcção cara lobito pois parece que não esteve a assistir com atenção aos prós e contras... aquele jovem a quem ele fez a pergunta NAO o acusou em lado algum... O CC foi acusado pelo "ajudante" do Bibi e por outro jovem cujo processo da casa pia está repleto de mentiras ao longo da sua infancia, coisas graves... mas isso são outros carnavais...
  14.  # 15

    mas agora a serio,eu penso que mesmo que depois dos recursos todos(passado 5 anos)se for provado realmente que OS ARGUIDOS(em especial CC)são culpados,ainda vai haver muitos a dizer que realmente e inocente!
  15. Ícone informação Anunciar aqui?

  16.  # 16

    Até parece que não ouve ou não lê por aí que é IMPOSSÍVEL que o Carlos Cruz tenha cometido os crimes de que foi acusado! E quantas pessoas não mediáticas têm uma colega a perguntar, em frente de não sei quantos milhares de telespectadores "Queres fazer alguma pergunta (a uma das pessoas que te estão a acusar, naturalmente)?" Por amor de Deus, luisvv, pelo menos reconheça que tanto pode dar para um lado como para o outro!


    Cara lobito, os seus argumentos já foram mais honestos. Eu comecei a minha participação nesta discussão com uma constatação simples: não tenho opinião formada porque não conheço o processo. Desde o início que foram lançadas muitas notícias comprovadamente falsas, à medida das conveniências das fontes, portanto muito cedo desliguei a minha atenção do processo.
    Dito isto, a minha intervenção neste tópico tem 2 objectivos: refutar a tese de que não há fumo sem fogo; recordar que erros judiciários há aos pontapés, e que uma condenação em 1ª instância é só isso, e não um dogma de fé.
    Portanto, admito que sejam todos culpados, da mesma forma que admito que sejam todos inocentes, ou uns culpados e outros inocentes. Mas como NÃO SEI, sinto-me obrigado a conceder-lhes o benefício da dúvida. E como não é sequer incomum a alteração de sentenças, não vejo qualquer motivo para alterar a minha posição.

    E sobre o dar para os dois lados: antes do processo, ninguém o diria pedófilo. Agora, mesmo que convença metade da população, a marca continua.

    E em que é que o fim do segredo de justiça resolvia a questão? Se por hipótese os miúdos acusaram a esmo pessoas conhecidas, que obviamente foram investigadas e tiveram de serem eliminadas da investigação, quantas pessoas conhecidas estariam agora na praça pública?

    Permitiria o acesso de todos ao processo e evitaria a fuga de peças seleccionadas, descontextualizadas, distorcidas ou falsas. Solução perfeita? Não, mas talvez melhor que o que existe agora - em que se divulgam factos, cuja veracidade ou ou contexto não podem ser provados ou negados, e se arrasta na lama a honra das pessoas sem que se possam defender.
    Quanto ao resto, findo o processo ele é público, pelo que as tais 200 pessoas que CC reclama que nunca foram investigadas, serão fatalmente conhecidas agora.

    Repito: a sua preocupação com a reputação de pessoas que têm uma imagem a defender redunda inevitavelmente na impossibilidade de serem investigadas como o luisvv ou eu. Se isso é um mal menor para si...

    Está enganada, de novo. Investigar é uma coisa, promover fugas selectivas para os jornais, é outra, paralela. Pode investigar à vontade - escusa é de fazer figuras tristes como o ex-director da PJ por exemplo, com as suas conversas com o jornalista do CM.
  17.  # 17

    Gostaria de saber se a Princesa (?) tivesse um filho que fosse abusado, teria ela a mesma argumentação!!??
  18.  # 18

    Mas eu já disse que reconheço todos os direitos a uma pessoa acusada de se defender! Só me parece mais eficaz a defesa no tribunal, se não fica sempre aquela dúvida "porque é que em vez de tentar convencer os espectadores não tenta convencer os juízes?". Depois há o pequeno pomenor de pôr a televisão pública ao serviço de UM dos arguidos, mas isso reconheço que é problema nosso, não dele.


    Desculpe, mas esse raciocinio é uma coisa binária, tipo ZERO/UM. Uma coisa não exclui a outra. São dimensões paralelas, ambas importantes para CC, como é óbvio.
    É evidente que o homem não tem feito outra coisa nos últimos anos, e vai continuar a fazê-lo: defender-se. Não vejo nada de estranho, nem percebo porque é que seria de esperar que se remetesse ao silêncio, como se este não fosse um assunto discutido publicamente por todos.
    Se o caso estivesse confinado aos tribunais e não se soubesse nada cá fora, ainda percebia, mas assim, qual é a dúvida?
  19.  # 19

    Colocado por: ParamonteGostaria de saber se a Princesa (?) tivesse um filho que fosse abusado, teria ela a mesma argumentação!!??


    Ridiculo! Eu não defendo a inocencia de criminosos... consegue perceber o que escrevo!??? Quaç é a parte de tudo o que escrevo que não percebe ? (posso sempre tentar explicar que o HOMEM PODE ESTAR INOCENTE se foi condennado somente com base em prova testemunhal porque seria muito dificil de se defender de uma acusação entre o dia X e Y... Eu não digo que o homem abusou e deve estar em liberdade... Quer que explique de novo?

    P.S. E eu gostaria de saber o que faria se um seu filho o acusasse de o ter molestado sexualmente e fosse condenado num tribunal por esse crime em primeira instância e mais do que isso, gostaria de saber como se sentiria se qualquer pessoa que não o conhece de lado nenhum, o considerasse sem qualquer margem para dúvidas, culpado só porque o seu filho o acusou...
  20.  # 20

    Colocado por: ParamonteGostaria de saber se a Princesa (?) tivesse um filho que fosse abusado, teria ela a mesma argumentação!!??


    Mas sabe o que era bonito? Era que escrevesse alguma coisa que não fossem parvoíces... Assim um género de argumentação tá a ver? Como todos temos feito... Daquela que acrescenta qualquer coisa à discussão (porque é para isso que aqui estamos, para discutir ideias independentemente de quais sejam as convicções. É que ainda nem sequer percebi o que pensa (?) sobre o assunto...
    Estas pessoas agradeceram este comentário: crisatnet
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">