Iniciar sessão ou registar-se
    •  
      FD
    • 27 outubro 2006 editado

     # 1

    Ao escolher uma casa usada há que ter em atenção o seguinte:

    - Foi pintada recentemente?
    Se sim, é uma tentativa do dono para conseguir valorizar ou esconder algo que não se quer ver, como humidades, fissuras e outros problemas. Estranhe muito mesmo se diferentes divisões tiverem pinturas muito diferentes em termos de uso e idade.
    Se não foi, é um bom argumento para negociar o preço.

    - As áreas comuns do prédio (escadas, patamares, janelas, etc.) estão cuidadas?
    Se não, tenha em atenção os problemas que poderão existir com a gestão do condomínio. Pergunte quem faz a gestão, como e quando. Conheço alguns casos de prédios sem qualquer tipo de gestão porque ninguém paga a quota. Escusado será dizer que os prédios não têm bom aspecto, as escadas não são lavadas e muitas vezes falta a electricidade.

    - O proprietário da casa tem as quotas dos condomínio em dia? E qual é o valor?
    Uma coisa que muitas vezes as pessoas se esquecem é o valor das quotas. Esse valor deve ser considerado em conjunto com a prestação ao banco da quantia a pagar todos os meses. Casas de quatro assoalhadas em prédios relativamente recentes chegam muito bem a pagar 50€ por mês de quota. O que não é pouco diga-se.

    - As actas das reuniões de condóminos.
    Pode parecer um pouco picuínhas mas se está mesmo interessado (no sentido de querer mesmo comprar) numa casa usada, a melhor forma de saber como as coisas correm dentro do prédio será consultar as actas das reuniões de condóminos. Dessa forma também ficará a saber se se aproximam despesas significativas (pintura do prédio por exemplo).

    - Fale com os vizinhos.
    Após a visita à casa, e num dia diferente, toque à campaínha dos vizinhos mais próximos (do lado, de cima e de baixo). Por duas razões: saber qual é que vai ser a vizinhança (se interessa ou não), e conhecer problemas existentes que o dono, logicamente, poderá não quer dar a conhecer. Mais vale conhecê-los antes de comprar a casa do que depois... É que a casa pode ser remodelada/reparada mas os vizinhos não. ;)

    - Problemas com a casa.
    Qualquer problema que a casa tenha é um bom argumento para negociar o preço. Lembre-se que, regra geral, as casas usadas foram muito mais baratas do que o actual preço de venda, por isso há muito espaço para negociar.

    - Vá até ao café da rua.
    O café da rua mostra-nos muitas vezes o tipo de vizinhança que temos. Hoje em dia já pouco saímos das nossas casas, mas mesmo assim convém sempre saber com o que contar.

    - Veja a espessura das paredes.
    Não é uma forma infalível, até porque o som distribui-se de uma maneira diferente e os materiais têm muita influência, mas sim, quanto mais espessa fôr uma parede menos probabilidades existem de se ouvir a conversa do quarto ao lado. Para o averiguar, basta ver as aduelas das portas (a 'moldura' de madeira).

    - Em casas com mais de 20 a 30 anos há alguns cuidados extra.
    As canalizações são uma preocupação importante. Especialmente se estivermos a falar de gás canalizado. De 5 em 5 anos há inspecções (gás) e caso haja uma fuga os gastos não são poucos. Veja se as torneiras são recentes ou antigas. Abra o compartimento do contador de água e veja se o tubo que vai da casa ao contador é recente ou antigo.

    - O estacionamento.
    Visite a zona à noite, por exemplo às 22h, dessa forma saberá como é fácil ou difícil estacionar.

    - Inundações.
    Se fôr uma casa baixa (R/C por exemplo) tenha cuidado com os riscos de inundação pela chuva. Avalie a zona e veja se está num ponto alto ou numa depressão e como se processa o escoamento das águas (as sarjetas são muitas, poucas, etc.).

    - Os caixilhos, as janelas e os estores.
    Cuidado com o trânsito, os comboios ou qualquer outra fonte de ruído. Por exemplo, há sítios em que o trânsito de camiões apenas se processa à noite, logo de dia pode parecer uma casa calma e à noite... Cuidado também com zonas de bares e de ajuntamento de pessoas. Não são razões para desconsiderar uma casa, mas são razões para negociar o preço, ponderar a colocação de janelas e caixilhos novos, etc. Influenciam sempre no valor que se vai gastar.

    Se tiver mais alguma ideia, ajude-nos e coloque aqui.
  1.  # 2

    Penso que o importante na seleccção de uma habitação é sem dúvida os materiais envolvidos no processo de construção.
    Desse modo irei enunnciar alguns aspectos que considero importantes:

    Madeiras:
    É um mundo enorme :), pelo que, quem lhe está a vender a casa poderá não saber nada sobre o assunto, eis o que deve considerar:

    Porta patim ou seja a de entrada - Se não for de segurança retire - 1000€

    Portas comuns - Verifique os empenamentos, ou seja, feche a porta e verifique as folgas de encosto entre a folha e a respectiva aduela em todo o perímetro. - 50€
    Verifique a união das meias esquadrias das guarnições e a forma como foram colocadas (muitas delas vêm-se pregos o que retira valor á construção) - 50€
    Verifique se as portas são de folha natural ou de película de melamina, as de folha natural dão para envernizar, logo conseguem-se reparar as outras não. - -50€
    (Imagine uma casa com 8 portas interiores 8x150=1200€)

    Rodapé - Verifique se são de MDF plastificado (pouca durabilidade) - 3€ ml
    Verifique se o encosto á parede está ondulado. - 3€ ml
    Verifique a forma como foram colados/pregados - se notar imperfeições - 3€ ml
    Verifique se as uniões estão em meia esquadria. - se não estiverem - 3€ ml
    Verifique a forma de união do rodapé com as guarnições das portas, se os espaços forem muito visiveis +1mm - -3€
    (Os rodapés parecem insignificantes mas novos poderá considerar a compra na ordem dos 13 a 15€ o ml sem falar na reparação da parede e pintura que terá de efectuar.)
    (imagine uma casa com 80ml de rodapé - 80x15€=1200€

    Nestes 3 items você já poupou 1000+1200+1200=3400€ (Dá bem para passar umas férias em grande ou então mobilar parte da sua casa :))

    Pavimentos: Este é um item muito importante da casa e sua análise poderá retirar muitos € á compra da casa no entanto é uma matéria muito extensa e poderei dar uma ajuda a quem precisar. Sussurre :)

    Cozinha: Este é o item de interiores mais importante da casa e sua análise poderá retirar muitos € á compra da casa no entanto é uma matéria muito extensa e poderei dar uma ajuda a quem precisar. Sussurre :)


    Outro dia falarei de aluminios :)
  2.  # 3

    Petrus,
    Homem!
    Se você continua a fazer contas dessa maneira, haverá tugúrios em Lisboa e arredores em que terão de lhe dar dinheiro para você fazer o favor de lhes comprar a casa. :-))
  3.  # 4

    Colocado por: FD- Foi pintada recentemente?
    Se sim, é uma tentativa do dono para conseguir valorizar ou esconder algo que não se quer ver, como humidades, fissuras e outros problemas. Estranhe muito mesmo se diferentes divisões tiverem pinturas muito diferentes em termos de uso e idade.
    Se não foi, é um bom argumento para negociar o preço.


    Preso por ter cão e não ter...lol.
  4.  # 5

    Luis, a compra de uma casa é um duelo onde geralmente vence o melhor como em todos os duelos :)

    Macal, compreendo a sua interrogação, no entanto se encontrar a casa toda remodelada é uma coisa se for apenas uma divisão ou parte de uma é outra. :)

    A minha prespectiva poderá não ser a melhor mas considerando que quando compramos uma casa usada vamos fazer algumas obras é natural que saibamos logo á partida
    o que gostaríamos de ver diferente, logo se o vendedor não ceder, not problem o que não faltam é casas para vender :)

    Boa noite aos dois e obrigado pela v/entrada afinal este tema tem estado morto desde 2006 :)
  5.  # 6

    Colocado por: Petrusquando compramos uma casa usada vamos fazer algumas obras é natural que saibamos logo á partida
    o que gostaríamos de ver diferente

    Não posso deixar de concordar.
  6.  # 7

    Colocado por: FDAs canalizações são uma preocupação importante. Especialmente se estivermos a falar de gás canalizado. De 5 em 5 anos há inspecções (gás)

    A este propósito:
    INSPECÇÕES A INSTALAÇÕES DE GÁS

    1 — Devem realizar-se inspecções a instalações de gás sempre que ocorra uma das seguintes situações (cfr. Anexo I, artigo 3.º, n.º 1, da Portaria n.º 362/2000, de 20 de Junho):
    a) Alterações no traçado, na secção ou na natureza da tubagem, nas partes comuns ou no interior dos fogos; (cfr. Anexo I, artigo 3.º, n.º 1, alínea a), da Portaria n.º 362/2000, de 20 de Junho)
    b) Fuga de gás combustível; (cfr. Anexo I, artigo 3.º, n.º 1, alínea b), da Portaria n.º 362/2000, de 20 de Junho)
    c) Novo contrato de fornecimento de gás combustível. (cfr. Anexo I, artigo 3.º, n.º 1, alínea c), da Portaria n.º 362/2000, de 20 de Junho)
    2 — As inspecções periódicas devem ser feitas de acordo com o disposto no artigo 13.º do Decreto-Lei n.º 521/1999, de 10 de Dezembro, com a seguinte periodicidade: (cfr. Anexo I, artigo 3.º, n.º 2, da Portaria n.º 362/2000, de 20 de Junho)
    a) Dois anos, para as instalações de gás afectas à indústria turística e de restauração, a escolas, a hospitais e outros serviços de saúde, a quartéis e a quaisquer estabelecimentos públicos ou particulares com capacidade superior a 250 pessoas; (cfr. Anexo I, artigo 3.º, n.º 2, alínea a), da Portaria n.º 362/2000, de 20 de Junho)
    b) Três anos, para instalações industriais com consumos anuais superiores a 50 000 m³ de gás natural, ou equivalente noutro gás combustível; (cfr. Anexo I, artigo 3.º, n.º 2, alínea b), da Portaria n.º 362/2000, de 20 de Junho)
    c) Cinco anos, para instalações de gás executadas há mais de 20 anos e que não tenham sido objecto de remodelação. (cfr. Anexo I, artigo 3.º, n.º 2, alínea c), da Portaria n.º 362/2000, de 20 de Junho)
    3 — Sem prejuízo do anteriormente disposto, quaisquer instalações de gás podem ser sujeitas a uma inspecção extraordinária nas seguintes condições: (cfr. Anexo I, artigo 3.º, n.º 3, da Portaria n.º 362/2000, de 20 de Junho)
    a) Quando, tendo estado abrangidas pelo âmbito da aplicação do Decreto-Lei n.º 262/1989, de 17 de Agosto, na redacção que lhe foi dada pelos Decretos-Leis n.ºs 219/1991, de 17 de Junho, e 178/1992, de 14 de Agosto, não tiver sido cumprido o disposto nos seus artigos 11.º e 12.º; (cfr. Anexo I, artigo 3.º, n.º 3, alínea a), da Portaria n.º 362/2000, de 20 de Junho)
    b) Quando tenham sido convertidas para a utilização do gás natural e não tenha sido cumprido o disposto nos artigos referidos na alínea anterior; (cfr. Anexo I, artigo 3.º, n.º 3, alínea b), da Portaria n.º 362/2000, de 20 de Junho)
    c) Quando as instalações de gás estejam integradas em edifícios localizados na área geográfica da «concessão da rede de distribuição regional de gás natural de Lisboa» e tenham de ser convertidas para utilização de gás natural por força da aplicação das disposições conjugadas dos Decretos-Leis n.ºs 33/1991, de 16 de Janeiro, e 333/1991, de 6 de Setembro. (cfr. Anexo I, artigo 3.º, n.º 3, alínea c), da Portaria n.º 362/2000, de 20 de Junho)
    4 — A promoção e realização das inspecções previstas neste artigo são efectuadas em conformidade com os artigos 13.º e 14.º do Decreto-Lei n.º 521/1999, de 10 de Dezembro. (cfr. Anexo I, artigo 3.º, n.º 4, da Portaria n.º 362/2000, de 20 de Junho)
 
0.0152 seg. NEW