Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Um ano passado,e aqui estou eu novamente com o mesmo problema por resolver, a ver se desta vez tenho a sorte de haver alguém que me dê uma dica para a resolução deste meu problema.
    O meu sogro tinha um terreno com aprox. 400m2 inserido num bairro que estava ainda em avos e em processo de legalização(AUGI) terreno este que foi destacado em 2 Lotes de 200 m2 cada um e que por sua vez foi oferecido pelo meu sogro ás suas 2 filhas, um lote para a minha mulher e outro para a minha cunhada,até aqui tudo bem com o destacamento efectuado resolvemos pedir a um arquitecto nosso amigo que nos fizesse o projecto da nossa casa dentro dos parâmetros legais da nossa zona ( Concelho Cascais) projecto esse que foi aprovado e ficou com a licença de construção a pagamento um ano mais tarde.Entretanto o processo de legalização do nosso bairro chega ao final e é entregue á nossa associação de moradores o respectivo Alvará com todos os lotes atribuídos a cada um dos seus proprietários e em m2.
    Faltava então agora proceder á realização de novas escrituras para passar de avos para m2 os lotes que a cada um foram atribuídos(divisão da coisa comum)entretanto vendo o apartamento onde vivia para realizar algum capital para dar inicio á construção da casa esperando que o processo da divisão da coisa comum fosse mais ou menos rápido e o Alvará do bairro fosse registado no CRP da Cascais, então não é que á um proprietário de alguns lotes neste bairro que já tinha sido indemnizado pela bris....por lhe terem cortado alguns metros de 2 lotes que lhe pertenciam se lembra de interpor uma providencia cautelar pois afirma que afinal teria mais metros num dos lotes!
    Bom com isto tudo o que acontece é que o Alvará do bairro ainda não foi registado na crp,e foi-me dito pelo advogado da associação Que vai demorar pelo menos 2 anos, 1 deles já passou e eu tenho a casa meia construída,preciso de recorrer a empréstimo bancário, mas os bancos não emprestam pois na verdade está tudo legal na Câmara Municipal ou seja em m2, mas na CRP está tudo ainda em avos pois o Alvará ainda não pode ser registado antes da divisão da coisa comum.
    Agradecia alguém que me desse uma ideia do que fazer, alguém conhece algum Banco que conceda empréstimo nesta situação?Peço desculpa pelo testamento mas tinha de ser assim para conseguirem perceber o problema em questão.
    Cumprimentos a todos e obrigado.
  2.  # 2

    boas
    há bancos que emprestam aos seus avós consigo como fiadores, (CGD).
    passe por uma agencia e fale com o gestor de conta.
    abraço
  3.  # 3

    Agradeço o seu comentário mas creio que entendeu mal a questão, este meu problema tem a ver com avos e não com avós.
    Agradeço na mesma a sua intençao,obrigado e cumprimentos.
  4.  # 4

    Boas
    Que tal pedir um crédito pessoal, os juros serão mais altos, mas normalmente é mais facil de conseguir.
    Quando tiver tudo legalizado pede um emprestimo para a casa e paga o crédito pessoal, ficando com os juros eventualmente mais baixos.
  5.  # 5

    Pois, nada que eu já tivesse estudado,o problema é que as taxas dos creditos pessoais
    Sao altissimas,de qualquer maneira obgd pela dica.
    Cumprimentos
  6.  # 6

    Boa noite. tenho uma situação semelhante a acontecer. O meu lote encontra-se destacado, em m2 e registado na conservatória como urbano e escriturado apenas em meu nome. Agora recebo a informação de que o mesmo se encontra "ilegal" por se encontrar inserido numa augi e que tenho de participar nas despesas relaccionadas com o respectivo alvará de loteamento. Não consigo entender isto muito bem. Como pode ser escriturado e ser cobrado o imi a um imóvel ilegal???? Agora tenho que esperar que seja emitido o alvará de loteamento, que todos os outros membros efectuem a sua escritura e eu fico a espera do que para finalizar todo este processo.
  7.  # 7

    Boa noite Ramboyas. Estou com uma situação idêntica, para não dizer igual, à descrita no teu caso. Podes me informar se foi possível obter financiamento junto de algum banco? Quanto tempo demorou a providência cautelar para ser resolvida? Obrigado pela ajuda
 
0.0106 seg. NEW