Iniciar sessão ou registar-se
    • kambi
    • 10 Julho 2018 editado

     # 1

    Boas,

    Sou engenheiro civil de formação e recentemente comecei a exercer prática.

    Tenho a cargo a reabilitação de uma empreitada que apresenta problemas de salitre em paredes divisórias interiores executadas em estuque projectado, ao longo de vários andares de um edifício. É razoável assumir os sais provêm de tijolos contaminado ou da argamassa de assentamento utilizada.

    Nas áreas afetadas, existe uma fonte de humidade que provoca o deslocamento dos sais desde o tijolo contaminado, até a superfície da parede. A solução mais eficaz seria remover a fonte de humidade, contudo, por razões técnicas, tal não é possível.

    Ora a tinta aplicada nas paredes é de tal forma impermeável, que a humidade, ao atravessar a camada de estuque, não consegue atravessar a camada de tinta, ocorrendo a cristalização dos sais por detrás da camada de tinta e provocando o seu empolamento.

    Uma vez que não é possível eliminar a fonte de humidade (o que seria a única solução eficaz), tenho estado a contemplar a seguinte solução:

    - Aplicar uma camada de tinta permeável à água líquida e ao vapor de água. Assim sendo, a água que transporta os sais tem capacidade de atravessar a camada de tinta, ocorrendo a cristalização dos sais na zona exterior à camada de tinta, evitando o empolamento da mesma.

    É importante realçar que estas superfícies não estão sujeitas a lavagem frequente, pelo que não irá provocar problemas de absorção de água líquida pelo interior.

    Quais as vossas opiniões?
  1. Ícone informação Anunciar aqui?

  2.  # 2

    Colocado por: kambiUma vez que não é possível eliminar a fonte de humidade (o que seria a única solução eficaz),

    Como é isso!!!? tem de eliminar, alguma coisa se passa. ainda para mais se acontece em andares elevados... no piso em contacto com o solo ainda se compreende que seja complicado impedir isso.
    Se não houver ciclos de molhagem/ secagem, também não haverá migração de sais...

    Uma solução é a substituição desse estuque por uma reboco macroporoso, efectuar o acabamento a massa fina compatível com os estuques existetnes, depois aplicar uma tinta que deixe respirar e caso haja saturação dos espaços do reboco macroporoso pelos asais, permita ainda assim estes migrarem para o exterior. o ideal seria uma tinta mineral, por exemplo se silicatos... mas há outras opções. Já contactou o departamento técnico de um fabricante de tintas?
    Qual a idade do edificio? qual a constituição das paredes divisórias?
    tem fotos?
    • kambi
    • 11 Julho 2018 editado

     # 3

    Por razões técnicas não é possível eliminar a fonte de humidade nem remover o estuque que se encontra aplicado.
    Assim sendo, apenas me resta como solução escolher um tipo de tinta que permita atenuar ao máximo a acção dos sais, ou pelo menos, que com a sua aparição não danifique a camada de tinta.

  3.  # 4

    Veja aqui se resolve o seu problema:

    https://forumdacasa.com/?CommentID=982275
  4.  # 5

    Colocado por: kambiAssim sendo, apenas me resta como solução escolher um tipo de tinta que permita atenuar ao máximo a acção dos sais, ou pelo menos, que com a sua aparição não danifique a camada de tinta.


    Colocado por: Pedro Barradasermita ainda assim estes migrarem para o exterior. o ideal seria uma tinta mineral, por exemplo se silicatos... mas há outras opções
  5.  # 6

    A minha casa do alentejo tem salitre quase desde sempre.
    A parede foi rebocada de novo, produtos disto e daquilo, barrado com esferovite diluido com diluente, estuque especial, tinta especial, mas mais tarde ou mais cedo acaba por voltar. A vez que durou mais foi uns 4 anos se aparecer.
    Resolvi o problema com gesso cartonado.

    Quem inventar uma "cura definitiva" para o salitre acho que não vai ter problemas em ficar rico!
  6.  # 7

    Colocado por: Schlüter-PortugalVeja aqui se resolve o seu problema:

    https://forumdacasa.com/?CommentID=982275


    É um tópico interessante, obrigado.

    Colocado por: WardrunaA minha casa do alentejo tem salitre quase desde sempre.
    A parede foi rebocada de novo, produtos disto e daquilo, barrado com esferovite diluido com diluente, estuque especial, tinta especial, mas mais tarde ou mais cedo acaba por voltar. A vez que durou mais foi uns 4 anos se aparecer.
    Resolvi o problema com gesso cartonado.

    Quem inventar uma "cura definitiva" para o salitre acho que não vai ter problemas em ficar rico!


    Lembra-se se chegou a ser aplicado cimento macro-poroso? A função deste reboco é reter os sais dentro dos seus poros, evitando assim a aparição dos sais. Estou curioso quanto à eficácia desta solução.
  7.  # 8

    Colocado por: kambiLembra-se se chegou a ser aplicado cimento macro-poroso?

    Não é cimento, é reboco...

    Colocado por: kambiEstou curioso quanto à eficácia desta solução

    Funciona... depdendendo da gravidade da situação, é ela tambem uma solução que terá a sua duração, quando saturar , os sais saem para fora. O truque, seja nesta, seja noutra solução está na tinta!!! utilizar uma que permita a migração dos sais sem empolar. Depoisé passar com uma escovinha, aspirar e tem a superficie nova novamente.
  8.  # 9

    Colocado por: kambi

    Lembra-se se chegou a ser aplicado cimento macro-poroso? A função deste reboco é reter os sais dentro dos seus poros, evitando assim a aparição dos sais. Estou curioso quanto à eficácia desta solução.


    Acho que não. Tinha uma parede com salitre onde coloquei azulejo, mas nem assim resolveu nada, o salitre saia pelas juntas e por cima dos azulejos.

    Já me disseram que o problema muitas vezes é da terra onde está feita a construção. E tem a sua lógica, uma vez mesmo depois de partir, colocar produto proprio, rebocar e voltar a pintar o salitre volta sempre a aparecer no mesmo local.
  9.  # 10

    Colocado por: Wardruna

    Acho que não. Tinha uma parede com salitre onde coloquei azulejo, mas nem assim resolveu nada, o salitre saia pelas juntas e por cima dos azulejos.

    Já me disseram que o problema muitas vezes é da terra onde está feita a construção. E tem a sua lógica, uma vez mesmo depois de partir, colocar produto proprio, rebocar e voltar a pintar o salitre volta sempre a aparecer no mesmo local.


    Não pode entrar ar nessa parede.
  10.  # 11

    Colocado por: Schlüter-Portugal

    Não pode entrar ar nessa parede.


    E como é que sei que entra ar?
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">