Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Boa tarde a todos. A questão é a seguinte.
    Em março 2018 eu com a minha esposa assinamos um CPCV de um imóvel, que ficará pronto em agosto 2019.
    Entretanto, surgiu-nos uma alternativa numa outra zona, que não sendo tão boa (não tem tanta procura), devido a mudança de emprego, atualmente servia-nos.
    Assim, estamos a ponderar se avançamos para a venda do apartamento novo, através daquela figura de venda da posição contratual.
    A minha dúvida prende-se com a fiscalidade.
    Caso optemos por comprar a casa, para além de ter que pagar IMT, imposto selo, escritura, etc, se decidirmos vender num curto espaço de tempo sei que não temos a vantagem isenção das mais-valias.
    Mas e no caso de ser a venda da nossa posição no CPCV? Temos que pagar IRS sobre a mais-valia (caso haja, claro).
  2.  # 2

    Se ninguém responde, é melhor irem a um contabilista.
  3.  # 3

    Colocado por: CG30Mas e no caso de ser a venda da nossa posição no CPCV?

    Isso só é possível se estiver previsto no CPCV, ou se o vendedor aceitar fazer um aditamento ao cpcv, mas é preciso ter noção de que nos cpcv com uma cláusula a prever a cedência da posição contratual, é obrigatório o pagamento do IMT, não sei se da totalidade da venda ou se só a percentagem relativa ao sinal pago.
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">