Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 41

    Colocado por: jorgferrE que lá vai fazer a entidade patronal? se for uma multinacional por exemplo acha normal serem chamados a uma cosia destas? eu não acho

    Caro jorgferr,
    reparou no que eu escrevi? " eu reduziria ao máximo os intervenientes".

    No caso concreto, não sei o que é que a entidade patronal tem a ver com o caso, nem o porquê do vitocril achar porventura necessário chamá-la. Contudo, conheço casos em que a entidade patronal é quem procura alojamento para o funcionário e paga aquele, como contrapartida para/complemento ao salário do funcionário.
    Será esse o caso? Não sei.
    Concordam com este comentário: vitocril
  2. Ícone informação Anunciar aqui?

    • JoelM
    • 11 Abril 2019 editado

     # 42

    Colocado por: jorgferrO user queria receber SEMPRE 3 meses em avanço mas no contrato não é claro isto. Ou seja, o inquilino pagou 3 meses, Abril, Maio e Junho, mas agora só conta voltar a pagar em Junho o mês de Julho e assim sucessivamente. Quem arrendou queria em Abril receber Julho, em Maio Agosto,etc
    Estas pessoas agradeceram este comentário:desofiapedro


    nesse caso eu também me sentiria aldrabado se fosse o inquilino!

    fazem contratos tão complicados que quase é preciso tirar um curso para os entender...
    Concordam com este comentário: vitocril
  3.  # 43

    Colocado por: JoelM

    nesse caso eu também me sentiria aldrabado se fosse o inquilino!

    fazem contratos tão complicados que quase é preciso tirar um curso para os entender...
    Eu como inquilino passei por esta situação ao contrário. No assinar quiseram 1 mês de caução+2 de renda. Ora entrei a dia 1 de Setembro e paguei outra renda (ou seja Novembro) e assim sucessivamente. Quando foi para sair a senhoria estava-se a fazer de burra pois o contrato era "normal" e precavia pagar até dia 1 do mês o mês a seguir. Tive se andar com extractos para provar que andei sempre a pagar 2 meses adiantados e não 1 mês. Mais uma vez bosta feita pela imobiliária.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: vitocril
  4. Procura serviços ou materiais para a sua casa? Contrate quem ajuda no fórum.

  5.  # 44

    Colocado por: jorgferrO user queria receber SEMPRE 3 meses em avanço mas no contrato não é claro isto. Ou seja, o inquilino pagou 3 meses, Abril, Maio e Junho, mas agora só conta voltar a pagar em Junho o mês de Julho e assim sucessivamente. Quem arrendou queria em Abril receber Julho, em Maio Agosto,etc


    Uma correcção:

    O user queria receber SEMPRE 3 meses em avanço, além do mês anterior (definido na lei), porque os inquilinos não têm fiadores, mas o contrato foi redigido de forma pouco clara.
    Ou seja, os inquilinos pagaram 3 meses + o mês anterior definido na lei, isto é, os meses de Fevereiro, Março, Abril e Maio, mas agora os inquilinos só contam voltar a pagar em Junho o mês de Junho e assim sucessivamente. Isto é, pagar no mesmo mês o mês em causa.
    Quem arrendou queria em Março receber Junho, em Abril o mês de Julho,etc
    Concordam com este comentário: vitocril
    Estas pessoas agradeceram este comentário: vitocril
    • JoelM
    • 11 Abril 2019 editado

     # 45

    Colocado por: Nando Silva

    Uma correcção:

    O user queria receber SEMPRE 3 meses em avanço, além do mês anterior (definido na lei), porque os inquilinos não têm fiadores, mas o contrato foi redigido de forma pouco clara.
    Ou seja, os inquilinos pagaram 3 meses + o mês anterior definido na lei, isto é, os meses de Fevereiro, Março, Abril e Maio, mas agora os inquilinos só contam voltar a pagar em Junho o mês de Junho e assim sucessivamente. Isto é, pagar no mesmo mês o mês em causa.
    Quem arrendou queria em Março receber Junho, em Abril o mês de Julho,etc


    isso é legal sequer? daqui a pouco o pessoal no trabalho também quer receber o salário de Junho em Março...

    porque não pagar uma caução equivalente a 3 meses (é o meu caso) e deixar-se disso de andar a pagar adiantado?
  6.  # 46

    Colocado por: JoelM
    isso é legal sequer? daqui a pouco o pessoal no trabalho também quer receber o salário de Junho em Março...

    porque não pagar uma caução equivalente a 3 meses (é o meu caso) e deixar-se disso de andar a pagar adiantado?

    Artigo 1076.º - (Antecipação de rendas)
    1. O pagamento da renda pode ser antecipado, havendo acordo escrito, por período não superior a três meses.
    2. As partes podem caucionar, por qualquer das formas legalmente previstas, o cumprimento das obrigações respectivas.

    Uma caução não é o mesmo que rendas. Há quem prefira pedir rendas, outros caução, outros fiadores.
    Concordam com este comentário: vitocril
    Estas pessoas agradeceram este comentário: vitocril
    • FFAD
    • 11 Abril 2019

     # 47

    Pelo que vejo tem inquilinos dispostos a pagar, para quê levantar problemas? Mais mês, menos mês, no final vai dar certo...
    Concordam com este comentário: vitocril
    Estas pessoas agradeceram este comentário: vitocril
  7.  # 48

    " eu reduziria ao máximo os intervenientes".
    ..." conheço casos em que a entidade patronal é quem procura alojamento para o funcionário e paga aquele, como contrapartida para/complemento ao salário do funcionário.
    Será esse o caso? Não sei."

    Sei que a entidade patronal, que me contactou apenas uma vez já sobre este assunto e pareceu-me muito correta e cordial, foi parte bastante activa a quando do arrendamento, embora eu não saiba se nos moldes em que a CristinaP informou.Como tal acho que deveria estar presente.
  8.  # 49

    Colocado por: CristinaPPelo menos o promotor, eu deixaria de lado.


    Ontem, ao meio da tarde, ligou-me o promotor a solicitar uma reunião lá na agência.
    Informou que já tinha apurado tudo com a parte juridica da agência e que estava ali a assumir as responsabilidades da pèssima redacção do contrato. Afinal os inquilinos tinham razão e tudo o que estava escrito na carta que recebi confirmava-se.
    Tambem me disse que a "patroa" percebeu, sem duvidas e lhes tinha explicado, a questão do adiantamento das rendas para colmatar a falta de fiadores, o que ela concorda.
    Disponibilizou-se a assumir as responsabilidades e pedir desculpas aos inquilinos.
    Tambem admitui que de todos os intervenientes no processo eu seria o unico sem qualquer tipo de responsabilidades na "embrulhada"
    Posto isto sugeri a marcação de uma reunião onde se dispensava os/as advogados por nesta fase estar claro que juridicamente está tudo correcto.

    " eu reduziria ao máximo os intervenientes".

    ..." conheço casos em que a entidade patronal é quem procura alojamento para o funcionário e paga aquele, como contrapartida para/complemento ao salário do funcionário.
    Será esse o caso? Não sei."

    Sei que a entidade patronal, que me contactou apenas uma vez já sobre este assunto e pareceu-me muito correta e cordial, foi parte bastante activa a quando do arrendamento, embora eu não saiba se nos moldes em que a CristinaP informou.Como tal acho que deveria estar presente.
  9.  # 50

    Eh pah, não sei quanto ao resto, mas se ligassem ao meu chefe por causa de um assunto particular meu, como neste caso, para mim era mais que razão para cancelar tudo e mais alguma coisa e sair da casa.

    O meu chefe paga-me para trabalhar para ele, não para andar a servir de mediador das minhas questões pessoais.
    Tivesse eu ou não razão, é sempre super desagradável, para não dizer vergonhoso e embaraçoso, receber uma chamada da alguém a fazer "queixinhas" de um trabalhador nosso.

    Neste caso em particular, entendo que sentiu-se desfraldado nas expectativas. Mas a ponto de afirmar que "começou bem e correu logo mal"!?...Pagaram-lhe 3 meses adiantado + 1000€ de caução e ainda está com falta de ar que lhe vão passar a perna? Fonix...

    Se está assim tão preocupado, não importa o que lhe dessem, ia estar sempre com um pé atrás com os inquilinos.
    Concordam com este comentário: JoelM
  10.  # 51


    Colocado por: vitocril
    Ontem, ao meio da tarde, ligou-me o promotor a solicitar uma reunião lá na agência.
    Informou que já tinha apurado tudo com a parte juridica da agência e que estava ali a assumir as responsabilidades da pèssima redacção do contrato. Afinal os inquilinos tinham razão e tudo o que estava escrito na carta que recebi confirmava-se.
    Tambem me disse que a "patroa" percebeu, sem duvidas e lhes tinha explicado, a questão do adiantamento das rendas para colmatar a falta de fiadores, o que ela concorda.
    Disponibilizou-se a assumir as responsabilidades e pedir desculpas aos inquilinos.
    Tambem admitui que de todos os intervenientes no processo eu seria o unico sem qualquer tipo de responsabilidades na "embrulhada"
    Posto isto sugeri a marcação de uma reunião onde se dispensava os/as advogados por nesta fase estar claro que juridicamente está tudo correcto.

    Uma pequena nota de antemão: eu não sei a que se refere por promotor nem qual o papel passado e/ou presente no seu caso. Nem acho que seja importante para a sua dúvida inicial.

    Dito isto, se o promotor assumiu a "responsabilidade", seja lá o que isso significa, isso pode ser bom para si.
    Embora na prática, "Disponibilizou-se a assumir as responsabilidades" significa exactamente o quê, seria a questão que eu colocaria ao promotor.
    Porém, isso é um assunto que só a si lhe diz respeito.

    " eu reduziria ao máximo os intervenientes".

    ..." conheço casos em que a entidade patronal é quem procura alojamento para o funcionário e paga aquele, como contrapartida para/complemento ao salário do funcionário.
    Será esse o caso? Não sei."

    Sei que a entidade patronal, que me contactou apenas uma vez já sobre este assunto e pareceu-me muito correta e cordial, foi parte bastante activa a quando do arrendamento, embora eu não saiba se nos moldes em que a CristinaP informou.Como tal acho que deveria estar presente.

    Deixe-me fazer uma correcção, pois eu não informei. Eu levantei uma hipótese como resposta a outro membro que defendeu que o vitocril não deveria contactar a entidade patronal e me citou a mim.
    Nunca fiz qualquer juízo de valor se vitocril deveria, ou não, chamar o empregador, com a única excepção de que acho que vitocril deveria reduzir ao máximo o número de intervenientes.

    Se me permite um conselho, quanto mais falar do assunto com os inquilinos/empregador/advogado, mais importância está a dar ao caso - problema este que, infelizmente, na prática, foi criado por si - e maior será a probabilidade de complicar/azedar a relação.
    Provavelmente, eu limitar-me-ia a tentar explicar e pedir desculpa aos inquilinos pelo equivoco e quiçá telefonar a outro protagonista que considerasse relevante, de forma muito sumária.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: vitocril
  11.  # 52

    Obrigada CristinaP
    Agradeço a correção. Tentei dizer que será esse o caso.
    Quanto ao conselho, agradeço imenso e concordo plenamente.
    Cumps
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">