Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 61

    Por exemplo, para a minha mulher e filha (8meses) em Portugal gastam-se todos os meses por volta de 1000€, pago 200 euros entre condomínio e prestação ao banco, o restante é para as despesas normais de uma casa (eletricidade,agua,gas, comida, roupas, tv, internet,telemoveis)
    A levar uma vida bastante controlada e ela nao fuma nem tem carro!
  2. Ícone informação Anunciar aqui?

  3.  # 62

    Para estatística despesas de casa para 2 pessoas à volta de 800€. Fora imi, carros, combustível, lazer, etc
    • *cc
    • 17 Maio 2019 editado

     # 63

    Colocado por: Nelhas

    Vários ovos em vários cesto com um rendimento de 1200 euros?
    Como?
    Eu concordo consigo, mas múltiplas poupanças com que rendimentos?
    A questão é essa.
    Facilmente e assim por alto, com muita calma e com muita cabeça, 300 de prestação. 50 de luz, 35 água, um botija de gás a 25, 150 em comida(a comer pouco e racionado).
    Aqui estão com facilidade números redondos - 600 euros. 50 % do rendimento.
    Sobram 600. Carros, Transportes, Filhos, Almoços, um passeio , um cinema, etc.
    Vai poupar para múltiplas poupanças onde?
    Só se e para voltarmos a viver em casa, com um sofá, uma cadeira , uma mesa, uma cama. Sem tv, sem internet, sem ir a lado nenhum.
    Só casa trabalho, trabalho casa.
    Eu sou poupado e racional, mas as pessoas merecem viver.
    Viver alguma coisa. Ter uma vida.
    E não estou a falar de viagens para o Brasil, ou jantares a 150 euros para dois.
    Mas merecem ter algum prazer. algum descanso. algum conforto.
    Não podemos voltar ao tempo do honrados e pobres, com crianças a começar a trabalhar aos 12, e pais a trabalhar de sol a sol até morrer.
    As pessoas não merecem isso. Já não mereciam os nossos pais e avós. E não é isso que queremos para os nossos filhos.
    Tudo com peso , conta e medida, mas as pessoas merecem desfrutar um pouco de tudo o que trabalham.
    Concordam com este comentário:DR1982,desofiapedro,eu,Miguel_Coelho24,*cc
    é por isso que digo que rendimentos baixos não se devem por em taxas variável. Uma ligeira subida seria uma desgraça para essas famílias. A ideia de taxa variável longo prazo e indo fazendo a sua própria taxa fixa é muito boa mas para quem tem folga financeira, mas para orçamentos que sobra pouco ao nada ao fim do mês é totalmente desadequado essa ideia. Como disse alguém nesse topico rendimentos baixos que conseguiram alguma liquidez não se vão descapitalizar para amortizar, porque vão sempre pensar se este dinheiro me faz falta para mudar a máquina lavar roupa ou arranjar o carro ou uma baixa prolongada. Nem todos temos rendimentos para poupar, amortizar. Estamos a comentar um caso de um casal que tem uma liquidez de 1200€ mensais, se conseguir que lhe sobra 200€ por mês já seria uma grande ginástica

  4.  # 64

    O problema é que se taxa variável paga os tais 300 euros taxa fixa durante toda a duração do empréstimo nao deve conseguir a menos de 400 ou algo semelhante digo eu, senao toda a gente fixava as taxas se a diferença fosse pouca ninguém corria riscos...
    • *cc
    • 17 Maio 2019 editado

     # 65

    Colocado por: DR1982O problema é que se taxa variável paga os tais 300 euros taxa fixa durante toda a duração do empréstimo nao deve conseguir a menos de 400 ou algo semelhante digo eu, senao toda a gente fixava as taxas se a diferença fosse pouca ninguém corria riscos...

    80k

    Taxa variável spread 1,10 + euribor 12m
    360 meses
    257€

    Taxa fixa spread 1.10 + swap 30 anos
    360 meses
    297€

    São 40€ mensais a mais face a taxa variavel com a euribor atual
    Estas pessoas agradeceram este comentário: dedao
  5.  # 66

    Colocado por: *cc
    80k

    Taxa variável spread 1,10 + euribor 12m
    360 meses
    257€

    Taxa fixa spread 1.10 + swap 30 anos
    360 meses
    297€

    São 40€ mensais a mais face a taxa variavel com a euribor atual
    Só 40€?
    Spread de 1.10? Eu no ano passado consegui 1.5 e quando falei el fixar a taxa falaram me que apenas poderia fixar por 5 anos e pagava mais 20€ mês, se calhar vou ter de dar uma volta pelos bancos...
  6.  # 67

    Vou ler com atenção as letras do CH com taxa fixa. Não acredito que algum banco ofereça taxas fixas a 30 sem salvaguardas ou sem estender os anos de pagamento em caso de subidas.
    Mas, vou ler e depois comento.
    •  
      luisDS
    • 18 Maio 2019 editado

     # 68

    Colocado por: *cc
    80k

    Taxa variável spread 1,10 + euribor 12m
    360 meses
    257€

    Taxa fixa spread 1.10 + swap 30 anos
    360 meses
    297€

    São 40€ mensais a mais face a taxa variavel com a euribor atual
    Estas pessoas agradeceram este comentário:dedao


    As contas não são assim!!
    Essa taxa swap ronda os 1,2%, logo sobre 80.000€, dá 960€ a mais de juros por ano! Dividindo por 12 meses temos 80 €/mês que pagaremos a mais de juros. O que significa que a cada mês amortizamos menos 40€ de capital!! Ou seja, usando o exemplo... com taxa variável a prestação de 257€ está dividida entre (por alto) 180€ de amortização mensal e 77€ de juros! Com taxa fixa, só amortizamos 140€ e pagamos 157€ de juros, num total de 297€!! O que significa que, imaginando, ao fim de 10 anos decidimos amortizar e... para alé de ter de pagar 2% para o fazer, ainda devemos muito mais ao banco do que com taxa variável, uma vez que andámos a pagar juros e não a amortizar capital!!
  7.  # 69

    Colocado por: luisDS

    As contas não são assim!!
    Essa taxa swap ronda os 1,2%, logo sobre 80.000€, dá 960€ a mais de juros por ano! Dividindo por 12 meses temos 80 €/mês que pagaremos a mais de juros. O que significa que a cada mês amortizamos menos 40€ de capital!! Ou seja, usando o exemplo... com taxa variável a prestação de 257€ está dividida entre (por alto) 180€ de amortização mensal e 77€ de juros! Com taxa fixa, só amortizamos 140€ e pagamos 157€ de juros, num total de 297€!! O que significa que, imaginando, ao fim de 10 anos decidimos amortizar e... para alé de ter de pagar 2% para o fazer, ainda devemos muito mais ao banco do que com taxa variável, uma vez que andámos a pagar juros e não a amortizar capital!!
    Mas como é que pode ser assim e onprazo para pagar o crédito se manter os mesmos 360 meses?
    •  
      luisDS
    • 18 Maio 2019 editado

     # 70

    já agora...

    um vil economista que parece concordar comigo!!!
    https://eco.sapo.pt/2019/03/11/fixar-taxa-do-credito-da-casa-por-toda-a-vida-seguro-sai-muito-caro/
    exactamente o que penso e disse ontem "os bancos estão a captalizar o medo" e a aproveitar-se uma vez mais do zé povinho!!
    uma última dica sobre este assunto...em determinados bancos as comissões/prémios que os bancos pagam a funcionários, etc, são mais altas no caso de conseguirem entalar o zé povinho com taxas fixas!! dá que pensar...
  8.  # 71

    Boa pergunta! Pelo método de cálculo utilizado. A situação que eu disse passa-se no ano 1 e vai-se esbatendo até que inverte. SInceramente nunca perdi muito tempo a analisar o método de cálculo.
    O que lhe posso dizer é que em qualquer crédito à habitação uma variação positiva de 1 ponto percentual só significa um aumento de cerca de 0,5 pontos na sua prestação. Ou seja, imagine que tem spread + Euribor= TAN de 1% e de repente passa para 2%. Em termos de €, imagine que em determinado ano em que pagava uma prestação de 100€, entre capital e juros, por exemplo 60€ e 40€, respectivamente. Ora se o juro passar de 1% para 2%, a componente de juro passaria para o dobro, de 40 para 80€. Aqui não há disucssão.
    Mas o mecanismo de cálculo de prestação vai "comer" metade desse aumento descontando-o no valor que amortiza. Resultado: Passará não a pagar 60€ de amortização + 80 de juro =140€, mas sim 40€ de amortização + 80€ de juro = 120€ de prestação.

    Isto é um pouco confuso e o meu texto ainda mais. Desculpe. Eu agora não posso, mas era porreiro que alguém conseguisse fazer 2 simulações, para o mesmo valor e anos, com o mesmo spread , uma com euribor e outra com taxa fixa e que pusesse aqui a parte da FINE com a descriminação dos valores da prestação no decorrer do periodo.
  9.  # 72

    Colocado por: luisDSBoa pergunta! Pelo método de cálculo utilizado. A situação que eu disse passa-se no ano 1 e vai-se esbatendo até que inverte. SInceramente nunca perdi muito tempo a analisar o método de cálculo.
    O que lhe posso dizer é que em qualquer crédito à habitação uma variação positiva de 1 ponto percentual só significa um aumento de cerca de 0,5 pontos na sua prestação. Ou seja, imagine que tem spread + Euribor= TAN de 1% e de repente passa para 2%. Em termos de €, imagine que em determinado ano em que pagava uma prestação de 100€, entre capital e juros, por exemplo 60€ e 40€, respectivamente. Ora se o juro passar de 1% para 2%, a componente de juro passaria para o dobro, de 40 para 80€. Aqui não há disucssão.
    Mas o mecanismo de cálculo de prestação vai "comer" metade desse aumento descontando-o no valor que amortiza. Resultado: Passará não a pagar 60€ de amortização + 80 de juro =140€, mas sim 40€ de amortização + 80€ de juro = 120€ de prestação.

    Isto é um pouco confuso e o meu texto ainda mais. Desculpe. Eu agora não posso, mas era porreiro que alguém conseguisse fazer 2 simulações, para o mesmo valor e anos, com o mesmo spread , uma com euribor e outra com taxa fixa e que pusesse aqui a parte da FINE com a descriminação dos valores da prestação no decorrer do periodo.


    Isso e fácil diga o que pretende especificamente
    • sbcnv
    • 18 Maio 2019 editado

     # 73

    Relativamente a que periodo escolher, eu tenho um conceito que deve-se SEMPRE pedir o limite maximo de emprestimo possivel.

    45 anos? FEITO.

    Isto porque? A diferenca entre 15,20, 30 anos e 40 anos e meramente a prestacao minima. Este e o valor que tem que OBRIGATORIAMENTE que entrar no banco todos os meses. Caso nao aconteca entra em incumprimento.

    Ou seja, em termos de cash flow pessoal, um emprestimo a 40 anos ou 50, e mais facil de gerir na eventualidade de alguma coisa acontecer, ao passo que num periodo mais reduzido alguma coisa acontece e corda na garganta.

    Dou o exemplo da minha sogra. Ela fez rehipoteca da casa dela - tem 55 anos e quando lhe disse para fazer a 30 anos ficou toda escandalizada porque nao queria ficar ate ao resto da vida com a hipoteca. Ela ao inicio pretendia fazer a 10 anos.

    A 10 anos, a hipoteca mensal dela, seria salvo erro 1600 dolares, ao passo que a 30 anos a hipoteca seira de 650 dolares uma diferenca de quase 1000 dolares.

    Disse-lhe que podia ter os 30 anos, mas trata-lo como se fosse de 10 anos. Ou seja, a hipoteca era de 650 dolares, mas ela pagaria 950 dolares EXTRA ao banco para amortizar.

    Em termos de diferenca de juros no final, pagaria ligeiramente mais mas nao muito. Era algo tipo 500 dolares de premio e acho que valeria a pena a conveniencia.

    4 anos volvidos, divorciou-se e teve a mae bastante doente e despesas hospitalares e medicas. Tivesse que pagar os 1600 todos os meses nao tinha conseguido... possivelmente poderia ter perdido a casa ate.

    Agradeceu-me por lhe ter aconselhado o de 30 anos, porque durante esse periodo mais dificil simplesmente continou a pagar os 650 dolares e deixou de mandar o cheque de 950 que tanta falta lhe fez.

    Quando tiver mais folga, e se lhe apetecer, entao sim voltar aos 1600 mensais.

    Relativamente a taxa fixa: actualmente pode valer a pena SOBRETUDO, se pensar viver na casa para sempre! Mas a media das pessoas e' que troca de casa a cada 8-9 anos. Se eventualmente mudar de casa neste periodo, entao mais vale ir para variavel.
    Concordam com este comentário: eu
  10.  # 74

    Aqui ficam as duas simulacoes.

    Fiz uma a 2,5% e outra a 3,5% a fixa e sempre fixa, a Euribor so fazendo uma simulacao de cenarios possiveis de descida e subida - dado que e variavel - mas nao tive tempo para fazer isso assumi apenas uma prestacao aos dias de hoje.
    • *cc
    • 18 Maio 2019

     # 75

    Colocado por: luisDS

    As contas não são assim!!
    Essa taxa swap ronda os 1,2%, logo sobre 80.000€, dá 960€ a mais de juros por ano! Dividindo por 12 meses temos 80 €/mês que pagaremos a mais de juros. O que significa que a cada mês amortizamos menos 40€ de capital!! Ou seja, usando o exemplo... com taxa variável a prestação de 257€ está dividida entre (por alto) 180€ de amortização mensal e 77€ de juros! Com taxa fixa, só amortizamos 140€ e pagamos 157€ de juros, num total de 297€!! O que significa que, imaginando, ao fim de 10 anos decidimos amortizar e... para alé de ter de pagar 2% para o fazer, ainda devemos muito mais ao banco do que com taxa variável, uma vez que andámos a pagar juros e não a amortizar capital!!
    Eu percebo que não podemos simplesmente subtrair a prestação da taxa fixa pela taxa variável. Que realmente mensais são só 40€ de diferença mas amortização do capital mensalmente será muito inferior na taxa fixa.
    Eu quando comentei que nesse caso em particular (ou outras pessoas com rendimentos mais baixos) não irem para a taxa variável é somente como salvaguarda.
    Porque essas famílias quando tiverem uma subida de 100/200€ na prestação durante 2/3/4 anos não se vão orientar.
    Estamos a falar de um casal com 1200€.

    Eu tenho um crédito habitação Taxa variável de 45 anos (na altura ainda era permitido) que não pretendo mudar. Mas as meus rendimentos também são outros a minha taxa de esforço é muito baixa e uma subida da euribor para 5% fará a minha prestação estar ainda abaixo dos 35% de taxa de esforço.

    Não costumo comentar muito no fórum mas eu vi pessoas ainda a poucos anos a passarem muito mal devido aos picos que houve, pessoas com rendimentos mais baixos sobretudo e outras com rendimentos mais altos mas com taxas de esforço muito alta, somente por isso decidi intervir e alertar.
  11. Ícone informação Anunciar aqui?

    •  
      luisDS
    • 18 Maio 2019 editado

     # 76

    Colocado por: sbcnvAqui ficam as duas simulacoes.

    Fiz uma a 2,5% e outra a 3,5% a fixa e sempre fixa, a Euribor so fazendo uma simulacao de cenarios possiveis de descida e subida - dado que e variavel - mas nao tive tempo para fazer isso assumi apenas uma prestacao aos dias de hoje.


    Boa tarde,

    Obrigado. Serve perfeitamente. Claro que não vamos estar a extrapolar as variações da Euribor. O seu exemplo é de uma TAN de 2,5% contra uma de 3,5%. Assumindo que uma seria a variável e a outra a fixa, vêmos facilmente que o valor que amortizamos é sempre menor com a taxa mais alta, apesar de pagarmos uma prestação superior. Isto porque todo a diferença segue únicamente para pagamento de juros. Ou seja, além da diferença de prestação convém salientar que amortizamos menos.
    Consequências? Várias!
    Ora bem, como alguém já disse por aqui, raramente alguém leva o seu empréstimo até ao fim. A maior parte das pessoas muda de casa durante os primeiros 10 anos. Ou seja, estão a pagar para se prevenir 30 anos, por exemplo, com taxa fixa, e depois simplesmente abandonam o "projecto e seguro" pelo qual já pagaram ao venderem o imóvel. (vejam nos 2 casos quanto é que ainda devem ao banco ao fim de 10 ou 20 anos. A diferença é considerável). Neste caso quando forem pagar o que ainda devem ao banco, vão sofrer, uma vez que amortizaram menos, e ainda têm de pagar 2% ao banco ao contrário dos 0,5% com taxa variável.
    Outra situação importante é que se ficar desempregado...tanto faz ser fixa ou variável, aliás, provalmente nessa altura a fixa será superior à variável, pelo que ainda é pior...não consegue pagar e não!! E o maior perigo da crise, lamento dizer, é o desemprego e não o aumento das Euribor...
    Outra coisa...ao amortizarem menos, pagam SEMPRE mais pelo seguro de vida, uma vez que este é calculado em função do valor da dívida a cada momento, etc etc
    Como alguns já devem saber eu trabalho como intermediário de crédito na Decisões E Soluções e acompanho frequentemente as questões relacionadas com crédito à habitação neste forum, com o objectivo de ajudar mas também de tentar fazer negócio. As minhas opiniões, são mesmo só isso, não prevejo o futuro nem sei mais do que os outros, mas estou geralmente bem informado. Agora, quando digo que sou totalmente contra taxas fixas, é somente a minha opinião e nada mais que isso, e estou disposto a discutir o assunto e quem sabe alterar a minha posição. Se eu depois de explicar a um eventual cliente a minha opinião e ele continuar a querer taxas fixas, obviamente também lhe arranjarei as melhores soluções do mercado, ficando no entanto triste porque estou plenamente convencido que estará a desperdiçar dinheiro. Quem sabe se não estou errado??? Espero que não!!!
  12.  # 77

    Também acho que a taxa fixa não é a melhor opção.
    Também deve optar pelo prazo mais longo possível.
    MAS
    Todos os anos faça uma amortização no empréstimo. É melhor isso que poupar para um PPR. Sempre que receber algo mais que o ordenado tipo prémio, reembolso IRS, etc amortize.
  13.  # 78

    Colocado por: CarvaiTambém acho que a taxa fixa não é a melhor opção.
    Também deve optar pelo prazo mais longo possível.
    MAS
    Todos os anos faça uma amortização no empréstimo. É melhor isso que poupar para um PPR. Sempre que receber algo mais que o ordenado tipo prémio, reembolso IRS, etc amortize.
    O problema é se esse dinheiro usado para amortizar vem a fazer falta em caso de subida da euribor... ao,passo que se o tiver de lado em caso de subida da euribor tem esse dinheiro de lado para suportar a despesa maior... caso a euribor suba e nao consiga aguentar a prestação la se vai tudo até o valor amortizado!
  14.  # 79

    Colocado por: DR1982O problema é se esse dinheiro usado para amortizar vem a fazer falta em caso de subida da euribor... ao,passo que se o tiver de lado em caso de subida da euribor tem esse dinheiro de lado para suportar a despesa maior... caso a euribor suba e nao consiga aguentar a prestação la se vai tudo até o valor amortizado!

    A Euribor não sobe de um dia para o outro. Se amortizar progressivamente a divida a mensalidade vai baixando (incluindo seguros) e cobre esse risco. Estar a pagar uma divida e ao mesmo tempo ter poupanças nunca me pareceu uma boa opção.
    • smart
    • 18 Maio 2019 editado

     # 80

    humm
    tenho dificuldades em perceber ...
    mas isto sou eu, que sou limitado...
    Para mim, o melhor produto, é o que tem o spread mais baixo e sem ficar agarrado a comissões taxinhas, seguros, cartões, etc, isto é o chamado cross selling.

    A UCI fez-me 2.80% taxa fixa já com spread a 30 anos e tenhos os seguros cá fora, pagando em média metade do preço (em relação ás mesmas condições pelas eguradoras protocoladas pelos bancos...).
    Portanto, tenho TAN de 2.80 % e só pago comissão de processamento da conta...
    Se optasse por taxa variavel, a melhor opção era o santander, pois fazia 1% spread, sem as merxxxices.
    Pago a mais 180 euros...corresponde a 1.80 pela taxa fixa....
    mas durmo descansado
    e não quero nem vou fazer amortizações
    a vida é para se viver no minimo moderadamente.
    esses 180 euros por ano (fiferença variavel para fixa), dão 2 mil euros ano.. pelo que amortizasse, ficaria a pagar menos 8 euros ano...
    o problema é que olho para a taxa numa média de 30 anos... e ter média de 1.80% mais o spread (pagava-o sempre na variavel), acho uma excelente taxa....
    O bankinter até está abaixo de 1%, que com spread dá 2%, mas tem seguros com preços absurdos para compensar...
    nos ultimos 10 anos a média euribor está em quanto ?. 3,50 mais spread?
    abram os olhos
    esqueçam lá as cantigas dos bancos...e fixem as taxas..mais baixo não desce...se subir 1.80% começo a ganhar....
    mas...o que fará as taxas subirem...é a inflação...
    ora na europa apesar dos estimulos, o crescimento é fraco...
    mas...se rebentar aí uma guerra com o Irão o petroleo dispara com o embargo e lá vai a euribos ou Ester a subir...
    se tiver a pensar em trocar de casa daqui a uns ano, sim ai optava pela euribor..
    é a minha opinião, com todo o respeito...
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">