Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 21

    Colocado por: Sirruper Acho que os portugueses deviam todos fazer boicote às proximas legislativas. Ninguem aparecia nas mesas de voto.
    Na minha simples opinião, se o voto do povo fosse mesmo para alterar algo ou mexer com o sistema, o voto há muito tinha sido banido ou substituido por algo do mesmo valor.
  2. Ícone informação Anunciar aqui?

  3.  # 22

    Colocado por: marco1mas não há ai um senhor, acho que Paulo Morais (?) que é a personificação da honestidade? e tem lutado muito por isso, porque será que não se aposta mais nele?


    Porque é melhor ficar na praia e culpar os que votam desta miséria...Não assumindo assim a responsabilizado perante o voto a que todos nós temos direito.

    Se é uma ditadura, é porque é uma ditadura.
    Se podem votar, é porque não querem a responsabilidade...

    Mas para criticar, estamos todos sempre prontos!
  4.  # 23

    Colocado por: fagulhasNa minha simples opinião, se o voto do povo fosse mesmo para alterar algo ou mexer com o sistema, o voto há muito tinha sido banido ou substituido por algo do mesmo valor.



    Porque?

    Com a abstenção em alta, eles só tem que contar os votos dos "associados" e não levantam ondas.
  5. Procura serviços ou materiais para a sua casa? Contrate quem ajuda no fórum.

    • JoelM
    • 31 Maio 2019 editado

     # 24

    Colocado por: marco1mas não há ai um senhor, acho que Paulo Morais (?) que é a personificação da honestidade? e tem lutado muito por isso, porque será que não se aposta mais nele?


    Teve o meu voto tanto para as europeias como quando concorreu à presidência da República. Mas isto é Portugal, quem faz as regras é quem já lá está!

    Quanto ao lítio e ao novo petróleo, mais do mesmo, um recurso natural entregue à alguns amigos sem muito barulho por parte da comunicação social. Devia andar a debater.se muita coisa mas só se fala de futebol!
  6.  # 25

    com as riquezas que o lítio vai dar (qual ouro do brasil) é de questionar o que vamos ter novo... um aeroporto, o TGV, mais uma ponte, ou algumas autoestradas....ou um novo convento de mafra, que se podia transformar em alojamento local.

    10M de eleitores
    50% de abestencap
    5M de votos expressos
    maioria absoluta, 2,5M
  7.  # 26

  8.  # 27

    "Onde há fumo há fogo". Uma escritora aqui há tempos tb escreveu um livro com um título apropriado "Não há coincidências"...




    Este país bandalheira das bananas se o D. Afonso Henriques e o Infante D. Henrique cá voltassem agora morriam logo de novo: de vergonha.
  9.  # 28

    Segundo me transmitiram o nosso litio não será o melhor, significando isto que é suficientemente bom para as baterias que não se destine a carros electricos e que no caso dos carros o que acontece é que tem de passer por mais transformações, ou seja, encarece o processo. A quantidade essa parece ser elevada.

    outro problema parece ser a falta de mão de obra na área no país.
  10.  # 29

    Mesmo não sendo da melhor qualidade e necessitando de processamento, ainda assim dada a raridade deste minério, é muito precioso. Certamente que a União Europeia, caso houvesse competência e vontade por parte dos actuais governantes portugueses (diria mesmo dos deputados no geral), financiaria a maior parte a fundo perdido a montagem de fábricas de transformação processamento e produção de baterias.


    Colocado por: AMVPSegundo me transmitiram o nosso litio não será o melhor, significando isto que é suficientemente bom para as baterias que não se destine a carros electricos e que no caso dos carros o que acontece é que tem de passer por mais transformações, ou seja, encarece o processo. A quantidade essa parece ser elevada.

    outro problema parece ser a falta de mão de obra na área no país.
    Concordam com este comentário: AMVP
  11.  # 30

    Colocado por: carlosj39Mesmo não sendo da melhor qualidade e necessitando de processamento, ainda assim dada a raridade deste minério, é muito precioso. Certamente que a União Europeia, caso houvesse competência e vontade por parte dos actuais governantes portugueses (diria mesmo dos deputados no geral), financiaria a maior parte a fundo perdido a montagem de fábricas de transformação processamento e produção de baterias.


    Claro que sim. Depois, acontecem coisas como a Qimonda, ou a ARTLANT.
  12.  # 31

    E o Luisvv que não viesse contradizer, está-lhe no "adn"...

    Ora se a UE tambem precisa de baterias para as suas viaturas e se o lítio vai subir imenso de cotação...

    Os fracassos e (financiamentos ruinosos)empresariais que refere são fruto do mix de "berardismo e salgadismo" dos empresarios que lançaram esses projectos, se calhar na origem o objectivo era logo falir os projectos logo que tivessem os milhóes lá financiados e metidos...

    Agora a culpa é de quem faz leis (de m...da, leia-se, bem entendido, á ou de medida) que permitem falências com transferencias previas de activos são os nossos ilustres -e bem pagos pelo povo - deputados, não é verdade!

    Mas há muito empresário honesto e patriota, caramba!
  13.  # 32

    Colocado por: carlosj39E o Luisvv que não viesse contradizer, está-lhe no "adn"...

    Nem faz ideia do que me contive, mas lá acabei por ter que meter a colher..


    Ora se a UE tambem precisa de baterias para as suas viaturas e se o lítio vai subir imenso de cotação...

    Só aqui estão dois "ses". Vamos ainda acrescentar mais uns quantos: "Se" houvesse fundos; "se" houvesse pessoal e know-how para minerar; "Se" tudo isso pudesse ser feito em tempo relativamente curto (experimente criar uma empresa mineira, obter concessão e colocá-la a produzir); "Se" se conseguisse fabricar baterias melhores que as existentes; "Se" se conseguisse vendê-las; "Se" não fosse contra as leis da concorrência; "Se", "Se", "Se", "Se"..


    Os fracassos e (financiamentos ruinosos)empresariais que refere são fruto do mix de "berardismo e salgadismo" dos empresarios que lançaram esses projectos, se calhar na origem o objectivo era logo falir os projectos logo que tivessem os milhóes lá financiados e metidos...

    Essa é a desculpa nº2 ou 3 do catálogo. Antes da coisa se fazer, toda a gente é a favor, porque é "estratégico" ou "insira aqui outro adjectivo vazio", ou porque vai "criar um cluster" (esta já não se ouve tanto, a moda agora é a cadeia de valor). Depois, quando dá ****, já ninguém se lembra dos amanhãs que iam cantar e da importância da coisa.
    A actividade empresarial é imprevisível por natureza e aquilo que hoje é um grande negócio e uma oportunidade imperdível amanhã revela-se um buraco sem fundo porque um gajo qualquer no outro lado do mundo descobriu uma maneira de fazer melhor ou mais barato.



    Agora a culpa é de quem faz leis (de m...da, leia-se, bem entendido, á ou de medida) que permitem falências com transferencias previas de activos são os nossos ilustres -e bem pagos pelo povo - deputados, não é verdade!

    Ridículo, você não sabe do que fala. Quase tão ridículo como uma parte do escândalo à volta do Berardo.



    Mas há muito empresário honesto e patriota, caramba!
  14.  # 33

    Portanto temos que o luisvv é a favor das coisas estarem como estão, quer na forma de exploração do nosso lítio, quer na exploração do povo português pelos berardos corruptos e ladrões afins...

    Enfim...



    Colocado por: luisvv
    Nem faz ideia do que me contive, mas lá acabei por ter que meter a colher..


    Só aqui estão dois "ses". Vamos ainda acrescentar mais uns quantos: "Se" houvesse fundos; "se" houvesse pessoal e know-how para minerar; "Se" tudo isso pudesse ser feito em tempo relativamente curto (experimente criar uma empresa mineira, obter concessão e colocá-la a produzir); "Se" se conseguisse fabricar baterias melhores que as existentes; "Se" se conseguisse vendê-las; "Se" não fosse contra as leis da concorrência; "Se", "Se", "Se", "Se"..


    Essa é a desculpa nº2 ou 3 do catálogo. Antes da coisa se fazer, toda a gente é a favor, porque é "estratégico" ou "insira aqui outro adjectivo vazio", ou porque vai "criar um cluster" (esta já não se ouve tanto, a moda agora é a cadeia de valor). Depois, quando dá ****, já ninguém se lembra dos amanhãs que iam cantar e da importância da coisa.
    A actividade empresarial é imprevisível por natureza e aquilo que hoje é um grande negócio e uma oportunidade imperdível amanhã revela-se um buraco sem fundo porque um gajo qualquer no outro lado do mundo descobriu uma maneira de fazer melhor ou mais barato.



    Ridículo, você não sabe do que fala. Quase tão ridículo como uma parte do escândalo à volta do Berardo.


  15.  # 34

    Colocado por: carlosj39Portanto temos que o luisvv é a favor das coisas estarem como estão, quer na forma de exploração do nosso lítio, quer na exploração do povo português pelos berardos corruptos e ladrões afins...

    Enfim...

    Portantes, devíamos fechar todas as industrias e explorações mineiras em Portugal para evitar os Salgados, Berardos, Sócrates e afins.
    Encerramento imediato da AutoEuropa, Somincor, Bosh, Continental, Corticeira Amorim, etc tudo fonte de corrupção e exploração ao bom povo português...
  16.  # 35

    Os salgados berardos e socrates não fazem cá falta nenhuma...Por causa deles e doutros como eles é que a dívída externa já está como está..

    O resto das empresas que cita fazem falta e muita, agora misturar alhos com bugalhos não leva a lado nenhum...


    Colocado por: Carvai
    Portantes, devíamos fechar todas as industrias e explorações mineiras em Portugal para evitar os Salgados, Berardos, Sócrates e afins.
    Encerramento imediato da AutoEuropa, Somincor, Bosh, Continental, Corticeira Amorim, etc tudo fonte de corrupção e exploração ao bom povo português...
  17. Ícone informação Anunciar aqui?

  18.  # 36

    Colocado por: carlosj39Portanto temos que o luisvv é a favor das coisas estarem como estão, quer na forma de exploração do nosso lítio,


    E qual é exactamente essa forma?



    quer na exploração do povo português pelos berardos corruptos e ladrões afins...


    E tudo isto só porque lhe tentei explicar que ter fezadas sobre o próximo grande negócio é tarefa para empresários e não para o Estado...
  19.  # 37

    Leia melhor, e já perceberá qual a forma. Mas, doutros tópicos, já vi que você por vezes gosta é de desconversar, e ainda por cima de má fé...

    Quanto ao Lítio e dada a electrificação crescente da industria automovel e não só, eu por acaso até acho que devia ser declarado, a par com a água e a electricidade (agora erradamente nas mãos dos chineses, em minha opinião) recurso estratégico, nacional e até militar... Estes recursos jamais deviam ser privatizados e entregues a privados, mas isso já daria outro tópico e outra discussão.




    Colocado por: luisvv

    E qual é exactamente essa forma?




    E tudo isto só porque lhe tentei explicar que ter fezadas sobre o próximo grande negócio é tarefa para empresários e não para o Estado...
  20.  # 38

    Colocado por: carlosj39Leia melhor, e já perceberá qual a forma. Mas, doutros tópicos, já vi que você por vezes gosta é de desconversar, e ainda por cima de má fé...


    Generalidades, bla bla bla. Mas na verdade não sabe...



    Quanto ao Lítio e dada a electrificação crescente da industria automovel e não só, eu por acaso até acho que devia ser declarado, a par com a água e a electricidade (agora erradamente nas mãos dos chineses, em minha opinião) recurso estratégico, nacional e até militar... Estes recursos jamais deviam ser privatizados e entregues a privados, mas isso já daria outro tópico e outra discussão.


    O lítio não é "privatizado", a sua exploração é concessionada mediante um contrato com determinada forma de remuneração..


    Mas o ponto nem é esse: a questão é que "estratégico" é uma etiqueta que se cola a algo que não tem justificação económica. E quando é para fazer, toda a gente acha bem, quando dá ****, são os gajos, os ladrões..
  21.  # 39

    Segundo informa hoje a Agência LUSA, e citando a agência Zero, apesar de Portugal ser o país europeu com maiores reservas de lítio e o sexto a nível mundial, o nosso país está completamente fora do radar dos países produtores de carros electricos.


    Não informa a LUSA é se questionou nomeadamente o ministro da economia sobre se e como pretende reverter esta situação, ou qual é o motivo de haver parcerias alemãs com os bolivianos para a construção de fábricas de baterias na Bolívia e não haver essas mesmas parcerias com os portugueses...
  22.  # 40

    Colocado por: AMVP

    outro problema parece ser a falta de mão de obra na área no país.


    Atão, se toda a gente prefere viver no litoral com os serviços todos concentrados como defende, como é que não haverá de haver falta de mão de obra ;)
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">