Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 141

    Colocado por: J.Fernandesas pessoas compram onde os preços são mais baixos não só porque o seu orçamento é limitado mas porque fazem as decisões com o mínimo de racionalidade económica.


    Colocado por: J.Fernandes
    Redutor é pensar que as pessoas simplesmente querem calças, ou querem carros, ou outra coisa assim tão geral.
  2. Ícone informação Anunciar aqui?

  3.  # 142

    Se você quer fazer ressaltar aí alguma contradição, tempo perdido.
    Se eu quiser comparar um Mercedes de 100k também vou a 2 ou 3 concessionários ver qual deles faz melhor preço.
  4.  # 143

    Colocado por: Paramonte

    A poluição não conhece limites de ruas, ou de bairros.

    https://tvi24.iol.pt/sociedade/avenida-da-liberdade/poluicao-do-ar-ultrapassa-limites-e-atinge-valores-criticos-em-lisboa

    Poluição do ar ultrapassa limites e atinge valores "críticos" em Lisboa

    Associação ambientalista Zero defende a necessidade de avisar a população e de implementar medidas preventivas, como restringir o trânsito.

    A Avenida da Liberdade, em Lisboa, registou na terça e quarta-feira valores superiores aos permitidos de dois poluentes, revela a Zero, que defende a necessidade de avisar a população, e de medidas preventivas, como restringir o trânsito.

    Nesses dois dias, "ocorreram 12 excedências do valor máximo permitido”, disse esta quinta-feira à agência Lusa Carla Graça, da Associação Sistema Terrestre Sustentável, Zero, acrescentando que “por lei só são permitidas, por ano, 18 excedências [de partículas inaláveis] e, neste momento, já estamos nas 20".

    Sete excedências aconteceram na quarta-feira e cinco na terça-feira, ou seja, "dois terços das excedências permitidas por ano [aconteceram] em dois dias", alertou.

    Também os valores de óxido de azoto, calculados com base na média observada ao longo do ano, "até agora já excedem em muito o valor permitido médio e dificilmente recuperaremos o défice que existe" até final de dezembro, explicou a ambientalista.

    Em termos de qualidade do ar, estes dois parâmetros - as partículas inaláveis e os óxidos de azoto - "são críticos para a saúde humana", resumiu Carla Graça.

    Para a Zero, "é necessário, além dos avisos à população - que não estão a acontecer -, tomar medidas de emergência e até preventivas", para tentar, pelo menos, diminuir o impacto do tráfego automóvel na qualidade do ar.

    As condições climatéricas excecionais, com vento fraco, temperaturas elevadas, pouca dispersão de poluentes, e mais o tráfego, levam a "uma concentração de poluentes e não há condições para a dispersão", especificou Carla Graça.

    A ambientalista defendeu que "isto era previsível até pelas próprias indicações do instituto de meteorologia [Instituto Português do Mar e Atmosfera - IPMA] que já previa as condições atmosféricas".

    Entre as medidas de emergência que a Zero defende estão a proibição de circulação e de estacionamento de automóveis em determinadas zonas, a disponibilização gratuita de transportes públicos ou a redução obrigatória de velocidade em zonas alargadas.

    Carla Graça recordou que a situação se verificou na estação de monitorização da avenida da Liberdade, em Lisboa, "uma zona bastante bem servida de transportes coletivos".

    A Zero considera, assim, que Lisboa e Porto, à semelhança de outras cidades europeias, como Madrid, Paris ou Bruxelas, com episódios de poluição semelhantes aos verificados nos últimos dias em Portugal, devem ter um plano de emergência, a ser ativado com a brevidade possível.

    O dióxido de azoto, em concentrações elevadas, pode causar irritação dos olhos e garganta, afetar as vias respiratórias, provocando diminuição da capacidade respiratória, dores no peito, edema pulmonar e danos no sistema nervoso central e nos tecidos, afetando principalmente as crianças, os asmáticos e os indivíduos com bronquites crónicas...


    Eu por exemplo vivi numa rua bastante movimentada na Estrela e volta e meia tinha-se de limpar as paredes por cimas das janelas, pois notava-se bastante a poluição... Agora nem tanto, mas há muita poluição que não vemos e sentimos.
    Claro que preferia viver numa moradia com jardim e piscina fora da cidade, mas tinha de trabalhar perto. Na minha opinião, a qualidade de vida que se tem no fds não justifica as 2h diárias (quando corre bem) no trânsito...

  5.  # 144

    Colocado por: FFADEu por exemplo vivi numa rua bastante movimentada na Estrela e volta e meia tinha-se de limpar as paredes por cimas das janelas, pois notava-se bastante a poluição... Agora nem tanto, mas há muita poluição que não vemos e sentimos.
    Claro que preferia viver numa moradia com jardim e piscina fora da cidade, mas tinha de trabalhar perto. Na minha opinião, a qualidade de vida que se tem no fds não justifica as 2h diárias (quando corre bem) no trânsito...


    Compreendo perfeitamente, o que não concordo é dizer que Lisboa é para os ricos. Será mais para aqueles que querem morar perto do trabalho, e podem pagar as casas (caso não as tenham herdado).

    Conheço os dois extremos.Um caso de uma família que trabalhava em Lisboa e tinha aí casa. Venderam para comprar uma quintinha na zona de Torres Vedras, iam e vinham todos os dias de transporte público ou carro, conforme calhava. Estavam felizes, tanto quanto eu percebia. Arranjaram uma ninhada de gatos e cães.

    Conheci o outro extremo de alguem que trabalhava na maregm sul e optou por comprar casa em Lisboa, usava os transportes puúblicos diáriamente..,
  6.  # 145

    eu nunca disse que Lisboa é para os ricos...
  7.  # 146

    Colocado por: J.FernandesSe você quer fazer ressaltar aí alguma contradição, tempo perdido.
    Se eu quiser comparar um Mercedes de 100k também vou a 2 ou 3 concessionários ver qual deles faz melhor preço.


    o problema do J.Fernandes é pensar que toda a gente é igual ou age da mesma forma... o facto de haver um mercado diversificado e que lojas, apesar de vender os mesmo produtos que outras, mas mais caros, continuam abertas, provam que está errado!
  8.  # 147

    Colocado por: JoelMapesar de vender os mesmo produtos que outras, mas mais caros, continuam abertas,

    Se vendem bem o mesmo produto mais caro que outras lojas ao lado, é porque vendem mais que apenas o produto e que interessa aos clientes.
  9.  # 148

    Colocado por: ParamonteCompreendo perfeitamente, o que não concordo é dizer que Lisboa é para os ricos. Será mais para aqueles que querem morar perto do trabalho, e podem pagar as casas


    Depende da zona de Lisboa.
    Aqueles que podem pagar um bugatti normalmente são ricos.
  10.  # 149

    Colocado por: WardrunaAqueles que podem pagar um bugatti normalmente são ricos.


    esses nao sao ricos.... nao sabem o que fazer ao dinheiro. diferente de ser rico.....
  11.  # 150

    Colocado por: Wardruna

    Depende da zona de Lisboa.
    Aqueles que podem pagar um bugatti normalmente são ricos.


    O que eu quiz dizer é que os Bugattis e Mercedes (da habitação) podem não estar em Lisboa. Nas urbanizações de que falei na margem sul, existem casas que custarão 3 vezes mais que um Bugati lisboeta. e onde se vive muito melhor, tirando o facto de puderem ficar longe do trabalho. Morar num apartamento em Lisboa com uma cozinha de 9 m2, paredes de tabique que permitem ouvir o vizinho a espirrar e com poluição sonora e do ar, não é um Bugati é para aí Fiat. Mas se a prioridade for morar perto do trabalho, muito bem, mas continua a ser um Fiat.
  12.  # 151

    Colocado por: ParamonteO que eu quiz dizer é que os Bugattis e Mercedes (da habitação) podem não estar em Lisboa. Nas urbanizações de que falei na margem sul, existem casas que custarão 3 vezes mais que um Bugati lisboeta. e onde se vive muito melhor, tirando o facto de puderem ficar longe do trabalho.

    Não se devem confundir as coisas, na margem sul e mesmo noutras zonas bastante mais longe de Lisboa e Porto, há casas muito boas e caríssimas, onde se terá uma excelente qualidade de vida - no Algarve não faltam exemplos destes -, mas os indíces de preços do imobiliário não enganam: a localização é o factor mais importante no mercado imobiliário, os preços médios do concelho de Lisboa não têm nada a ver com os preços médios dos concelhos da margem sul.


    Colocado por: ParamonteMorar num apartamento em Lisboa com uma cozinha de 9 m2, paredes de tabique que permitem ouvir o vizinho a espirrar e com poluição sonora e do ar, não é um Bugati é para aí Fiat. Mas se a prioridade for morar perto do trabalho, muito bem, mas continua a ser um Fiat.

    Essa sua classificação automobilística não casa com o valor que depois o mercado, isto é as pessoas, atribuem a um imóvel desses.
    Como diria o Hilton: "as 3 coisas mais importantes do imobiliário são a localização, a localização e a localização".
  13.  # 152

    Colocado por: J.FernandesEssa sua classificação automobilística não casa com o valor que depois o mercado, isto é as pessoas, atribuem a um imóvel desses.


    Há pessoas que estão a comer carapau e sabe-lhes a lagosta. E o contrário.

    E quem sabe isso bem é o pessoal do marketing.
    • RCF
    • 3 Abril 2019 editado

     # 153

    Colocado por: ParamonteO que eu quiz dizer é que os Bugattis e Mercedes (da habitação) podem não estar em Lisboa. Nas urbanizações de que falei na margem sul, existem casas que custarão 3 vezes mais que um Bugati lisboeta.

    A principal diferença é que o Bugatti lisboeta custa o dobro ou o triplo do Bugatti fora de Lisboa...
    Há moradias com muito bom nível no Restelo... e não só...
    No Parque das Nações (e não só) há apartamentos e moradias formidáveis. Não são todos formidáveis, é verdade, mas alguns são...

    A questão é que, normalmente, compara-se um apartamento de 80m2 em Lisboa, com uma moradia de 200m2 fora de Lisboa. Por um lado, até compreendo a comparação pois, normalmente, está-se a comparar o mesmo preço. Por outro lado, são casas diferentes...
    Concordam com este comentário: FFAD
  14.  # 154

    Colocado por: ParamonteNas urbanizações de que falei na margem sul, existem casas que custarão 3 vezes mais que um Bugati lisboeta. e onde se vive muito melhor


    Em qualquer texugueira fora de Lisboa se vive melhor que num palácio em Lisboa.

    Colocado por: ParamonteHá pessoas que estão a comer carapau e sabe-lhes a lagosta. E o contrário.


    E aqueles que comem tremoços e arrotam caviar....
  15.  # 155

    Colocado por: J.Fernandes
    Referi essa como a causa de os salários serem baixos em Portugal. Agora que estava a responder ao comentário do jorferr não estava a falar nem de salários nem de produtividade.




    Não faltam dezenas de estudos de vários institutos e universidades, o que podemos e devemos excluir à partida são os relatórios de estudos encomendados pelos diversos governos.

    Uma artigo que achei interessante.
    https://dia15.sapo.pt/por-que-se-ganha-mal-em-portugal/
  16. Ícone informação Anunciar aqui?

  17.  # 156

    Colocado por: AMVPPeço desculpa mas Terraverde, se bem entendi o que escreveu os ricos e civilizados irão ficar a viver no centro da cidade de Lisboa e Porto e os pobres/sem educação nos suburbios. Pois eu lamento que pense assim. Eu não sei que suburbios costuma frequentar mas digo-lhe que há muito suburbio com melhores condições e com pessoas com mais dinheiro do que determinadas zonas da Cidade de Lisboa. Quanto a educação, aí ainda é pior a relação que tenta estabelecer. Há ricos educados e mal educados, conheço ambos, e há pobres exatamente iguais, bem e mal educados. E sim... vivo num subúrbio, sempre vivi. Mais … até cometi o pecado de registar o meu filho como natural desse mesmo suburbio. Mas olhe… sabe… neste subsurbio onde vivo também existem casas a passar de M€, por estranho que isto lhe possa parecer. E mais… vivo no subúrbio que por acaso também é cidade e tenho a dizer-lhe que deixei de gostar de cá viver desde que foi inundado de pessoas que viviam em Lisboa e tiveram de adquirir casa no dito Subúrbio. Como era bom cá viver antes de chegarem. Lamento mas é mesmo assim. E sim, acho que a ideia é mesmo essa a de criar uma cidade apenas para a elite, mais estrangeira do que nacional.


    Tem toda a razão, e eu não pretendia generalizar. Na verdade, eu só quis expressar a minha frustração e desagrado por ver Lisboa entregue a pessoas muito mal educadas que não sabem cuidar da cidade. É claro que existem sítios muito melhores fora de Lisboa, como por exemplo, Oeiras e Cascais, mas ainda assim morar no centro de Lisboa ou do Porto continua a ser melhor porque estamos mais perto de tudo.
    E eu como tenho uma quinta no campo dá-me mais jeito morar em Lisboa.
  18.  # 157

    Colocado por: ParamonteMorar num apartamento em Lisboa com uma cozinha de 9 m2, paredes de tabique que permitem ouvir o vizinho a espirrar e com poluição sonora e do ar, não é um Bugati é para aí Fiat. Mas se a prioridade for morar perto do trabalho, muito bem, mas continua a ser um Fiat.


    Isso é porque a maioria das pessoas que moram em Lisboa não têm dinheiro para casas de qualidade. Mas com a subida dos preços essas casas de má qualidade poderão dar lugar a apartamentos de qualidade. Por isso que acho importante afastar da cidade quem não tem dinheiro para casas de qualidade. É para isso que existem os subúrbios. Compreendo que essas pessoas não queiram sair da cidade onde sempre viveram, mas se elas não saíssem Lisboa nunca poderia melhorar e seria sempre um conjunto de aldeias de má qualidade com gente ordinária. O que não quer dizer que toda a gente pobre seja ordinária e sem educação, e conheço pessoas muito bem educadas que não têm dinheiro, mas é um facto que Lisboa está cheia de gente boçal com ar de barracas que cospem no chão
    Concordam com este comentário: Diogo999
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Diogo999
  19.  # 158

    a sua forma de falar das pessoas mete nojo......

    se tivesse a minha frente levava um calduço que ia buscar a cabeça ao tejo.....snob maniento! nao suporto snobes....
    Concordam com este comentário: Palhava, eu, Caravelle, mica
  20.  # 159

    Colocado por: terraverde

    Isso é porque a maioria das pessoas que moram em Lisboa não têm dinheiro para casas de qualidade. Mas com a subida dos preços essas casas de má qualidade poderão dar lugar a apartamentos de qualidade. Por isso que acho importante afastar da cidade quem não tem dinheiro para casas de qualidade. É para isso que existem os subúrbios. Compreendo que essas pessoas não queiram sair da cidade onde sempre viveram, mas se elas não saíssem Lisboa nunca poderia melhorar e seria sempre um conjunto de aldeias de má qualidade com gente ordinária. O que não quer dizer que toda a gente pobre seja ordinária e sem educação, e conheço pessoas muito bem educadas que não têm dinheiro, mas é um facto que Lisboa está cheia de gente boçal com ar de barracas que cospem no chão


    Em que classe se sente inserido/a?
  21.  # 160

    Colocado por: terraverdePor isso que acho importante afastar da cidade quem não tem dinheiro para casas de qualidade. É para isso que existem os subúrbios.


    Colocado por: terraverdegente ordinária


    Gente ordinária mas de colarinho branco está bem, não é?


    Acho muito interessante quando alguém que é um pé rapado nem bom é para a sua própria igualha...
    Concordam com este comentário: JotaP, desofiapedro, Wardruna
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">