Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 81

    Colocado por: ruicarlov

    As perdas por transformação estão incluídas na tarifa de gestão. Quanto aos custos de sistema, houve este ano uma alteração na comunicação dos dados por parte da omie, pelo que passou a haver um custo indirecto que não está a ser comunicado em tempo real. Os preços do kWh presente na página dos tarifários estão a adquirir esses dados da omie, pelo que ainda não estão a comtemplar essa parcela, algo que está a ser tratado. A informação que tive na altura era que o simulador estaria a funcionar normalmente depois de uma revisão que fizeram. No entanto, estive agora a fazer vários testes para validar isso, e cheguei à conclusão que continua a haver um ligeiro desvio.
    Estive a reunir dados de preços com todas as parcelas que coloquei num folheto. Quer que envie para o endereço do seu perfil?



    Relativamente à sua primeira frase, remeto-o para o que consta actualmente no site da Cashback Power, relativamente aos preços publicados: “ Aos valores anteriores serão acrescentados os valores dos perfis de perdas publicados anualmente pela ERSE e custos de sistema (variável mínimo de 0,0025€/kWh).”. Em que ficamos, afinal, o que está incluído no fee de gestão?

    Quanto ao ligeiro desvio identificado nas simulações efectuadas, consegue quantificar percentualmente? Julgo ser importante para elucidar os potenciais interessados.

    Por último, e voltando novamente aos custos de sistema e perdas por transformação: aquilo que lhe está a ser cobrado mensalmente é efectivamente aquilo que contratou com o fornecedor?
  2.  # 82

    Eu estava a estudar mudar para o tarifário simples da muon top porque é muito vantajoso em relação a um bi-horário, mas se nem potenciais clientes se dão ao trabalho de contactar nem responder aos mails, nem atendem telefone, o que será dos clientes existentes...
  3.  # 83

    Colocado por: coelholima

    Relativamente à sua primeira frase, remeto-o para o que consta actualmente no site da Cashback Power, relativamente aos preços publicados: “ Aos valores anteriores serão acrescentados os valores dos perfis de perdas publicados anualmente pela ERSE e custos de sistema (variável mínimo de 0,0025€/kWh).”


    Esta frase vem no seguimento desta: "O valor da energia e da potência contratada de cada fatura, não apresentará margem comercial e será igual ao preço médio do mercado diário (OMIE), no período de faturação, e o fixado pelo regulador (ERSE), no inicio de cada ano civil ou subsequentes actualizações, correspondentemente."
    Ou seja, estas frases servem para ilustrar como se chega ao valor do kWh, não para dizer que aos valores apresentados no topo página se tem de adicionar mais parcelas. Posso confirmar que até às alterações que houve o preço presente na página era o que aparecia facturado. Espero em breve estar tudo normalizado outra vez. Até lá tenho reunido mensalmente a informação dos preços e divulgado os valores mais precisos.

    Concordo que a forma como está explicado no website o fee de gestão não é a mais clara, e já transmiti a minha opinião sobre o assunto. Talvez deste modo seja mais fácil entender.

    Preços
  4.  # 84

    Continua por responder a minha questão (já sinto que o fazem de propósito 🤔)
    Pergunto de outra forma: Se eu contratar 6.9KvA e a fee de gestão de 4.49, essa fee aumenta caso o consumo ultrapasse os 1750kwh????
  5.  # 85

    Colocado por: tonidastrevasContinua por responder a minha questão (já sinto que o fazem de propósito 🤔)
    Pergunto de outra forma: Se eu contratar 6.9KvA e a fee de gestão de 4.49, essa fee aumenta caso o consumo ultrapasse os 1750kwh????


    Peço desculpa, que não tinha percebido bem. Tanta vez me perguntam apenas sobre os limites máximos (o que acontece se consumir mais que 2500) que só respondi a isso e não reparei nessa outra parte.

    Ao contratar uma pessoa não "escolhe" o escalão. O histórico do consumo anual é comunicado pela EDP Distribuição e é sobre isso que se aplica a tarifa de gestão.
  6.  # 86

    Colocado por: ruicarlov

    Esta frase vem no seguimento desta: "O valor da energia e da potência contratada de cada fatura, não apresentará margem comercial e será igual ao preço médio do mercado diário (OMIE), no período de faturação, e o fixado pelo regulador (ERSE), no inicio de cada ano civil ou subsequentes actualizações, correspondentemente."
    Ou seja, estas frases servem para ilustrar como se chega ao valor do kWh, não para dizer que aos valores apresentados no topo página se tem de adicionar mais parcelas. Posso confirmar que até às alterações que houve o preço presente na página era o que aparecia facturado. Espero em breve estar tudo normalizado outra vez. Até lá tenho reunido mensalmente a informação dos preços e divulgado os valores mais precisos.

    Concordo que a forma como está explicado no website o fee de gestão não é a mais clara, e já transmiti a minha opinião sobre o assunto. Talvez deste modo seja mais fácil entender.

    Preços


    Agradeço a sua resposta, mas formulei 3 perguntas e nenhuma foi respondida.

    1. Ainda sobre a composição dos preços e do fee de gestão:
    No site da CB Power é dito explicitamente que o preço da energia corresponde à soma “ do preço médio do mercado diário (OMIE), no período de faturação, e o fixado pelo regulador (ERSE), no inicio de cada ano civil ou subsequentes actualizações, correspondentemente."

    e depois...

    “ Aos valores anteriores serão acrescentados os valores dos perfis de perdas publicados anualmente pela ERSE e custos de sistema (variável mínimo de 0,0025€/kWh).”

    Ora, atendendo a que afirmou que os custos por perdas na transformação estão incluídos no fee de gestão, então não faria sentido serem “novamente” somados para efeito de cálculo do preço da energia. Assim, renovo a questão: os custos por perdas estão incluídos no fee de gestão mensal, ou representam mais uma parcela para efeito de cálculo do preço da energia?

    2. Quanto ao desvio apresentado pelo simulador, consegue quantificar percentualmente esse desvio?

    3. Os valores que lhe são cobrados mensalmente estão de acordo com o contratado com o fornecedor?

    E já agora, adiciono uma questão, tendo em conta um comentário deixado relativamente a outro fornecedor:

    4. O número de telefone para apoio ao cliente publicitado no site vai funcionar algum dia?

    Grato
  7.  # 87

    Colocado por: ruicarlov

    Peço desculpa, que não tinha percebido bem. Tanta vez me perguntam apenas sobre os limites máximos (o que acontece se consumir mais que 2500) que só respondi a isso e não reparei nessa outra parte.

    Ao contratar uma pessoa não "escolhe" o escalão. O histórico do consumo anual é comunicado pela EDP Distribuição e é sobre isso que se aplica a tarifa de gestão.



    Não percebo porque é que isto não está explicado no site. Então é como sei qual o meu escalação?
  8.  # 88

    Colocado por: coelholima
    1. Ainda sobre a composição dos preços e do fee de gestão:
    No site da CB Power é dito explicitamente que o preço da energia corresponde à soma “ do preço médio do mercado diário (OMIE), no período de faturação, e o fixado pelo regulador (ERSE), no inicio de cada ano civil ou subsequentes actualizações, correspondentemente."

    e depois...

    “ Aos valores anteriores serão acrescentados os valores dos perfis de perdas publicados anualmente pela ERSE e custos de sistema (variável mínimo de 0,0025€/kWh).”
    Ora, atendendo a que afirmou que os custos por perdas na transformação estão incluídos no fee de gestão, então não faria sentido serem “novamente” somados para efeito de cálculo do preço da energia. Assim, renovo a questão: os custos por perdas estão incluídos no fee de gestão mensal, ou representam mais uma parcela para efeito de cálculo do preço da energia?

    2. Quanto ao desvio apresentado pelo simulador, consegue quantificar percentualmente esse desvio?

    3. Os valores que lhe são cobrados mensalmente estão de acordo com o contratado com o fornecedor?

    E já agora, adiciono uma questão, tendo em conta um comentário deixado relativamente a outro fornecedor:

    4. O número de telefone para apoio ao cliente publicitado no site vai funcionar algum dia?

    Grato


    1. Vou confirmar isso primeiro com administração. Pode ter havido alguma imprecisão da terminologia na formação que tive ou ter interpretado alguma coisa mal.

    2. Não consigo dizer uma % exacta pois varia com a factura simulada. Já tenho feito simulações em que dá 1 ou 2% de diferença e outras com 6%. Pelas minhas observações as simulações de maiores consumos tem tendência a ter desvios maiores. Logo, por enquanto, a maneira de conseguir uma simulação o mais correcta possível é levar em conta os preços por kWh que coloquei na imagem acima.

    3. Sim, os valores tabelados (fee de gestão e potência contratada - redes) são exactamente aqueles. O preço do kWh é variável de acordo com o preço com mercado ibérico. Os preços na imagem são os preços médios efectivamente cobrados nas facturas deste ano.

    4. O número de telefone presente no site é de onde são feitas chamadas para os clientes por alguma razão pontual, mas a cashback-power não possui um callcenter. O que existe é uma rede de PAM (Power Account Manager), que são gestores de clientes encarregues de acompanhar os clientes. Logo para qualquer questão ou pedido o cliente fala directamente com o seu PAM pelos canais que este lhe fornece (telefone, email, applicativo de mensagens, etc.)



    Colocado por: tonidastrevas
    Não percebo porque é que isto não está explicado no site. Então é como sei qual o meu escalação?


    Basta olhar para as suas facturas anteriores e ver o seu consumo.
  9.  # 89

    Ok, no escalão máximo não é mais barato então
  10.  # 90

    Colocado por: tonidastrevasOk, no escalão máximo não é mais barato então


    Depende de cada caso. Se o consumo estiver no bastante acima do limiar da mudança de escalões sai mais barato do que nos casos em o consumo está muito perto do limiar.
  11.  # 91

    Colocado por: ruicarlov

    1. Vou confirmar isso primeiro com administração. Pode ter havido alguma imprecisão da terminologia na formação que tive ou ter interpretado alguma coisa mal.

    2. Não consigo dizer uma % exacta pois varia com a factura simulada. Já tenho feito simulações em que dá 1 ou 2% de diferença e outras com 6%. Pelas minhas observações as simulações de maiores consumos tem tendência a ter desvios maiores. Logo, por enquanto, a maneira de conseguir uma simulação o mais correcta possível é levar em conta os preços por kWh que coloquei na imagem acima.

    3. Sim, os valores tabelados (fee de gestão e potência contratada - redes) são exactamente aqueles. O preço do kWh é variável de acordo com o preço com mercado ibérico. Os preços na imagem são os preços médios efectivamente cobrados nas facturas deste ano.

    4. O número de telefone presente no site é de onde são feitas chamadas para os clientes por alguma razão pontual, mas a cashback-power não possui um callcenter. O que existe é uma rede de PAM (Power Account Manager), que são gestores de clientes encarregues de acompanhar os clientes. Logo para qualquer questão ou pedido o cliente fala directamente com o seu PAM pelos canais que este lhe fornece (telefone, email, applicativo de mensagens, etc.)
    .


    Agradeço uma vez mais o seu tempo.
    Comento, respeitando a numeração:

    1. É de todo relevante esclarecer os potenciais e actuais clientes sobre que parcelas estão incluídas no fee de gestão.

    2. No meu caso deu mais de 8%. De toda a maneira, e fosse o que fosse, considero vergonhoso anunciar descontos potenciais de 10 ou 15% face à concorrência, quando depois o simulador propicia desvios desta magnitude. Mais, torna-se ainda mais incompreensível (se é propositado ou não, cada um que tire as suas conclusões) o simulador não funcionar corretamente quando se afirma que os preços anunciados no site são os efectivamente facturados.

    3. Não perguntei se os valores do preço de energia batiam certo com os valores que são publicados no site. Perguntei sim, se os valores facturados correspondem ao que foi efectivamente CONTRATADO? Já agora, o seu contrato data de quando, se não for indiscrição?

    4. O facto de se publicitar um número de telefone numa página, o qual depois não serve para receber chamadas, deveria ser motivo de análise profunda. Era bom que os potenciais clientes estivessem cientes desta situação, a qual pelos vistos é comum a vários fornecedores.
  12.  # 92

    Colocado por: coelholima

    Agradeço uma vez mais o seu tempo.
    Comento, respeitando a numeração:

    1. É de todo relevante esclarecer os potenciais e actuais clientes sobre que parcelas estão incluídas no fee de gestão.

    2. No meu caso deu mais de 8%. De toda a maneira, e fosse o que fosse, considero vergonhoso anunciar descontos potenciais de 10 ou 15% face à concorrência, quando depois o simulador propicia desvios desta magnitude. Mais, torna-se ainda mais incompreensível (se é propositado ou não, cada um que tire as suas conclusões) o simulador não funcionar corretamente quando se afirma que os preços anunciados no site são os efectivamente facturados.

    3. Não perguntei se os valores do preço de energia batiam certo com os valores que são publicados no site. Perguntei sim, se os valores facturados correspondem ao que foi efectivamente CONTRATADO? Já agora, o seu contrato data de quando, se não for indiscrição?

    4. O facto de se publicitar um número de telefone numa página, o qual depois não serve para receber chamadas, deveria ser motivo de análise profunda. Era bom que os potenciais clientes estivessem cientes desta situação, a qual pelos vistos é comum a vários fornecedores.


    1. A fee de gestão é essencialmente para cobrir todas as despesas administrativas, desde pessoal, servidores, custos financeiros relacionados com garantias, compras de eletricidade no mercado, etc. Como tanto a potência contratada como o kWh é vendido ao preço de custo, não geram qualquer receita que permita cobrir estes gastos, daí existir a tarifa de gestão. As perdas por transformação era o único item não administrativo que tinha ideia de estarem também incluídos aqui, mas assim que me responderem confirmo.

    2. Neste ponto só tenho de lhe dar razão. É algo que por diversas vezes foi mencionado internamente, mas cuja resolução se continua a atrasar. Aquilo que posso ir fazendo pela minha parte é informar todos os potenciais interessados com quem comunico os preços que devem esperar realmente.

    3. Não estou a perceber muito bem que dúvida resta. Mas vou dar então o meu exemplo. Tenho 3,45kVA contratados (desde Setembro de 2019), sendo que pago 0,1480€/dia de potência contratada e 2,49€/mês de tarifa de gestão por estar bem perto dos 1000kWh anuais. É isso que me aparece na fatura, e está de acordo com o que aparece nas condições do tarifário power light.

    4. Percebo o que quer dizer, e não é a única pessoa a menciona isso. Estou de acordo que deveria haver uma chamada de atenção na página dos contactos a indicar que o contacto deve ser feito por mail. Vou passar essa sugestão.
  13.  # 93

    Pronto, confirma-se que tinha sido um mal entendido da minha parte. As perdas por transformação não estão dentro do fee de gestão.
  14.  # 94

    E isso quer dizer concretamente o quê?
    Ou seja, para além do valor do kWh e do fee, há mais algo a pagar?
  15.  # 95

    Colocado por: ruicarlovPronto, confirma-se que tinha sido um mal entendido da minha parte. As perdas por transformação não estão dentro do fee de gestão.


    E o contrato que assinou em Setembro de 2019 refere o quê nas condições particulares. Refere, por exemplo, isto: "No valor do fee de gestão estão incluídos os custos globais do sistema e as perdas por transformação." ??



    Colocado por: mafgodE isso quer dizer concretamente o quê?
    Ou seja, para além do valor do kWh e do fee, há mais algo a pagar?


    Depende... do que estiver estipulado no contrato.
  16.  # 96

    Colocado por: mafgodE isso quer dizer concretamente o quê?
    Ou seja, para além do valor do kWh e do fee, há mais algo a pagar?


    Só os impostos do costume: contribuição audiovisual, taxa de exploração DGEG, IEC, IVA....
    Esta conversa tem sido apenas esmiuçar as várias componentes destes elementos, mas o modelo continua a ser kwh variável + fee fixa.


    Colocado por: coelholima
    E o contrato que assinou em Setembro de 2019 refere o quê nas condições particulares. Refere, por exemplo, isto: "No valor do fee de gestão estão incluídos os custos globais do sistema e as perdas por transformação." ??


    Não, não indica nada isso. As condições particulares são as que leu na página dos tarifários, com excepção da frase: “ Aos valores anteriores serão acrescentados os valores dos perfis de perdas publicados anualmente pela ERSE e custos de sistema (variável mínimo de 0,0025€/kWh).”

    Na altura em que fiz o contrato os valores consultados na OMIE e fixados da ERSE já incluíam esses valores. Foi com a mudança que ocorreu mais tarde com os dados comunicados que foi necessário rever o texto e adicionar esta frase.
  17.  # 97

    Colocado por: ruicarlov

    Só os impostos do costume: contribuição audiovisual, taxa de exploração DGEG, IEC, IVA....
    Esta conversa tem sido apenas esmiuçar as várias componentes destes elementos, mas o modelo continua a ser kwh variável + fee fixa.




    Não, não indica nada isso. As condições particulares são as que leu na página dos tarifários, com excepção da frase: “ Aos valores anteriores serão acrescentados os valores dos perfis de perdas publicados anualmente pela ERSE e custos de sistema (variável mínimo de 0,0025€/kWh).”

    Na altura em que fiz o contrato os valores consultados na OMIE e fixados da ERSE já incluíam esses valores. Foi com a mudança que ocorreu mais tarde com os dados comunicados que foi necessário rever o texto e adicionar esta frase.


    Ou seja, assinou um novo contrato, com novas condições?
  18.  # 98

    Colocado por: coelholima
    Ou seja, assinou um novo contrato, com novas condições?


    Não, o contrato é o mesmo, pois as condições não mudaram. O método de cálculo do preço do kWh continua exatamente igual. A diferença está apenas nos dados que são vizualizados nos sites das entidades reguladoras e de mercado.
    Por exemplo, dantes de grosso modo bastava pegar numa calculadora e somar o preço da omie com as tarifas de acesso às redes da erse, que o valor já incluía todos os custos. Agora os valores dos perfis de perdas e custos de sistema já não são apresentados nesse "bolo". Continuam a existir, tal como dantes. Simplesmente agora não são comunicados em tempo real no site da omie logo esses dois sites e uma calculadora não chegam para um leitor ter o preço final.
  19.  # 99

    Colocado por: ruicarlov

    Não, o contrato é o mesmo, pois as condições não mudaram. O método de cálculo do preço do kWh continua exatamente igual. A diferença está apenas nos dados que são vizualizados nos sites das entidades reguladoras e de mercado.
    Por exemplo, dantes de grosso modo bastava pegar numa calculadora e somar o preço da omie com as tarifas de acesso às redes da erse, que o valor já incluía todos os custos. Agora os valores dos perfis de perdas e custos de sistema já não são apresentados nesse "bolo". Continuam a existir, tal como dantes. Simplesmente agora não são comunicados em tempo real no site da omie logo esses dois sites e uma calculadora não chegam para um leitor ter o preço final.


    Deixe-me tentar simplificar, até porque esta discussão visa esclarecer o fórum.

    Em 2019 assinou um contrato onde, grosso modo, estava estipulado que o cálculo do preço de energia correspondia ao somatório de 2 parcelas:
    1. o preço médio de mercado (o preço "spot" consultável no site da OMIE)
    2. o custo de acesso às redes, fixado anualmente pela ERSE

    Acontece que em 2020, pelo que me diz, o preço de energia que lhe é facturado passou a corresponder ao somatório de 3 parcelas:
    1. o preço médio de mercado (o preço "spot" consultável no site da OMIE)
    2. o custo de acesso às redes, fixado anualmente pela ERSE
    3. os anteriormente referidos custos de sistema e perdas por transformação

    Sucede que o que foi contratado foi (1+2) e não (1+2+3). Está a ver o problema?
    Além das "peculiaridades" já identificadas atrás (simulador que não contempla todas as parcelas, número de telefone que não serve para receber chamadas), considera aceitável que o fornecedor facture algo que não está contratualizado?
  20.  # 100

    Colocado por: coelholima
    Sucede que o que foi contratado foi (1+2) e não (1+2+3). Está a ver o problema?
    Além das "peculiaridades" já identificadas atrás (simulador que não contempla todas as parcelas, número de telefone que não serve para receber chamadas), considera aceitável que o fornecedor facture algo que não está contratualizado?


    Aí é que está. Eu não contratei (1+2). Contratei (1+5), sendo esses 5 na mesma igual a (2+3).
    Só que enquanto dantes tanto o 1 como o 5 podiam ser facilmente visualizados, agora conseguimos ver o 1 e o 3, mas o 2 não se consegue ver em tempo real. Mas está lá na mesma, e a soma mantém-se 6.
 
0.0837 seg. NEW