Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Olá
    Vivo com o meu namorado desde o início da relação há 3 anos e tal.
    Eu quero comprar casa há muito tempo pois quero viver num lugar decente sem ter que pagar valores absurdos de renda. Mudamos agora para uma nova casa, alugada mas bem mais cara que a última e onde eu pago mais que ele mas isto é porque eu tenho mais capacidades financeiras e porque trabalho em casa, ou seja, o sótão todo é o meu escritório. Foi o acordado e não tenho problemas nenhuns com isso pois foi proposta minha até.
    No fim deste ano vou comprar casa. Tenho tudo aprovado do banco e tenho entrada para dar mas ele não tem e diz que não quer que eu invista por ele nem quer se meter num credito habitação, no entanto diz que percebe que eu queira comprar e que ele precisa de um lugar para viver e portanto paga a renda (dentro das capacidades dele) pois teria que pagar noutro lado. Eu ser senhoria ou outra pessoa, não lhe faz confusão.
    A minha pergunta é: é normal fazer algo assim? Quando um casal quer construir um futuro juntos e fazem assim decisões tão grandes separados? Do meu pronto de vista não tenho que ir continuar a alugar casa, casa Mais degradada só para poder pagar uma renda adequada e só para ficarmos os dois igual para igual. Não vejo porque deveria desistir do meu objectivo de comprar casa só porque ele não quer. Nem ele disse que não o deveria fazer mas eu tenho receio que isto venha causar constrangimentos na relação a longa duração. Sobretudo quando estamos a planear começar família num futuro próximo.
    Não quero que isto seja motivo de discussão ou desigualdade dentro da relação mas queria a vossa opinião para perceber de eu estou a ver as coisas bem ou se me estou a enganar redondamente com esta nova etapa.
    Obrigada
  2. Ícone informação Anunciar aqui?

    • size
    • 14 Fevereiro 2020 editado

     # 2

    Em dia dos namorados, tem que fazer um esforço extra para sacar dele o real constrangimento de não pretender assumir a compra da casa em conjunto. Qual o motivo ? Não é normal num casal.

    Já nos disse que trabalha em casa, supostamente, por conta própria. E ele ? Tem contrato de trabalho sem termo na zona ?
  3.  # 3

    Obrigada pelo comentário. Eu acho que um casal é feito por dois individuais com ambições próprias. Acho que o facto de ele não ter como investir mas eu tenho já se torna razão suficiente para não querer gastar dinheiro que não tem ou de ficar numa situação pior ainda, ficar a dever dinheiro a mim penso que seja ainda mais frustrante do que simplesmente ser meu inquilino como já seria noutra casa.
    Ele trabalha para a minha empresa a tempo certo com o trabalho a acabar em Maio. Somos os dois empresários em nome individual e surgiu um projecto de alguns meses. Ele não teria possibilidades para ser visto como um bom investimento aos olhos do banco. Tudo isso, mais todo o trabalho que dá comprar uma casa. Ele não quer e está no seu direito. Eu acho que também estou no meu direito de não deixar de comprar casa. De que vale insistirmos cada um com o que cada um quer quando podemos viver em harmonia?
    É assim tão anormal esta solução?

  4.  # 4

    Eu fiz isso com o meu namorado (actual marido). Eu não tinha dinheiro nem estabilidade para me pôr num crédito nem nunca tinha sido um sonho meu comprar casa. Ele sim. Por isso, o crédito da casa é dele, a casa está em seu nome, tratou de toda a parte burocrática apenas ele. Eu visitei com ele, escolhi com ele e vivo com ele. Não pago crédito nem renda mas tenho a meu cargo todas outras despesas indispensáveis à vivência aqui. Já estamos juntos há anos e connosco resulta bem assim. Conheço outros casais na mesma situação. Por isso não me choca a vossa situação. Converse é com ele e perceba bem se a única razão pela qual ele não compra consigo é por falta de meios ou se é receio de um compromisso tão grande consigo.
    Se bem percebi ele até está disposto a pagar o crédito consigo, pagando-lhe a si uma renda, é isso?
  5.  # 5

    Há uma coisa que não percebo. Vocês estão juntos a 3 anos, ele será o pai dos seus filhos (como você disse estão a pensar constituir família), mas ele tem de lhe pagar renda pra viver lá?

    Cá em casa quem paga a renda sou eu, mas ele paga o resto (agua, luz, gás, tv/net, supermercado). É balanceado...

    Se ele um dia ficar desempregado e não puder pagar a renda, vai pô-lo na rua?
    Concordam com este comentário: mica, TicMic
  6.  # 6

    Colocado por: CatiagHá uma coisa que não percebo. Vocês estão juntos a 3 anos, ele será o pai dos seus filhos (como você disse estão a pensar constituir família), mas ele tem de lhe pagar renda pra viver lá?

    Cá em casa quem paga a renda sou eu, mas ele paga o resto (agua, luz, gás, tv/net, supermercado). É balanceado...

    Se ele um dia ficar desempregado e não puder pagar a renda, vai pô-lo na rua?
  7.  # 7

    Catiag, desculpe não sei usar muito bem isto..!
    Neste momento alugamos casa, pagamos tudo a meias, excepto este ano que eu pago mais de renda porque arranjamos uma casa mais cara para eu poder ter escritório com divisão extra então pago eu esse extra. Mas na casa nova, minha e com crédito habitação ele irá pagár o mesmo ou menos o que paga agora, que seria o que ele iria pagar se alugássemos casa que poderá ser menos que 50% do que eu vou pagar ao banco. E vamos dividir as despesas como fizemos até agora.
    Se ele ficar desempregado e não puder pagar, vamos fazer como sempre fizemos, ajudar um ao outro.
  8.  # 8

    Sim isso. Ele pagará renda como iria pagar noutra casa qualquer.
    Até já pensei se não poderia fazer uma espécie de acordo no notário em que se um dia vender está casa, todas as rendas que ele pagou até a data contavam como a parte paga dele da casa. Mas... não sei se isso existe sequer ou se ele queria isso.

    Colocado por: T.e.r.e.s.aEu fiz isso com o meu namorado (actual marido). Eu não tinha dinheiro nem estabilidade para me pôr num crédito nem nunca tinha sido um sonho meu comprar casa. Ele sim. Por isso, o crédito da casa é dele, a casa está em seu nome, tratou de toda a parte burocrática apenas ele. Eu visitei com ele, escolhi com ele e vivo com ele. Não pago crédito nem renda mas tenho a meu cargo todas outras despesas indispensáveis à vivência aqui. Já estamos juntos há anos e connosco resulta bem assim. Conheço outros casais na mesma situação. Por isso não me choca a vossa situação. Converse é com ele e perceba bem se a única razão pela qual ele não compra consigo é por falta de meios ou se é receio de um compromisso tão grande consigo.
    Se bem percebi ele até está disposto a pagar o crédito consigo, pagando-lhe a si uma renda, é isso?
  9.  # 9

    Colocado por: MariaCruz2020Teresa, desculpe não sei usar muito bem isto..!
    Neste momento alugamos casa, pagamos tudo a meias, excepto este ano que eu pago mais de renda porque arranjamos uma casa mais cara para eu poder ter escritório com divisão extra então pago eu esse extra. Mas na casa nova, minha e com crédito habitação ele irá pagár o mesmo ou menos o que paga agora, que seria o que ele iria pagar se alugássemos casa que poderá ser menos que 50% do que eu vou pagar ao banco. E vamos dividir as despesas como fizemos até agora.
    Se ele ficar desempregado e não puder pagar, vamos fazer como sempre fizemos, ajudar um ao outro.


    Não fui eu que perguntei pela situação de desemprego, mas obrigada na mesma pela resposta. :) Eu não acho a situação anormal. Conheço casos em que as despesas são divididas de igual forma entre os dois (metade da conta da conta da água, da luz, da renda ou do crédito...) mas depois também há casos em que cada um dos membros fica responsável por certas despesas (ou seja, um fica com a renda, outro fica com a luz e a água...). Desde que funcione para os dois, porque não? Eu no meu caso nunca paguei renda ao meu marido ou uma parte do crédito.
  10.  # 10

    Avance com isso, já lhe deram exemplos de casos reais e em que funcionou.
    Vai ser uma situação mais vantajosa para ambos, e ele estando disposto a isso é porque também acha que a Maria está a tomar uma decisão sensata e acertada. Os bens de cada um acabam por ser secundários se as pessoas a cima de tudo forem amigas, no meu caso moro numa casa que pertence ao meu sogro e não foi isso que me demoveu de pagar as despesas com a casa, casar e ter 2 filhos até me meter na aventura de construir casa própria.
    Sejam é felizes
    Estas pessoas agradeceram este comentário: MariaCruz2020
  11.  # 11

    Se fosse comigo e a casa fosse minha nem aceitava que a minha companheira pagasse "renda" , simplesmente que se dividi-se contas . E digo-lhe já na minha opinião até por segurança é bom a casa estar somente em seu nome , obviamente espero que corra tudo bem mas o que não falta aqui no forum são tópicos sobre problemas com partilhas divórcios heranças ....
  12.  # 12

    Eu respeito este tipo de relações, mas custa me a entender o dividir despesas e pagar rendas a futura mãe dos filhos...eu quando me juntei com a minha namorada a minha mãe deu me um apartamento, a minha namorada e atual mulher investiu dinheiro nas obras do apartamento, apenas fomos ao notário fazer um papel do dinheiro que ela investiu, mas a partir daí as contas foram em conjunto, o dinheiro é de igual forma de os dois não há dividir despesas... praticamente ganho o dobro dela e não me preocupo com isso, para mim era esquesito ter uma relação e ter de pagar a meias tudo e ter contas separadas.
    Concordam com este comentário: A. Madeira, Hernandéz, Leonel46, SS1128, LuisPereira
  13.  # 13

    Colocado por: micaEu respeito este tipo de relações, mas custa me a entender o dividir despesas e pagar rendas a futura mãe dos filhos...eu quando me juntei com a minha namorada a minha mãe deu me um apartamento, a minha namorada e atual mulher investiu dinheiro nas obras do apartamento, apenas fomos ao notário fazer um papel do dinheiro que ela investiu, mas a partir daí as contas foram em conjunto, o dinheiro é de igual forma de os dois não há dividir despesas... praticamente ganho o dobro dela e não me preocupo com isso, para mim era esquesito ter uma relação e ter de pagar a meias tudo e ter contas separadas.
    O mica tem toda a razão no que diz, mas repare que nem toda a gente tem a sorte de os pais darem um apartamento, e portanto teem de andar anos a pouparem e a privarem-se de muita coisa para juntar para a entrada e pedir o mínimo possível ao banco. Agora imagine também que num casal, apenas um dos elementos tem hábitos de poupança e o outro gasta dinheiro mais a vontade. Nesses casos concordo que as despesas sejam divididas. Se assim não fosse, a pessoa que faz um esforço por poupar acabava por ver esse esforço inutilizado pelo outro elemento do casal.

    Quanto a autora do topico, acho que deve comprar a casa e aceitar a renda do seu namorado. Pode dar-se o caso de o seu namorado se sentir ferido no orgulho, se sentir que está a viver as suas custas. Sendo assim, aceite a “renda” dele, e paguem as despesas a meias. Se casarem e tiverem filhos, o dinheiro continua no seio familiar da mesma forma. Era uma situação com a qual viveria sem problema
    Concordam com este comentário: mica
  14.  # 14

    Colocado por: MariaCruz2020Catiag, desculpe não sei usar muito bem isto..!
    Neste momento alugamos casa, pagamos tudo a meias, excepto este ano que eu pago mais de renda porque arranjamos uma casa mais cara para eu poder ter escritório com divisão extra então pago eu esse extra. Mas na casa nova, minha e com crédito habitação ele irá pagár o mesmo ou menos o que paga agora, que seria o que ele iria pagar se alugássemos casa que poderá ser menos que 50% do que eu vou pagar ao banco. E vamos dividir as despesas como fizemos até agora.
    Se ele ficar desempregado e não puder pagar, vamos fazer como sempre fizemos, ajudar um ao outro.


    Acho que devias reestruturar o teu ideal sobre viver em família. Nunca na vida aceitava que um familiar pagasse renda por viver em minha casa, muito menos a minha mulher, com a qual planeio ter um filho.

    Ele não tem ambições financeiras? Se não tem, queres essa pessoa para pai dos teus filhos?
    Concordam com este comentário: desofiapedro
  15.  # 15

    Colocado por: micaEu respeito este tipo de relações, mas custa me a entender o dividir despesas e pagar rendas a futura mãe dos filhos...eu quando me juntei com a minha namorada a minha mãe deu me um apartamento, a minha namorada e atual mulher investiu dinheiro nas obras do apartamento, apenas fomos ao notário fazer um papel do dinheiro que ela investiu, mas a partir daí as contas foram em conjunto, o dinheiro é de igual forma de os dois não há dividir despesas... praticamente ganho o dobro dela e não me preocupo com isso, para mim era esquesito ter uma relação e ter de pagar a meias tudo e ter contas separadas.


    Até que enfim que alguem funciona como eu. A moda das contas todas separadas só leva a crer que os casais de hoje quando se juntam já estão à espera de se separar. Por aqui os rendimentos vão todos para uma conta conjunta. Há investimentos em nome dos dois e alguns em nome individual (e em proporções diferentes que em nada refletem a "contribuição" de cada um. Temos um carro comprado com o nosso dinheiro mas nem me dei ao trabalho de meter o meu nome, está apenas em nome dela. E nem somos casados, apenas união de facto. A única coisa que tem o nome dos dois em partes iguais é o crédito habitação e mesmo nesse eu entrei com 15mil para imt/escritura.
    Podem-me crucificar e dizer que só funciono assim pq nunca passei por uma separação. Ainda bem que sou um sortudo!
    Estas pessoas agradeceram este comentário: desofiapedro
  16. Ícone informação Anunciar aqui?

  17.  # 16

    Subscrevo a opinião do ivreis.
  18.  # 17

    Colocado por: ivreis

    Até que enfim que alguem funciona como eu. A moda das contas todas separadas só leva a crer que os casais de hoje quando se juntam já estão à espera de se separar. Por aqui os rendimentos vão todos para uma conta conjunta. Há investimentos em nome dos dois e alguns em nome individual (e em proporções diferentes que em nada refletem a "contribuição" de cada um. Temos um carro comprado com o nosso dinheiro mas nem me dei ao trabalho de meter o meu nome, está apenas em nome dela. E nem somos casados, apenas união de facto. A única coisa que tem o nome dos dois em partes iguais é o crédito habitação e mesmo nesse eu entrei com 15mil para imt/escritura.
    Podem-me crucificar e dizer que só funciono assim pq nunca passei por uma separação. Ainda bem que sou um sortudo!
    Concordam com este comentário:ricardo.rodrigues


    Não acho que seja estar à espera de se separar ou que algo corra mal. Acho que tem mais haver com gestão de dinheiro. Há casais que têm maior dificuldade em gerir o dinheiro quando todos os rendimentos entram na mesma conta e é dessa mesma conta que saem todas as despesas. Nós por exemplo funcionamos melhor com contas separadas, onde cada um põe o seu salário e onde de cada conta saem os seus gastos pessoais. Depois da dele saem os créditos, da minha saem outras despesas para bens comuns. O importante é encontrar o método que funcione com cada casal. :)
    Já agora nisto de uma das pessoas pagar a renda a outra (não o fiz, não nos fazia sentido), conheço um casal em que ela queria contratar uma empregada para limpar a casa, ele não queria porque achava que limpando ele se poupava esse dinheiro e não havia necessidade de o gastar. Resultado a que chegaram: ela pagava-lhe o que pagaria a uma empregada e ele limpava a casa sozinho. Não conheço outro casal onde isto tivesse chegado a esta situação mas no caso deles foi o que funcionou durante anos. :D
  19.  # 18

    Colocado por: T.e.r.e.s.a

    Não acho que seja estar à espera de se separar ou que algo corra mal. Acho que tem mais haver com gestão de dinheiro. Há casais que têm maior dificuldade em gerir o dinheiro quando todos os rendimentos entram na mesma conta e é dessa mesma conta que saem todas as despesas. Nós por exemplo funcionamos melhor com contas separadas, onde cada um põe o seu salário e onde de cada conta saem os seus gastos pessoais. Depois da dele saem os créditos, da minha saem outras despesas para bens comuns. O importante é encontrar o método que funcione com cada casal. :)
    Já agora nisto de uma das pessoas pagar a renda a outra (não o fiz, não nos fazia sentido), conheço um casal em que ela queria contratar uma empregada para limpar a casa, ele não queria porque achava que limpando ele se poupava esse dinheiro e não havia necessidade de o gastar. Resultado a que chegaram: ela pagava-lhe o que pagaria a uma empregada e ele limpava a casa sozinho. Não conheço outro casal onde isto tivesse chegado a esta situação mas no caso deles foi o que funcionou durante anos. :D


    Colocado por: T.e.r.e.s.a

    Não acho que seja estar à espera de se separar ou que algo corra mal. Acho que tem mais haver com gestão de dinheiro. Há casais que têm maior dificuldade em gerir o dinheiro quando todos os rendimentos entram na mesma conta e é dessa mesma conta que saem todas as despesas. Nós por exemplo funcionamos melhor com contas separadas, onde cada um põe o seu salário e onde de cada conta saem os seus gastos pessoais. Depois da dele saem os créditos, da minha saem outras despesas para bens comuns. O importante é encontrar o método que funcione com cada casal. :)
    Já agora nisto de uma das pessoas pagar a renda a outra (não o fiz, não nos fazia sentido), conheço um casal em que ela queria contratar uma empregada para limpar a casa, ele não queria porque achava que limpando ele se poupava esse dinheiro e não havia necessidade de o gastar. Resultado a que chegaram: ela pagava-lhe o que pagaria a uma empregada e ele limpava a casa sozinho. Não conheço outro casal onde isto tivesse chegado a esta situação mas no caso deles foi o que funcionou durante anos. :D


    Para mim isso não são casais isso são dois conhecidos a viver na mesma casa, e dividir despesas.Nos agora vamos construir em e pedir crédito habitação como ganho o dobro dela na lógica de alguns casais ia agora fazer um papel em que a casa ia ser 70% minha e 30% dela...e a lógica de um poupar mais do que outro também na faz sentido.eu estou parvo. Agora ia limpar a casa e a minha mulher tinha de me pagar? As pessoas agora casam ou juntam se logo a pensar em divorciaram
    Concordam com este comentário: void, Hernandéz
  20.  # 19

    Todas as opiniões São válidas, mas infelizmente os divórcios são reais...
    E quando se trata de dinheiro as pessoas mudam.
    Acho que devem conversar sobre as situações e chegar a um consenso.
    É complicado, mais importante... sejam felizes
    • zed
    • há 7 dias

     # 20

    Nestes tópicos nunca tardam a aparecer os intolerantes de mente fechada, incapazes de conceber uma dinâmica de casal diferente da própria ou daquilo a que estão formatados. Para estes, ou fazem igual a eles ou nem vale a pena!

    Felizmente nem todos somos iguais nem ninguém é obrigado a lhes dar ouvidos.

    À autora do tópico, procure preocupar-se menos com o que um bando de desconhecidos na internet acha normal e concentre-se no que vocês querem, acham bem, e vós proporciona felicidade e realização.
    Concordam com este comentário: rmarinho, desofiapedro
    Estas pessoas agradeceram este comentário: MariaCruz2020
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">