Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Eu e o meu primo estamos fartos de estar em casa e ver o meu pai e o tio dele a trabalhar duro na agricultura sem pudermos ajudar.
    O meu primo esteve em quarentena voluntária na frança durante uma semana e depois regressou a Portugal e já está cá a 10 dias, numa aldeia com meia dúzia de pessoas e eu vim de Braga para cá também, ele veio para a casa dos pais dele, eu vim para a dos meus.

    podemos ajudar os nossos pais na agricultura de subsistência?
    Como é que a GNR sabe que estamos em quarentena a X dias?

    Nos temos a certeza que não temos nada, ele porque esteve uma semana isolado sozinho em França e aqui já está a 10 dias e os pais dele nunca saem da aldeia, eu porque tirei 15 dias de ferias e depois veio a pandemia não deu para ir trabalhar faz 25 dias.
    Alguém pode ajudar a clarificar isto?
  2. Ícone informação Anunciar aqui?

  3.  # 2

    Não sei que região habita, mas aqui (Gouveia) não existe qualquer controlo de deslocações. Desde que me isolei faz hoje três semanas, já fui a Viseu duas vezes, nunca vi um carro da polícia.

    Ainda que decida ajudar os seus familiares, mantenha sempre uma distância considerável deles, pois nunca se sabe. Isso é o mais importante.
  4.  # 3

    Colocado por: José1982Como é que a GNR sabe que estamos em quarentena a X dias?
    Mesmo que não saiba, vocês têm o dever CÍVICO de fazer os 14 dias de quarentena. Vieram de zonas de risco e o seu primo fez uma viagem pós quarentena, logo contactou com pessoas.

    Eu também sou originário de uma pequena aldeia e percebo perfeitamente o seu dilema, mas pense que o senhor ou o seu primo, até podem não ter sintomas rigorosamente nenhuns e estar infectados. Agora imagine o estrago que seria se vocês fossem o foco de uma infecção num meio pequeno e tendencialmente envelhecido.

    É a sua Obrigação zelar pela saúde pública.
    Concordam com este comentário: telhaduasaguas, RipaHT

  5.  # 4

    Existem muitos emigrantes que estão a ser focos de infecção em pequenas localidades. Temos mesmo de respeitar o isolamento. Pensem sempre na saúde da comunidade e não na vossa saúde.
    Concordam com este comentário: Antonioconceicao
  6.  # 5

    Existe registos.
  7.  # 6

    Colocado por: ApostadorExiste registos.
    :)
  8.  # 7

    Colocado por: HAL_9000Mesmo que não saiba, vocês têm o dever CÍVICO de fazer os 14 dias de quarentena. Vieram de zonas de risco e o seu primo fez uma viagem pós quarentena, logo contactou com pessoas.

    Eu também sou originário de uma pequena aldeia e percebo perfeitamente o seu dilema, mas pense que o senhor ou o seu primo, até podem não ter sintomas rigorosamente nenhuns e estar infectados. Agora imagine o estrago que seria se vocês fossem o foco de uma infecção num meio pequeno e tendencialmente envelhecido.

    É a sua Obrigação zelar pela saúde pública.
    Concordam com este comentário:telhaduasaguas


    Mas você não leu tudo??
  9.  # 8

    Colocado por: Nasa1989

    Mas você não leu tudo??
    Li. O autor do tópico, se fez as férias na povoação onde se encontra, até pode sair. Agora se foi a algum lado, não custa nada por 3 dias cumprir a quarentena. Já o primo claramente tem sena cumprir, o homem fez uma viagem de França para cá, acha mesmo que não contactou com ninguém?
    O que li mal?
  10.  # 9

    Colocado por: HAL_9000Li. O homem fez uma viagem de França para cá, acha mesmo que não contactou com ninguém?
    O que li mal?
    Eu ja acabei a minha quarentena, neste caso hoje vou as compras, tenho de fazer mais 14 dias de quarentena?
  11.  # 10

    Colocado por: DR1982Eu ja acabei a minha quarentena, neste caso hoje vou as compras, tenho de fazer mais 14 dias de quarentena?


    Na teoria, e num mundo perfeito, sim.
  12.  # 11

    Colocado por: HAL_9000Li. O autor do tópico, se fez as férias na povoação onde se encontra, até pode sair. Agora se foi a algum lado, não custa nada por 3 dias cumprir a quarentena. Já o primo claramente tem sena cumprir, o homem fez uma viagem de França para cá, acha mesmo que não contactou com ninguém?
    O que li mal?


    O primo está há 10 dias em isolamento.
    Para ir para a agricultura, presumo que não vá para as tascas da aldeia (que até DEVEM estar fechadas), nem para ajuntamentos de pessoas.
  13.  # 12

    Colocado por: Nasa1989

    Na teoria, e num mundo perfeito, sim.
    se não tem de sair para trabalhar, obviamente que deve estar em casa.

    No caso do autor do tópico, a minha questão é que me parece ser de um meio pequeno, e aí todo o cuidado é pouco. Eu por exemplo vou estar 4 meses sem contactar com os meus pais ou avós pura a simplesmente porque hábito na AML, apesar de estar em recolhimento há 3 semanas.

    Agora se ele tem estado em casa, onde contacta com os pais, também não é por ir trabalhar com eles que as coisas se vão agravar, mas tem de avaliar muito os contactos sociais que vai ter se sair.

    O primo, não, nunca, tem de fazer quarentena. Na aldeia dos meus pais, os emigrantes que vieram devido ao Coavid, ignoraram completamente a quarentena. Se o trabalho deles parou no estrangeiro, o objetivo era o confinamento, no vir confraternizar para Portugal. Tem ideia do efeito que pode ter um foco de infeção numa aldeia, ou vila pequena, onde os mais idosos nem sequer compreendem o conceito de confinamento?
  14.  # 13

    Colocado por: Nasa1989

    O primo está há 10 dias em isolamento.
    Para ir para a agricultura, presumo que não vá para as tascas da aldeia (que até DEVEM estar fechadas), nem para ajuntamentos de pessoas.
    Se está há 10 faltam 4. Pois não, mas se sair e encontrar alguém na rua vai ter de cumprimentar e conversar, até porque é má educação não o fazer nestes meios pequenos. Como lhe disse, percebemos dilema do autor do tópico. Mas estas regras são para cumprir. Em Espanha e Itália, eles tb achavam que por ir passear o cão não acontecia nada, passeio higiénico, tb n iam para as tascas.....
  15.  # 14

    Colocado por: HAL_9000se não tem de sair para trabalhar, obviamente que deve estar em casa.

    No caso do autor do tópico, a minha questão é que me parece ser de um meio pequeno, e aí todo o cuidado é pouco. Eu por exemplo vou estar 4 meses sem contactar com os meus pais ou avós pura a simplesmente porque hábito na AML, apesar de estar em recolhimento há 3 semanas.

    Agora se ele tem estado em casa, onde contacta com os pais, também não é por ir trabalhar com eles que as coisas se vão agravar, mas tem de avaliar muito os contactos sociais que vai ter se sair.

    O primo, não, nunca, tem de fazer quarentena. Na aldeia dos meus pais, os emigrantes que vieram devido ao Coavid, ignoraram completamente a quarentena. Se o trabalho deles parou no estrangeiro, o objetivo era o confinamento, no vir confraternizar para Portugal. Tem ideia do efeito que pode ter um foco de infeção numa aldeia, ou vila pequena, onde os mais idosos nem sequer compreendem o conceito de confinamento?


    Isto é muito importante, temos aqui um caso no concelho vizinho ao meu, que só tem 1 caso de Covid ainda, curiosamente de 1 emigrante que veio para Portugal mas cumpriu todas as recomendações, chegou enfiou-se em casa de quarentena e quando foi a ver estava positiva. Como não contactou com mais ninguém desde que veio não alastrou e aquele concelho tem 1 caso já quase à 15 dias sem evoluir mais.
    Concordam com este comentário: HAL_9000, telhaduasaguas
  16.  # 15

    Colocado por: HAL_9000Se está há 10 faltam 4. Pois não, mas se sair e encontrar alguém na rua vai ter de cumprimentar e conversar, até porque é má educação não o fazer nestes meios pequenos. Como lhe disse, percebemos dilema do autor do tópico. Mas estas regras são para cumprir. Em Espanha e Itália, eles tb achavam que por ir passear o cão não acontecia nada, passeio higiénico, tb n iam para as tascas.....


    E depois dos 14, continua a ser um risco.
    Se o primo está em casa e quer assim tanto ir ajudar, vai. Ajudar, não é ir visitar pessoas, nem cumprimentar quem passa na rua.
    Concordam com este comentário: santiana
  17. Ícone informação Anunciar aqui?

  18.  # 16

    Colocado por: José1982Nos temos a certeza que não temos nada, ele porque esteve uma semana isolado sozinho em França e aqui já está a 10 dias e os pais dele nunca saem da aldeia, eu porque tirei 15 dias de ferias e depois veio a pandemia não deu para ir trabalhar faz 25 dias.
    Alguém pode ajudar a clarificar isto?


    Certeza não podem ter, porque até podem ter o vírus e não mostrar sintomas.

    Viu o filme 28 Weeks Later? A cena em que o marido beija a mulher que não tem sintomas e é infectado?
    Concordam com este comentário: HAL_9000
  19.  # 17

    Colocado por: Nasa1989Se o primo está em casa e quer assim tanto ir ajudar,vai
    Errado, completamente errado. O primo em primeiro lugar deveria ter ficado no país onde estava. A isso se chama isolamento. Esse teria sido o seu dever de proteção da sáude pública. O vírus só atingiu estas proporções porque as pessoas se deslocam de um sítio para o outro, foi o que ditou o destino de Itália- A fuga da zona norte para o sul. Não compreende que só o facto de ter vindo a Portugal nesta altura, o primo já está a por a povoação em risco? (eu também já estive emigrado e conheço os motivos da vinda, mas analisando friamente, não devia ter vindo. Ponto.)

    Além do mais ele está obrigado por lei a fazer os 14 dias de quarentena, por alguma razão é. Eu compreendo a necessidade da ajuda dele. Mas repare que se tiver infectado e disseminar pela povoação terá efeitos devastadores, e depois não ha ajuda que o valha.

    A a partir do momento em que se sai de casa, pode ser para ir semear umas batatas, ou lavrar uma terra, já se está a colocar em risco, e a colocar outras pessoas em risco.

    Faltam 4 dias, 2 deles são fim de semana. Fica em casa, e quando acabar já pode ir ajudar de consciência mais tranquila, ainda que mantendo todos os cuidados.
    Concordam com este comentário: telhaduasaguas
  20.  # 18

    Obrigado por lei? Pode-me indicar onde está escrito isso?
    E porquê 14? Porque não 13, ou 15?

    E lá está a falar em povoação.
    É sair de casa, ir para o campo trabalhar, voltar para casa! Pressupõe-se que se sair, vai ter todos cuidados!
  21.  # 19

    Sair de casa para trabalhar em sua própria quinta sem ter contato nenhum com humanos (quer no trajeto, ou em qualquer contexto) , obviamente é aceitável.
    Concordam com este comentário: Nasa1989
  22.  # 20

    Colocado por: Nasa1989Obrigado por lei? Pode-me indicar onde está escrito isso?
    Pode ter razão, e não ser obrigação nacional, mas é de certeza em alguns concelhos, e não sabendo eu o concelho em questão, não poderia ter feito afirmação tão peremptória. Mas sendo assim qual a preocupação do autor do tópico com a GNR?


    Colocado por: Nasa1989E porquê 14? Porque não 13, ou 15?
    Os 14 dias foram definidos com base em estudos epidemiológicos, não foi só porque sim. Corresponde ao período de tempo em que podem surgir os sintomas após a infecção. Em algumas pessoas surge ao fim de 5 dias, em outras 10 dias, e outras ao fim de 14 dias.



    Colocado por: Nasa1989É sair de casa, ir para o campo trabalhar, voltar para casa! Pressupõe-se que se sair, vai ter todos cuidados!
    Este pensamento é o nosso erro. Não tem noção da facilidade de propagação do vírus. Basta que ele espirre ou tussa na rua para poder contaminar um muro, um portão, o cabo de uma enxada, o volante de um trator.

    Posto isto tudo, se a povoação se mantiver isolada, obviamente as pessoas podem sair sim de casa, ir trabalhar mantendo os cuidados. A partir do momento que chegam emigrantes, que existem lá médicos, enfermeiros, farmacêuticos, operador de supermercado, que trabalhem directamente no atendimento, existe sim o risco de contágio local.

    Também lhe afirmo que sei como é a vida nas aldeias, e o trabalho tem de ser feito, não se pode adiar as culturas mas porra, existem riscos que se podem correr e outros que se devem evitar
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">