Iniciar sessão ou registar-se
    • m2r2
    • 10 outubro 2020

     # 1

    A definição de área de implantação não menciona a área de piscinas e pátios envolventes(não encerrados). No entanto, essas são áreas impermeáveis e que têm, obviamente, expressão na ocupação do terreno.
    Para efeitos de índices de ocupação seria melhor nem pensar mais nisso mas será que existe alguma interpretação de que as mesmas possam - ou melhor, devam - integrar o somatório total da área de Implantação?
    E - já agora - as rampas de acesso a garagens privativas dentro do terreno, seus arruamentos e passadiços interiores, circuláveis por veículos ou meramente pedonais e outras zonas de circulação dentro do terreno, desde que pavimentadas - com lajetas ou outras superfícies - mesmo que sejam de natureza permeável, tais como, por exemplo, betão poroso?
    Desabafo profissional: Esta coisa de cada Câmara apresentar nomenclaturas e diferentes designações para espaços a contabilizar é algo que tem de ser urgentemente regulamentada num único diploma (assim como as definições em tipologias de compartimentos pré-definidos como "Quarto, Sala, Cozinha, etc., não deixando margem de manobra ao ajustamento dos espaços conforme as necessidades do momento, pois se hoje três quartos podem ser para essa função - em famílias com um casal de filhos por exemplo- depois de saírem poder incorporar um desse espaços em sala ou até a não previsão de espaços interiores habitáveis mas com outra funções de, por exemplo, escritórios, bibliotecas, ateliers, ou meramente espaços de uso indiferenciados e não especificados)
    Isto é uma treta das grande (o(s) monstro(s) burocrático(s) (ou melhor: "burrocráticos"!) o faco de passarmos mais de 70% a 90% do nosso tempo de trabalho a "lamber" legislação e regulamentos em vez de nos dedicarmos aos aspectos concepcionais artísticos, urbanísticos e práticos da construção! É um pesadelo! A Ordem tem de fazer força par acabar com estas palermices!
    Concordam com este comentário: imo, Zendrix
    Estas pessoas agradeceram este comentário: marco1, Zendrix
  1.  # 2

    É isso e atual legislação contar com as varandas como área bruta de construção, mesmo que abertas nas três frentes
    Estas pessoas agradeceram este comentário: m2r2
  2.  # 3

    Nas câmaras com que mais trabalho, as piscinas não contam para área de implantação, mas contam para a área de construção.
    São também consideradas para o cálculo do índice aplicável.

    Contam também para a área de impermeabilização, ou seja, é preciso prever que existe área permeável sobrante suficiente.
    Para as áreas permeáveis a 100% ou outra percentagem, podem ser apresentadas fichas técnicas no material a aplicar, com indicação sa sua permeabilidade. Claro que, em obra, este tem que ser o material a aplicar.

    Este decreto regulamentar fixa e atualiza os conceitos técnicos, nos domínios do ordenamento do território e do urbanismo, a utilizar nos instrumentos de gestão territorial.
    Cada vez mais os regulamentos municipais vão sendo revistos e adaptados para abraçar esta uniformização de definições.

    Não obstante, ainda há muito trabalho a fazer...
    Concordam com este comentário: Pedro Barradas
    Estas pessoas agradeceram este comentário: m2r2
  3.  # 4

    Existe o DR 5/2019 de 27 de setembro, que pela minha interpretação as piscinas não contam para os índices, mas ja ouvi tanta coisa
  4.  # 5

    Foi o decreto-lei que referi acima.
    Porém, é sempre preciso verificar o regulamento municipal, especifico de cada concelho.

    Colocado por: tviegasExiste o DR 5/2019 de 27 de setembro, que pela minha interpretação as piscinas não contam para os índices, mas ja ouvi tanta coisa
  5.  # 6

    Colocado por: ADROatelierFoi o decreto-lei que referi acima.
    Porém, é sempre preciso verificar o regulamento municipal, especifico de cada concelho.



    e a cabeça ade que interpreta a legislação, se voce diz que nas camaras com que trabalha "as piscinas não contam para área de implantação, mas contam para a área de construção.", diz-me a arquiteta que a piscina conta como área de implantação e não de construção, acha que eu vou discutir com ela ? Albarda-se o burro a vontade do dono.
  6.  # 7

    tviegas

    sim não é propriamente discutir mas apurar bem as coisas, por exemplo ainda há bem pouco tempo tive numa reunião com uma arquiteta de uma camara ( mais tipo administrativa) mas que analisa os processos e disse-me que numa cave cuja área não entra para o indice do quadro sintese de um loteamento, toda a área dessa cave que não fosse afeta exclusivamente ao estacionamento de dois carros ( 30 m2) era contabilizado e iria comer á area da habitação , ora com tamanho absurdo apenas lhe disse para tirar isso a limpo logo ali no local e telefonou para outra colega e de imediato retificou o absurdo do que estava a dizer.
    em relação a isso o que eu já vi foi exigirem que a piscina estivesse dentro do poligono máximo de implantação cumprindo com os afastamentos mas nunca que iria contar como área de implantação.
    Concordam com este comentário: Pedro Barradas, tviegas
  7.  # 8

    Nunca vi piscinas serem contabilizadas para a área de implantação. Porém, para a área de construção sim.
    Nos lotes mais pequenos a piscina ter que ficar dentro do polígono de implantação, quando é exigido, por vezes é um trabalho de encaixe difícil de conseguir.
    Concordam com este comentário: Pedro Barradas
  8.  # 9

    Estou a trabalhar com uma Câmara que exige que a piscina tem que estar dentro do polígono de implantação. Ora, num bairro com lotes com área média de 250m², onde os polígonos têm em média 90.00m², como é que se faz? A piscina tem que estar dentro do polígono de implantação porque? O regulamento do alvará de loteamento nada diz sobre isto e não existe regulamento municipal. Como poderei rebater esta questão? Trabalho com várias câmara e nunca nenhuma se opôs à proposta de piscinas nos logradouros, desde que seja cumprida a área mínima permeável, obviamente.
  9.  # 10

    Pois, é palermice... às vezes é tarefa árdua.. lidar com colegas que "inventam" dificuldades.
  10.  # 11

    É horrível ás vezes.
    Não existe regulamento municipal? Que estranho.

    No extremo, particularmente se a câmara não estiver com muita pressão urbanística, e com o acordo do cliente, tem sempre o seguinte expediente:
    Entrega com a piscina fora do polígono de implantação e aguarda pelo suposto oficio de rejeição que tem que definir, obrigatoriamente, o fundamento legal para a piscina não ser aprovada.
    Claro que isto tem que se lhe diga e o ideal é não ter que se avançar deste modo.

    Os colegas na câmara não explicitam o enquadramento?

    Colocado por: Luísa MartinsEstou a trabalhar com uma Câmara que exige que a piscina tem que estar dentro do polígono de implantação. Ora, num bairro com lotes com área média de 250m², onde os polígonos têm em média 90.00m², como é que se faz? A piscina tem que estar dentro do polígono de implantação porque? O regulamento do alvará de loteamento nada diz sobre isto e não existe regulamento municipal. Como poderei rebater esta questão? Trabalho com várias câmara e nunca nenhuma se opôs à proposta de piscinas nos logradouros, desde que seja cumprida a área mínima permeável, obviamente.
    Concordam com este comentário: Pedro Barradas
  11.  # 12

    se é um loteamento a piscina já devia estar contemplada
  12.  # 13

    Colocado por: tviegasse é um loteamento a piscina já devia estar contemplada

    Não necessariamente. eu acho que não deve ser sequer previsto nada em particular.
    Mas já tive situações em que exigiram a alteração do loteamento por forma a considerar um polígono de implantação de piscina.. Sinceramente acho uma palermice. Noutros está omisso, é fazer. Desde que se cumpra os índices de impermeabilização, qual é o problema com piscinas... Pior são as churrasqueiras, anexos e afins.
  13.  # 14

    Muitas vezes não está claramente definido o enquadramento de piscinas e, até, de anexos.
    Varia muito.
    Não nos esqueçamos que alguns alvarás de loteamentos são muito antigos.

    Colocado por: tviegasse é um loteamento a piscina já devia estar contemplada
  14.  # 15

    Uma piscina devia ser apenas área impermeabilizada.
    E se for uma "piscina" com 30cm de fundo, tipo espelho de água?
    Não faz qualquer sentido ser área de construção ou implantação. Só se for coberta.
    As câmaras inventam demasiado
    Concordam com este comentário: Pedro Barradas
  15.  # 16

    Nem sequer devia contar como área impermeabilizada... A chuva que cai na piscina vai parar ao escoamento de águas pluviais?
    Concordam com este comentário: Palmix
  16.  # 17

    claro. a piscina tem uma sáida excesso (trop-plein) para as redes prediais de saneamento.
    É mesmo área impermeabilizada.
  17.  # 18

    Colocado por: danobregaNem sequer devia contar como área impermeabilizada... A chuva que cai na piscina vai parar ao escoamento de águas pluviais?
    Concordam com este comentário:Palmix


    Impermeabilizada julgo que quer dizer que a água não se infiltra no terreno...e não, porque tem a placa de chão da piscina.
  18.  # 19

    Colocado por: econom.pedroImpermeabilizada julgo que quer dizer que a água não se infiltra no terreno...e não, porque tem a placa de chão da piscina.


    Nesse caso devia poder apresentar projecto em que criava uma camada drenante por debaixo da piscina e canalizava as águas a mais para essa zona para a área não ser considerada impermeabilizada.
  19.  # 20

    danobrega

    não invente, uma piscina será sempre contabilizada como área impermeável
    Concordam com este comentário: ADROatelier, nunogouveia
 
0.0201 seg. NEW