Iniciar sessão ou registar-se
    • Wilga
    • há 5 dias editado

     # 1

    Viva,

    Alguém assistiu esta semana aos 1os workshops e 1a sessão de conferências organizado pela Passivhaus Portugal?

    É com bastante interesse que vejo que o standard passivhaus está a ganhar expressão e momentum em território nacional. Nos últimos anos o panorama internacional não tem sido diferente e é notório o crescimento do número de habitações PH (basta percorrer/explorar a bd da passivhaus internacional).

    Pelo que percebi, continua a ser um desafio em Portugal encontrar abertura nos profissionais de construção para respeitar a norma ou prestar a devida atenção a determinados detalhes essenciais para atingir o padrão PH. Dores de crescimento, provavelmente. A boa notícia é que há cada vez mais fornecedores de material para os diferentes cenários e com eles haverá também o conhecimento que falta ao sector.

    Para muitos, o standard PH poderá não ser o objectivo mas apenas a direcção a seguir no que toca à projecção de novos edifícios, o que, para mim, é um sinal de progresso do sector.

    Na minha opinião, o conhecimento das normas PH é relevante para futuros donos de obra.
    Para quem não assistiu, pode assistir no fb aqui.
  1.  # 2

    Viva,

    Sim, de facto é com estranheza que ainda se vejam construções onde essas preocupações não tenham sido consideradas.

    Mas creio que está a ser desenvolvido um excelente trabalho, e nota-se que cada vez mais existem mais interessados, tanto DO's como profissionais, e isso ficou bem visível nesta semana.

    A Eurobuild é parceira Passivhouse, juntamente com as marcas que representamos:
    Proclima
    Foamglas
    Entre outras
  2.  # 3

    Colocado por: Atlas EurobuildViva,

    Sim, de facto é com estranheza que ainda se vejam construções onde essas preocupações não tenham sido consideradas.

    Mas creio que está a ser desenvolvido um excelente trabalho, e nota-se que cada vez mais existem mais interessados, tanto DO's como profissionais, e isso ficou bem visível nesta semana.

    AEurobuildé parceira Passivhouse, juntamente com as marcas que representamos:
    Proclima
    Foamglas
    Entre outras



    Há mais interessados mas será uma pequena gota no oceano da construção em Portugal e, na minha opinião, é apenas por desconhecimento do tema. Talvez se a legislação fosse mais restritiva, a informação passaria de modo mais célere.
  3.  # 4

    Colocado por: WilgaTalvez se a legislação fosse mais restritiva, a informação passaria de modo mais célere.


    Vai passar por aí, brevemente.
    • Wilga
    • há 1 dia editado

     # 5

    Um exercício com uma solução bastante completa foi apresentado no workshop de hoje
  4.  # 6

    O debate também foi bastante interessante (para um leigo cm eu:)

    Nao me acredito que haverá muita gente a instalar janelas deste modo mas já há quem as instale com moldura em xps ou com algum cuidado adicional (usando fitas para garantir a estanquidade). Deverá demorar a ser um modos operandi usado amplamente em Portugal mas aos poucos o cliente vai ficando melhor servido (não fica muito mais caro usar uma fita e o resultado final deverá ser globalmente melhor).
  5.  # 7

    Colocado por: WilgaO debate também foi bastante interessante (para um leigo cm eu:)

    Nao me acredito que haverá muita gente a instalar janelas deste modo mas já há quem as instale com moldura em xps ou com algum cuidado adicional (usando fitas para garantir a estanquidade). Deverá demorar a ser um modos operandi usado amplamente em Portugal mas aos poucos o cliente vai ficando melhor servido (não fica muito mais caro usar uma fita e o resultado final deverá ser globalmente melhor).


    Olhe que sim.

    Edit - já havia casos práticos no fdc antes de se falarem em soleiras térmicas nas conferências PHP
  6.  # 8

    Colocado por: pc ferreira

    Olhe que sim.

    Edit - já havia casos práticos no fdc antes de se falarem em soleiras térmicas nas conferências PHP


    O corte térmico nas soleiras é um dos detalhes alertados pelos intervenientes no forum de modo recorrente. A estanquidade ao ar, nem tanto (mas tb se fala - e da necessidade de ventilar - há bastantes tópicos sobre VMC mas mto poucos relativos a estanquidade - que é de extrema importância seja em PH ou não).
  7.  # 9

    Colocado por: Wilga

    O corte térmico nas soleiras é um dos detalhes alertados pelos intervenientes no forum de modo recorrente. A estanquidade ao ar, nem tanto (mas tb se fala - e da necessidade de ventilar - há bastantes tópicos sobre VMC mas mto poucos relativos a estanquidade - que é de extrema importância seja em PH ou não).


    É como a pescada com o rabo na boca, o mercado oferece, o cliente procura. O cliente procura, o mercado disponibiliza.
    Concordam com este comentário: Wilga
  8.  # 10

    Colocado por: pc ferreira

    É como a pescada com o rabo na boca, o mercado oferece, o cliente procura. O cliente procura, o mercado disponibiliza.
    Concordam com este comentário:Wilga


    O problema aqui é que, na minha opinião, nem deveria ser o DO a ter estes conhecimentos e a exigir mas sim os projectistas e os restantes profissionais contratados (será esta a situação ideal já que muitos DOs são leigos nisto de construir). Haverá muitos com este tipo de preocupação mas também ainda se constrói como há 20 ou 30 anos. Como alguém disse e repetiu: é tudo uma questão de €€.
  9.  # 11

    Colocado por: Wilga

    O problema aqui é que, na minha opinião, nem deveria ser o DO a ter estes conhecimentos e a exigir mas sim os projectistas e os restantes profissionais contratados (será esta a situação ideal já que muitos DOs são leigos nisto de construir). Haverá muitos com este tipo de preocupação mas também ainda se constrói como há 20 ou 30 anos. Como alguém disse e repetiu: é tudo uma questão de €€.


    Não sei se assistiu à conferência via face ou zoom, mas se o número de técnicos a assistir tem vindo a aumentar, deve-se ao facto de haver uma maior procura da parte dos donos de obra.

    Há muitos anos convidei uma arquitecta amiga do baixo Alentejano a assistir à Conferência Preserencial (penso que a II Conferência). Ela e o marido, também arquitecto, levantaram-se de madrugada e lá foram a Aveiro.

    Era tudo novidade.

    Tirou curso, não falha uma conferência, e está atenta a todas as novidades.

    O caminho faz-se caminhando.
  10.  # 12

    Colocado por: pc ferreira

    Não sei se assistiu à conferência via face ou zoom, mas se o número de técnicos a assistir tem vindo a aumentar, deve-se ao facto de haver uma maior procura da parte dos donos de obra.

    Há muitos anos convidei uma arquitecta amiga do baixo Alentejano a assistir à Conferência Preserencial (penso que a II Conferência). Ela e o marido, também arquitecto, levantaram-se de madrugada e lá foram a Aveiro.

    Era tudo novidade.

    Tirou curso, não falha uma conferência, e está atenta a todas as novidades.

    O caminho faz-se caminhando.


    Via zoom. E mesmo o número de pessoas a assistir agora é maior do que o que aconteceu há uns meses. É bom sinal.
  11.  # 13

    Colocado por: WilgaUm exercício com uma solução bastante completa foi apresentado no workshop dehoje


    Metodos de aplicação como este (corte térmico e estanque) são o requisito standard por exemplo em Inglaterra. O "building code" assim exige.
    • Wilga
    • há 1 dia editado

     # 14

    Colocado por: Make

    Metodos de aplicação como este (corte térmico e estanque) são o requisito standard por exemplo em Inglaterra. O "building code" assim exige.


    Em algumas zonas geográficas o standard PH é o exigido. Aqui

    Claramente um passo maior do que a perna no nosso contexto actual.
  12.  # 15

    Colocado por: Make

    Metodos de aplicação como este (corte térmico e estanque) são o requisito standard por exemplo em Inglaterra. O "building code" assim exige.


    Um standart que é esquecido tantas e tantas vezes.