Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 141

    Colocado por: ruimesquitaE como é que são avaliados os artigos isto se não forem novos mas sim usados, é á vontade de que os inspeciona?

    O destinatário é que tem que responder ao questionário colocado pela alfandega ao despachante.
  2.  # 142

    Imagine que alguem fora da UE lhe envia uma encomenda. Quando chegar à alfandega eles tem que saber o que é para poder taxar em conformidade, na eventualidade dessa encomenda não ir acompanhada de nenhum manifesto então a alfandega enviará um questionário ao despachante que está a desalfandegar, este por sua vez entrará em contacto com o destinatário com essas mesmas questões.
    O processo é mais ou menos este, poderá ter algumas nuances, não estou muito dentro dos tramites nas alfandegas em Portugal.
  3.  # 143

    Colocado por: HAL_9000Tem, um conhecido meu mandou da Austrália uns casacos e umas camisolas para o filho aqui e ele teve de pagar 80 euros de alfândega.


    Ainda no outro dia a minha nora enviou-me de UK uns livros e roupas que ela tem há anos dos filhos dela, para os meus filhos. Pediram-nos para dar valor às coisas. É que nem sabíamos que valor dar aquilo. Ainda nos disseram para valorizar com o valor de venda atual. Até nos rimos a tentar valorizar. Alguns livros são clássicos, devem valer alguns 100euros🤣🤣. No final foi indiferente o valor que demos, tinha de pagar 75euros para desalfandegar...Foi tudo para trás, vem com ela na próxima vez que ela vier a Portugal.

    Gostava de perceber em que é que isto ajuda à economia local e/ou evitar práticas de dumping como mencionado por aqui...Quando muito ajuda ao consumismo e ao desrespeito pelo planeta (gastos de combustível a enviar de volta, e eu ter de comprar novo e a minha nora deitar fora "velho")
    Concordam com este comentário: ruimesquita
  4.  # 144

    Colocado por: martinina

    Gostava de perceber em que é que isto ajuda à economia local e/ou evitar práticas de dumping como mencionado por aqui...

    Este caso em concreto não ajuda em nada, mas agora imagine que este tipo de envio não fosse filtrado o que acha que aconteceria aos vendedores dos "Wishes" e "Aliexpresses" por esse mundo fora? Começavamm todos a enviar "casacos e camisolas" como se um familiar se tratassem?
  5.  # 145

    Colocado por: Vítor Magalhães
    Este caso em concreto não ajuda em nada, mas agora imagine que este tipo de envio não fosse filtrado o que acha que aconteceria aos vendedores dos "Wishes" e "Aliexpresses" por esse mundo fora? Começavamm todos a enviar "casacos e camisolas" como se um familiar se tratassem?


    Mas eu não estou a falar de ser filtrado. Mas já que abrem e decidem eles o valor, claramente se via que era usado e não taxavam. E não é só este caso em concreto. Uma amiga minha enviou para Portugal bocados de tecidos que tinha e esboços em papel com desenhos técnicos para uma costureira cá fazer umas almofadas e outras coisas para oferecer aos pais. Pumba e parou na alfandega. Obvio que não dava para dar valor a literalmente bocados de tecidos (restos que tinha em casa pois é designer de moda) e esboços em papel. Ela ainda deu o valor de 20euros para aquilo passar, mas disseram que era muito pesado para ser só 20euros. Esta tudo maluco mesmo! Mais uma vez queriam cobrar 50euros para desalfandegar e foi tudo para trás. Neste caso até ia ajudar a economia e dar trabalho à costureira.

    Não faz sentido nenhum muitas das leis serem generalistas quando há casos e casos. Coisas usadas/ pessoais não deviam ser taxadas e devia mesmo ser ilegal um estado ganhar dinheiro com isso
    Concordam com este comentário: ruimesquita
  6.  # 146

    Colocado por: martininaMais uma vez queriam cobrar 50euros para desalfandegar e foi tudo para trás.


    Mas quem é que queria cobrar os 50Eur? A Alfandega? A Alfandega no máximo cobra o IVA sobre o valor declarado/assumido e em caso se aplique as taxas alfandegárias constantes na pauta aduaneira para determinados produtos.

    Depois pode (e geralmente há) custos de desalfandegamento das transportadoras. Os CTT ainda são os que têm os valores mais baixos.


    Sei que aqui há uns anos a UPS cobrava 75 Eur pelo só serviço de desalfandegamento (fora os custos da alfandega). E se o cliente quisesse ir ele próprio tratar do assunto, precisava das guias e documentação que a UPS facultava por uns módicos 40Eur.

    Mas atenção, isto eram custos do operador, não da alfandega.

    No meu caso eram 2 ou3 t-shirts, que eram uma oferta, merchadising dos US.
    O valor declarado eram para uns 30 USD e a afândega apenas queria o IVA sobre aquilo. Dava para ai uns 5 EUR, se bem me lembro. A UPS como transportadora escolhida pelo remetente, é que me queria cobrar esse valor pelo serviço.
    Não os censuro, já tive que o fazer pessoalmente nesses tempos foram semanas de telefonemas, emails, documentos para cá e para lá. Consome mesmo muito tempo.

    Tenho ideia que agora está mais agilizado.
  7.  # 147

    Na alfandega acontecem coisas muito estranhas depende de quem se apanha eu até sei de um caso em que roubaram a encomenda substituindo o artigo por outro mas de valor muito inferior e queriam cobra uma brutalidade de dinheiro para desalfandegar a encomenda, foi devolvida e quando remetente a recebeu teve a surpresa de não receber o que enviou
  8.  # 148

    E podem cobrar iva se o artigo for em 2ªmão, ou usado?
    É que se não for novo já pagou iva quando foi originalmente comprado pelo 1º dono por isso não podem cobrar iva 2 vezes
    • RSS
    • 21 junho 2021

     # 149

    Na alfandega cobram-se do que "quiserem", já me enviaram coisas dos EUA que para não pagar desalfandegamento tive de ir à alfandega do aeroporto ...
    Levei um email comprovativo de que o que estava na encomenda eram livros e peças de um carro antigo que um familiar me havia oferecido, tive de permitir que abrissem a encomenda para confirmar o conteúdo viram peças ferrugentas e um manual de oficina com manchas de óleo.
    Mesmo assim não me livrei de pagar taxas e taxinhas, bem como taxa de ocupação de parteleira (x€ por cada dia que esteve na alfandega)

    Colocado por: hangas

    Mas quem é que queria cobrar os 50Eur? A Alfandega? A Alfandega no máximo cobra o IVA sobre o valor declarado/assumido e em caso se aplique as taxas alfandegárias constantes na pauta aduaneira para determinados produtos.

    Depois pode (e geralmente há) custos de desalfandegamento das transportadoras. Os CTT ainda são os que têm os valores mais baixos.


    Sei que aqui há uns anos a UPS cobrava 75 Eur pelo só serviço de desalfandegamento (fora os custos da alfandega). E se o cliente quisesse ir ele próprio tratar do assunto, precisava das guias e documentação que a UPS facultava por uns módicos 40Eur.

    Mas atenção, isto eram custos do operador, não da alfandega.

    No meu caso eram 2 ou3 t-shirts, que eram uma oferta, merchadising dos US.
    O valor declarado eram para uns 30 USD e a afândega apenas queria o IVA sobre aquilo. Dava para ai uns 5 EUR, se bem me lembro. A UPS como transportadora escolhida pelo remetente, é que me queria cobrar esse valor pelo serviço.
    Não os censuro, já tive que o fazer pessoalmente nesses tempos foram semanas de telefonemas, emails, documentos para cá e para lá. Consome mesmo muito tempo.

    Tenho ideia que agora está mais agilizado.
  9.  # 150

    Colocado por: ruimesquitaE podem cobrar iva se o artigo for em 2ªmão, ou usado

    Se vier de fora da UE deve sempre IVA, independentemente de ser novo ou não...
    Concordam com este comentário: Vítor Magalhães
  10.  # 151

    Mesmo sendo artigo usado, então o mesmo artigo paga iva 2 vezes,
  11.  # 152

  12.  # 153

    Ok mas isso é para produtos novos comprados em lojas online fora de UE , se for uma transação entre particulares de artigos usados já não podem cobrar iva
  13.  # 154

    Colocado por: Reduto25Recebi ontem 3 encomendas de vendedores diferentes no mesmo embrulho não sei como e possível.. e tinha esse autocolante
    Perfeitamente normal se o pagamento for o mesmo acto.
  14.  # 155

    Colocado por: ruimesquitaMesmo sendo artigo usado, então o mesmo artigo paga iva 2 vezes,


    Como é que sabe que pagou o IVA 2x?
    A questão é que cabe ao destinatário provar que o artigo é isento do pagamento de IVA.
  15.  # 156

    Porque quando você compra um artigo novo numa loja tem de pagar o iva e se depois vender esse mesmo artigo a outra pessoa ela tem de pagar o iva outra vez? por exemplo compra um livro novo numa livraria e paga iva, depois vende esse mesmo livro a outra pessoa, ela não tem de pagar iva certo? Porque senão o mesmo livro paga iva 2 vezes.
  16.  # 157

    O artigo vem fora da UE, como é que sabe que já pagou o IVA no país de origem? Se existir isenção de IVA para esse artigo terá que a provar, se se tratar de uma empresa pode recuperar esse mesmo IVA.
    Se não for nenhuma das anteriores tem que pagar o IVA.
  17.  # 158

    Eu estou a falar de transações entre particulares e não empresas
  18.  # 159

    Vai dar ao mesmo, já o referi lá atrás.



    Colocado por: Vítor MagalhãesImagine que alguem fora da UE lhe envia uma encomenda. Quando chegar à alfandega eles tem que saber o que é para poder taxar em conformidade, na eventualidade dessa encomenda não ir acompanhada de nenhum manifesto então a alfandega enviará um questionário ao despachante que está a desalfandegar, este por sua vez entrará em contacto com o destinatário com essas mesmas questões.
    O processo é mais ou menos este, poderá ter algumas nuances, não estou muito dentro dos tramites nas alfandegas em Portugal.
  19.  # 160

    Colocado por: ruimesquitaEu estou a falar de transações entre particulares e não empresas

    Sempre que existe um envio de uma encomenda vinda do exterior tem que existir um documento a acompanhar com um valor descriminado, depois cabe ao destinatário elucidar a alfandega, caso se aplique, dos detalhes do conteúdo.
 
0.0433 seg. NEW