Iniciar sessão ou registar-se
    • ECMG
    • 17 julho 2021 editado

     # 1

    Bom dia,

    Venho por este espaço perguntar se alguns de vocês já tiveram experiência com linhas de baixa tensão, instaladas posteriormente da compra da casa, afetando o valor do mercado da mesma.

    Comprei o meu andar em Seixas há um ano e meio. O motivo principal foi a vista espetacular que tinha para o Rio Minho. Porém, há um mês, enquanto eu estava a viajar, a E-Redes instalou um novo poste, mesmo em frente à minha janela. Três cabos grossos cortando a vista. Além disso, a PT noutro dia aumentou o antigo poste dela, acrescentando mais fios, dez no total, que agora também passam em frente da janela.

    Depois, soube que o motivo para a nova instalação (e o aumento) é uma casa do bairro, reconstruída por uma empresa francesa e destinada a ser um AL. O projetista disse-me que tinha receio que os eventuais hóspedes não tivessem eletricidade suficiente, por isso pediu uma potência acima do normal à E-Redes. Tudo isto sem consultar com os outros moradores, claro, uma vez que os novos postes (são cinco) foram instalados em via pública.

    Já entrei em contacto com a E-Redes, a qual recusou-se a considerar qualquer alteração à instalação. Os próximos passos seriam falar com a junta (Seixas) e a câmera (Caminha).

    A minha pergunta era, se algum de vocês já teve uma experiência semelhante, o que fez e se vocês acham que eu tenho alguma hipótese de levar a E-Redes ao tribunal para obter alguma indemnização pela perda financeira que, sem dúvida, os cortes da vista vão provocar?

    Em anexo, seguem algumas fotos, antes e depois. É difícil, com o aparelho, capturar a verdadeira proximidade das linhas.

    Agradeço a consideração. Um dia bom para todos...
      06A6D99D-AF38-40F2-A22A-9818B6A89223.jpeg
      B14C37B8-9222-46CF-951E-EE68985CD5C7.jpeg
      AFFDD76E-3322-4413-B81C-DA869D712548.jpeg
  1.  # 2

    Se quiser ter os encargos de alteração da rede aérea para subterrânea, poderá propor a E-redes a alteração.

    Eles não têm que consultar os moradores para efectuar o reforço da rede.

    Acho que não tera grandes hipóteses com processo em tribunal
    Estas pessoas agradeceram este comentário: ECMG
    • ECMG
    • 17 julho 2021

     # 3

    Pois, é que me têm dito, sobre os tribunais. Contudo, li um artigo sobre um proprietário aqui no Minho que conseguiu uma indemnização para as linhas que lhe passam pelo terreno dele. Mas claro que essa já é outra situação...

    O mesmo projetista garantiu que, ao fim do verão, vai pedir à empresa a alteração para subterrânea. O problema é que muitas casas aqui não estão preparadas, isto é não têm as caixas de distribuição por fora.

    O que me deixa coçar a cabeça é a falta geral de cooperação entre as entidades. Se a E-Redes nos tivesse consultado, perceberia logo que há moradores interessados em comparticipar o enterro da rede. Ao invés, implica agora a desmontagem dos novos postes e um desperdício de mão de obra e material. Além disso, um dos postes foi instalado no meio de uma curva difícil que desce da estrada para o rio. É uma questão do tempo, o primeiro acidente que esse vai provocar.
  2.  # 4

    Tem de perguntar e os custos inerentes a alteração para subterrânea. Tem:

    - abertura de vala, fecho e reposição de pavimento.
    - tubagem.
    - cabos
    - armários de distribuicao
    - postes de iluminação viária
    - canalização eléctrica para iluminação.
    - alteração dos ramais se entrada aérea para subterrânea dos clientes finais.

    A alteração não irá ficar muito barata e não será a E-redes a pagar.

    Podem falar com CM para expor o problema, pois em última instância são eles os donos da rede pública
    Estas pessoas agradeceram este comentário: ECMG
  3.  # 5

    Ao invés que as linhas aérea, é postes, cabo (já tem o circuito da iluminação integrado) e as luminárias
    • size
    • 17 julho 2021

     # 6

    Nada de irregular existirá...
    Não poderemos exigir a possibilidade de manter uma servidão de vistas tão vasta, com tamanha dimensão.
  4.  # 7

    Seixas bonita terra.
    Concordam com este comentário: ECMG
  5.  # 8

    Compreendo e as vistas são realmente interessantes.

    Mas acredito que pouco Existirá a fazer para reduzir o impacto visual, senao sensibilizar a CM local para que sejam eles a solicitar a alteração.
    Senão terão os interessados suportar essa alteração
  6.  # 9

    Já agora, mande demolir aquelas casas velhas ali, tiram-lhe a vista do rio também.
    Concordam com este comentário: mmarinho
  7.  # 10

    Colocado por: rjmsilvaJá agora, mande demolir aquelas casas velhas ali, tiram-lhe a vista do rio também.
    Que duas casas espectaculares. É uma pena estarem como estão..
    Concordam com este comentário: ECMG
    • ECMG
    • 6 agosto 2021

     # 11

    Colocado por: rjmsilvaJá agora, mande demolir aquelas casas velhas ali, tiram-lhe a vista do rio também.
    Concordam com este comentário:mmarinho


    Que tolice.
    • ECMG
    • 6 agosto 2021 editado

     # 12

    Colocado por: BelhinhoQue duas casas espectaculares. É uma pena estarem como estão..


    Também acho. Falei com uma senhora arquitecta engraçada da CM de Caminha. Ela ficou desiludida quando percebeu que eu não queria comprar as casas para as renovar. Pelos vistos ela tinha escrito uma monografia sobre a construção civil em Seixas durante o século XIX. Li umas páginas mas o estilo deixou-me tonto. Segundo ela, era tudo dinheiro e mão de obra do Brasil. Já os vi a fazerem alguns levantamentos topográficos; creio que vão tentar vendê-las. A minha vizinha disse-me que a maior pertence a Santa Casa. Que as outras são de uma família só e que os membros estão no tribunal há anos sobre essas propriedades.
    • ECMG
    • 6 agosto 2021

     # 13

    Colocado por: sizeNada de irregular existirá...
    Não poderemos exigir a possibilidade de manter uma servidão de vistas tão vasta, com tamanha dimensão.


    Não é isso, é que pessoas com mais recursos conseguem pedidos que estão a afetar o ambiente do bairro inteiro. Não quero tudo apenas para mim mas fico aborrecido quando o dinheiro de um supera o bem comum. Agora parece um mini-Tóquio aqui. Mas que os hóspedes do AL possam carregar os iPads todos enquanto fazem streaming em três televisões HD... ;-)
  8.  # 14

    Gostava de ir passar férias num local sem electricidade e comunicações adequadas?

    Mas não percebo porque continuam a não enterrar as linhas nas povoações. Parece-me discriminatório. Vamos fazer um abaixo-assinado e levar ao parlamento? 🤗

    https://www.parlamento.pt/EspacoCidadao/Paginas/DireitoPeticao.aspx
  9.  # 15

    Nuns post anteriores tem explicado a principal razão.

    Colocado por: CM2021Gostava de ir passar férias num local sem electricidade e comunicações adequadas?

    Mas não percebo porque continuam a não enterrar as linhas nas povoações. Parece-me discriminatório. Vamos fazer um abaixo-assinado e levar ao parlamento? 🤗

    https://www.parlamento.pt/EspacoCidadao/Paginas/DireitoPeticao.aspx
  10.  # 16

    Onde há vontade, há dinheiro.
  11.  # 17

    Nem que seja com o dinheiro de todos os contribuinte, com mais impostos e energia mais cara

    Colocado por: CM2021Onde há vontade, há dinheiro.
    • CM2021
    • 7 agosto 2021 editado

     # 18

    Antes gastar dinheiro para o bem de muitos, do que gastar para privilégio de alguns.

    Eu acredito que quem vive numa pequena aldeia tem os mesmos direitos de quem vive numa grande cidade. E você?
  12.  # 19

    Eu acredito que se deva ter os mesmos direitos, como rede de saneamento, rede de agua, gas, tv e internet de qualidade.

    Ou mesmo pontos de recolha lixo ou transportes públicos.

    Eu se quiser trabalhar gasto 5€/dia so com custos de carro. Em lisboa por exemplo pagam um pass mensal de 1€/dia.

    Aqui na aldeia, só ha 7/8 anos tivemos direito a rede publica de agua e esgostos. Ate a essa altura a população juntou se e construiu a propria rede de distribuição que ainda hoje funciona.

    A fibra so chegou à 2anos, ate a essa altura tinha os ditos ate 24mb, que nao passavam dos 12mb.

    TDT aqui ainda da mais ou menos. Mas noutros sitios, este servico basico de informação nao existe.

    É nestes pequenos direitos que acredito que devesse apostar. Depois podemos pensar nessas coisas de redes de electricidade enterradas.


    Colocado por: CM2021Antes gastar dinheiro para o bem de muitos, do que gastar para privilégio de alguns.

    Eu acredito que quem vive numa pequena aldeia tem os mesmos direitos de quem vive numa grande cidade. E você?
    Concordam com este comentário: ECMG
  13.  # 20

    Não discordo.

    Mas para mim, a estética da envolvente geral é um direito como os outros. Era bom que os portugueses começassem a pensar em como estas pequenas coisas afectam a mentalidade das populações. O deixa andar, a mediocridade plenamente aceite e encorajada, são mentalidades que minam completamente o progresso do país.

    E se é para construir ou ampliar, mais vale fazer já bem, do que fazer agora mal e mais tarde emendar.

    Tudo o que seja melhoria de infraestruturas por esse Portugal fora pode contar com a contribuição dos meus impostos.
    Concordam com este comentário: ECMG
 
0.0177 seg. NEW