Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Boas!

    Estou a tratar de juntar dois apartamentos, aproveitando para alguns trabalhos de renovação, tais como mudar todo o pavimento e roda-pés das duas fracções, pintura completa, colocação de portas de correr em 3 das 4 casas de banho, afinação das caixilharias, demolição de três paredes, construção de despensa, entre muitos outros trabalhos.

    As obras deverão começar dentro de 2 meses, que é quando há disponibilidade por parte da empresa que se vai encarregar dos trabalhos. Abro este tópico para ir tirando algumas dúvidas com quem puder ajudar.

    Deixo imagem da planta.

    A verde estão as 3 paredes que são para derrubar, sendo a mais grossa a que fará a ligação entre os dois apartamentos.

    Fica com 5 quartos e com uma sala de 75m2, que será dividida em sala de estar no lado esquerdo e sala de jantar no direito. Como a sala era muito grande e não temos arrecadação, será criada uma despensa no local delimitado a azul.

    A ligação entre os dois apartamentos coincide com a cozinha do T2, que é para desaparecer, vou tentar vender os móveis, bancada, lava-loiça e torneira no olx.

    Na casa de banho "social" do T3 e nas duas casas de banho do T2, estamos a estudar a colocação de portas de correr, pois as portas actuais abrem "no meio" da casa de banho e são um grande empecilho.

    -
      IMG-3256.jpg
  2.  # 2

    A primeira dúvida está relacionada com o pavimento.

    O apartamento tem 10 anos, é ainda bastante recente (acabamentos modernos), mas nunca gostámos do pavimento. É muito fraquinho. Cai uma chave ou um isqueiro ao chão e fica uma marca. Já está muito massacrado em zonas onde há mais acção.

    Estamos a escolher, em principio será vinil. O pavimento original é de 10mm. Porém aqueles que estamos a considerar são de 5,5mm. O vendedor diz-nos que não tem problema. Nos rodapés não há crise, pois vão ser todos substituídos.

    Porém temos várias zonas da casa (molduras de portas, painéis em madeira, etc) em que não vamos mexer e temos receio que esses 4,5mm de diferença ainda sejam significativos e se note muito ao nível estético, bem como depois possam surgir problemas ao nível da limpeza.

    Qual a vossa opinião?

    Em relação ao pavimento, estamos também ainda indecisos. Entre a marca Svinyl, que pelo que percebemos é uma marca portuguesa da loja onde em princípio iremos comprar (Jular), sendo que gostamos dos modelos Juno e Hermes. Ambos, para os 200m2 que vamos comprar, fazem-nos por 20,50€ o m2, mais IVA, ficando por 25 euros já com IVA.

    A outra marca é a Kahrs, modelo Whinfell, que fica por 33€ o m2, mais IVA, ficando por 40 euros já com IVA.

    Entendemos que a Kahrs deverá ser qualidade superior. Porém ao nível estético os modelos Juno e Hermes da Svinyl vão mais ao encontro daquilo que procuramos. E, claro, a opção Svinyl fica-nos por 5 mil euros, ao passo que a Kahrs fica por 8 mil euros.

    Se ao nível estético fossem, para nós, equivalentes, mas a Kahrs justificasse por qualidade superior, estaríamos dispostos a pagar os 3 mil euros extra. Afinal de contas o resultado final será um apartamento de grande valor de mercado em que seria parvoíce termos um pavimento de inferior qualidade apenas para pouparmos 3 mil euros.

    Neste sentido, agradeço opiniões e conselhos.

    Deixo imagens dos modelos em questão. Os dois da Svinyl (Juno e Hermes), muito parecidos, e depois uma imagem com o pavimento da Kahrs, modelo Whinfell, que é o de cima. Nesta foto parece muito cinzento, mas na realidade é mais para o acastanhado. Qualquer coisa, basta pesquisar no google por "kahrs whinfell" e aparecem muitas fotos de casas com esse pavimento.

    Haverá melhor opção que o vinil para este tipo de orçamento (20-40eur/m2)?

    Obrigado.
    -
      IMG-5070.jpg
      IMG-5236.jpg
  3.  # 3

    Já agora...

    O pavimento original do apartamento é o que está por baixo nas fotos.

    Acham que alguém dá algo por ele em segunda mão? Valerá a pena colocar para venda nem que seja por 2 ou 3 euros o m2?

    É que há algumas zonas da casa onde tem algum desgaste e até danos, mas era uma questão de não vender essas peças. No total dos 2 apartamentos ainda deve dar uns 150m2 de peças em perfeitas condições.

    -
  4.  # 4

    Bem sei que é o único sítio onde os apartamentos encostam entre si, mas também é o pior sítio para derrubar...aí tem exaustores, gás para fogão, esgoto para máquinas-de-lavar, sifões de chão...mas realmente é mesmo o único sítio.
    Eu pessoalmente optaria por sala de jantar do lado esquerdo e sala de estar do lado direito...pela proximidade da cozinha que irá ficar a funcionar.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: P_Lopez
  5.  # 5

    Obrigado.

    Sim, não é o local ideal para juntar 2 apartamentos, bem sei. Se fosse o outro T2 que aparece na imagem, fazia muito mais sentido, pois dava para fazer a sala de jantar ligada à cozinha e fazer da cozinha do T2 um "quarto" extra, ficando um T6. Mas o dono desse T2 não o quer vender, já estamos à espera há 8 anos... e apareceu este outro para venda e decidimos aproveitar :)

    A pessoa que nos vai fazer a "renovação" vai anular as torneiras e canalizações de modo que se um dia se quisesse voltar a separar os dois apartamentos e fazer ali de novo uma cozinha, tal fosse possível.

    O fogão não é a gás, tudo eléctrico. E o tubo de exaustão não é naquela parede, é na esquina já junto ao elevador.

    Edit: quando à sugestão da sala de jantar mais próxima da cozinha, também pensámos nisso e reconhecemos essa vantagem, mas pesados os prós e os contras decidimos fazer ao contrário porque contamos colocar uma grande mesa de jantar em frente àquelas duas janelas, onde há uma boa vista, deixando a janela da varanda grande para a sala de estar. Além disso na sala de jantar vamos fazer zona de bar, com um lavatório, cave de vinhos e bancada para preparação de cafés/chás e pequenos lanches.

    -
    • Dom
    • 12 abril 2022

     # 6

    Relativamente ao chão, porque não investir em isolamento para ocupar os 4.5mm?
    Como é que funciona isso em termos de licenças e afins? Mesmo estando juntas, cada fração não deve ter de possuir uma cozinha?
    Estas pessoas agradeceram este comentário: P_Lopez
  6.  # 7

    Colocado por: P_LopezObrigado.

    Sim, não é o local ideal para juntar 2 apartamentos, bem sei. Se fosse o outro T2 que aparece na imagem, fazia muito mais sentido, pois dava para fazer a sala de jantar ligada à cozinha e fazer da cozinha do T2 um "quarto" extra, ficando um T6. Mas o dono desse T2 não o quer vender, já estamos à espera há 8 anos... e apareceu este outro para venda e decidimos aproveitar :)

    A pessoa que nos vai fazer a "renovação" vai anular as torneiras e canalizações de modo que se um dia se quisesse voltar a separar os dois apartamentos e fazer ali de novo uma cozinha, tal fosse possível.

    O fogão não é a gás, tudo eléctrico. E o tubo de exaustão não é naquela parede, é na esquina já junto ao elevador.

    Edit: quando à sugestão da sala de jantar mais próxima da cozinha, também pensámos nisso e reconhecemos essa vantagem, mas pesados os prós e os contras decidimos fazer ao contrário porque contamos colocar uma grande mesa de jantar em frente àquelas duas janelas, onde há uma boa vista, deixando a janela da varanda grande para a sala de estar. Além disso na sala de jantar vamos fazer zona de bar, com um lavatório, cave de vinhos e bancada para preparação de cafés/chás e pequenos lanches.

    -


    Olá. Acredito que já tenham pesado bem os pós e os contras mas pela experiência de um familiar próximo que fez uma obra parecida acabou por se arrepender. Isto porque acabou por ficar a pagar condomínio e IMI de duas frações, e ao fim de uns anos quis vender e teve de voltar a gastar dinheiro a fechar tudo (a união dos apartamentos neste caso era pelos quartos e a cozinha do T2 nunca foi desmanchada). Se vendessem os dois apartamentos mais o dinheiro das obras não conseguiam comprar um maior já de origem?

    De qualquer forma se avançarem tentem que a casa fique o mais harmoniosa e funcional possível (portas iguais, pavimento igual, separação de zona social/zona privada. Quanto à localização da sala de jantar está muito afastada da cozinha. Percebo o racional da varanda e janelas e não sei que utilização dão à sala de jantar mas se for para comer diariamente não é nada prático.

    Neste caso concreto acho que vos ajudava contratarem um serviço de design de interiores para vos ajudar com o layout.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: P_Lopez
    • size
    • 12 abril 2022 editado

     # 8

    Colocado por: CrisNunes

    Olá. Acredito que já tenham pesado bem os pós e os contras mas pela experiência de um familiar próximo que fez uma obra parecida acabou por se arrepender. Isto porque acabou por ficar a pagar condomínio e IMI de duas frações, e ao fim de uns anos quis vender e teve de voltar a gastar dinheiro a fechar tudo (a união dos apartamentos neste caso era pelos quartos e a cozinha do T2 nunca foi desmanchada). Se vendessem os dois apartamentos mais o dinheiro das obras não conseguiam comprar um maior já de origem?


    E porque não deveria continuar a assumir os encargos das 2 frações ?
    Quer das quotas do condomínio, quer do IMI ?

    Não faria sentido que fosse de modo diferente.
  7.  # 9

    Colocado por: size

    E porque não deveria continuar a assumir os encargos das 2 frações ?
    Quer das quotas do condomínio, quer do IMI ?


    Não percebi a sua pergunta... Claro que tinham de assumir os encargos de ambas as fracções. Já sabiam disso quando compraram a fração do lado. Mas a longo prazo foi uma decisão que perceberam não ter sido a melhor. Gastaram dinheiro 2x: na remodelação e depois a fechar tudo para vender e se tivessem vendido o apartamento que já tinham e em vez de juntar com o do lado comprado um com mais 1 ou 2 quartos só pagavam IMI e condomínio de uma fração e eventualmente até seria um valor menor, porque na altura o upgrade foi para ganhar 2 quartos, a sala, cozinha e um dos wcs extra nunca tiveram grande utilização.
  8.  # 10

    E porque não algo deste género.
    Concordam com este comentário: econom.pedro, CrisNunes, Jose_BM, TicMic
    Estas pessoas agradeceram este comentário: P_Lopez
      1235ç54.jpg
    • size
    • 12 abril 2022

     # 11

    Colocado por: CrisNunes

    Não percebi a sua pergunta...>


    Porque referiu que se arrependeu...porque acabou por ficar a pagar condomínio e IMI das 2 frações...

    Esta opção da junção das 2 frações, ou a suposta alternativa de procurar adquirir uma fração maior, não provoca, liminarmente, uma completa redução dos encargos.
    É que, a permilagem e os m2 de área é que servem de base à imputação dos referidos encargos.
  9.  # 12

    Colocado por: DomRelativamente ao chão, porque não investir em isolamento para ocupar os 4.5mm?
    Como é que funciona isso em termos de licenças e afins? Mesmo estando juntas, cada fração não deve ter de possuir uma cozinha?


    Sim, estamos a estudar opções para colmatar a eventualidade de ficar um "buraco" entre o pavimento e as molduras de portas, painéis, etc. Afinal estive a olhar melhor para as características do pavimento e é assim:

    Espessura: 5mm
    Camada de desgaste: 0,55mm
    Tela incorporada: EVA-C 1mm

    Portanto o total será de 6,55mm, havendo a colmatar 3,45mm.

    Agora, o isolamento que refere poderá eventualmente já existir por debaixo do actual pavimento. É uma questão a ver com o empreiteiro. Tendo em conta que ainda são uns 180m2 de pavimento, qual seria aproximadamente o orçamento da colocação de isolamento para ocupar esses 3,45mm?

    Quanto à questão das licenças (por ficarem duas fracções com apenas uma cozinha), já questionámos o empreiteiro e a empresa de administração de condomínio e essa questão não foi levantada. É possível que deixando a cozinha do T2 como "recuperável", com todas as condições em termos de fornecimento e escoamento de águas "tapadas" mas funcionais, seja suficiente.

    Tendo em conta que é propriedade privada, que implicações poderia ter? Ao nível dos seguros?

    Agradecia também, se alguém dominar o tema, aconselhamento acerca da opção pelo pavimento em vinil (em detrimento das outras alternativas) bem como acerca da eventual diferença entre a marca Svinyl e a Kahrs. Era esta a minha questão principal.


    Colocado por: CrisNunes
    Olá. Acredito que já tenham pesado bem os pós e os contras mas pela experiência de um familiar próximo que fez uma obra parecida acabou por se arrepender. Isto porque acabou por ficar a pagar condomínio e IMI de duas frações, e ao fim de uns anos quis vender e teve de voltar a gastar dinheiro a fechar tudo (a união dos apartamentos neste caso era pelos quartos e a cozinha do T2 nunca foi desmanchada). Se vendessem os dois apartamentos mais o dinheiro das obras não conseguiam comprar um maior já de origem?

    De qualquer forma se avançarem tentem que a casa fique o mais harmoniosa e funcional possível (portas iguais, pavimento igual, separação de zona social/zona privada. Quanto à localização da sala de jantar está muito afastada da cozinha. Percebo o racional da varanda e janelas e não sei que utilização dão à sala de jantar mas se for para comer diariamente não é nada prático.

    Neste caso concreto acho que vos ajudava contratarem um serviço de design de interiores para vos ajudar com o layout.


    Claro que desde o primeiro momento que sabemos que nos compete pagar o condomínio das duas fracções, tal como o IMI. Aliás, já estamos a pagar, desde a data da escritura, que foi no verão passado.

    Quanto a vender as duas fracções e comprar uma maior já de origem, na localização que pretendemos e com as características que pretendemos, não existe tipologia superior T3.

    Diz-nos o empreiteiro que o resultado final (T5 com sala de 75m2, 4 wc's, 4 varandas e 3 lugares de garagem), terá sempre um valor de mercado que nos permitirá no futuro considerar a opção de vender as duas fracções juntas e, com o valor da venda, adquirir moradia com semelhante área útil e de construção igualmente recente.

    Será uma questão de depois nos mantermos atentos ao mercado, consoante também a nossa preferência, pois neste momento preferimos residir num apartamento.

    Quanto à harmonia nos acabamentos, é total, o prédio é novo e todos os apartamentos têm exactamente os mesmos materiais. Incluindo o pavimento, mas a esse nível, como já se terá percebido, vamos substituir todo o pavimento das duas fracções, ficando tudo com pavimento igual. Apenas não iremos substituir o pavimento dos wc's, que é igual nos 4.

    Quanto à possibilidade de contratação de um serviço de design de interiores, não querendo de forma alguma soar arrogante, na realidade estamos convencidos de que temos capacidades a esse nível para tratar desse aspecto sem recurso a apoio de terceiros. Recentemente renovámos 3 apartamentos e na nossa subjectiva opinião pelo menos 90% das renovações feitas por profissionais de design de interiores ficam aquém daquilo que temos conseguido fazer.

    Como digo, é uma opinião subjectiva. Mas apoiada no nosso gosto pessoal que, no final de contas, acaba por ser o mais importante.

    Aliás, se duvidas houvessem, até neste mesmo fórum houve unanimidade por parte dos intervenientes que nos congratularam pelo resultado obtido nesta renovação:

    Antes -> https://forumdacasa.com/discussion/53682/1/renovacao-apartamento-t1-em-vilamoura/

    Depois -> https://forumdacasa.com/discussion/53682/2/renovacao-apartamento-t1-em-vilamoura/

    Além disso, nesta actual "renovação" com o propósito de juntar os dois apartamentos, temos tarefa bastante facilitada pois a renovação não é total. O principal é para manter e consideramos que (pelo menos aqui na nossa zona) estes apartamentos são dos de maior qualidade ao nível tanto do design como da qualidade de construção.

    Aproveito para deixar umas fotos de algumas zonas do apartamento (suite, wc, cozinha...), até para se ter uma melhor ideia daquilo que estamos aqui a falar. E no próximo post já respondo à sugestão do user "primavera".

    -
      3 - Suite27m2.JPG
      2 - Suite27m2.JPG
      1 - Suite27m2.JPG
  10.  # 13

    Colocado por: primaveraE porque não algo deste género.
    Concordam com este comentário:econom.pedro,CrisNunes,Jose_BM,TicMic
    Estas pessoas agradeceram este comentário:P_Lopez
      1235ç54.jpg


    Como só é possível anexar 3 fotos por post, anexo as outras 3 aqui e passo a responder à sua sugestão.

    Obrigado pela sugestão. Estudámos várias opções para concluir que a melhor é aquela que temos previsto aplicar. Não obstante, estejam à vontade para sugerir.

    Nesta sua sugestão, repare que teríamos que "destruir" a suite que aparece nas fotos. Para a trocar por um quarto que seria a sala do T2 adaptada a quarto, sem wc e a bloquear o acesso aos 2 quartos do T2. Que percebo que não estaria bloqueado o acesso pois seria feito através do local que temos destinado para despensa.

    Além disto, consigo listar as seguintes 3 desvantagens:

    1 - Tornar-se-ia mais difícil (e muito mais dispendioso) reverter para 2 apartamentos se no futuro por algum motivo se tivesse que tomar essa decisão;

    2 - O orçamento actual que temos para a obra (25-30 mil euros) aumentaria significativamente. Desde logo havia que demolir um muro enorme e levantar outro igualmente grande;

    3 - Passaríamos a ter apenas 3 wc's, perdendo-se um dos 2 grandes. Ou, vamos lá, não se perdia esse wc, mas deixava de ser uma suite para passar a ser uma despensa com wc. O que a meu ver não tem sentido nenhum, ser preciso atravessar uma despensa para aceder à maior/melhor casa de banho do apartamento.


    De todas as opções que ponderámos, aquela que chegámos a considerar foi a de juntar os dois quartos do T2 para fazer ali a "master suite", que incluiria walk-in closet e eventualmente transformação de 2 wc's num único wc de mais generosas dimensões. Porém o orçamento quase que duplicaria e aumentava a irreversibilidade da obra.

    Somos um casal com 3 filhos, daí que o T3, apesar de suficiente, estava a tornar-se muito apertado, pois não temos arrecadação nem despensa. A ideia é o casal continuar na suite das fotos (21m2), a filha mais velha (10 anos) ficar com a suite do T2 (16m2) e as duas pequenas (gémeas) de 3 anos, ficarem com o maior quarto que sobra dos outros 3 quartos (15,5m2), ou seja, aquele que aparece na planta por cima da suite do T3.

    O quarto pequeno do T3 (13,5m2) servirá de "closet" e quarto de visitas. O quarto pequeno do T2 (12,5m2) servirá de escritório.

    Temos pena de não termos podido ficar com o outro T2, que ligava melhor com o T3 em vários aspectos, mas nunca esteve para venda e o proprietário não pensa vender no curto-médio prazo.

    Consideramos que a transição de uma fracção para a outra é fluida ao nível estrutural e estético, até porque fica com exactamente a mesma amplitude que o hall de entrada do T3 (que continuará a ser o hall de entrada da casa) bem como da transição do hall de entrada para a sala.

    É um espaço de 2 metros de largura, tal como terá também 2 metros de largura a transição entre fracções. Se fosse apenas uma porta (+- 70cm) na transição entre os 2 apartamentos, não teríamos comprado pois ficaria bem foleiro.

    A certa altura também ponderámos situar a cozinha nesse local de transição entre os dois apartamentos, ficando assim a cozinha entre a sala de estar e a sala de jantar. Mas teria que ser destruída e refeita. Além de que depois também se teria que destruir a cozinha do T3, que serviria então de lavandaria e despensa/arrumos.

    Porém, aumentaria o orçamento em 10-15 mil euros e estaríamos como que a anular a cozinha do T3 que é o "coração" da casa. Mantendo ali a cozinha (até "abrindo" a porta, ao demolir parcialmente o muro adjacente à porta), a casa fica muito mais aberta e com uma sensação de mais amplitude. Infelizmente a cozinha não é muito grande (12m2), mas servirá apenas como cozinha, pois teremos sala de jantar com zona de café/chá, lavatório, cave de vinhos e arca vertical.

    Estamos também a ponderar colocar uma segunda máquina de lavar loiça na cozinha, onde agora está a máquina de lavar roupa, passando depois então a máquina de lavar roupa para a despensa no T2.

    Sinceramente e depois de ponderarmos muito, parece-nos que esta é a melhor opção tanto do ponto de vista do orçamento, como do ponto de vista da "praticalidade" e harmonia estética.

    Penso que está tudo explicado. Consoante formos avançando irei deixando aqui notícias e pedirei opiniões. Neste momento as opiniões que precisamos é ao nível do pavimento.

    -
      8 - Cozinha.JPG
      7 - Cozinha.JPG
      9 - Varanda13m2.JPG
  11.  # 14

    Colocado por: P_LopezMas o dono desse T2 não o quer vender, já estamos à espera há 8 anos


    E propor uma permuta com o outro apartamento (e, quem sabe, pagar mais algum)?
    Concordam com este comentário: Dom
    Estas pessoas agradeceram este comentário: P_Lopez
  12.  # 15

    -Eu tentava recuperar esse pavimento se for de madeira maciça
    seja como for, ter de encher um pavimento para colocar um mais fino nunca é probema; o contrário é que seria difícil.
    -Atenção que na demolição de paredes vão descobrir desníveis no chão entre os dois lados (ou é tudo gesso cartonado?) E sses desníveis nem smepre são fáceis de fazer.
    -Seria interessante perceber precedentes da atuação de seguradoras em caso de incêndio no prédio, havendo uma junção de frações não declarada. As seguradoras são do piorio.

    É o que me lembro por ora.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: P_Lopez
  13.  # 16

    Colocado por: Caravelle

    E propor uma permuta com o outro apartamento (e, quem sabe, pagar mais algum)?
    Estas pessoas agradeceram este comentário:P_Lopez


    Sim, teria que pagar mais algum, o outro tem mais 2 ou 3m2 de área útil interior e mais 4m2 de varanda. Além disso sei que o apartamento está "ao jeito" do proprietário, pois quando o comprou há 10 anos (quando o edifício foi construído), este foi o único proprietário que pediu pavimento de cor diferente (cinzento) e de melhor qualidade.

    Não o estou a ver interessado em trocar por outro que é ligeiramente mais pequeno e sem pavimento ao seu gosto. Até podia interessar-se por encaixar alguns euros (eu pagaria 20-25 mil euros pela permuta), mas o homem é emigrante na Suiça e tem o apartamento só para cá vir 2 ou 3 vezes por ano (raramente está cá) e pelos carros que costuma trazer de certeza que não está necessitado de dinheiro.

    Além disso este T2 que eu comprei, está em muito pior estado, particularmente ao nível do pavimento (muito desgasta e zonas "negras" de humidade) e da pintura. A mim não me preocupa, pois já ia na mesma trocar todo o pavimento e pintar, agora o outro vizinho, o emigrante, tem de certeza o seu apartamento como novo, pois em média é usado 2 meses por ano.

    -
  14.  # 17

    Colocado por: nunogouveia-Eu tentava recuperar esse pavimento se for de madeira maciça
    seja como for, ter de encher um pavimento para colocar um mais fino nunca é probema; o contrário é que seria difícil.
    -Atenção que na demolição de paredes vão descobrir desníveis no chão entre os dois lados (ou é tudo gesso cartonado?) E sses desníveis nem smepre são fáceis de fazer.
    -Seria interessante perceber precedentes da atuação de seguradoras em caso de incêndio no prédio, havendo uma junção de frações não declarada. As seguradoras são do piorio.

    É o que me lembro por ora.
    Estas pessoas agradeceram este comentário:P_Lopez


    Muito obrigado!

    - Não é madeira maciça, longe disso, é um flutuante de má qualidade, pelo menos em termos de ficar marcado todo e qualquer impacto e em zona em que junta com cerâmica tende a ficar negro e passagens de ligeira humidade. Ainda assim, deve dar para o retirar intacto e 80% das peças estão como novas. Talvez tente encontrar comprador para isto, nem que seja a 2 ou 3 euros o metro quadrado. Além disso não é opção manter o pavimento pois no local onde os dois apartamentos ligam o T2 é cozinha com cerâmica no chão e já não conseguiríamos nunca encontrar pavimento igual a este à venda para preencher esses m2.

    - Sim, haverão desníveis, mas os apartamentos só ligam numa largura de 2 metros, pode ser que no chão esteja praticamente nivelado. Estamos com mais dúvidas é ao nível do tecto falso, pois dificilmente estará exactamente ao mesmo nível em ambos os apartamentos.

    - De todas as pessoas com quem falámos acerca de juntar os dois apartamentos, incluindo o dono da empresa de condomínio, que é engenheiro e está sempre bem informado de todas essas questões com os seguros, ninguém se lembrou dessa questão. Penso que não haverá qualquer problema, mas como bem dizes as seguradoras pegam em tudo...

    E opiniões sobre o pavimento em vinil?

    Podemos confiar na marca Svinyl? Ou vale a pena considerar a marca Kahrs tendo em conta que fica por 40 eur/m2 em vez de 25 eur/m2?

    -
  15.  # 18

    Acho que os vinílicos dependem mais da camada de desgaste do que da marca propriamente. Seria fixe ter algo acima dos 0,4mm.
    Além diso há que ver a qualidade do estampado: efeito da repetição de padrões, e, o caso das madeiras, com ou sem gravação da textura , com ou sem biselado (eu prefiro sem)...se cada prancha represneta uma só tábua ou tem desneho de juntas incorporado (não gosto dessas)...

    As marcas mais conhecidas são a Forbo, a Tarket e a Gerflor, se bem me lembro.
    Os desníveis entre pavimentos ocorrem mesmo na demolição de paredes interiores. Como o enchimento final é feito após o assentamento dos tijolos, em zonas afastadas de portas podem ter desníveis de 1cm, facilmente.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: P_Lopez
  16.  # 19

    Obrigado pelas dicas e conselhos.

    Sim, tem camada de desgaste de 0,55mm.

    A marca SVinyl é tipo marca "branca" da empresa Jular. Cumpre com tudo o que é importante e um pouco mais, mas a Kahrs e essas outras que referes serão sempre melhores, pois acrescentam "extras".

    Mas é a diferença entre 25€/m2 ou 40€/m2. E, principalmente, ao nível estético estamos muito mais inclinados para o Juno da SVinyl. Ainda se fosse ao contrário, gostássemos mais do mais caro, isso e o facto de ser de melhor qualidade, daria para fazer o esforço e ir para a opção mais cara.

    Deixo em anexo fotos. Uma do Juno com as características técnicas (não sei se dá para ler) e outra com os 3 modelos que preferimos e estamos a tentar decidir. Juno da Svinyl e Whinfell e Taiga da Kahrs.

    E o que nos continua a deixar na dúvida é a diferença da espessura do actual (10mm) e a do que vamos instalar (5,5mm). Ainda são 4,5mm de diferença. Em zona da casa como a que se vê na outra foto em anexo, o rodapé (que vai ser substituído), encostará ao pavimento, pelo que depois ficam 4,5mm de diferença para o painel de madeira que está ali ao lado.

    Isto acontece um pouco por toda a casa, junto a estes painéis de madeira e nas "molduras" das portas.

    Preencher por debaixo com algum tipo de enchimento, é coisa para que valor por m2 aproximadamente?

    Preencher com isolamento não é possível, disse-me hoje o vendedor. Diz que nestes de vinil não dá. Ou até pode dar, mas não convém por causa de alguma coisa que não percebi.

    Também aceito opiniões sobre as 3 peças. Qual escolheriam?

    -
  17.  # 20

    As fotos que me esqueci de deixar em anexo.

    Vejam ali, ficará o rodapé meio centímetro abaixo do painel. Isto acontecerá um pouco por toda a casa, talvez em 30-40 locais.

    -
      IMG-5245.jpg
      IMG-5250.jpg
      IMG-5242.jpg
 
0.0264 seg. NEW