Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Se calhar este assunto já foi debatido pelo que peço desculpa se existir duplicação do tema.
    Pelo que percebi um motor elétrico leva menos componentes, fica mais barato e o motor é bem menos complexo que um motor de combustão.
    Tanto assim é que empresas que se dedicam ao fabrico de outros produtos querem-se meter nesta área; por exemplo a Huawei já apresentou o seu primeiro modelo automóvel.
    Então porque razão fica o carro muito mais caro que o mesmo modelo em combustão.
  2.  # 2

    um dos motivos é falta de escala.

    outro é que as baterias são mesmo caras.
  3.  # 3

    E ao que parece Portugal tem lítio que nunca mais acaba para as baterias mas não se pode extrair por causa do ambiente.
    Se tivessemos petroleo ou gás também não devíamos poder extrair... assim não passamos da cepa torta
    Concordam com este comentário: PauloJSantos, mafgod
  4.  # 4

    Colocado por: pauloagsantosoutro é que as baterias são mesmo caras.
    E se pensarmos para quantos anos duram com uma autonomia de jeito, ainda mais caras nos parecem.
  5.  # 5

    Colocado por: scorpionsEntão porque razão fica o carro muito mais caro que o mesmo modelo em combustão.
    Parte de uma premissa errada, está a comparar o motor de um carro de combustão (por norma a peça mais cara) com o motor elétrico de um carro elétrico (que nãi é a peça mais cara).
    A nível de preços deveria estar a comparar o preço de um motor de combustão com o preço de uma bateria para um veículo elétrico.
    O preço das baterias tem vindo a descer nos últimos anos, se verificar, há-de constatar que o preço de um veículo elétrico nos últimos anos tem-se mantido mais ou menos ao mesmo preço mas a capacidade da bateria tem aumentado.
    Em 2011/12, o Leaf24 custava uns 35.000€ com bateria de 24kWh e quase 150km de autonomia.... hoje, quase pelo mesmo preço, compra um Leaf60 com mais de 350km de autonomia.
    As baterias são geralmente caras, se for à procura de baterias para acumulação com painéis solares, verá que são bem caras, e também tem vindo a baixar.
    Bem, vinham a baixar até à pouco tempo... veremos a tendência daqui a uns meses.

    Sobre o serem caros.... há preços para todos os gostos e carteiras.
    É certo que não compra um elétrico novo por 10.000€, mas já pode, assim haja entregas, na casa dos 15.000€ (deduzindo o apoio - Dacia Spring).
    E há usados para todos as carteiras, que tem também vindo a aumentar de preço.
    É como tenho sempre dito, fazer as contas.
    Um de combustão até pode custar menos 5 ou 10.000€ que um "equivalente" elétrico, mas se fizer muitos kms e podendo carregar em casa, esta diferença ao fim de poucos anos será anulda.
    É como antigamente se dizia, se fizer mais de 100.000km vá para um diesel, caso contrário um a gasolina (na altura um diesel praticamente igual ao gasolina custava em média mais mil contos, 5.000€, numa altura em que o combustivel custava cerca de 25% dos preços de agora).
    Agora, o que eu digo é, e podendo carregar em casa, "por cada 100.000km de elétrico irá deixar de gastar cerca de 10.000€ com um carro a combustão".

    Sobre a vida útil das baterias, para os veículos mais recentes, últimos 3 a 5 anos, é um não assunto.

    Se estiver numa de procura de carro novo, diga o que tem em mente, tanto o de combustão como eventualmente o elétrico e as suas necessidades e condições de carregar em casa.
    Podemos fazer um estudo de caso :-) e tentar chegar a alguma conclusão.
    Concordam com este comentário: scorpions
  6.  # 6

    Colocado por: mafgod"por cada 100.000km de elétrico irá deixar de gastar cerca de 10.000€ com um carro a combustão".




    Colocado por: mafgodSobre a vida útil das baterias, para os veículos mais recentes, últimos 3 a 5 anos, é um não assunto.
    Como assim. Estas últimas baterias garantem 400000 km, como os que tenho feitos agora no meu carro a combustão? É que eu mantenho este carro porque não tenho dinheiro para outro, e ele lá vai andando. Um elétrico, digamos o Dacia Spring que falou, consegue assegurar os 400.000 km com uma autonomia semelhante à que anunciam em novo?

    Quanto ao preço do carregamento, por ora o elétrico é de facto mais barato, mas deixem que os elétricos atinjam uma cota de 30-40 % do mercado, e vão ver que de uma maneira ou de otra, vão ter de começar a pagar os impostos que o estado vai agora buscar aos combustíveis fósseis. Ou alguém acredita mesmo, que o estado ia abdicar desse valor? Se não o pagam ao carregar, vão pagar um x por cada km percorrido, ou outra taxa inventada para o efeito.
    Concordam com este comentário: djouze, pkasa
  7.  # 7

    Colocado por: HAL_9000
    Como assim. Estas últimas baterias garantem 400000 km, como os que tenho feitos agora no meu carro a combustão? É que eu mantenho este carro porque não tenho dinheiro para outro, e ele lá vai andando. Um elétrico, digamos o Dacia Spring que falou, consegue assegurar os 400.000 km com uma autonomia semelhante à que anunciam em novo?

    Quanto ao preço do carregamento, por ora o elétrico é de facto mais barato, mas deixem que os elétricos atinjam uma cota de 30-40 % do mercado, e vão ver que de uma maneira ou de otra, vão ter de começar a pagar os impostos que o estado vai agora buscar aos combustíveis fósseis. Ou alguém acredita mesmo, que o estado ia abdicar desse valor? Se não o pagam ao carregar, vão pagar um x por cada km percorrido, ou outra taxa inventada para o efeito.
    Concordam com este comentário:djouze,pkasa


    O Dacia é demasiado recente para comentar, mas pro exemplo o Hyundai Ionic já vi por aí imagens de carros com quase 300000km e a autonomia praticamente igual à de um novo.
    Quando a impostos, certamente que mais cedo ou mais tarde vamos ter alguma coisa equivalente ao imposto de circulação. Mas na eletricidade em si, aquela que usamos em casa, não há comparação possível com o abastecimento de combustíveis fósseis. Mexer na eletricidade doméstica é um travão brutal na economia do país, como temos visto com esta crise.
    Já o carregamento na rede pública, pois essa já não é propriamente barata no nosso modelo.
  8.  # 8

    Colocado por: scorpions(...)
    Então porque razão fica o carro muito mais caro que o mesmo modelo em combustão.

    Eu vejo a coisa de uma forma muito simples:

    Os carros eléctricos são caros, porque mesmo esses são todos vendidos antes de serem produzidos (embora actualmente isto seja verdade para quase todos os veículos, eléctricos ou não).

    O próprio Elon Musk já admitiu que enquanto tiverem o nível de procura actual nos modelos que comercializam agora, não vão pensar em modelos mais baratos. Qualquer gestor tomaria a mesma decisão, creio...

    A nós (portugueses) custa-nos muito (porque ganhamos mal), mas é o que temos...
    Concordam com este comentário: HAL_9000
  9.  # 9

    Fiz a pergunta por curiosidade.
    Porque razão um Kauai a gasolina custa 25.000 e um elétrico 50.000, não me parece lógico nem acessível inserido numa política de neutralização da emissão de carbono.
    A explicação se calhar reside no preço das baterias como refere Mafgod.
    Mas a produção de eletricidade e a exploração do minério necessário para as baterias, tem também custos ambientais.
    Mas alguma coisa tem de ser feita para travar o aquecimento global.
    A Porsche está a desenvolver um combustível sintético, que usa hidrogénio e carbono retirado da atmosfera.
    Para ser verdadeiramente ecológico a eletricidade usada para a produção de hidrogénio tem de provir de energias renováveis.
    O problema persiste, onde ou como se vai produzir eletricidade sem prejudicar o ambiente.
    Neste momento penso que a melhor alternativa seria a construção de centrais nucleares, sei que têm má fama, mas são muito mais evoluídas que aquelas construídas em 1985(Chernobyl), muita mais seguras, com capacidade de gerar mais energia e mais sustentáveis para a produção de eletricidade comparando com as barragens ou com a queima de carvão.
    Penso também que é urgente haver uma política de energia para o país de forma a sermos mais independentes.
    Com a guerra na Ucrânia e o aumento do custo dos combustíveis isto é cada vez mais importante.
    Peço desculpa, se calhar desviei-me um pouco do tópico.
  10.  # 10

    Sobre o kauai....

    - kauai 1.0 120CV gasolina, 6L/100km PVP 22.256€
    - kauai 1.6HDI HEV 105CV, gasolina 5L/100km PVP 29.330€
    - kauai 40kWh 136CV, elétrico PVP 37.255€
    - kauai 60kWh 204CV, elétrico PVP 42.155€
    PVP. preços sem financiamento...

    A diferença entre o mais barato ICE e o mais barato BVE são 15.000€ (11.000€ se entrarmos com o apoio do estado).
    A preços de agora, e segundo aqui, a gasolina mais barata é a 95 em Vilar Formoso por 1,729€/L
    Portanto, os 15.000€ de diferença (admitindo que não consegue o apoio), são 8,675L, ou seja dará para 144.500Km (ou 100.000km se conseguir o apoio).
    São muitos kms...
    Em modo elétrico, e podendo carregar em casa, admitamos uns 2€/100km. Iria gastar em eletricidade para os 144.500km cerca de 2.900€.
    Se fizer 20.000km/ano (cerca de 380km por semana), em 7 anos (ou 5 anos com apoio) a diferença a mais do elétrico vai-se com a poupança somente em combustível.
    Admitamos as manutenções iguais, o que irá pagar de eletricidade, dá uma média de 400€/ano (em 7 anos) ou 580€/ano será para compensar o IUC do ICE (não contabilizado).
    Sobre as baterias, 7 anos ou 150.000km dão um bom descanso....
    É fazer as contas :-)

    Seja como for, apesar de o exterior ser igual/parecido, o modo de condução e tudo o resto é diferente.
    Um mesmo carro na versão a gasolina não é a mesma coisa que a versão a diesel e os preços também são diferentes.

    Resumindo, sim, as versões elétricas são mais caras que as versões a combustível fóssil... mas, pode compensar a médio/longo prazo.

    As razões, são inúmeras:
    - muitas companhias automóveis ainda estão a entrar na mobilidade elétrica portanto há mais investimento e a começar praticamente do zero
    - um VE não é apenas um motor elétrico e uma bateria, ao contrário de um ICE, um novo modelo é mais do mesmo...
    - a rentabilidade após venda de um carro vai cair a pique (menos necessidade de manutenções/reparações)
    - a produção das baterias apesar de grandes avanços ainda não atingiu o ponto
    - lei da oferta e da procura
    Concordam com este comentário: scorpions
  11.  # 11

    Colocado por: scorpionsPenso também que é urgente haver uma política de energia para o país de forma a sermos mais independentes.
    Cabe a nós cidadãos estarmos atentos e se podermos contribuir.
    Até à pouco tempo, o estado devolvia até 2.500€ a quem colocasse painéis solares.
    Quem colocou, já está a contribuir de algum modo na redução da dependência energética do país e principalmente da sua.
    Coloquei no ano passado e consegui esse apoio... ficou por menos de 5000€, 3,92kWp em painéis e 8,4kWh de baterias.
    Resultado, havendo sol, consigo ser independente da rede quase a 100% e carrego os meus dois VEs.

    O estado também apoia com 4.000€ na compra de um VE novo para pariculares.
    São poucos os que conseguem mas há.
    Em 2018, quando comprei o meu, o apoio foi apenas de 2.750€.
    Se bem que, a comprar VE, o melhor é semi-novos, poucos meses e poucos kms onde se poupa bem mais que o apoio...

    O estado podia fazer mais?
    Claro! E melhor! Olha o caso dos carregamentos públicos onde temos a mobi-e e as regras que são impostas onde limitam a livre concorrência!!!
    Mas todos nós também o podemos fazer individualmente.
    É como a reciclagem, se não começarmos em casa...
    Concordam com este comentário: scorpions
  12.  # 12

    Colocado por: mafgodO estado também apoia com 4.000€ na compra de um VE novo para pariculares.
    Na Alemanha, um país com um poder de compra incomparavelmente superior ao nosso, o estado apoia com 9.000€. Isso sim mostra compromisso em querer fazer a transição para mobilidade elétrica.

    Por cá o estado faz de conta que apoia a transição, dando 4.000 (até pensava que eram 3.000) e sobretudo subindo impostos sobre tudo que é combustível fóssil, e as pessoas fazem de conta que estão comprometidas com essa transição. Quem tem poder de compra ate vai comprando uns VE, agora quem se endivida para comprar um veiculo a combustão por 15K, acham que tem muita vontade de se endividar pelo dobro do valor para adquirir um VE?

    Eu também gostava de fazer a transição, mas enquanto se mantiverem estes preços, vou mantendo a minha charranca. Não invisto num carro a combustão, mas tb ainda não posso investir num elétrico.
    Concordam com este comentário: scorpions
  13.  # 13

    Outra questão pertinente depois de ler este tópico... Se tivessem que comprar um carro agora compravam um Híbrido, eléctrico ou esperavam pelo hidrogénio. Eu já venho a dizer (do pouco que percebo nesta área) que não me acredito que o VE seja a resposta para o problema dos combustíveis fósseis. Tenho dito que na minha opinião o hidrogénio sempre foi a solução e penso que vai ser a solução a curto /longo prazo. A Toyota já se lançou neste segmento.
    Eu respondendo a minha questão, se tivesse que adquiri uma viatura, esperava mais um pouco e ia para o hidrogénio. Não acredito que os VE sejam a resposta muito por culpa das baterias
  14.  # 14

    Colocado por: RuipsmEu respondendo a minha questão, se tivesse que adquiri uma viatura, esperava
    É isto. esperava mais um par de anos a ver no que vai dar.
  15.  # 15

    Colocado por: HAL_9000É isto. esperava mais um par de anos a ver no que vai dar.


    Claro que também depende da urgência que teríamos em trocar de carro... Híbrido não me convence, até posso estar enganado mas não me convence. Até porque se fosse urgente ia para o híbrido pois é uma tecnologia que existe a muitos anos já na estrada mas tenho mesmo muitas dúvidas e e penso que esperava pelo hidrogénio
  16.  # 16

    Colocado por: RuipsmOutra questão pertinente depois de ler este tópico... Se tivessem que comprar um carro agora compravam um Híbrido, eléctrico ou esperavam pelo hidrogénio. Eu já venho a dizer (do pouco que percebo nesta área) que não me acredito que o VE seja a resposta para o problema dos combustíveis fósseis. Tenho dito que na minha opinião o hidrogénio sempre foi a solução e penso que vai ser a solução a curto /longo prazo. A Toyota já se lançou neste segmento.
    Eu respondendo a minha questão, se tivesse que adquiri uma viatura, esperava mais um pouco e ia para o hidrogénio. Não acredito que os VE sejam a resposta muito por culpa das baterias


    Hidrogénio para veículos ligeiros dificilmente vejo a vingar. Existiram alguns claro, mas não creio que seja a maioria. Há demasiadas condicionantes, como a quantidade de energia desperdiçada para produzir hidrogénio face à alternativa de baterias e a durabilidade dos depósitos de hidrogénio. Isto para não falar que manter a dependência de estações de abastecimento significa que aí sim estamos completamente sujeitos aos impostos sobre o hidrogénio.
  17.  # 17

    Mais vale aguentar mais 10 anos.
  18.  # 18

    Colocado por: RuipsmOutra questão pertinente depois de ler este tópico... Se tivessem que comprar um carro agora compravam um Híbrido, eléctrico ou esperavam pelo hidrogénio. Eu já venho a dizer (do pouco que percebo nesta área) que não me acredito que o VE seja a resposta para o problema dos combustíveis fósseis. Tenho dito que na minha opinião o hidrogénio sempre foi a solução e penso que vai ser a solução a curto /longo prazo. A Toyota já se lançou neste segmento.
    Eu respondendo a minha questão, se tivesse que adquiri uma viatura, esperava mais um pouco e ia para o hidrogénio. Não acredito que os VE sejam a resposta muito por culpa das baterias

    Não vou tocar no tema do hidrogénio, que isso é assunto já muito "mastigado" por cá (mas discordo fortemente!)...

    Já há muitos modelos plugin hybrid, pode sempre optar por um deles. Não sei pormenores de autonomias e afins, mas creio que praticamente todos os grupos de construtores já têm modelos desse género na sua oferta. Mesmo os (bons) híbridos já apresentam uma poupança muito boa face a um carro a combustão normal.

    Para mim, até poder comprar um Tesla, seria o que faria. Híbrido Toyota -> Híbrido Plugin (um qualquer, com boa autonomia eléctrica) -> Tesla (Model Y em princípio)
  19.  # 19

    Colocado por: ruicarlovaí sim estamos completamente sujeitos aos impostos sobre o hidrogénio
    Esqueça, vai pagar o imposto na mesma. Se não for imposto sobre o combustível, é imposto de circulação agravado, imposto por cada Km percorrido, imposto mobilidade, ou qualquer outro nome que lhe queiram dar. Uma coisa tenho a certeza, a fonte de receita dos combustíveis, vai ser transferida para outra taxa qualquer.
  20.  # 20

    Colocado por: RuipsmTenho dito que na minha opinião o hidrogénio sempre foi a solução e penso que vai ser a solução a curto /longo prazo. A Toyota já se lançou neste segmento.
    Tanto que agora vai lançar o bz4x, veículo 100% elétrico com garantia da bateria de 10 anos ou 1milhão de kms ..

    Sobre a lengalenga dos impostos, é como tuo o resto, vivemos em sociedade, há que pagar impostos, são mal empregues vota-se para mudar.
    Concordam com este comentário: jorgemlflorencio
 
0.0249 seg. NEW