Iniciar sessão ou registar-se
    • Fmpc
    • 13 julho 2022

     # 1

    Boa noite.
    Pretendo unir o apartamento que comprei por cima do meu com umas escadas em U para as quais terei de fazer uma abertura de 260cmX120cm na laje e possivelmente reforçar com uma viga pois necessito de apoio para a fixação da escada na laje (e mais vale a mais do que a menos). A laje é em betão armado e as paredes em tijolo e cimento. A zona da escada será na sala, que é comprida,
    mas tem uma zona separada por "meias paredes" que é ideal para o projeto. Pretendemos um projeto de alteração de estruturas e respetivo termo de responsabilidade para apresentar na Câmara a ver se passa. Deixo imagens a ilustrar a situação.
    Alguém conhece um engenheiro na zona de Oeiras que faça este tipo de projetos?
    Desde já obrigado por toda a ajuda.
    • Fmpc
    • 13 julho 2022 editado

     # 2

    Aqui está a imagem
      Screenshot_20220712-234726_Gallery.jpg
  1.  # 3

    Independentemente de ter alguém que assine a estrutura, acho difícil a câmara aprovar a união de 2 frações independentes.
    Alguns fazem isso, mas é pela "porta do cavalo".
  2.  # 4

    Duvido muito que consiga fazer essa abertura na laje, mas nenhum engenheiro calcula isso sem o projeto de estabilidade do prédio, já o tem?
  3.  # 5

    nunca trabalhei com eles mas são proximos da minha zona em Oeiras Projeto 1.1, dá para ver o site e contatos na net.
  4.  # 6

    E precisa também de um arquiteto.
  5.  # 7

    Mas legalmente é possível abrir laje entre 2 frações independentes? Nem abrir panos de tijolo a unir 2 apartamentos no mesmo piso é legal e não mexe em estruturas.
  6.  # 8

    Colocado por: VarejoteMas legalmente é possível abrir laje entre 2 frações independentes?

    Não conheço nenhuma lei que o proíba.

    Colocado por: VarejoteNem abrir panos de tijolo a unir 2 apartamentos no mesmo piso é legal

    Onde é que isso está escrito?
  7.  # 9

    Abrir no mesmo piso pano de tijolo, não tem problema pelo que vejo, mexendo em estrutura é que já carece de licenciamento.
  8.  # 10

    E sendo alteração estrutural precisa de relatório de vulnerabilidade sísmica do edifício inteiro atualmente e eventuais reforços em todo o edifício, seguindo a legislação em vigor
  9.  # 11

    Ricardo

    confirma-se que hoje em dia mesmo numa remodelação interior é sempre preciso um TR sobre a estrutura do edificio??
  10.  # 12

    Se o técnico se atravessar a dizer que não altera o comportamento do edifício não..

    "sempre que se verifique uma das seguintes condições: haja sinais evidentes de degradação da estrutura do edifício; as intervenções alterem o comportamento estrutural do edifício; a área intervencionada, incluindo demolições e ampliações, seja superior a 25% da área bruta de construção do edifício; o custo de construção (intervenção) exceda 25% do custo de construção nova de edifício equivalente."
    • Fmpc
    • 13 julho 2022

     # 13

    Colocado por: PickaxeDuvido muito que consiga fazer essa abertura na laje, mas nenhum engenheiro calcula isso sem o projeto de estabilidade do prédio, já o tem?


    Olá! Não foi solicitado, só o projeto de alteração de estruturas e termo de responsabilidade. Já falámos com engenheiros da Câmara que dizem ser viável a abertura pois a estrutura do prédio suporta bem essa obra.
    • Fmpc
    • 13 julho 2022

     # 14

    Colocado por: PickaxeE precisa também de um arquiteto.


    Para que parte da obra preciso de arquiteto?
    • Fmpc
    • 13 julho 2022 editado

     # 15

    Colocado por: RicardoPortoE sendo alteração estrutural precisa de relatório de vulnerabilidade sísmica do edifício inteiro atualmente e eventuais reforços em todo o edifício, seguindo a legislação em vigor


    Esse relatório não foi pedido, também achei que seria. No entanto tendo em conta a idade do prédio duvido que passe se o fizerem segundo as normas e legislação atual, que foi alterada em 2019, simplesmente porque não está construido de acordo com as normas atuais que são feitas para as construções mais recentes, o prédio é da decada de 50 ou 60. Fazer reforço estrutual do prédio todo está fora de questão por duas razões:
    1a: investimento brutal
    2a: o prédio está totalmente habitado e esse é um tipo de obra que se faz com o prédio vazio segundo sei, pk implica abrir rossos em todas as fracções.
    • Fmpc
    • 13 julho 2022

     # 16

    Colocado por: RicardoPortoSe o técnico se atravessar a dizer que não altera o comportamento do edifício não..

    "sempre que se verifique uma das seguintes condições: haja sinais evidentes de degradação da estrutura do edifício; as intervenções alterem o comportamento estrutural do edifício; a área intervencionada, incluindo demolições e ampliações, seja superior a 25% da área bruta de construção do edifício; o custo de construção (intervenção) exceda 25% do custo de construção nova de edifício equivalente."


    Nenhuma dessas condições para inviabilizar ou comprometer a estabilidade se verifica.
    A divisão em questão terá á volta de 7m de comprimento por 2.60m de largura, e a dimensão do buraco irá tirar apenas 1.20m de comprimento na parte da sala que tem 2 "mini paredes" a servir de divisória, como ilustra a imagem que anexei.
  11.  # 17

    Para fazer isso, está a alterar a descrição da propriedade horizontal, logo terá de ter o acordo de todos os vizinhos.

    Sem isso, ficam ainda com o seguro do prédio em risco : se houver um incêndio nesssas frações, a seguradora vai logo alegar que as alterações alteraram as condições do seguro...Mas posso estar a ser pessimista.
    Concordam com este comentário: htavares73
  12.  # 18

    Se fosse em Lisboa concordava e reforçava o que o nunogouveia diz...em Oeiras não sei como estão as coisas com a Câmara. Em Lisboa tal obra nunca passaria da estaca zero por mil motivos diferentes.

    Seja quem for o engenheiro que escolha, certifique-se que é uma pessoa próxima da CMO ;)
  13.  # 19

    Colocado por: nunogouveiaPara fazer isso, está a alterar a descrição da propriedade horizontal,

    Quanto a isso tenho muitas dúvidas, não me parece que a existência de uma porta entre duas frações altere a PH.
    Imagine que mora no apartamento ao lado dos seus pais, já idosos, que vivem sozinhos, e pretende uma porta entre os apartamentos, para não ter que passar pelo espaço comum do prédio, acha que isso altera a PH?

    Dei o exemplo da porta, o facto de ser uma escada não me parece que faça diferença.
  14.  # 20

    Colocado por: Pickaxe
    Quanto a isso tenho muitas dúvidas, não me parece que a existência de uma porta entre duas frações altere a PH.
    Imagine que mora no apartamento ao lado dos seus pais, já idosos, que vivem sozinhos, e pretende uma porta entre os apartamentos, para não ter que passar pelo espaço comum do prédio, acha que isso altera a PH?


    Para ser legal? Praticamente a certeza que precisa de alterar a PH, sem falar em submeter projectos de alteração etc etc. O facto de serem ou não os seus pais e precisarem ou não de apoio nada muda. O que nunca impediu ninguém de abrir ditas portas, felizmente.

    Dou-lhe um exemplo prático neste género: Os meus pais são donos de dois imóveis, um com logradouro e outro confinante desse logradouro. A parede do segundo faz de muro ao primeiro. Há uns anos reabilitaram esta última casa e queriam abrir uma janela para o logradouro que também é deles. Podiam? Não podiam, o RGEU não permite abrir uma janela para a propriedade vizinha. Resultado? Fez-se a obra, conseguiu-se a licença, abriu-se a janela mais tarde.
    Concordam com este comentário: htavares73
 
0.0229 seg. NEW