Iniciar sessão ou registar-se
    • AMG1
    • 21 novembro 2022

     # 221

    Colocado por: ricardo.rodrigues

    ... nesse caso... aqueles que estão à espera que os preços descambem, também vão sentir (e bem) a recessão, e depois já não estarão compradores...


    Claro que sim era o tal "pessimos para todos", que transcreveu.
    Mas não há so 8 ou 88, quase nada é assim.
    Eu nao tenho informação suficiente para formar uma opinião, mas parece-me que estamos perante um aquecimento demasiado acelarado para que nao haja algum ajuste sobretudo se isso se começar também a verificar na maioria dos factores de produção.
    Querer ignorar isto parece-me a mesma coisa daqueles que estão a espera de comprar casas ao preço da uva mijona.
    Depois nem todos os compradores precisam de crédito e ate pode haver aqueles que a este nivel de preço nao estão compradores mas que até se podem tornar compradores, se os preços se tornarem suficientemente atrativos.
  1.  # 222

    Colocado por: joaopiresxrebenta não rebenta ...tic tac


    Em vias de rebentar desde 2016....

    Por mim já deveria ter rebentado, seria uma oportunidade de investimento futuro. Mas cheira-me que muitos dos aumentos (principalmente em zonas mais caras) foi devido á procura e essas não vão baixar facilmente.
  2.  # 223

    É quase certo que vai haver recessão. Eu estou confiante que se vai notar com um abaixamento dos preços da construção (nem que seja com construtores mais patos bravos). Já o preço das casas construídas... Para baixar a preços, digamos de 2020, teria que ser uma recessão mesmo profunda.
    • eu
    • 21 novembro 2022

     # 224

    Colocado por: zepedro1972Já li em várias publicações que em 2023 não vai haver grandes ajustes de preços


    Todos os stakeholders do setor dizem sempre que não vão existir ajustes. Sempre!

    A eles não lhes interessa que os potenciais compradores adiem a compra; eles precisam de convencer os potenciais clientes a comprar já e comprar caro.
    • RCF
    • 21 novembro 2022

     # 225

    Colocado por: euA eles não lhes interessa que os potenciais compradores adiem a compra; eles precisam de convencer os potenciais clientes a comprar já e comprar caro, porque a seguir pode ser ainda mais caro.
    Concordam com este comentário: eu
    • eu
    • 21 novembro 2022 editado

     # 226

    Exatamente, caro RCF.

    É mesmo essa a melhor forma de convencer os patos clientes.

    O problema, é que a tática tem funcionado.
    Concordam com este comentário: AMG1
    • AMG1
    • 21 novembro 2022

     # 227

    Colocado por: RCF
    Concordam com este comentário:eu


    No suplemento de economia do expresso desta semana tambem estao um conjunto de afirmações neste sentido, mas compreensivelmente proferidas por mediadores imobiliarios.
    Ja nao sei se de repetirem tanho
    oesmo argumento, não passaram a acreditar nele.
  3.  # 228

    Colocado por: RCF
    Por menos de 200K...?


    Comprei um T1 em 2009 por 100k em Lisboa-cidade. Em 2022 não dou mais que valorização de 100% comparado a 2009 (daí explicado o meu límite de 200k€).

    Como o apartamento é para alugar e não percebo quem pode pagar 800€/1000€/1200€ de renda de um T1 com os nossos salarios, quero comprar a um valor que me sinta confiante em alugar (ou seja, mais baixo). Se o mercado não está para aí virado, paciencia, não compro..
  4.  # 229

    Colocado por: AMG1No suplemento de economia do expresso desta semana tambem estao um conjunto de afirmações neste sentido, mas compreensivelmente proferidas por mediadores imobiliarios.
    Ja nao sei se de repetirem tanho
    oesmo argumento, não passaram a acreditar nele.


    Interessante ponto de vista.
    Por vezes acho precisamente o mesmo sobre este fórum.
    Tanta boa gente que acredita que vai tudo ao charco e que está aí a BlackFriday das casas... Que de tanta contração à espera que chegue o dia, a coisa pára mesmo. O ser humano é espetacular :)

    E não é só sobre a bolha, é a opinião sobre os promotores "especuladores", os empreiteiros, os projectistas, os fornecedores, sobre determinados produtos e opções construtivas... Há o efeito "rebanho" em quase tudo, que de tantos acharem a mesma coisa, passa a ser essa a "norma", o modo "sensato" de fazer... que chega a um ponto que alguns menos éticos perante isto pensam: "já que tenho a fama e já, que se lixe, siga pa bingo"... e vai "facada". E não se sai deste "nós contra eles".
  5.  # 230

    Colocado por: N Miguel Oliveira

    Tanta boa gente que acredita que vai tudo ao charco e que está aí a BlackFriday das casas...


    Eu acredito em rácios de rendimento vs taxa esforço (para endividamento ou pagar renda). A realidade actual vai contra todo o meu senso comun. Mas não sou economista.
  6.  # 231

    O que não faltam são baixas de preços , quem andar a seguir sites de vendas há algum tempo vê facilmente uma correção a acontecer, muitos dos users aqui acham é que isso seria algo de cair 40% de um dia para o outro.
    Concordam com este comentário: simaoguim, eu
  7.  # 232

    Colocado por: SasapoO que não faltam são baixas de preços , quem andar a seguir sites de vendas há algum tempo


    E ainda há aqueles que compram sem a coisa estar à venda sequer. Há quem chegue e proponha, quem bata a nota na hora e outros que tais. Há de tudo. A vantagem de sermos um país "atrasado" é que podemos olhar para o pelotão da frente (USA/UE) e ter uma ideia do que nos espera no que ao imobiliário diz respeito... e agir em conformidade.

    Agora estar de braços cruzados há espera dos saldos... é que é só mesmo para alguns.
    • eu
    • 23 novembro 2022

     # 233

    Colocado por: N Miguel OliveiraA vantagem de sermos um país "atrasado" é que podemos olhar para o pelotão da frente (USA/UE) e ter uma ideia do que nos espera no que ao imobiliário diz respeito...


    Será que podemos fazer o mesmo no que respeita aos salários?

    Ou faz sentido termos preços das casas ao nível de Londres com salários ao nível do México?
  8.  # 234

    Colocado por: N Miguel Oliveirapodemos olhar para o pelotão da frente (USA/UE) e ter uma ideia do que nos espera no que ao imobiliário diz respeito... e agir em conformidade.

    Agora estar de braços cruzados há espera dos saldos... é que é só mesmo para alguns.

    Mas nos USA o preço das casas tem estado em queda e, segundo consta, tb têm falta de habitação.

    No nosso caso, para evitar quedas no imobiliário, uma solução seria parar de construir e renovar :)

    Por outro lado, construir em massa e aumentar a oferta, faria baixar os preços, que tornaria o mercado mais saudável face à nossa economia e poder de compra.

    Comentários?
  9.  # 235

    Colocado por: N Miguel Oliveiraque podemos olhar para o pelotão da frente (USA/UE) e ter uma ideia do que nos espera no que ao imobiliário diz respeito... e agir em conformidade.

    Agora estar de braços cruzados há espera dos saldos... é que é só mesmo para alguns.

    E o que que está a acontecer nos restantes países europeus e usa?
  10.  # 236

    Colocado por: euSerá que podemos fazer o mesmo no que respeita aos salários?

    Ora nem mais.

    Colocado por: euOu faz sentido termos preços das casas ao nível de Londres com salários ao nível do México?

    Pois, depende do que queremos ver. Construir no México é bastante barato. Mas vá ver quanto custa um terreninho de 150m2 ou 200m2 nos arredores da capital e depois diga-me qualquer coisa. Devem custar o dobro ou triplo por m2 que em Portugal. Verá um êxodo tremendo para cidades a 2-3h da capital (Queretaro, Cuernavaca), onde a vida é um pouco mais acessivel.

    Já agora quanto custa uma casa "normal" nos arredores de Londres? 300k? Mas melhor ainda, quanto mede? Que tipologia tem? Tem garagem? É que de pouco adianta compararmos coisas diferentes. Pode fazer a mesma coisa com a casa mexicana comum, bastante mais pequenita que a portuguesa, para salários parecidos aos nossos.
  11.  # 237

    Colocado por: Sasapo
    E o que que está a acontecer nos restantes países europeus e usa?


    Isto:


    Colocado por: pguilhermeMas nos USA o preço das casas tem estado em queda e, segundo consta, tb têm falta de habitação.

    No nosso caso, para evitar quedas no imobiliário, uma solução seria parar de construir e renovar :)

    Por outro lado, construir em massa e aumentar a oferta, faria baixar os preços, que tornaria o mercado mais saudável face à nossa economia e poder de compra.



    Saber é poder. Podemos antecipar algumas coisas.
    Concordam com este comentário: AMG1
  12.  # 238

    Colocado por: pguilhermeNo nosso caso, para evitar quedas no imobiliário, uma solução seria parar de construir e renovar :)



    "...parar de construir de raíz."
    Quer você dizer?

    De pouco adianta esperar que os preços caiam pela redução da procura, se a oferta cair também.


    Colocado por: pguilhermeMas nos USA

    Nos USA, uns estão apreensivos pelas nuvens negras, outros contentes, porque os projectos são aprovados mais rápido, porque há disponibilidade das Câmaras para discutir opções controversas, porquê vêm uma oportunidade de agir quanto todos dizem que o melhor é estar quieto. Uns preocupados com os despedimentos em massa, outros que acham que é hora de pedir aumento porque a vida encareceu.

    Não é tudo tão literal como se pinta aqui no fórum.
  13.  # 239

    A casas estão caras porque as compram a esse preço. Quando não as conseguirem comprar elas logo descem de preço.
    Uma das maneiras de fazer isso é com os juros, aumentar a prestação. A própria inflação também contribui para isso.

    Não vale a pena andar a complicar teorias complexas que no fundo é uam questão do mais simples que existe.
    Concordam com este comentário: N Miguel Oliveira, eu
  14.  # 240

    Colocado por: euOu faz sentido termos preços das casas ao nível de Londres com salários ao nível do México?


    Num país atrasado e mediocre faz todo o sentido, aliás é isso que o caracteriza.
 
0.0591 seg. NEW