Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Estou a pensar em construir casa, num terreno que pertence aos meus pais.
    Tenho 3 irmãos.
    O terreno esta registado como rústico!
    Por onde começar para começar a tratar da documentação para a construção???

    Obrigada
    • Mac
    • 14 maio 2008

     # 2

    Partindo do princípio que o terreno se adapta à construção de uma moradia....
    Primeiro vá à C.M. e veja se o PDM permite construir uma habitação nesse terreno.
    Se sim, tome posse administrativa do terreno. Ou seja, os seus pais que o passem para seu nome. Doação, venda.
    Não lhe concedem licença de construção se o terreno não estiver em seu nome. Pedir-lhe-ão um acertidao matricial.
    Depois contrate um projectista. Há-os para todos os gostos e preços. Eu paguei, há uns 2 meses, 2250€ pelo projecto completo.
    Cumprimentos
  2.  # 3

    Estou para iniciar a construção de uma casa num terreno que possuo nos Riachos - Torres Novas - Santarém, como devo proceder. Já tenho o projecto feito espero ajuda [email protected]
  3.  # 4

    Célia,
    Faça +ou- como diz o Mac, mas de forma correcta. Na CM, localiza o seu terreno numa "planta de localização" e submete à CM um "pedido de informação prévia". A CM deverá responder-lhe por escrito, sobre todas as capacidades e condicionantes que se impõem sobre o seu terreno. Essa informação é vinculativa pelo prazo de 1 ano ou seja, mesmo que a lei mude, essas regras vão-se manter inalteradas por esse período.
    O terreno ser rústico, hoje já nada significa. O PDM (Plano Director Municipal) do seu concelho é que especifica o que pode ou não fazer do seu terreno. E não vá em conversas. No PDM, está lá "tim-tim por tim-tim" o que pode e não pode. E ele é igual para todos os técnicos. Ele é lei!
    Até lá, faça contas ao que pode dispender com a edificação da sua casa. Mas qd digo com a edificação, refiro-me a encaixar nela, o valor para a construção, a contratação de técnicos para os projectos, pagamentos de taxas e licenças.
    Depois, qd definir esse "budjet", procure fazer com ele o melhor projecto do mundo, contratando para ele os melhores técnicos possiveis.
    Nunca adopte a politica de muitos, em que o dinheiro que tem é para a construção. Depois, vai então ver os técnicos + baratos, para levar avante o seu sonho. É partir logo com uma politica errada. Lembre-se que talvez seja o maior investimento da sua vida e como tal, deverá tratá-lo como tal. Lembre-se que irá viver nele todos os dias e se corresponder aos seus sonhos, provavelmente trazer-lhe-à pesadelos e arrependimentos. Pense que, o projecto mais barato, não equivale`a uma obra mais "barata". Lembre-se que muitas das despesas consequentes de um pior projecto, se pagam todos os meses... uns do bolso, outros da alma! A sua casa é o seu sonho e um bom e idóneo técnico, partilhá-lo-à consigo. Abrir-lhe-à talvez horizontes que ainda não pensou ou viu. Um bom técnico (um arquitecto, que é quem lhe confere espaço, forma, volume e imagem), tem como objectivo aplicar bem o seu dinheiro e zelar para que ele seja bem e correctamente gasto, por quem a edificar. Olhe um projecto não como uma série de "desenhos" da sua casa, mas como um manual de edificação e execução. Tal como aqueles que acompanham muitos dos equipamentos que você compra. Quanto melhor ele for, melhor você controlará todo o processo até a utilizar. Qt melhor ele for, menos hipoteses terão de a "ludibriar" durante a execução. Qt melhor ele for, melhor correrá a obra e mais bem e facilmente será controlada.

    Mas, como ia dizendo, depois de ter ideia do valor que poderá gastar com a sua casa e depois de ter a resposta ao pedido de Informação Prévia, procure um arquitecto. Mas peça referências, peça para ver projectos dele, veja se se identifica com a imagem e as ideias dele. Depois sim, discuta o valor. Mas não deixe de passar por esta etapa. Um projecto de obra, que envolve um projecto de Arquitectura e um sem fim de Projectos de Engenharia, não são um monte de desenhos. São um manual técnico da sua futura casa e como tal, envolvem responsabilidade e qualidade.
    Durante e após escolher o Arquitecto, dê-lhe um programa de trabalhos (das divisões que necessita na sua casa e de ideias que tenha) e o valor máximo que pode dispender na sua construção. É um elemento fulcral para que ele possa saber com o que contar, qd conceber o seu espaço.

    Se for uma moradia, não esqueça que cada terreno é unico. Você é unica e como tal, o seu projecto deve ser unico e feito para aquele local e para si.

    Se não quiser que a sua casa seja apenas mais uma... eventualmente quase igual a tantas na sua vizinhança, afaste-se de projectos "baratos", orçamentados "a peso / à divisão / ao m2".

    Boa sorte.
  4.  # 5

    Correcção a esta frase. Deve ler-se...
    "Lembre-se que irá viver nele todos os dias e se NÃO corresponder aos seus sonhos, provavelmente trazer-lhe-à pesadelos e arrependimentos."
  5.  # 6

    Concordo completamente com a opinião da Idanha. Basta navegar neste forum para encontrar pessoas descontentes quer com os técnicos "baratos" quer com orçamentos irealistas. É que quando alguém apresenta um orçamento não pretende perder dinheiro, e se o trabalho a desenvolver, seja de projecto seja de construção, for mais do que o esperado, simplesmente não é executado, sendo por regra o cliente que sofre.
 
0.0131 seg. NEW