Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Bom dia!
    trabalho para uma empresa a contrato e estou efetivo ha alguns anos, mas sempre quis trabalhar por minha conta, basicamente tenho um trabalho paralelo que executo aos fins de semana e vou editando durante a semana à noite após o meu trabalho de 8h.
    Ora sei que vou mudar de instalações nesta empresa e estou a pensar seriamente que quando falarem comigo avisar que me vou mudar, para lhes propor que eu seja trabalhador independente trabalhando para eles a recibos verdes, sem horários sendo contado o meu trabalho por quantidade ou de alguma outra forma
    já alguem passou por isto, se é plausível e possível e como se deram? obrigado.

    Ps: há ainda a questão dos 12.000€ de faturação/ano e isenção de IVA, ainda não percebi bem este assunto, porque sempre que passo por exemplo um ato isolado, acrescento na hora o IVA ao valor que peço...
  2.  # 2

    Isenção iva art. 53 é até 14500€ volume de negócios anual para 2024.

    Passa o recibo a mencionar Isenção iva art. 53(naturalmente sem iva).

    Passando esse limite passa a cobrar iva(com ou sem autoliquidação). Declaração trimestral para a segurança social.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: marize
  3.  # 3

    Colocado por: VarejoteIsenção iva art. 53 é até 14500€ volume de negócios anual para 2024.

    Passa o recibo a mencionar Isenção iva art. 53(naturalmente sem iva).

    Passando esse limite passa a cobrar iva(com ou sem autoliquidação). Declaração trimestral para a segurança social.


    Obrigado entao os 14500€ foi atualização deste ano ? do ano passado?

    eu sempre tive a contrato neste empresa e estou efectivo, o que muda para a entidade patronal? poderá de algum modo ser benefico para eles passarem alguem efectivo para recibos verdes? deduzo que me teriam que despedir para me passar a recibos verdes? e a nível de taxas, IVA's e sei lá se calhar fica-lhes mais dispendioso não?
    muito obrigado pelos esclarecimentos
  4.  # 4

    Para o patrão é melhor .. para si é pior pois paga mais IRS no final do ano, e segurança social
  5.  # 5

    Colocado por: RicardoPortoPara o patrão é melhor .. para si é pior pois paga mais IRS no final do ano, e segurança social


    Pode fazer retenção na fonte de IRS.
  6.  # 6

    Colocado por: Rafael Monteiro Alex

    Obrigado entao os 14500€ foi atualização deste ano ? do ano passado?

    eu sempre tive a contrato neste empresa e estou efectivo, o que muda para a entidade patronal? poderá de algum modo ser benefico para eles passarem alguem efectivo para recibos verdes? deduzo que me teriam que despedir para me passar a recibos verdes? e a nível de taxas, IVA's e sei lá se calhar fica-lhes mais dispendioso não?
    muito obrigado pelos esclarecimentos


    2023 foi 13500€, 2024 14500€.
  7.  # 7

    E porque não propõe à sua entidade patronal uma redução de horário (salário reduzirá também)? Por exemplo trabalhar 4h diárias.
    Basicamente para trabalhar a recibos verdes para a sua atual entidade patronal, vai ter de ser você a despedir-se (não acredito que a empresa o faça) e ficar sem qualquer tipo de direitos (indemnização, acesso ao fundo de desemprego...). Basicamente se trabalhar a recibos verdes todos os impostos ficarão a seu encargo, não terá direito a férias (pagas), subsidio de férias, subsidio de natal, sendo que os seus serviços poderão ser dispensados a qualquer instante sem qualquer justificação por parte da "entidade patronal".
    Resumindo, tanta gente a tentar arranjar emprego sem ser a recibos verdes e alguém efectivo quer passar de algo certo para algo muito incerto...
    Concordam com este comentário: A. Madeira, HAL_9000
  8.  # 8

    Colocado por: smst.
    Resumindo, tanta gente a tentar arranjar emprego sem ser a recibos verdes e alguém efectivo quer passar de algo certo para algo muito incerto...
    Concordam com este comentário:A. Madeira


    Já cá faltava o moralismo pois claro, e por haver muita gente a querer estar efectivo isso faz com que eu tenha que dar gratidão e deixar-me estar como estou?
    Sempre quis trabalhar por minha conta, do meu emprego estou fartíssimo de injustiças, burnout é constante entre tanta coisa que as pessoas não fazem ideia, mas gostam sempre de dar o seu parecer sem imaginar o que se passa do lado de lá, enfim

    mas o real motivo é porque já trabalho por minha conta mas pouco e simplesmente quero dedicar menos tempo ao meu emprego e mais à minha atividade profissional e estou a tentar ver as melhores opções, portanto vamos tentar julgar menos ou se não temos conhecimento não julguemos nada.

    em relação aos impostos era mesmo isso que eu queria perceber, porque sempre que me falam em recibos verdes falam nesse monstro dos impostos, então mas se eu fizer rendimentos abaixo de 14000 nao pago IVA.
    IRS faço retenção na fonte...
    terei que pagar se calhar um pouco mais de segurança social em relação ao que pago a trabalhar por conta de outrém
  9.  # 9

    Pode fazer retenção na fonte de IRS, desde que seja empresa com contabilidade organizada. Se não reter acerta no quando fizer e entrega da declaração de IRS.

    Não vai na farinha, vai no farelo.
  10.  # 10

    Colocado por: Rafael Monteiro Alex

    Já cá faltava o moralismo pois claro, e por haver muita gente a querer estar efectivo isso faz com que eu tenha que dar gratidão e deixar-me estar como estou?
    Sempre quis trabalhar por minha conta, do meu emprego estou fartíssimo de injustiças, burnout é constante entre tanta coisa que as pessoas não fazem ideia, mas gostam sempre de dar o seu parecer sem imaginar o que se passa do lado de lá, enfim


    em relação aos impostos era mesmo isso que eu queria perceber, porque sempre que me falam em recibos verdes falam nesse monstro dos impostos, então mas se eu fizer rendimentos abaixo de 14000 nao pago IVA.
    IRS faço retenção na fonte...
    terei que pagar se calhar um pouco mais de segurança social em relação ao que pago a trabalhar por conta de outrém


    Claro que não, deve escolher o que é melhor para o seu caso. Isso de ser incerto, também depende obviamente do trabalho que se faz! Muitos colegas meus trabalham assim por preferem é uma escolha, ficam com mais líquido ao fim do mês, gerem do lado deles e não estão vinculados da mesma maneira a X empresa. No meu caso com tenho outras coisas que a empresa me facilita, que consegue por um valor muito inferior a se fosse eu a pagar directamente, não me compensa, porque tinha de me "pagar" muito mais para conseguir ter tudo o que tenho atualmente e ainda sobrar o mesmo valor líquido.

    Veja qual o gasto anual que a empresa tem consigo, incluido a TSU que a mesma paga. Veja entrando esse dinheiro na sua totalidade para o seu lado (x11 meses que trabalha), pagando os devidos impostos e SS quanto fica líquido do seu lado, provavelmente irá compensar alguma coisa (caso receba tudo por bruto, sem qualquer flex, viatura, ....), faça simulação também do IRS anual (veja se vai reter na fonte ou não), veja se tudo isto continua a compensar. Pense que vai provavelmente entrar menos para a SS para o seu futuro.

    Portanto para a empresa o benefício não será a nível de "pagar-lhe" menos. Porque se está a espera que ela poupe o TSU, para você não irá compensar por certo... agora quanto muito consegue passar o seu encargo para a rubrica de serviços, pode ser do interesse da empresa, não sei. Muitas preferem outsourcing exactamente por esta razão, mesmo mantendo as pessoas lá anos e anos.

    Seja como fôr se o seu problema é uma questão de local de trabalho e horários, não há razão para não ter tudo isto flexível sem ter de passar para recibos verdes, que é o que acontece na minha situação.
  11.  # 11

    Colocado por: bmccruz


    Seja como fôr se o seu problema é uma questão de local de trabalho e horários, não há razão para não ter tudo isto flexível sem ter de passar para recibos verdes, que é o que acontece na minha situação.


    Obrigado @bmccruz pode falar dessa sua situação? se calhar poderia inspirar ou dar boas ideias para a minha
  12.  # 12

    acho que se propor isso ao seu patrão hoje que amanha já está a trabalhar para ele a recibos verdes.
  13.  # 13

    Colocado por: Rafael Monteiro Alexterei que pagar se calhar um pouco mais de segurança social em relação ao que pago a trabalhar por conta de outrém
    Agora paga 11%, passa a pagar 23%. Depois há que acrescentar o IRS e O IVA.

    O melhor conselho que lhe posso dar é que que consulte um contabilista em quem confie e faça muito bem as contas. Depois de saber muito bem quais serão as suas obrigações, e de ter feito as contas, apresente a carta de demissão.

    Pessoalmente a situação de recibos verdes é algo da qual fujo, mas tenho colegas a trabalhar nesse regime e não se dão mal..Agora se declaram efectivamente o que ganham...ou se fazem "contabilidade criativa"...não sei.

    De qualquer maneira, boa sorte.
  14.  # 14

    Colocado por: Rafael Monteiro Alex

    Já cá faltava o moralismo pois claro(...)

    Moralismo ou não, tem aí uma questão formal para resolver, que é a saída da empresa onde actualmente trabalha. Isso não é algo que se faça de ânimo leve, e muito menos sem ter a verdadeira noção do que essa mudança implica, como parece ser o caso (vai-me desculpar certamente).

    Contacte um contablista de confiança para esclarecer todas essas questões.

    Pessoalmente já me ocorreu essa mudança também, mas (por causa das complicações todas e risco acrescido) iria pedir quase o dobro do que ganhasse como contratado.
  15.  # 15

    Colocado por: jorgemlflorencio
    Moralismo ou não, tem aí uma questão formal para resolver, que é a saída da empresa onde actualmente trabalha. Isso não é algo que se faça de ânimo leve, e muito menos sem ter a verdadeira noção do que essa mudança implica, como parece ser o caso (vai-me desculpar certamente).

    Contacte um contablista de confiança para esclarecer todas essas questões.

    Pessoalmente já me ocorreu essa mudança também, mas (por causa das complicações todas e risco acrescido) iria pedir quase o dobro do que ganhasse como contratado.


    ok
  16.  # 16

    e não esquecer que deixa de receber subsidio de férias e de natal. e as férias, quando as tirar, deixam de ser remuneradas.
  17.  # 17

    Por isso muitos nunca vão trabalhar por conta própria, com receio de faltar vencimento, férias e subsídios.

    Muitos falam "já estou farto de trabalhar para os outros, gostava era de trabalhar por conta própria".

    Quando chega à hora de dar o salto, o esfíncter aperta e passa a vontade.
    Concordam com este comentário: marize
  18.  # 18

    Rafael, trabalho a recibos verdes já há alguns anos.
    Vai ter de ir às Finanças colectar-se, escolher os CAE que se aplicam ao seu sector (caso escolha mais do que um, tenha em atenção de que o principal seja o qual com que lançará mais recibos, porque assim por defeito é esse o inserido nos mesmos) e vai ter de ir à Segurança Social.

    Em ambos os locais vão-lhe perguntar quanto pensa que vai facturar e vai responder "abaixo de 14.500€".

    Caso tenha alguma prestação fixa que não a renda (credito bancário, prestação de carro), consulte uma seguradora para em caso de doença subita e/ou prolongada, qual seria o melhor seguro anual para si

    Da minha perspectiva dá-me liberdade. Este mês quero faturar mais trabalho mais, quero ir fazer uma viagem faço e sempre guilt free.

    A única coisa chata (que acho que nunca me vou habituar) são os cálculos da segurança social.

    Mal se colecta, mesmo que não facture nada, tem de pagar 20€ fixos e à medida que vai faturando de 3 em 3 meses, há um calculo automático que faz com que nos 3 meses seguintes supostamente pague "x". E digo supostamente porque pode-lhe acontecer a si o que aconteceu a mim, em que certa altura por causa de um mês pontualmente mais chorudo, subiu-me a seg social para quase 300€ e a contabilista me recomendou a pagar o valor mínimo (o site deles é uma treta, repetitivo, mas intuitivo e há uma barra que pode escolher se quer pagar o que eles sugerem, deslizar para o mínimo ou para o máximo).

    De três em três meses, também terá de declarar se auferiu ou não rendimentos em cada um dos meses anteriores para ser feito o tal cálculo anual (caso se esqueça, só pode rectificar em Janeiro do ano seguinte, o que pode inclusivamente consuzir a multa, mas nada que um lembrete no telefone não resolva).

    No fim de contas mais do que dinheiro, o que importa é escutar o seu corpo e se não é para ficar nessa empresa, não é por aí e é sair!

    (O ser humano adulto com postura madura mede as consequências, age e posiona-se perante os desafios. O ser humano adulto com postura infantil, sente-se preso porque não tem a certeza de que vai dar certo)
    Concordam com este comentário: Varejote, MDM
  19.  # 19

    Colocado por: Rafael Monteiro Alex

    Já cá faltava o moralismo pois claro, e por haver muita gente a querer estar efectivo isso faz com que eu tenha que dar gratidão e deixar-me estar como estou?
    Sempre quis trabalhar por minha conta, do meu emprego estou fartíssimo de injustiças, burnout é constante entre tanta coisa que as pessoas não fazem ideia, mas gostam sempre de dar o seu parecer sem imaginar o que se passa do lado de lá, enfim

    mas o real motivo é porque já trabalho por minha conta mas pouco e simplesmente quero dedicar menos tempo ao meu emprego e mais à minha atividade profissional e estou a tentar ver as melhores opções, portanto vamos tentar julgar menos ou se não temos conhecimento não julguemos nada.

    em relação aos impostos era mesmo isso que eu queria perceber, porque sempre que me falam em recibos verdes falam nesse monstro dos impostos, então mas se eu fizer rendimentos abaixo de 14000 nao pago IVA.
    IRS faço retenção na fonte...
    terei que pagar se calhar um pouco mais de segurança social em relação ao que pago a trabalhar por conta de outrém


    Claramente desconhece o que é trabalhar a recibos verdes, sugiro que consulte um contabilista da sua confiança para o esclarecer das suas duvidas.
    Faz bem em querer ter o seu próprio negócio, no entanto quanto a trabalhar para outrem a recibos verdes é muito pior do que trabalhar como contratado ainda que com redução de horário ou isenção de horário.
  20.  # 20

    Um trabalho de caráter permanente e com horário de trabalho, não pode ser com recibos verdes.
 
0.0227 seg. NEW