Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Caros foristas,

    Creio que será útil colocar aqui os vários passos de um processo de despejo e inerentes custos de tempo e dinheiro...

    A História é a seguinte: O "Manuel" (segundo consta é de etnia cigana), arrendou em conjunto com a mãe "Maria" um imóvel (a cidade é Santarém), tendo esta ficado como fiadora.

    Arrendaram em Outubro de 2013, tendo os arrendatários pago um mês de renda e um mês de caução. Em Novembro pagam outra renda e, a partir daí, não pagam mais nenhum mês.

    O cliente entra no escritório dia 17 de Março e explica a situação.

    No mesmo dia ligo para a senhora "Maria" (fiadora e arrendatária) que atende o telemóvel e simpaticamente diz que vai mudar para outra casa no fim do mês de Março, para uma casa mais barata e que até já pagou a 1.ª renda e a caução.

    Solicito-lhe o pagamento das rendas em atraso e acordamos na celebração de um acordo de pagamento em prestações (que previa igualmente - ad cautelam- uma revogação do contrato).

    Dia 19 envio o tal acordo.

    Dia 20 a senhora liga a chorar que já não vai mudar mas que quer ficar e paga a renda. Promete pagar € 50 no dia seguinte e diz que paga a renda até dia 28 de Março.

    No mesmo dia aviso o meu cliente que a Sra. não ia cumprir e para não perdermos tempo.

    Dia 28 de Março, sem surpresa, a Senhora apenas tinha pago € 50 e não tinha pago a renda.

    Dia 2 de Abril enviei carta registada com AR a resolver o contrato (custo da carta € 2,80).

    Dia 9 de Abril recebo o aviso de recepção.

    Dia 10 de Abril intento a acção de despejo junto do Balcão Nacional do Arrendamento. Pensei bastante se valeria a pena ir pelo BNA ou se pelos meios "comuns" mas optei por este caminho. Nomeeie um Agente de Execução da minha confiança para o despejo.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: electrao, Serge, ctavares, Sabrina, marreta, Casa1980, scar888
  2. Ícone informação Anunciar aqui?

    •  
      jccp
    •   agradecimentos
    • 10 Abril 2014

     # 2

    Boa sorte...

    essa de um ser arrendatário e outro ser fiador e morarem na mesma casa é de partir o coco a rir,nenhum dos dois tem nada a perder ao contrario de um fiador que não habite a casa já tive um caso desses que foi a imobiliaria me arranjou quando ainda tinha os olhos tapados,neste caso não eram ciganos mas de etnia africana,sairam passados tres meses porque aa mãe era gorda e não cabia no poliban lol

    essa do fiador e arrendatario usufruirem do mesmo bem faz-me lembrar as "jogadas" que se faziam no credito automovel em que o marido ficava fiador da mulher ou vice versa lol ...quando tiver com mais tempo conto como é que se fazia
  3.  # 3

    Colocado por: jccpjá tive um caso desses que foi a imobiliaria me arranjou quando ainda tinha os olhos tapados


    Aqui passou-se a mesma coisa... Este é o típico caso bicudo... Não têm rendimentos... têm menores... vamos ver...

    Crédito Automóvel tenho uma boa agora em mãos...

    Continuando o tópico... Para meter a acção paguei € 25,50 de taxa de justiça (se o valor em dívda fosse superior a € 30.000, pagaria € 51).

    Para terem uma noção dos honorários... pedi € 150,00 de provisão inicial (deste valor mandei 3 cartas registadas com AR e paguei a taxa de justiça).
  4.  # 4

    Obrigado pela partilha
  5.  # 5

    Processo em análise
      BNA.jpg
    •  
      FD
    •   agradecimentos
    • 15 Abril 2014

     # 6

    Vamos lá ver o desfecho. :)
  6.  # 7

    Colocado por: jccpBoa sorte...

    essa de um ser arrendatário e outro ser fiador e morarem na mesma casa é de partir o coco a rir,nenhum dos dois tem nada a perder ao contrario de um fiador que não habite a casa já tive um caso desses que foi a imobiliaria me arranjou quando ainda tinha os olhos tapados,neste caso não eram ciganos mas de etnia africana,sairam passados tres meses porque aa mãe era gorda e não cabia no poliban lol


    Ah, ah
  7.  # 8

    Processo resolvido... Foram citados pelo BNA e saíram de livre vontade... entregaram a chave a semana passada à senhoria... 2 ou 3 coisas "esmurradas" mas no geral a casa ficou em bom estado.

    Tempo de resolução do caso: desde que entrou no meu escritório até ter as chaves de casa pouco mais de 2 meses...
    Estas pessoas agradeceram este comentário: FD, treker666, electrao, danobrega
    •  
      FD
    •   agradecimentos
    • 29 Maio 2014 editado

     # 9

    Mesmo assim, a senhoria ficou a arder com 6 meses de renda - 1.800€ - e as respectivas despesas, uns 300€?
    É tramado mas, sempre é melhor que os 2 anos de que se falava nos tempos pré-BNA.

    Obrigado pelo seguimento e pelo testemunho. ;)
    Concordam com este comentário: GMCQ
    •  
      jccp
    •   agradecimentos
    • 29 Maio 2014

     # 10

    Colocado por: FDMesmo assim, a senhoria ficou a arder com 6 meses de renda - 1.800€ - e as respectivas despesas, uns 300€?
    É tramado mas, sempre é melhor que os 2 anos de que se falava nos tempos pré-BNA.


    mais de 2000 mil euros não é brincadeira...e estes parasitas continuam impunes a morar à conta dos outros sem que nada lhes aconteça...aposto que já estão a morar á conta de outro.
    Concordam com este comentário: Casa1980
  8.  # 11

    Pois, se calhar é assim, 2000 euros ou mais, e estes agora saem desta casa e vão tentar tramar o próximo senhorio...


    Colocado por: FDMesmo assim, a senhoria ficou a arder com 6 meses de renda - 1.800€ - e as respectivas despesas, uns 300€?
    É tramado mas, sempre é melhor que os 2 anos de que se falava nos tempos pré-BNA.

    Obrigado pelo seguimento e pelo testemunho. ;)
  9.  # 12

    Colocado por: FDÉ tramado mas, sempre é melhor que os 2 anos de que se falava nos tempos pré-BNA.


    Não serve de grande exemplo pois houve acordo (neste caso saíram sem ser por ordem judicial). Esperemos pelo próximo onde nem liguem a convocatórias e notificações...onde entretanto arranjem um advogado para intervir etc etc etc.

    De qualquer forma, o testemunho prestado é valioso no sentido de perceber o processo que decorreu.
  10.  # 13

    Colocado por: FDMesmo assim, a senhoria ficou a arder com 6 meses de renda - 1.800€ - e as respectivas despesas, uns 300€?



    O processo "terminou" no que toca ao imóvel, os valores em dívida ainda não consegui reaver... mas vou conseguir... é uma questão de tempo...

    Colocado por: treker666Não serve de grande exemplo pois houve acordo (neste caso saíram sem ser por ordem judicial). Esperemos pelo próximo onde nem liguem a convocatórias e notificações...onde entretanto arranjem um advogado para intervir etc etc etc.


    Relatei o que aconteceu... Este foi assim o próximo não sabemos. Quando voltar a meter um de início volto a postar... Quantos às despesas, como não tive mais nenhuma intervenção não pedi mais honorários. Agora só vou cobrar uma percentagem daquilo que conseguir receber dos devedores.
    Concordam com este comentário: jccp
    Estas pessoas agradeceram este comentário: jccp
  11.  # 14

    por um casal na casa em q um e inquilino e outro fiador, comem do mesmo prato nada vale,nem mesmo os fiadores q estão de fora,se apenas tiverem como rendimento o ordenado mínimo, é apenas mais um ao barulho,eu tenho essas expriencias---os q tem bons rendimentos ou bens ,não são fiadores e eles e q tem juízo...
    Concordam com este comentário: Casa1980
  12.  # 15

    Tenho um novo processo de despejo entre mãos.

    Seguindo a mesma metodologia, a cliente entra no escritório dia 24 de Junho e conta-me a história, contrato de arrendamento de um T4, estão em dívida 5 meses...

    Já fiz a notificação judicial avulsa (promovida por uma Agente de Execução que eu nomeei) e enviei-lhe as Ref. MB para proceder ao pagamento.

    Depois de pagar a taxa de justiça, o processo é concluso ao Juiz, que, não havendo problemas, ordena a notificação.
  13. Ícone informação Anunciar aqui?

  14.  # 16

    Obrigado pelos relatos Erga. Sempre dá para mudar um pouco a imagem que temos do funcionamento do sistema.
  15.  # 17

    Isso ja sabemos que é rapido e celere...o problema é quando o executado ja tem varias penhoras e temos que ir para a bicha , esperando que os primeiros sejam pagos! ai é que tudo se complica!
  16.  # 18

    A notificação foi ordenada pelo Juiz (paguei € 75,03 ao Agente de Execução para fazer a notificação).

    O Inquilino foi notificado da notificação judicial avulsa na Segunda (dia 14 de Julho). Hoje liguei ao Sr. e comprometeu-se a sair no fim deste mês e a pagar a dívida em prestações de 150 euros. Já coloquei a hipótese à minha cliente (com o meu parecer favorável) e, se ela concordar, envio-lhe o acordo de pagamento em prestações ainda hoje, e aguento o processo até dia 2 de Agosto (para ver se ele sai da casa). Normalmente, depois da notificação avulsa e do contacto com o AE e com o advogado os inquilinos apercebem-se que a coisa é séria e saem pelo seu pé. Vou uma semana de férias e quando voltar vamos ver se as coisas correram bem.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: treker666, jorgealves
  17.  # 19

    A taxa de justiça inicial para a notificação dar entrada em Tribunal é de 51 euros. Paguei € 75,03 ao AE para ele ir notificar o inquilino.

    Total de Custas judiciais: € 126,03.

    Total Honorários do Advogado € 75,00.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Silver Wolf, Casa1980
  18.  # 20

    Fogo..
    o AE ganhou tanto como você só para notificar o inquilino?!?!?
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">