Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Tenho ouvido que uma tendência que a Troika quer impor em Portugal é o crescimento do arrendamento de habitação em detrimento da compra de casa própria.Gostaria de saber afinal quem ganha com esta mudança?Será que é só para os bancos ficarem com menos incumprimentos a nível do pagamento dos créditos à habitação?Para as pessoas é do senso comum que é melhor pagarem por algo que vai constituir o seu património próprio, a não ser que a renda seja tão baixa que valha a pena...ora isso não existe!
    Concordam com este comentário: Mónica Carvalhido
  2. Ícone informação Anunciar aqui?

  3.  # 2

    Colocado por: Alexandre SilvaTenho ouvido que uma tendência que a Troika quer impor em Portugal é o crescimento do arrendamento de habitação em detrimento da compra de casa própria.Gostaria de saber afinal quem ganha com esta mudança?Será que é só para os bancos ficarem com menos incumprimentos a nível do pagamento dos créditos à habitação?Para as pessoas é do senso comum que é melhor pagarem por algo que vai constituir o seu património próprio, a não ser que a renda seja tão baixa que valha a pena...ora isso não existe!


    É verdade, mas não se esqueça que perde quase totalmente a mobilidade profissional. Imagine que compra uma casa na Covilhã e fica desempregado. Se lhe oferecerem trabalho em Lisboa vem para cá trabalhar? é que a maioria certamente nem coloca essa hipótese porque ah e tal tenho casa na Covilhã e tenho de pagar o empréstimo, vão-se encostando ao subsidio de desemprego enquanto podem e provávelmente fazem uns "biscates" por fora "livres" de impostos.
    Concordam com este comentário: RMMA
    •  
      FD
    • 4 Julho 2011

     # 3

    Colocado por: Alexandre SilvaGostaria de saber afinal quem ganha com esta mudança?

    O país.

    O que é que acontece actualmente?
    -> população compra casas
    -> população pede dinheiro aos bancos
    -> bancos não têm liquidez, pedem ao estrangeiro
    -> estrangeiro cobra juros
    -> casas mantêm o preço, não há crise económica, com desemprego associado, tudo corre bem
    -> casas baixam o preço, há crise económica, com desemprego associado, tudo corre mal, porquê?
       -> bancos emprestam com garantia, a casa, se esta baixa o valor, a garantia perde valor, se perde valor, o banco perde dinheiro mas, continua a dever o mesmo ao estrangeiro + juros
       -> se há crise económica com desemprego, o incumprimento aparece e, os bancos são obrigados a ficar com as casas, vendem a baixo preço, ver consequência na linha anterior
       -> ou seja, a longo prazo, os bancos tornam-se insustentáveis porque emprestaram 100 para comprar algo que neste momento vale 70
       -> como os bancos usam o dinheiro dos depositantes, quem está a perder são eles, como se viu com o BPN
       -> porém, existe o Fundo de Garantia de Depósitos em que, depósitos até 100.000€ são garantidos, ora, se um banco colapsa, quem paga esse dinheiro é o estado, ou seja, nós

    Tudo isto não faria sentido se houvesse muita procura e pouca oferta de casas. O problema é que existe pelo menos uma casa e meia por cada família - são 5,5 milhões de casas.

    Ora, em vez de se pedir dinheiro ao estrangeiro para comprar casas ou para construir casas para ficarem vazias, colocando os bancos em risco, endividando o país, não será preferível utilizar as casas vazias existentes, ficando o dinheiro directamente em Portugal sem necessidade de pedir emprestado a ninguém?
    Concordam com este comentário: Maria Coreia, RMMA
  4. Procura serviços ou materiais para a sua casa? Contrate quem ajuda no fórum.

  5.  # 4

    Colocado por: FDTudo isto não faria sentido se houvesse muita procura e pouca oferta de casas. O problema é que existe pelo menos uma casa e meia por cada família - são 5,5 milhões de casas.

    O que eu não percebo é, porque é que só agora é que verificaram que existe excesso de casas!!??. O banqueiros, economistas, governantes, não conseguiram prever que isto ia acontecer? Como é que só o Medina Carreira é que consegui prever isto?
    Concordam com este comentário: Mónica Carvalhido
  6.  # 5

    Colocado por: Picareta
    O que eu não percebo é, porque é que só agora é que verificaram que existe excesso de casas!!??. O banqueiros, economistas, governantes, não conseguiram prever que isto ia acontecer? Como é que só o Medina Carreira é que consegui prever isto?


    Ás vezes o maior cego é aquele que não quer ver.....
  7.  # 6

    Na minha opinião, o problema esteve nos bancos que emprestaram a "torto e a direito" sem olharem a quem podia (ou não) pagar.
    O empréstimo fácil acima do esforço das famílias descambou no incumprimento, em especial, das classes média e média-alta.
    Voos altos com asas curtas...
    Hoje, quero fazer um empréstimo que, há dois anos, representava 1/4 do rendimento da minha família; agora representa 1/3... Tenho de pensar duas vezes... ou três!

    Arrendamentos: alguém acredita que as rendas vão manter-se? É mais que óbvio que vão subir!
    Concordam com este comentário: Mónica Carvalhido
    •  
      MRui
    • 5 Julho 2011

     # 7

    Colocado por: FD-> como os bancos usam o dinheiro dos depositantes, quem está a perder são eles, como se viu com o BPN

    Na generalidade e superficialmente até estou de acordo com a sua análise, mas no item citado... ou não interpretei bem ou vivemos em países diferentes. O mercado onde operava o BPN era igual ao mercado do BCP, do BES, da CGD, do BPI, etc. A conjuntura económica era igual, as "realidades" eram iguais. Porquê não aconteceu aos outros bancos o mesmo que aconteceu ao BPN?
    O assunto é desagradável mas infelizmente é uma realidade em Portugal, branqueada pelo sufrágio e pela mais alta inutilidade da nação: esquemas de compra e venda de acções fora do mercado, corrupção (passe o pleonasmo, neste e nos itens seguintes), compadrio, tráfego de influências, crime de colarinho branco, roubo, gamanço, etc. Agrade ou não, esta é a verdadeira história do BPN e da classe política corrupta em Portugal. Importamo-nos com isso? Claro que não... que importância tem isso?! Eu quero é um empréstimo para "A minha alegre casinha/Tão modesta quanto eu".
  8.  # 8

    Colocado por: FD-> população pede dinheiro aos bancos

    O estado e os bancos incentivam a compra de imóveis e as autarquias pavoneiam-se com impostos sobre imóveis.

    Colocado por: FD-> bancos não têm liquidez, pedem ao estrangeiro

    Bancos usam o dinheiro dos contribuintes em acções financeiras no estrangeiro que deram mau resultado com o subprime.

    Colocado por: FD-> estrangeiro cobra juros

    Estrangeiro incentivou os negócios de acções no estrangeiro.e agora aproveita os incautos,fazendo pagar quem nada tem a ver com isso!

    Colocado por: FD-> casas mantêm o preço, não há crise económica, com desemprego associado, tudo corre bem

    Tudo corre sempre bem para os bancos com avales estatais e aumento de juros sobre o problema criado por eles próprios!

    Colocado por: FD-> ou seja, a longo prazo, os bancos tornam-se insustentáveis porque emprestaram 100 para comprar algo que neste momento vale 70

    Bancos tornam-se insustentáveis porque pagavam ordenados milionários,sustentavam algumas contas com juros altíssimos e ajudaram o consumo e não ajudaram as empresas cobrando juros altíssimos por falta de liquidez devido aos milhões investidos nessas acções!E devido às ajudas abruptas de investimentos públicos de grande monta...deixando para trás as pequenas empresas e a economia real!

    Colocado por: FD-> como os bancos usam o dinheiro dos depositantes, quem está a perder são eles, como se viu com o BPN

    O que se viu no BPN não foi uso do dinheiro!Foram roubos uns atrás dos outros de biliões!

    Colocado por: FDOra, em vez de se pedir dinheiro ao estrangeiro para comprar casas ou para construir casas para ficarem vazias, colocando os bancos em risco, endividando o país, não será preferível utilizar as casas vazias existentes, ficando o dinheiro directamente em Portugal sem necessidade de pedir emprestado a ninguém?

    Cá está...economia real ainda não está na cabeça destes tipos!
    Concordam com este comentário: marso
    •  
      FD
    • 5 Julho 2011 editado

     # 9

    Colocado por: MRuimas no item citado... ou não interpretei bem ou vivemos em países diferentes

    O BPN foi um exemplo real em como as coisas podem correr mal com os bancos.
    Ou seja, quis dar um exemplo do que pode acontecer quando as coisas correm mal e não dizer que BPN = outros.
    O exemplo referia-se ao resultado e não ao modo como lá se chegou.
    •  
      FD
    • 5 Julho 2011

     # 10

    Colocado por: Jorge RochaO estado e os bancos

    A culpa não morre solteira, neste e em muitos casos.

    Todos os intervenientes têm culpa. Bancos, estado, compradores, vendedores, todos são responsáveis pelo actual estado das coisas.

    Há um caso recorrente que acho muito interessante observar - ao longe - que é o do sucesso glorificado.
    Os media gostam muito de se concentrar em casos de sucesso, nos grandes, nos empreendedores inovadores, nas grandes ideias, em tudo o que mostre sucesso.
    Porém, a quantidade de casos em que o sucesso hoje é o fracasso quase imediato amanhã, é absurdamente alta.
    A atenção que se dá a pretensos milagreiros dos negócios é sintomática disto que agora estou a dizer.
    Desde que se mostre algo que toda a gente admira ou quer, a multidão segue, cega, sem pensar, qual rebanho ou manada.

    E com as casas foi o mesmo.
  9.  # 11

    Colocado por: Alexandre SilvaTenho ouvido que uma tendência que a Troika quer impor em Portugal é o crescimento do arrendamento de habitação em detrimento da compra de casa própria
    Gostava era de saber como é que vão "obrigar" a baixar as rendas.... obrigar a aumentar a prestação do banco é fácil :-) e não é preciso Troika :-)

    Colocado por: somdigitalArrendamentos: alguém acredita que as rendas vão manter-se? É mais que óbvio que vão subir!
    Pois... também receio que sim...

    O problema no arrendamento em vez da compra é quando sai mais barato pagar ao banco do que ao arrendatário (mesmo incluindo impostos e seguros...)
    Assim, mesmo que se tenha de mudar de casa por uma qualquer razão, sai mais "barato" vender a casa (mesmo por um valor abaixo da compra) e comprar uma outra (obviamente se estiver para isso, tiver capacidade financeira para tal e o banco lhe financiar).

    É que, por exemplo, pagar rendas acima de 600€ por um T2 usado que está à venda por 120.000€ pode não ser um bom negócio...

    Mas.... cada um é cada qual e cada caso é um caso....
  10.  # 12

    Colocado por: FDTodos os intervenientes têm culpa.Bancos, estado, compradores, vendedores, todos são responsáveis pelo actual estado das coisas.

    Isto é uma forma de tapar o sol com a peneira...objecto principal de quem é realmente responsável e daí subtrair-se com facilidade,muitas vezes alegando que os outros também são culpados.
    Faz-me lembrar o pastor que encaminha as ovelhas para um precipício,mas alegando que as ovelhas também são culpadas como se elas tivessem instrumentos para evitar o colapso!

    Colocado por: FDHá um caso recorrente que acho muito interessante observar - ao longe - que é o do sucesso glorificado.
    Os media gostam muito de se concentrar em casos de sucesso, nos grandes, nos empreendedores inovadores, nas grandes ideias, em tudo o que mostre sucesso.
    Porém, a quantidade de casos em que o sucesso hoje é o fracasso quase imediato amanhã, é absurdamente alta.
    A atenção que se dá a pretensos milagreiros dos negócios é sintomática disto que agora estou a dizer.
    Desde que se mostre algo que toda a gente admira ou quer, a multidão segue, cega, sem pensar, qual rebanho ou manada.

    E com as casas foi o mesmo.

    Concordo com esta maneira de observar as coisas(ao longe)doravante observo também que entra um pouco em contrariedade com o que anteriormente disse!
    •  
      FD
    • 5 Julho 2011

     # 13

    Isso que o Jorge Rocha diz é uma forma de desculpabilizar as coitadinhas das pessoas... se o banco/estado lhe disser para saltar para o precipício, o Jorge salta?
    O estado/banco não é paizinho, cada um é responsável por si mesmo.
    •  
      MRui
    • 5 Julho 2011

     # 14

    Finanças põem casas à venda por um cêntimo

    Isto está giro...

    http://sol.sapo.pt/inicio/Economia/Interior.aspx?content_id=23131
  11.  # 15

    Colocado por: FDIsso que o Jorge Rocha diz é uma forma de desculpabilizar as coitadinhas das pessoas... se o banco/estado lhe disser para saltar para o precipício, o Jorge salta?

    Eu diria antes que o FD é que pretende desculpabilizar quem é realmente responsável...a democracia propicia fazer com que toda a gente possa gritar e ninguém ouvir,e uma ditadura responsabiliza quem manda!
    A forma como as pessoas como o FD pensam,levam-me a crer o facilitismo para quem governa porque acabam por nunca serem responsabilizados pelas suas imposições...um pequeno exemplo............o aumento do IVA e dos impostos........foram e são bons resultados?A liberalização dos combustíveis tiveram bons resultados?A carga fiscal tem tido bons resultados?As privatizações de sectores lucrativos do estado vão ter bons resultados?Mas tipos que nada têm a ver com o sistema dito dos mercados financeiros que nem sequer sabem o que é uma acção,são também culpados?
  12. Ícone informação Anunciar aqui?

  13.  # 16

    Colocado por: FDO estado/banco não é paizinho, cada um é responsável por si mesmo.

    Se fosse assim,eu não teria que dar de comer a pessoas que vêm para aqui medir o ruído das máquinas,em vez de fiscalizarem os auriculares que colocamos nos ouvidos...entende?
  14.  # 17

data-ad-format="auto" data_ad_region="test">