Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 21

    Francisco2, desconheço qualquer fabricante de sistemas de gesso laminado que aconselhe a aplicação directa ao suporte de placas de gesso cartonado através de buchas e parafusos...
    É sempre com os parafusos apropriados a uma estrutura secundária, ou através de pastas de agarre...
  2. Ícone informação Anunciar aqui?

    • FENP
    • 14 Abril 2010

     # 22

    Boas,
    desde já obrigado pela prontidão demonstrada para esclarecer as minhas duvidas.
    esqueci me de referir que as paredes são compostas por tijolos de grande formato e não em tijolo tradicional. Este tijolo devido as suas grandes dimensões (70*52*..) tem uma superfície muito regular, e é assente com cola (muito utilizado pelo nuestros Hermanos :) ). pode ser um pormenor relevante, pois o "pladur" não vai ser colado com os ditos "mametes" referidos por alv. mas sim com uma camada fina de pasta de agarre em toda a superfície. Como recomendam no seguinte site http://www.hispaplano.com/Uploads/docs/Libro%20DIT%20Plus%20abril%2009.pdf (pág.20)

    De momento tenho duas hipóteses, visto que as paredes já estarem executadas ou colo o pladur ou revisto com reboco ou estuque.
    e a minha duvida mantém-se será que o paldur oferece melhor comportamento a nível térmico e acústico?

    por exemplo comparando para as divisões interior segundo a cerâmica acústica (tijolo GF 7cm) com PYL (placa de yeso laminado) 37.7dB com gesso 35.3dB
    http://www.hispaplano.com/reportaje.asp?id_rep=79

    A diferença é mínima em termos acústicos mas em termos térmicos o pladur tem um melhor comportamento do que o reboco, certo?

    Cumprimentos
    •  
      alv
    • 14 Abril 2010

     # 23

    Vivam!
    Que trabalheira para umas simples divisórias!
    No seu caso, se já tem o tijolo, eu, e sou eu, só optava por uma de três: Rebocar, aplicar pladur sobre estrutura ou aplicá-lo com mostram as imagens, isto é com espatulado continuo sobre tijolo.
    No último caso, é ainda mais difícil de aplicar que com os mametes de pasta de agarre, mas tem a vantagem de não ter pontes térmicas planas.
    Quanto a valores, pode confiar nos valores que lhe dão para as soluções deles. Com os nossos sistemas as diferenças não são significativas e valores só com contas.
    Agora que tudo isso é escusado, é, porque com uma simples estrutura e uma ou duas placas por face, seria incomparávelmente mais económico e com isolamento entre as placas certamente muito mais eficiente em termos energéticos e acústicos.
    "Fassam" parte e boas obras.
    • FENP
    • 14 Abril 2010

     # 24

    bem obrigado pelos conselhos,
    a empresa que vai fazer o trabalho é especializada neste tipo de execução.
    Vou mesmo optar por colar (espatulado continuo) penso que ficarei bem "servido" com esta solução.
    Cumprimentos
  3.  # 25

    Colocado por: FENPbem obrigado pelos conselhos,
    a empresa que vai fazer o trabalho é especializada neste tipo de execução.
    Vou mesmo optar por colar (espatulado continuo) penso que ficarei bem "servido" com esta solução.
    Cumprimentos


    Se a empresa è especializada neste tipo de trabalho,porque não pedir a eles qual será melhor solução?
    • FENP
    • 14 Abril 2010

     # 26

    Especializada em aplicar as placas de gesso cartonado daquela forma, não são especialistas nem peritos em térmica e acústica para me informarem sobre qual a melhor solução.
    Há sempre muitas soluções e todos vão "defender" as suas como sendo as melhores.
    O melhor talvez fosse estrutura, isolamento e duas placas em cada face como recomenda alv. Mas no meu caso isso não seria possível só precisava de saber se o reboco era melhor que a placas de gesso cartonado coladas só isso.
    Mas penso que fiquei suficientemente elucidado...:)
    cumprimentos
  4.  # 27

    Olá,

    Li as notas sobre este tópico e - confesso - não sou nada entendida na matéria. Quero efectuar o isolamento acústico de uma única assoalhada (quarto), porque os problemas são os de sempre (passos, vozes, etc). Tenho bastantes limitações de espaço e gostava de saber se existe alguma solução (na qual valha a penas gastar dinheiro) com uma espessura de 4cm ou um pouco menos (por parede). As soluções que o Alv aponta têm que espessura? Se existir será que me podem ser dadas indicações sobre o que devo pedir (tipo designações técnicas dos materiais).
    Cumprimentos
  5.  # 28

    Colocado por: TeresapOlá,

    Li as notas sobre este tópico e - confesso - não sou nada entendida na matéria. Quero efectuar o isolamento acústico de uma única assoalhada (quarto), porque os problemas são os de sempre (passos, vozes, etc).


    Os ruídos são produzidos em divisões contíguas, ou pelos vizinhos de cima/baixo? Normalmente é mais difícil isolar o ruído dos passos de cima, pois são ruídos de impacto (pés no chão), nesse caso acho que pode optar por uma caixa de ar no tecto. Para isolar ruídos de baixo, há a corticite, com o benefício do isolamento térmico. Por razões estéticas pode pôr soalho flutuante por cima, em ambos os casos (c/ e s/ flutuante) o resultado é bastante satisfatório, falando por experiência própria.
    Se o ruído for de divisões contíguas, acho que pode optar por revestir as paredes c/ uma espuma isolante e pladur por cima, mas aqui só estou a dar um "palpite", os especialistas podem aconselhar qual a melhor opção preço/eficácia.
  6.  # 29

    Olá,

    Os ruídos são produzidos pelos vizinhos de cima, de baixo e do lado. Não consigo perceber de ondem vêm exactamente os ruídos de vozes e tv, mas os passos vêm do piso superior.
    Eu já tenho corticite no pavimento e gostaria de colocar qualquer coisa no chão que isolasse melhor ou reforçasse o isolamento existente (se é que existe...).
    quanto ao tecto, como funciona essa caixa de ar? Tenho um pé direito de 2,55 metros. Quanto irá ocupar esse isolamento? E nas paredes (para isolamento com as divisões contíguas) quanto espaço ocupa por parede a solução que descreve? E que designação tem o material (para poder pedir orçamentos)?
    O maior problema, como já referi, é que tenho muito pouco espaço... "tirar" 4 cm a cada parede vai fazer uma grande diferença (o quarto tem apenas 10 m2)!

    Obrigada pela ajuda.
    Cumprimentos
    •  
      alv
    • 13 Junho 2010

     # 30

    Vivam!

    Olá Teresa. Na realidade é com diz o hmspider. Não há milagres e os ruídos são das coisas mais difícil de tratar em construção, mas sobretudo se for em casa habitadas, ainda por cima com pouco espaço.
    Como já percebeu conseguirá atenuar bastante os ruídos de condução aérea, mas aqueles que se transmitem por via sólida, isto é, que se transmitem pelas partes sólidas da estrutura e paredes já estamos a entrar noutro patamar do isolamento acústico.
    Quanto aos ruídos do seu vizinho de cima esse parecem ser facilmente reduzidos com a aplicação de um tecto falso com apenas uma ou duas mantas de lã de vidro e apenas necessita de 7 ou 12cm, respectivamente se utilizar uma ou duas Mantas de 60mm, o que poderá parecer muito, mas como tem 2.55 de pé direito e o quarto é pequeno, então não me parece exagerado.
    Quanto às paredes, aí terá de começar pelos 7cm, no mínimo, se pretender alguma eficiência, mas ainda assim, 10 seria o mais razoável.
    De qualquer das formas, uma coisa pode ponderar: Se executar a obra bem, poderá começam pelo tecto e depois se entender avançar para as paredes.
    Boas sorte.
    "Fassam" parte
  7.  # 31

    Olá,

    Agradeço as v/ dicas, uma ajuda preciosa para quem não percebe nada sobre o assunto! Como refere o Alv, acho que vou começar pelo tecto. E entretanto vou pensando na solução das paredes...
    Obrigada por tudo!
  8.  # 32

    Boa tarde!

    É a primeira vez que escrevo no fórum, mas já o sigo há muito tempo, desde que me meti na aventura de construir casa. Aprendi muito com o que li por aqui e, agora, após toda a fase de projectos, especialidades, licenças, etc..., cheguei à parte em que vou (finalmente) começar a construir a moradia. Aqui é que surge a dúvida que gostaria, se alguém me puder elucidar, ver esclarecida. Já vi muitos tópicos por aqui e, sinceramente, nenhum me respondeu exactamente ao que queria saber.

    No que diz respeito ao isolamento da casa, o projectista previu a colocação de um sistema ETICS com EPS de 3cm de espessura e bloco de cimento de 20cm (a moradia é na Madeira e por cá ninguém usa tijolo, apenas bloco). Entretanto, de forma a baixar o custo da obra, optámos por colocar parede dupla com parede externa de bloco de 10cm, caixa de ar de 3cm, EPS 3cm e parede interna de bloco de 15cm. O que se passa é que nesta fase em que ainda estou a receber orçamentos, um dos empreiteiros disse-me que fazia o isolamento pelo interior com Pladur term (10+30EPS) em cima de um bloco exterior de 20cm, baixando assim o custo do isolamento e o espaço ocupado pela parede.

    A minha questão é a seguinte, será que fazendo o isolamento pelo interior com o Pladur term terei o mesmo isolamento que nas outras duas opções, uma vez que a espessura de EPS é sempre a mesma (3cm), alterando apenas o local onde ela ficará colocada? Já ouvi falar muito da inércia por aqui, mas tendo em linha de conta que as temperaturas médias do ar no Funchal, onde a casa vai ser construída, variam entre os 18ºC e 25ºC (temp. mais baixa registada, 10.8ºC), a inércia será um factor assim tão importante a considerar no isolamento da habitação? Esta opção de isolamento pelo interior poderá mexer com o projecto de térmica e consequente certificação da casa? É que não me apetecia entregar novo projecto de térmica na Câmara que, mesmo sem obras, faz questão de demorar.

    Desde já, muito obrigado por qualquer luz que possam lançar sobre esta matéria!
  9.  # 33

    Colocado por: alvVamos ver se conseguimos sistematizar uma série de conceitos sobre isolamentos térmicos, acústicos e outros que venham a surgir.

    Como é que só descobri este tópico hoje???

    Muito bom!
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">