Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Olá a todos,

    Em primeiro lugar gostaria de dar os parabéns ao fórum, que é uma excelente ferramenta para quem se vai aventurar no maravilhoso mundo das remodelações como eu.
    Há muito que sou uma leitora assídua e chegou a hora de pedir a vossa ajuda e opinião.

    Vamos remodelar um apartamento minúsculo no Núcleo Histórico do Seixal que nunca sofreu obras e vai de certeza precisar de muitas intervenções. O prédio é constituído por dois pisos: r/c e primeiro andar. A nossa missão é recuperar o primeiro andar.

    Como muitas outras construções antigas fomos confrontados com paredes exteriores de 60 cm e algumas paredes interiores de 11 e 15 cm e o pavimento com vigas/barrotes em madeira.

    A nossa primeira decisão é que não queremos alterar as divisões nem os materiais originais.

    Nesta primeira fase vamos “atacar” o pavimento. Começámos este fim-de-semana pela sala de 15 m2, removemos o soalho existente, as tábuas estavam muito danificadas, e ao levantarmos as tábuas de madeira deparamos com um segundo soalho assente nos barrotes com alguns calços. Esse segundo soalho encontrava-se em muito mau estado.

    O que encontrámos a seguir foi uma estrutura que é formada por um conjunto de vigas em madeira afastadas entre elas por 26 cm, com vigas arredondadas com um diâmetro de cerca de 16 cm, e a parte superior das vigas onde assentava o soalho está mais plana. As entradas das vigas de madeira na parede encontram-se em bom estado, algumas vigas apresentam furos do bicho mas no geral aparentam boa saúde e boa resistência.

    Ficamos então com os barrotes expostos e o forro do vizinho do r/c que está aplicado directamente na parte inferior dos barrotes. Toda a área foi limpa e o próximo passo era aplicar um produto de tratamento / protecção dos barrotes.
    O meu pai numa tentativa de nos ajudar nesta aventura tomou a liberdade de usar um método anti-bicho do seu tempo e aplicou ontem durante o dia uma pintura de óleo queimado misturado com azeite. Como não era o caminho a seguir no tratamento e prevenção da madeira e aqui surge a nossa primeira dúvida, podemos aplicar algum desses produtos no mercado sobre o óleo queimado? E caso a resposta seja sim qual seria o produto mais indicado?

    A segunda pergunta está relacionada com o problema acústico, porque podemos facilmente acompanhar o dia a dia do nosso vizinho do r/c como se estivéssemos lá no piso de baixo ao lado dele. Como solução pensamos em criar alguma “barreira” e tentar melhorar esta situação. Aqui vem o plano de trabalhos:

    1-Aplicar platex fixando o mesmo entre os barrotes de forma a formar uma caixa para ser preenchida com isolamento (placas de EPS 100 / 100 mm e lã de vidro) deixando um espaço entre o platex e o forro do vizinho com 2 cm. E fica aqui mais uma dúvida, a circulação de ar nos barrotes, se deveríamos fazer alguns furos no platex para circular ar?

    2-Forrar o pavimento com placas de mdf. Aqui surgem várias dúvidas, que tipo de mdf, aquele com aspecto feio que penso ser aglomerado de partículas ou aquele com um aspecto bonitinho e liso que penso ser aglomerado de fibras? Qual a espessura do mdf mais apropriada a esta função? E o que fazer para que o mdf fique nivelado, usar calços como o sistema antigo? Qual a melhor madeira para fazer esses calços?

    3-No fim da obra queremos aplicar o pavimento Quick-step e aqui surge mais uma dúvida, por cima do mdf deverá ser aplicada alguma tela isolante ou argamassa autonivelante (queríamos fugir desta e de tudo o que envolvesse cimento) por questões de protecção de humidade?

    As minhas desculpas pelo tamanho do post e pela terminologia menos correcta e obrigada pela vossa atenção.

    Crissy
  2. Ícone informação Anunciar aqui?

  3.  # 2

    Vou-lhe responder por fases

    Colocado por: CrissyComo muitas outras construções antigas fomos confrontados com paredes exteriores de 60 cm e algumas paredes interiores de 11 e 15 cm e o pavimento com vigas/barrotes em madeira.

    Pois, eram os métodos construtivo da altura e bem bons que eram. Depois disso, foi-se de aldrabice em aldrabice, até acertarem com o betão armado

    Colocado por: CrissyO meu pai numa tentativa de nos ajudar nesta aventura tomou a liberdade de usar um método anti-bicho do seu tempo e aplicou ontem durante o dia uma pintura de óleo queimado misturado com azeite.

    Como é que ele aplicou (bem) se o forro do vizinha ainda lá está? è que não serve de nada aplicar em 80% da superfície.

    Colocado por: CrissyComo não era o caminho a seguir no tratamento e prevenção da madeira e aqui surge a nossa primeira dúvida, podemos aplicar algum desses produtos no mercado sobre o óleo queimado? E caso a resposta seja sim qual seria o produto mais indicado?

    Não era porquê? A verdade é que se utilizava e muito e sempre se aguentou bem. Muitos desses produtos pseudo modernos (químicos) estão a anos luz. Se já está feito, deixe estar, senão aplique Cuprinol, mas terá de aplicar em 3 vezes em 3 dias , saturando a madeira de cada uma das vezes, para que ela absorva em profundidade

    Colocado por: Crissy1-Aplicar platex fixando o mesmo entre os barrotes de forma a formar uma caixa para ser preenchida com isolamento (placas de EPS 100 / 100 mm e lã de vidro) deixando um espaço entre o platex e o forro do vizinho com 2 cm. E fica aqui mais uma dúvida, a circulação de ar nos barrotes, se deveríamos fazer alguns furos no platex para circular ar?

    Não têm lógica fixar entre os barrotes. nunca conseguirá um isolamento em condições, porque ficarão sempre juntas abertas. Ademais, os barrotes são redondos.
    Pode é encher o espaço, entre o forro do vizinho e o seu pavimento, com lã de vidro de baixa densidade (?) ou outro material isolante

    Colocado por: Crissy2-Forrar o pavimento com placas de mdf. Aqui surgem várias dúvidas, que tipo de mdf, aquele com aspecto feio que penso ser aglomerado de partículas ou aquele com um aspecto bonitinho e liso que penso ser aglomerado de fibras? Qual a espessura do mdf mais apropriada a esta função?

    Placas OSB de 10mm. Aquilo é para ficar escondido, não é preciso ser bonito

    Colocado por: CrissyE o que fazer para que o mdf fique nivelado, usar calços como o sistema antigo?

    Os antigos eram malta inteligente. Sim, não têm outra hipótese

    Colocado por: CrissyQual a melhor madeira para fazer esses calços?

    Não é importante, mas pode usar casquinha e não se esqueça de a proteger também

    Colocado por: Crissy3-No fim da obra queremos aplicar o pavimento Quick-step e aqui surge mais uma dúvida, por cima do mdf deverá ser aplicada alguma tela isolante ou argamassa autonivelante (queríamos fugir desta e de tudo o que envolvesse cimento) por questões de protecção de humidade?

    Pode e deve aplicara a espuma dos pavimentos flutuantes e ainda telas acústicas, tipo impactodan
    Humidades ascendentes num 1ª andar?

    Atenção às espessura a colocar, senão não conseguirá abrir as janelas de sacada
  4.  # 3

    Obrigada Paulo Correia pela sua muito esperada resposta,

    quanto a este ponto "Pode é encher o espaço, entre o forro do vizinho e o seu pavimento, com lã de vidro de baixa densidade (?) ou outro material isolante" a minha preocupação é se o vizinho de baixo decide mudar o forro dele (a casa dele também nunca teve obras) e ao retirar as tábuas leva com o meu isolamento em cima, literalmente...

  5.  # 4

    Nâo deve levar com ele em cima, porque quando o colocar, corte-o um pouco maior que o necessário e entale-o entre os barrotes, de forma a ficar apertado entre eles. Como, quer o xps e o eps, não são materiais muito rígidos, não é complicado. Qual a melhor opção, julgo que o EPS, é mais indicado, mas espere melhor opiniões que a minha.

    Caso tivesse espaço, colocaria uma manta de lã de vidro sobre os barrotes e sob o OSB, formando uma barreira continua. Mas não sou grande (nem pequeno, aliás) expert em isolamentos acústicos, dai ter posto o parêntesis.
  6.  # 5

    Mais uma vez obrigado,

    EPS "entalado" nos barrotes será e como espaço não é problema a ideia da manta de lã de vidro/rocha também fica registada.
    Vou começar a procurar preços de Placas OSB de 10mm e sobre as mesmas gostaria de lhe perguntar se deveram ficar junto às paredes (que vão ser tapadas com pladur)ou devemos deixar alguns centímetros.
    • bch
    • 21 Maio 2009 editado

     # 6

    Boa tarde
    Realmente tudo oque foi comentado faz sentido,em relação ao oleo queimado foi 1 excelente aposta,hoje em dia temos o cuprionol, em relação o eps nao cair quando vizinho tirar o forro dele,aconselho a colocar uns sarravões aparafusados na lateral para servirem de base ao eps,assim não irá cair,em relação ao mdf,aconselho o hidrofego é mais resistente aconselho tambem a dar umas boas camadas de tapa poros nas duas faces, em relação ao pavimenton obviamente que tera de por espuma sem duvida e se é da quickstep o chão sem duvida que esta bem servida.
    publicidade inserida pelo autor do comentário - tem de estar registado para poder ver
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">