Iniciar sessão ou registar-se
    • RMSA99
    • 13 Junho 2018 editado

     # 1

    Boa tarde,

    Solicito ajuda para a seguinte questão:

    Face às vantagens obtidas a nível de spread, pretendia transferir o meu crédito à habitação para outra instituição bancária. No entanto, e face à incapacidade devidamente comprovada por Atestado Multiusos, pretendia também requerer a aplicação da taxa de juros bonificada de acordo com a legislação em vigor para o efeito.

    - É mais aconselhável fazer primeiro a transferência do crédito e só mais tarde requerer junto da nova instituição bancária a aplicação da taxa de juros bonificada por incapacidade física?

    - Ou não haverá desvantagens por tratar das duas situações em simultâneo junto da instituição bancária para onde pretendo transferir o meu crédito à habitação?

    Muito obrigada a quem possa dar um parecer.
  1. Ícone informação Anunciar aqui?

  2.  # 2

    Boa noite,

    "Nenhum banco é obrigado a conceder crédito à habitação ao abrigo de um regime especial, como é o caso. O que a lei determina é que o cliente tem direito à conversão do seu empréstimo para um crédito bonificado a pessoas com deficiência se, entretanto, passou a ter um grau de incapacidade igual ou superior a 60% depois da celebração do contrato.

    No entanto, quase todos os bancos concedem crédito para este fim, à exceção de Bankinter, Banco CTT, Banco BiG, Best Bank e Abanca."

    Isto foi tirado do site da proteste com data de outubro de 2017. Ou seja, pelo que percebo nada ganha em fazer as coisas em separado, uma vez que se não aceitarem inicialmente nada os obriga a aceitar à posteriori. São obrigados se a incapacidade ocorrer durante a vigência de um contrato feito anteriormente.

    De qualquer maneira, se pretender posso fazer esta pergunta diretamente aos bancos para obter mais informação e posso também auxiliar em todo o processo de transferência de credito de uma forma totalmente gratuita.

    Sou consultor financeiro da Decisões e Soluções e o meu trabalho consiste em dar apoio em todo o processo de procura e decisão das melhores condições de crédito, incluindo seguros, sendo o nosso trabalho 100% gratuito. Trabalhamos com todos os bancos e fazemos todo o trabalho de entrega de dossiers e negociação das condições de crédito de uma forma rápida e sem custos para o cliente, que beneficia das condições vantajosas em alguns bancos através dos protocolos assinados entre estes e a DS (Decisões e Soluções). Os interessados poupam tempo e trabalho e têm a garantia de beneficiar das melhores ofertas do mercado para o seu caso.
    Apesar de eu apresentar a documentação e informações em agências da minha área de residência, todo o processo pós pré-aprovação, caso o cliente decida avançar, realizar-se-á na sucursal do banco escolhido de sua preferência. Se procura apoio ou têm alguma dúvida não hesite em contactar-me através do email: luisvela@decisoesesolucoes.com
  3.  # 3

    Muito obrigada pelo esclarecimento e disponibilidade manifestada.
    Irei ponderar a decisão a tomar.

    Cumprimentos

    • Drn
    • 15 Julho 2018

     # 4

    Boa noite.
    Eu já criei um tópico e só depois é que vi que existem vários sobre este assunto! Visto que é consultor será que .e pode esclarecer ia situação.
    Quero transferir o meu C.H para outro banco e tenho fiadores por que que altura que o crédito foi feito não eramos efetivos. Neste momento já temos mais estabilidade financeira. O spread que temos é muito elevado e atualmente os bancos oferecem cerca de metade do spread que temos em vigor.
    Queria então saber se após a devida analise do banco e em caso de conseguirmos suportar o crédito sozinhos é possível os fiadores que constam n escritura antiga serem removidos.
    Muito obrigado.
    •  
      luisDS
    • 15 Julho 2018 editado

     # 5

    Boa noite Drn,

    Claro que é possível, e se estão ambos efetivos e salarialmente numa posição igual ou superior penso que até é o mais provável, mas claro só vendo a documentação poderei ter a certeza. Se só estiver 1 efectivo pode ser possível em alguns bancos, noutros talvez não, mas em principio consigo se a taxa de esforço não estiver perto do limite.
    Eu quando apresento qualquer processo, seja ele de novo crédito ou transferência (tenha o CH em vigor fiadores ou não) nunca menciono fiadores numa primeira fase. Se depois for necessário para a aprovação, e se os houver, aí sim, entro com esse "trunfo".

    Gostaria muito de analisar o seu processo, pelo que se estiver interessado posso avançar já amanhã com ele.
    Nesse caso contacte-me através do email luisvela@decisoesesolucoes.com para eu lhe fornecer informações relativamente aos documentos necessários.

    Cumprimentos
    • Drn
    • 16 Julho 2018

     # 6

    Obrigado LuisDs! Primeiro preciso de saber se os fiadores concordam com este pedido na eventualidade de serem necessários. Logo que tenha alguma resposta comunico.
  4.  # 7

    Bom dia,

    Não necessita de fazer isso agora! Os processos entram sem fiadores! Se depois for condição obrigatória tem todo o tempo que quiser para decidir e falar com eles! Para além disso, o objectivo é libertá-los dessa responsabilidade ao mesmo tempo que se procura uma prestação mais baixa possível!
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">