Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    A sogra de um amigo têm dividas fiscais, fez venda fictícia de todos os bens a apenas a um dos filhos P (filhos P, H e R), não existem transações monetárias porque se houvesse penhoravam-lhe os bens, só escrituras fictícias.

    H casado com M e com filhos, têm 1/2 de 1 imóvel arrendado cujo valor declara no IRS, mas cujo dinheiro fica na conta P, esse dinheiro está na ser usado em nome de P para desviar património do casal (H e M) em caso de uma possível separação.

    Como deve M proceder para salvaguardar o património do casal que está a ser desfraldado?
  2.  # 2

    O melhor é denunciar tudo á AT para o património não ser "desfraldado" e ir todo para o Estado...
  3.  # 3

    Desfraldado... estes correctores ortográficos.

    Que confusão, não percebi grande coisa.
    Se tem amor ao dinheiro, advogado.
    Se não tem dinheiro ao amor, peço desculpa, amor ao dinheiro, guardar provas de tudo e depois quando a bomba rebentar, andar 30 anos em tribunal.
  4.  # 4

    Nao existem escrituras fictícias, só as reais, se a sogra fez a venda a um dos filhos, os restantes e esposas tiveram de assinar um documento de autorização, caso contrario, qualquer dos filhos pode pedir a anulação da escritura. Relativamente a M e a metade do imóvel arrendado, penso que depende do que consta do contrato de arrendamento, mas o melhor é M falar com um advogado quanto antes, já que a separação poderá ser iminente.
  5.  # 5

    Colocado por: RobimA sogra de um amigo têm dividas fiscais


    Paga e está resolvido.
  6.  # 6

    Colocado por: RobimComo deve M proceder para salvaguardar o património do casal que está a ser desfraldado?
    Deixarem-se de esquemas, declarar as rendas e pagar os impostos. Assim se a renda não é declarada, não entra dinehiro nenhum na conta de H e M, logo não ha nada para dividi em caso de divócio. Ou M pensa ir a tribunal, tendo a sua palavra apenas como prova?
  7.  # 7

    Vá a um advogado. Pessoas especializadas na área. Fóruns para temas destes não são o sítio mais apropriado. Não gastam 300 ou 400 euros num advogado e depois sofrem milhares nas consequências..
  8.  # 8

    Alguém conhece um advogado especialista no assunto? A maioria dos advogados não são muito sérios é a ideia que tenho.
  9.  # 9

    Os advogados defendem que lhes paga.
  10.  # 10

    Ou seja deserdou 2 dos 3 filhos o que não é muito fácil de fazer sem um tribunal autorizar.

    Isso vai ser tudo anulado, revertido e penhorado