Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Olá a Todos,

    Somos um jovem casal que está no momento á procura do primeiro crédito habitação e gostávamos de pedir os vossos conselhos para esta jornada.

    Temos cerca de 2100 euros de rendimento liquido, estamos ambos no quadro, não temos mais nenhum crédito (estamos neste momento numa casa alugada).

    Vimos um apartamento que nos encheu as medidas que custa cerca de 160.000 euros, e pela nossa pesquisa os novos créditos apenas financiam 90% deste valor, pelo que teríamos de desembolsar cerca de 16.000euros.

    Nós temos esse valor nas nossas poupanças, mas também temos um filho bebé, e retirar esse valor do nosso fundo de emergência + os custos que eventualmente teremos com a concessão do crédito, deixam-me muito nervosa.

    Não há alternativas? Será que atualmente toda a gente dá realmente estes 10% de entrada? Gostávamos de mudar de casa (a nossa é muito pequenina) mas somos honestos (e inocentes nestas coisas).

    Obrigada a todos
  2.  # 2

    Colocado por: SunFlower87Nós temos esse valor nas nossas poupanças, mas também temos um filho bebé, e retirar esse valor do nosso fundo de emergência + os custos que eventualmente teremos com a concessão do crédito, deixam-me muito nervosa.


    ficava sem poupanças com a compra do apartamento? não é bom ficar sem poupanças, mas elas existem para se gastarem quando é preciso. a altura podia ser pior. Está a chegar os reembolsos do IRS e o subsidio de férias o que já permite recuperar um pouco as poupanças. Depois se a prestação do crédito for menor do que o valor que paga de aluguer, fica a ganhar todos os meses.
    Concordam com este comentário: luisDS
  3.  # 3

    Colocado por: SunFlower87Olá a Todos,

    Somos um jovem casal que está no momento á procura do primeiro crédito habitação e gostávamos de pedir os vossos conselhos para esta jornada.

    Temos cerca de 2100 euros de rendimento liquido, estamos ambos no quadro, não temos mais nenhum crédito (estamos neste momento numa casa alugada).

    Vimos um apartamento que nos encheu as medidas que custa cerca de 160.000 euros, e pela nossa pesquisa os novos créditos apenas financiam 90% deste valor, pelo que teríamos de desembolsar cerca de 16.000euros.

    Nós temos esse valor nas nossas poupanças, mas também temos um filho bebé, e retirar esse valor do nosso fundo de emergência + os custos que eventualmente teremos com a concessão do crédito, deixam-me muito nervosa.

    Não há alternativas? Será que atualmente toda a gente dá realmente estes 10% de entrada? Gostávamos de mudar de casa (a nossa é muito pequenina) mas somos honestos (e inocentes nestas coisas).

    Obrigada a todos


    Boa tarde,

    Sim, em aquisição de imóvel não é possível financiar directamente mais do que 90%. Obviamente que há quem peça crédito pessoal para colmatar os outros 10%, sendo por isso possível, mas não recomendável. No vosso caso ainda menos recomendável será porque não necessitam no imediato, e como devem saber o crédito pessoal está sujeito a taxas de juro bastante mais violentas do que o CH.
    Parece-me que têm todas as condições e que deve pensar de outra maneira relativamente ao crédito pessoal. Pelo que disse parece-me que depois do CH ainda terão margem para pedir um crédito pessoal. Por esse motivo podem ficar relativamente tranquilos porque no caso de uma urgência podem recorrer a ele, sabendo que numa semana ou menos conseguem ter o dinheiro disponivel para ser movimentado.
  4.  # 4

    Atenção que não são apenas 16000€. Tem os custos com o crédito e os impostos associados à compra.
    Concordam com este comentário: IronManSousa, eu
  5.  # 5

    Colocado por: caocomasasAtenção que não são apenas 16000€. Tem os custos com o crédito e os impostos associados à compra.
    Concordam com este comentário:IronManSousa,eu


    bem lembrado. para 160k ainda são €2,359.77 de IMT e €1,280.00 de imposto de selo.
  6.  # 6

    Colocado por: caocomasasAtenção que não são apenas 16000€. Tem os custos com o crédito e os impostos associados à compra.
    Concordam com este comentário:IronManSousa,eu


    "emergência + os custos que eventualmente teremos com a concessão do crédito"

    Parece haver consciência disso!
    A resposta é a mesma, pois já tinha isso em consideração!
  7.  # 7

    5000€ para impostos e processos.
  8.  # 8

    Colocado por: luisDS

    Boa tarde,

    Sim, em aquisição de imóvel não é possível financiar directamente mais do que 90%. Obviamente que há quem peça crédito pessoal para colmatar os outros 10%, sendo por isso possível, mas não recomendável. No vosso caso ainda menos recomendável será porque não necessitam no imediato, e como devem saber o crédito pessoal está sujeito a taxas de juro bastante mais violentas do que o CH.
    Parece-me que têm todas as condições e que deve pensar de outra maneira relativamente ao crédito pessoal. Pelo que disse parece-me que depois do CH ainda terão margem para pedir um crédito pessoal. Por esse motivo podem ficar relativamente tranquilos porque no caso de uma urgência podem recorrer a ele, sabendo que numa semana ou menos conseguem ter o dinheiro disponivel para ser movimentado.


    E se por uma hipótese , remota talvez, que o avaliador do banco avalie o imóvel por exemplo 170.000€ e o dono do imóvel está a pedir 160.000€ . O banco financiaria 100% ?
  9.  # 9

    Colocado por: Cleytonp

    E se por uma hipótese , remota talvez, que o avaliador do banco avalie o imóvel por exemplo 170.000€ e o dono do imóvel está a pedir 160.000€ . O banco financiaria 100% ?


    Não.
    Concordam com este comentário: luisDS
    •  
      luisDS
    • 1 Abril 2021 editado

     # 10

    Colocado por: Cleytonp
    E se por uma hipótese , remota talvez, que o avaliador do banco avalie o imóvel por exemplo 170.000€ e o dono do imóvel está a pedir 160.000€ . O banco financiaria 100% ?


    Não porque o banco só pode financiar o valor mais baixo entre 90% da aquisição e (o mais comum) 85% da avaliação, pelo que se fosse o caso, 90% de 160k são 144.000€ e 85% de 170k são 144.500€, ou seja o banco iria financiar o valor mais baixo que é 90% do valor de aquisição.

    5000€ não chegam para despesas! A somar ao IMT e IS (3.639,77€) temos o Imposto de selo sobre o novo crédito (0,6% X 144.000€) e as despesas bancárias(depende do banco mas sempre entre 1600 e 1800€, ou seja 3639,77+864+1700= cerca de 6200€!
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Cleytonp