Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Bom dia,

    Deparei-me com uma situação que sinto na necessidade de partilhar.

    Sou uma pessoa extremamente calma e, por vezes, bastante envergonhada. Não suporto conflitos e raramente consigo lidar bem com eles.

    Mas neste dia, não aguentei, pela segunda vez em 2 semanas. Era meia noite e quase meia e tinha trabalho de manhã no dia a seguir. O vizinho de cima tem uma neta muito querida mas que, infelizmente, não está educada para ter cuidados a partir de certas horas. É uma constante ouvir a mesma a correr de uma ponta à outra do apartamento e a brincar às tantas horas, não apenas sozinha mas, do que consegui ouvir, com os avós também.

    Subi para pedir novamente, educadamente, se poderia arranjar alguma forma de reduzir o ruído. Tanto o senhor como a mulher aparecem-me à porta. O senhor a desconversar dizendo que o meu relógio está "atrasado" (não percebi) e a mulher a dizer que "esta gente que não tem filhos...". De notar que estavam ambos a falar comigo de forma bastante rude. Escusado será dizer que não consegui dizer muito, dada a minha personalidade. Apenas disse que "teria que tomar outras medidas caso não tomasse atenção ao ruído" (aka polícia, mas não lhes referi). Finalmente o senhor diz, antes de me fechar a porta na cara: "Se aparecer aqui outra vez depois da meia noite, vai-se ter que ver comigo."

    Ainda hoje estou meio que um pouco abalado e entristecido por ter que levar com isto nem 1 ano depois de ter vindo viver para esta casa.

    Sei que é mais um destes tópicos no fórum... Mas não sei mesmo que fazer nesta situação. Por um lado chamaria mesmo a polícia, mas queria saber se nesta situação tenho de facto alguma razão ou se simplesmente estaria a abrir portas que não deveria.

    Obrigado a todos
    • size
    • 3 agosto 2022

     # 2

    Colocado por: dj.rodrigues
    . Apenas disse que "teria que tomar outras medidas caso não tomasse atenção ao ruído" (aka polícia, mas não lhes referi). Finalmente o senhor diz, antes de me fechar a porta na cara: "Se aparecer aqui outra vez depois da meia noite, vai-se ter que ver comigo."
    >


    Sendo situação real de existir ruído incomodativo, seja a que horas forem, sua excelência, o dito, pode ser interpelado, precisamente, na hora da ocorrência, podendo ser 1, 2 ou 4 horas da noite.

    Escreva-lhe um recado, a colocar na caixa do correio, a esclarecer que perante as ameaças que proferiu, futuramente, serão as autoridades a baterem-lhe à porta, de acordo com a seguinte norma do ruído. Chame as autoridades

    Artigo 24.º - Ruído de vizinhança

    1 - As autoridades policiais podem ordenar ao produtor de ruído de vizinhança, produzido entre as 23 e as 7 horas, a adopção das medidas adequadas para fazer cessar imediatamente a incomodidade.
    2 - As autoridades policiais podem fixar ao produtor de ruído de vizinhança produzido entre as 7 e as 23 horas um prazo para fazer cessar a incomodidade.
    Concordam com este comentário: macinblack, marteloescopro, HAL_9000, MarcoP
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Sansoni7, MarcoP, dj.rodrigues
  2.  # 3

    acorda de manha.
    Coloca a aparelhagem alta para estremecer o predio.
    E espera o resultado.
    Concordam com este comentário: Buzy, nunomp
    • Rico
    • 3 agosto 2022 editado

     # 4

    Eu tenho filhas pequenas e no máximo elas já estão a dormir às 22h. Ainda assim mesmo antes dessa hora tenho o cuidado para não fazerem muito barulho mas há vizinhos meus que não têm cuidado nenhum e martelam depois das 23h, miúdos a mandarem boladas nas paredes etc. Tentei falar a bem e não resultou. Só quando me chateei a sério as coisas melhoraram. A polícia não resolve nada e nem gente desse tipo tem medo da polícia, por isso pela sua sanidade é melhor cortar o mal pela raiz ou infelizmente tem de mudar de casa. É triste mas é assim.
  3.  # 5

    Arranja uma coisa destas:

    https://www.youtube.com/shorts/a482zoRk1bI

    Da proxima vez que fizerem barulho a essas horas, espera pelas 3 ou 4 da manhã ;)
  4.  # 6

    Bem, não sei se algumas das respostas contêm algum sarcasmo ou não... mas claramente não irei baixar ao nivel deles nem arriscar chatear o resto dos vizinhos.

    Colocado por: RicoEu tenho filhas pequenas e no máximo elas já estão a dormir às 22h. Ainda assim mesmo antes dessa hora tenho o cuidado para não fazerem muito barulho mas há vizinhos meus que não têm cuidado nenhum e martelam depois das 23h, miúdos a mandarem boladas nas paredes etc. Tentei falar a bem e não resultou. Só quando me chateei a sério as coisas melhoraram. A polícia não resolve nada e nem gente desse tipo tem medo da polícia, por isso pela sua sanidade é melhor cortar o mal pela raiz ou infelizmente tem de mudar de casa. É triste mas é assim.


    Que quer dizer com chatear a sério ou cortar o mal pela raíz?
    • Rico
    • 3 agosto 2022

     # 7

    Quero dizer que tive de dar dois murros a sério no gajo. Eu respeito toda a gente e tento resolver a bem mas cheguei ao limite. Fui pedir educadamente para não fazerem barulho à noite e nem ligaram. Fui aguentando várias noites até explodir. Todos à volta se queixavam do barulho que faziam à noite mas ninguém ia dar a cara. Se todos se unissem não era preciso chegar a tanto mas como já não aguentava todas as noites com o barulho resolvi as coisas sozinhos podendo sofrer retaliações claro. As leis deste país não são respeitadas muito menos as do ruído. Violência não resolve problemas mas no meu caso foi o último recurso.
    Concordam com este comentário: Pedro Barradas, Apfm
    • marq
    • 3 agosto 2022

     # 8

    É chamar as autoridades. Uma coisa é o bebe acordar e chorar por mil e uma razões, mas acaba por se calar, e sendo o senhor de bom censo compreende a situação. Mas ter a criança acordada a essas horas da noite, a brincar e fazer barulho sem que os adultos tentem minimizar o ruido e ajudem a festa NÃO..
    Quando voltar a acontecer, primeiro avisa o vizinho para fazer menos ruido até cessar com ele; não parando chama a GNR OU PSP conforme for o seu caso, eles têm que dar um tempo para os vizinhos se calarem.
    Por onde andam os pais da criança??? CPCJ!!!
    Concordam com este comentário: desofiapedro
    • AMVP
    • 3 agosto 2022

     # 9

    Colocado por: dj.rodriguesBem, não sei se algumas das respostas contêm algum sarcasmo ou não... mas claramente não irei baixar ao nivel deles nem arriscar chatear o resto dos vizinhos.

    A pensar assim não vai resolver o seu problema.
    Concordam com este comentário: Caravelle, Bondi, desofiapedro, Pedro Barradas
  5.  # 10

    E você toma um golo bem grande de coragem e da próxima vez, às 00h quando houver barulho que o impeça de descansar apareça-lhe à porta, pra mostrar que pode até não ser do seu feitio, mas não papa parvoíce, tem a razão do seu lado, se puder leve alguém de confiança consigo, e mantenha a sua educação e calma ao passar a sua mensagem, normalmente os bullies para além de odiarem confronto ainda odeiam mais quando a pessoa continua calma e educada.

    Ainda na segunda feira à noite aqui na zona tive que sair de casa e ir ter com um grupo de 3 marmanjos bebados e ganzados que decidiu que estar na rua com uma coluna a altos berros era boa ideia, já pra n dizer que no grupo 2 eram homens e 1 uma mulher que proferia insultos pesados a um dos rapazes e que qualquer um conseguia bem ouvir. Começou às 22h, fui deixando, malta de férias, estava fresco na rua, dou o beneficio do relaxamento, mas bateu 23h30 00h a musica continuava igual ou mais alta. ÀS 00h30 fui lá acabar com o relax. Sou tolerante, deixo as pessoas à vontade porque tbm gosto de estar à vontade, mas tenho limites pra essa tolerância.
    Concordam com este comentário: Pedro Barradas, Bondi
  6.  # 11

    A liberdade do outro acaba quando interfere na tua liberdade... E vice-versa.
  7.  # 12

    Se não gosta nem quer resolver as coisas com recurso a meios mais brutos não faça, até porque as coisas podem correr mal.

    Chame a psp as vezes que forem necessárias.

    Agora quem lhe diz que "bruteza" não resolve nada está-lhe a mentir ou vive fora do mundo real.
  8.  # 13

    Colocado por: DuarteMChame a psp as vezes que forem necessárias.


    duvido que a psp resolve alguma coisa nestes casos.
  9.  # 14

    No minimo penso que falará com a pessoa em causa, correcto?

    Não sei quanto a outros, mas ver a policia a bater à porta em gesto de aviso, mesmo que não seja para multar, era capaz de me intimidar...
  10.  # 15

    Colocado por: DuarteMAgora quem lhe diz que "bruteza" não resolve nada está-lhe a mentir ou vive fora do mundo real.

    Ás vezes corre mal

    https://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/homem-morre-no-hospital-apos-discussao-por-causa-de-barulho-em-odivelas
  11.  # 16

    Colocado por: Carvai
    Ás vezes corre mal

    https://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/homem-morre-no-hospital-apos-discussao-por-causa-de-barulho-em-odivelas


    Segundo alguns utilizadores a morte foi justicada, pois o velho era do chega e o homicida era racializado.
  12.  # 17

    Bom dia,

    Eu penso que chamar a Polícia PODE ser a melhor solução.
    Como já foi anteriormente divulgado aqui, se for entre as 23h e as 7h o vizinho é notificado para cessar com o ruído de imediato incorrendo em contra-ordenação se não acatar.
    Eu falo por experiência própria como ex PSP (já deixei a Polícia). Exerci durante 7 anos em Lisboa na zona da Janelas Verdes, 24 de Julho, Lapa. "Resolvi" dezenas, senão, mais de 100 ocorrências de ruído de vizinhança. O nosso procedimento era muito simples. Chegados ao local do reclamante, averiguávamos se ouviamos ou não o referido ruído/barulho. Muitas vezes, ruído esse que no meu caso não seria importunador ou constrangedor de descansar mas não devemos julgar se é ou não importunador para o reclamante, todos somos diferentes e há quem consiga adormecer na discoteca e há aqueles que basta o zumbido dum mosquito no quarto ao lado e já não conseguem adormecer, claro que na participação de ruído que efectuavamos como expediente referíamos se era bastante audível ou não, mas não cabe a nós julgar se era suficiente para importunar o descanso do reclamante ou não.
    Havia casos que os vizinhos se apercebiam da chagada da Polícia e paravam com tudo enquanto estávamos no prédio e outros que continuavam. Se o ruído fosse constatado por nós, íamos ao apartamento de onde o ruído provinha e identificávamos o proprietário e notificávamos para cessar o ruído imediatamente se fosse depois das 23h ou dávamos meia hora para terminar o que estava a originar o ruído se fosse antes das 23h. Todas as vezes que voltássemos ao mesmo local e que o ruído fosse constatado por nós e se passasse o período por nós estipulado para cessar o ruído, o identificado era autuado por contra-ordenação e notificado novamente para cessar o ruído.
    Tive um caso de autuar a mesma pessoa 3 vezes na mesma noite.
    O problema é que nem todos actuam da mesma forma. Mesmo em Lisboa em zonas em que ocorrências de ruído são raras podem as mesmas não ser resolvidas desta forma ou de forma alguma. Como também acontece noutras áreas do país em que o efectivo da Polícia está mais desgastado com a profissão, desactualizado e mais uma vez lidam com ocorrências deste tipo 1 vez a cada 10 anos e acabam por vezes por não a resolver de forma mais apropriada.

    Acima de tudo fui sempre defensor de dar conhecimento ao vizinho que está a fazer barulho, porque resolvi muitas ocorrências em que nem avisavam o vizinho que estava a fazer barulho. Simplesmente chamavam a Polícia e os vizinhos acabavam por ser apanhados de surpresa e acatavam de imediato a ordem porque desconheciam que estavam a importunar outra pessoa.
    Neste caso específico parece que o diálogo com os vizinhos "ruidosos" já deixou de surtir qualquer efeito ou ser produtivo.

    Desejo-lhe boa sorte e que de alguma forma consiga resolver o seu problema.
    Concordam com este comentário: size, desofiapedro
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Pedro Barradas, Sansoni7, Bruno.Alves
  13.  # 18

    Já necessitei da actuação da Autoridade, no caso a GNR, para por cobro a uma festa de jovens no jardim da casa de um deles e que se estava a prolongar para além das 0 horas.
    Deslocaram-se ao local do evento e acabaram com a festa...e eu pude dormir, pois o dia seguinte era dia de trabalho.
    Concordam com este comentário: MarcoP
    Estas pessoas agradeceram este comentário: size
 
0.0199 seg. NEW