Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Boa tarde a todos,
    Sigo atentamente este fórum e agradeço a todos por já me tirarem algumas dúvidas :)

    Agora vou eu expôr a minha situação (um pouco fora do comum), se conseguirem ajudar-me de alguma forma agradeço. Sou de Paços de Ferreira, fui criada muito de perto com a indústria do mobiliário. Tirei o meu curso superior e trabalho por conta de outrem. No entanto estou a pensar criar a minha própria empresa ligada ao mobiliário e aproveitando assim todo o conhecimento da área que fui adquirindo.
    Gostava de vos perguntar quais as grandes necessidades sentidas pelo cliente final no que toca ao mobiliário, dificuldades sentidas para adquirir móveis, dificuldades que sentem quando querem encontrar uma empresa, se faria sentido um bom site de e-comerce de mobiliário, por exemplo de repente só vejo o site do IKEA a prestar um bom serviço ao cliente em todas as vertentes (a qualidade deixo para outras núpcias), pessoalmente sinto que a indústria do mobliário/ decoração de Paços de Ferreira não está muito bem representada a nível digital, o que sentem vocês como clientes? Outro exemplo, as fábricas têm bastante mobiliário em armazem que não vendem, que não está tão na moda, o que posso fazer para dar visibilidade a este lado? Na sua grande maioria são móveis com bastante qualidade e com preços inferiores ao que vemos nas tendências e que por norma não assentam tanto na qualidade. Sinto que a maioria dos clientes recorrem ao IKEA e afins porque fica mais económico, mas podemos ser económicos mas com mais qualidade.

    Querem dar a vossa opinião? Quais as dificiculdades que sentem como clientes?

    Obrigada,
    Daniela
  2.  # 2

    Olá Daniela,

    Tendo-me mudado há pouco tempo para uma casa maior, tenho tido necessidade de comprar móveis e também tenho feito encomendas a Paços de Ferreira, mas geralmente coisas específicas e por medida, chegando a enviar até 0 croqui do que pretendo. Tenho a sorte de conhecer um pequeno carpinteiro de Paços de Ferreira que há muitos anos fornece as necessidades da família. No entanto só recorremos a ele em coisas mais específicas, já que envolve orçamentação, tempo de fabrico, entrega, etc (e nisto passa-se 1 ou 2 meses facilmente).

    Para comprar aquela estante da TV ou da cómoda do escritório, que verdadeiramente não precisa ser feita em madeira de castanho nem ter ferragens que custam mais do que a madeira, geralmente não recorro, e aqui o IKEA (que é sobretudo o que utilizo mais), dá-me a conveniencia de ver o catálogo online, ter uma ideia das dimensões de forma detalhada, personalizar alguns elementos e saber o stock disponível em cada loja. Muitas vezes entre a identificação da necessidade de comprar um móvel e comprá-lo mesmo, passa 1 dia ou 2, não 2 meses. Não gosto depois de ter que os montar, e facilmente pagaria mais para me trazerem a mesma coisa, com melhor qualidade e já montado.
  3.  # 3

    Eu acho que não tem a ver com a representatividade no online porque se pesquisar "móveis paços de ferreira" certamente vai ver sites de venda online de empresas da região.
    Até abri um deles e consultei consolas para a entrada, vi os preços e fechei. Comprei a minha no IKEA...

    Para mim enquanto consumidor final e até perante o que vou vendo...traduzindo apenas e só a minha opinião: as pessoas já não querem móveis para toda a vida, quiçá um ou outro. o IKEA oferece o que oferece, pelo menos as ferragens são boas (dito por um carpinteiro) e as coisas mantêm-se em pé uns bons anos, anos estes suficientes.
    Existem pessoas que apostam na qualidade, nos maciços? Sim, se calhar cada vez menos não sei. "Ah mas eles não fazem só maciços", pois eu sei mas muita gente ainda pensa isto.

    Para mim os maiores fatores de sucesso: a experiência do cliente, variedade e disponibilidade dos produtos.
  4.  # 4

    Não há um motor de pesquisa para moveis ou um forum. Eu por exemplo ando à procura de um movel para escritório, 2 gavetas com chave e uma ou 2 prateleiras para dossiers. Também poderia ter escrivaninha integrada.

    Impressiona que eu talvez já consiga criar o móvel com programa de inteligencia artificial em 3D com texto mas não pesquisar...
  5.  # 5

    Obrigado pelo vosso feedback até agora, está a ajudar-me bastante!
  6.  # 6

    Principal factor é mesmo o monetário€€€
    O 2 a meu ver é a rapidez, fui a Paços para a minha mobília e demora,sorte é que ia fazer obras.
    Imagine um casal que compra ou aluga um apartamento quer para "ontem"
  7.  # 7

    Colocado por: spvalePrincipal factor é mesmo o monetário€€€
    O 2 a meu ver é a rapidez, fui a Paços para a minha mobília e demora,sorte é que ia fazer obras.
    Imagine um casal que compra ou aluga um apartamento quer para "ontem"


    Pois, esse é também o meu pensamento quando me coloco do lado do cliente. Obrigada pelo seu feedback :)
  8.  # 8

    Uma coisa que tem de se perceber é que não se consegue ter móveis à medida ou personalizados de um dia para o outro, e quanto a isso não há nada a fazer.

    Agora estou certo que possivelmente se quiserem uma coisa standard que se calhar já se encontra nos nos expositores em loja ou no armazém.

    Se calhar era interessante existir um site de outlet onde estivesse material das diversas fábricas, com fotos , dimensões e preços (ou preços sob consulta).
    Concordam com este comentário: joaosantos, Vítor Magalhães
  9.  # 9

    Falando por mim, compro móveis no IKEA pela conveniência. E parece um contrasenso, uma vez que tenho que os montar a seguir.

    Mas a conveniência de poder ver tudo online, ter preços claros (também já referiram a informação actualizada do stock), poder ir na hora, nem que seja ao domingo, buscar à loja (ou mandar entregar), é o que me tem levado a continuar a comprar.

    Isto e, é claro, o marketing. Até pode haver lojas online de fabricantes de móveis em Paços de Ferreira, mas eu não conheço nenhuma... E sim, creio que haveria "espaço" para uma iniciativa online desse género.

    De resto, acho a qualidade do IKEA má. Mas o facto é que também não estou disposto a pagar o extra para ter móveis xpto, já que nem quero móveis "para a vida"...
  10.  # 10

    Procurando no google por lojas online de mobiliário de Paços de Ferreira, existem várias opções, portanto não me parece que o problema seja apenas a falta de presença online, porque ela existe.

    Talvez seja uma questão de "nome", pq Ikea toda a gente conhece?

    Mas também há marcas conhecidas que penso terem fábrica em Paços de Ferreira, como a Justwood, Antarte, LasKasas...
  11.  # 11

    Colocado por: lpetingaProcurando no google por lojas online de mobiliário de Paços de Ferreira, existem várias opções, portanto não me parece que o problema seja apenas a falta de presença online, porque ela existe.

    Talvez seja uma questão de "nome", pq Ikea toda a gente conhece?

    Mas também há marcas conhecidas que penso terem fábrica em Paços de Ferreira, como a Justwood, Antarte, LasKasas...


    Uma grande parte dos sites são uma desgraça, pouco apelativos, com poucas fotos dos produtos e ainda muitos deles sem preço de referência o que pessoalmente é logo descartado...
    Depois há essas mais conhecidas mas que são demasiados caras para uma grande parte da população.
    Concordam com este comentário: jorgemlflorencio, sky3205
  12.  # 12

    É bom que venha perguntar a hipotéticos clientes pelos seus desejos, mas dão-lhe melhor feedback se lhes conseguir mostrar um cenário concreto. E mesmo assim, é sempre perigoso acreditar em hipotéticos. Ninguém lhe poupa o trabalho de puxar pela cabeça ;)

    De qualquer modo, já identificou pelo menos 3 eixos por onde pode atacar:

    1-Meter na internet coisas que não estão na internet.

    2-Mexer inventário parado.

    3-Vender o bom a preços baratos. (classicamente cortando marketing, logística, lojas e inventário)

    Os 3 são caminhos que já foram usados com sucesso por outros empresários, que é sempre bom sinal. Mas requerem pessoas muito diferentes para terem sucesso! A #1 requer o tempo e a habilidade para programar, desenhar, fotografar catalogar etc etc e pode ser um investimento de anos até vender uma peça que seja. A #2 precisa de alguém que seja um tubarão, tem de conseguir negociar preços incríveis pelo inventário a intermediar (na ordem dos 10% do PVP original). A #3 começa sobretudo por conseguir encontrar um cliente a quem vender mobília...de muitos modos é a mais fácil de começar e mais difícil de escalar.

    O que é que acha? Qual é a estrada que lhe diz mais, pessoalmente?

    Vou-lhe deixar um caminho #4 que é aquele com mais pernas para andar, por experiência pessoal: Encontrar um nicho de mercado que não esteja a ser bem servido, e concentrar a sua energia em servir bem esse cliente específico. Há umas décadas conhecia um tipo que fazia rios de dinheiro a vender alambiques de cobre (feitos em Portugal) a americanos que queriam distilar whisky em casa. Vendia através de anúncios no google altamente específicos e não gastava um tostão em inventário antes de ter a encomenda do cliente paga. O difícil é....encontrar o nicho.
    • smst
    • 18 novembro 2022

     # 13

    Da minha experiência em Paços de Ferreira há cerca de 5 anos atrás, procurava móveis para uma sala de estar e para o quarto de casal. O valor que pediam para uma simples estante/móvel de TV era estupidamente caro mesmo em artigos já fora de moda. O valor que me pediram por uma mobilia de quarto com roupeiro simples foi igualmente caro. A mobilia de quarto acabei por encomendar numa loja da minha terra que por sua vez o mandou fazer em Paços de Ferreira (foi inclusivé o fabricante que veio entregar), no meio disto tudo ficou muito mais barata, tendo o intermediário ganhado dinheiro. Os móveis de sala acabei por comprar numa loja do género IKEA já com montagem incluida e transporte e mais baratos que no IKEA. O sofá foi a unica coisa que mandei fazer em Paços de Ferreira, escolhi um modelo que o fabricante já estava a fazer e em 1 semana entregou em minha casa.
    Paços de Ferreira tem potencial mas neste momento está a inflacionar muito os preços devido à fama que criou ao longo dos anos, parece que se deitaram à sombra da bananeira.
    Todos os fabricantes que visitei tem mobilias de modelos bastante antigos, mas nenhum deles está disposto a vender pelo preços justo de mercado, querem vender ao preço que vendiam há 20 anos atrás (caro). O ideal era unirem-se todos, criarem uma página de facebook por exemplo e divulgarem os seus artigos detalhadamente e com preço mencionados (nada de envie mensagem privada) e assim fazerem uma espécie de Feira do Móvel "antigo".
    Concordam com este comentário: psergio57
  13.  # 14

    No final do primeiro trimestre de 2023 terei de mobilar a casa e sinceramente, não faço ideia a quem recorrer. No geral quero evitar ikea e sucedâneos, mas as lojas de mobiliário que conheço e que já referiram, praticam preços elevados. Não sei se justificados, para pagar material e mão de obra, ou se inflacionados porque há uma série de comissionistas pelo meio.

    Hoje em dia, diria que muitos não querem nada igual ao que se encontra à venda. Ou até é bonito/razoável, tipo ikea, mas o material é fraco, ou é robusto e de qualidade, mas está completamente obsoleto.

    Sei o que vai acontecer cá em casa — e acredito que se passe noutras — vamos olhar para imagens na net, inspirações do pinterest e depois vamo-nos perguntar a quem recorrer, para conseguir fazer igual.

    Diria que mais do que criar as próprias peças, fazer stock e publicitar, o mais importante é conseguir realizar sonhos. Se tiver profissionais capazes de executar tudo (madeira e serralharia) e alguém que lhe consiga desejar ao gosto do cliente (em 3D) e também preparar os desenhos para o carpinteiro, apostaria em criar um site com imagens inspiradoras de salas, quartos, etc., e dizer que é capaz de executar igual, totalmente personalizado (dimensões, materiais, tipo de acabamentos, etc.). Possivelmente, com um preço "desde de" a acompanhar.

    À medida que for tendo originais, também os justa à festa no site.

    Ah, mas em custos, tem de conseguir situar-se entre ikeas e antarte/las kasas.
  14.  # 15

    criarem uma página de facebook


    Nem todos estão no Facebook. O importante é estar na internet que é para todos e ser um hub geral com muita coisa variada que tenha massa critica suficente para criar nome.
    Sites de vendas em segunda mão proliferam enquanto os fabricantes nem se conseguem unir para fazer uma para produtos novos. Assim até perdem mercado para a 2º mão.
  15.  # 16

    O meu conselho para quem procura mobília de qualidade e fabricada em Paços de Ferreira/Paredes/Rebordosa é visitar as carpintarias da zona, menos conhecidas, mas que trabalham diretamente com o cliente.
    Concordam com este comentário: powerPT
  16.  # 17

    Colocado por: Vítor MagalhãesO meu conselho para quem procura mobília de qualidade e fabricada em Paços de Ferreira/Paredes/Rebordosa é visitar as carpintarias da zona, menos conhecidas, mas que trabalham diretamente com o cliente.
    Concordam com este comentário:powerPT


    Confirmo. Se tiverem projeto de decoração ou até fotos, pelo menos o que sondei, fazem igual.
    Concordam com este comentário: Vítor Magalhães
 
0.0216 seg. NEW