Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Boa tarde a todos,

    Já fiz algum trabalho de casa neste forum bastante útil, contudo, gostaria de expor a minha situação pessoal no sentido de partilhar algumas experiências a fim de tentar me preparar o melhor possível para o que aí poderá vir.

    Rápido e directo:

    Eu e a minha ex namorada compramos um imovel: 20k de entrada + 180k pedidos de emprestimo ao banco.
    Estamos na fase de dividir as coisas. Ela mora com os pais e está a querer tirar-me o máximo que me conseguir tirar. Eu quero ficar com a casa.

    Neste momento desses 180k, estão pagos 10k ao banco, portanto devemos 170k.

    Quais as minhas opções?

    - Pago-lhe metade daquilo que já foi pago ao banco? 10/2 e assumo a responsabilidade do crédito?
    - Essa responsabilidade é total? Ou ela terá de pagar a sua parte ao banco também (neste caso 85k) enquanto recebe metade do que já foi pago ao banco, da minha parte?


    Tendo em conta que sempre fui eu que paguei tudo sozinho, IMIs, impostos, entradas, etc.. Quero fazer o melhor para sair o menos prejudicado no meio disto tudo.

    Nota: Irei falar com um advogado assim que possivel, apenas procuro adquirir algum conhecimento prévio.
    Nota 2: O imovel foi adquirido estando ambos solteiros.


    Muito obrigado a quem responder.
  2.  # 2

    Se o banco aceitar, faz o financiamento só em seu nome e ela só recebe o que pagou.

    O problema é que ela pode achar que o imóvel valorizou após a compra e querer mais.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Deadbolt
  3.  # 3

    Colocado por: VarejoteSe o banco aceitar, faz o financiamento só em seu nome e ela só recebe o que pagou.

    O problema é que ela pode achar que o imóvel vale mais do que quando compraram.


    Pela lei penso que se tem de fazer uma nova avaliação para se aferir qual o valor do imovel à data de hoje. Ou seja, teria de lhe pagar uma quantia bastante elevada e ainda assumir 170k do crédito de ambos.

    Estou um pouco perdido sobre o que fazer sinceramente.
  4.  # 4

    Colocado por: Deadbolt

    Pela lei penso que se tem de fazer uma nova avaliação para se aferir qual o valor do imovel à data de hoje. Ou seja, teria de lhe pagar uma quantia bastante elevada e ainda assumir 170k do crédito de ambos.

    Estou um pouco perdido sobre o que fazer sinceramente.


    Só teria de pagar se o imóvel fosse vendido, pode é pagar mais caso o imóvel tenha valorizado, ou ela exigir mais X, na mesma.
    • eu
    • 9 setembro 2023

     # 5

    Eu sei que quer ficar com a casa, mas a forma mais simples seria vender a casa e dividir o lucro, caso esta tenha valorizado.
    Concordam com este comentário: palmstroke, marize
  5.  # 6

    Colocado por: euEu sei que quer ficar com a casa, mas a forma mais simples seria vender a casa e dividir o lucro, caso esta tenha valorizado.


    Entendo e tem toda a razão, a diferença é que ela tem a familia dela como sitio onde ficar, eu não tenho nada.
    Estou a tentar lutar um pouco por aquilo que conquistei e paguei sozinho. Sei que perante a lei é indiferente, contudo, tenho de entender na totalidade as minhas opções.

    Obrigado!
  6.  # 7

    Advogado rápido
    Concordam com este comentário: silvaf
  7.  # 8

    Se ela é dona de metade da casa, devia em teoria ter os mesmos direitos que você.

    Eu pondo-me no lugar dela abdicaria do dinheiro que você pagou mas nunca na vida abdicaria da valorização - e provavelmente agora consegue vender por mais 50k€ e sacar 25k€ lucro. Dinheiro é dinheiro. Se acaso você não tivesse pago o crédito e o banco quisesse recuperar a casa, a sua namorada seria penhorada igual a você, portanto se agora é para lucrar ela tem os mesmos direitos para receber metade do lucro.

    É a minha opinião. Boa sorte.
    Concordam com este comentário: nunomp, marize
    • snob
    • 9 setembro 2023

     # 9

    E você tem condições perante o banco para assumir a dívida total sozinho?? Pode necessitar de fiadores...

    O lucro da valorização do imóvel não é assim tão liquido, pois as mais valias são taxadas além das comissões da imobiliária que a ficar para si ela tb poupa aqui. Estes argumentos podem ser usados a seu favor.

    O ideal seria encontrarem um consenso que agradasse aos dois.

    Se a negociação estiver difícil, diga que não sai da casa até estar tudo decidido, porque não tem para onde ir e contrate um advogado.
  8.  # 10

    Além de se informar com o advogado tente arranjar um mediador para as coisas saírem do agrado dos dois.
    E de futuro aprenda se é dos dois as contas são pagas pelos 2😉
    Uma pergunta importante á quantos anos tem o imóvel...
    Concordam com este comentário: marize
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Deadbolt
  9.  # 11

    Comunique ao banco a separação.
    Se ela quer sacar tudo o que conseguir, obrigue-a a pagar a parte dela do empréstimo e das demais despesas do imóvel (IMI, condomínio, etc).
    Obviamente que despesas de água, eletricidade e gás não, ela não mora na casa.
    Disse que pagou sozinho as despesas, consegue comprovar isso?
    É que, se ela nunca pagou o crédito e as despesas, não é assim tão "certo" que tenha direitos sobre o imóvel.
    Mas o melhor é mesmo falar com um advogado.
    • AMVP
    • 11 setembro 2023

     # 12

    Colocado por: DeadboltEntendo e tem toda a razão, a diferença é que ela tem a familia dela como sitio onde ficar, eu não tenho nada.
    Estou a tentar lutar um pouco por aquilo que conquistei e paguei sozinho. Sei que perante a lei é indiferente, contudo, tenho de entender na totalidade as minhas opções.

    Quem é que pagou o imóvel?
    • AMVP
    • 11 setembro 2023

     # 13

    Colocado por: LMigAlvesque, se ela nunca pagou o crédito e as despesas, não é assim tão "certo" que tenha direitos sobre o imóvel.

    Exatamente, há os direitos económicos que ninguém fala/lembra disso.
    • AMVP
    • 11 setembro 2023

     # 14

    Mas fale com o advogado, um bom aue saiba do assunto, e depois veja como pode negociar, mesmo que tenha de dar o que na verdade não seja de alguém desde que gerivel ssmpre é melhor do que o tribunal.
    • eu
    • 11 setembro 2023

     # 15

    Colocado por: DeadboltEntendo e tem toda a razão, a diferença é que ela tem a familia dela como sitio onde ficar, eu não tenho nada.

    Então e porque não compra outra casa a seguir à venda dessa?

    A opinião de um advogado deverá ser crucial, mas parece-me que o Deadbolt está numa posição má para uma eventual negociação. Negociação essa que pode prolongar-se no tempo.
    • imo
    • 11 setembro 2023

     # 16

    Não me parece que tenha grandes argumentos para uma solução em que ela saia prejudicada relativamente à alternativa natural que seria a venda da casa, e a divisão entre ambos do que restaria após o pagamento da dívida ao banco e outras despesas.
    (O princípio da neutralidade, chamar-lhe-ia eu).

    Passaria por simular o que ela receberia (líquido) se vendessem a casa:

    Estimativa (valores em m€):
    aquisição: 2020
    venda: 2023
    Comissão imob.: 5%

    Valor de mercado atual: 220
    Pagamento da hipoteca: -170
    Comissão imob.: -13,5
    Mais valia IRS (dela): -1,5 (Sem outros rendimentos em IRS e sem reinvestimento em HPP)
    Teria a pagar-lhe: 35

    Pressupõe que o banco aceite que fique o único titular do empréstimo.

    Boa sorte
    Concordam com este comentário: eu
    Estas pessoas agradeceram este comentário: marize
  10.  # 17

    Há uma questão relevante, e creio que faltam dados para uma análise mais profunda: diz que sempre pagou sozinho as despesas da casa. Mas ela não trabalhava? Não contribuía para o orçamento doméstico?

    Imaginando que cada um emprega todos os seus rendimentos: um para pagar a casa, e o outro para meter comida na mesa. É como se pagassem a meias a casa e a comida. Por aí, a casa é de ambos, independentemente do dinheiro para as prestações ter saído do seu ordenado. Mesmo o trabalho doméstico (não pago) pode ser contabilizado em caso de separação...

    Claro que isto depende de muita coisa, pode ter muitas interpretações, por isso o melhor é mesmo falar com um advogado. Ele saberá dar uma opinião mais fundamentada. Aqui, só palpites.

    Boa sorte.
    Concordam com este comentário: marize
    • eu
    • 12 setembro 2023

     # 18

    Se não chegarem a acordo, estão reunidas as condições para um processo longo e complexo nos tribunais.
  11.  # 19

    Colocado por: DeadboltEu e a minha ex namorada compramos um imovel: 20k de entrada + 180k pedidos de emprestimo ao banco.
    Estamos na fase de dividir as coisas. Ela mora com os pais e está a querer tirar-me o máximo que me conseguir tirar. Eu quero ficar com a casa.


    Se me permite, não há a possibilidade de se estarem a precipitar?
 
0.0187 seg. NEW