Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Olá a todos! Desculpem a dúvida, que há-de ser básica para alguns mas agradeço muito se alguém me puder esclarecer. Estou a vender um terreno sem recurso a imobiliária, neste momento já se acordou o valor da venda, no entanto o promitente comprador sugeriu que o seu advogado fizesse o CPCV. Para tal pediu-me: cópias das cadernetas da propriedade, do código da certidão permanente (online) e da identificação do proprietário. É seguro enviar todos estes dados por email? Entendo a necesssidade das cadernetas das finanças mas do código nem por isso, até porque normalmente qualquer solicitador o obtém através das cadernetas, se não estou em erro. Se algúem puder ajudar. Obrigado a todos
  2.  # 2

    Já tenho feito escrituras e CPCV e esses dados são necessários para a elaboração do mesmo.
    O código de acesso à certidão permanente vai sempre necessitar dele para a escritura, quanto ao cartão do cidadão envie só os dados necessários para a elaboração do contrato.
    O comprador já disse quem é que ia pagar os honorários ao advogado?
    Estou a dizer isto para que depois não seja surpreendido com uma conta exorbitante.
    E porque não fazem logo a escritura evitando despesas com o CPCV?
    Estas pessoas agradeceram este comentário: apexcordis
  3.  # 3

    De facto eu sugeri escritura direta achei também mais simples. O advogado faz parte da empresa dele, realmente nem questionei, obrigada pela lembrança! Muito obrigada pela ajuda e tempo!
  4.  # 4

    Espero que não vá fazer a pergunta idiota de quem é que paga o advogado.
  5.  # 5

    Se tem todos os documentos para a escritura, simplesmente rejeite o CPCV, a não ser que o comprador tenha uma justificação aceitável para não fazer já a escritura.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: apexcordis
  6.  # 6

    O motivo para o CPCV é ter alguma garantia que vendo, ou retorno se não vender, isto porque o comprador precisa de tempo para reunir todo o financiamento.
  7.  # 7

    Se o advogado representa o comprador, tenha muita atenção ao conteúdo desse contrato, porque o mesmo será em tudo favorável ao seu cliente e muito pouco a si, o vendedor. Se existirem dúvidas, recomendo fazer-se representar pelo seu próprio advogado.
    Uma vez que não vai recorrer aos serviços de uma imobiliária (que verdade seja dita, muitas vezes de pouco ou nada serve), com as comissões que poupa, pode investir numa representação legal que o defenda.
    Concordam com este comentário: jorgemlflorencio
    Estas pessoas agradeceram este comentário: apexcordis
  8.  # 8

    Sim de facto justifica recorrer a representação. Irei analisar bem o CPCV que redigirem, se não agradar, direto para escritura será bem mais simples. Muito obrigado
 
0.0083 seg. NEW