Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    "Fazem o que não gostam para serem pagos e gastam o dinheiro para terem o que gostam"...
  2.  # 2

    Colocado por: julinhos

    Nem usa maquinas multibanco e vai semmpre levantar dinheiro á caixa do banco, para não perder o contacto humano com o empregado da caixa ?


    Por acaso nao levanto dinheiro Pago sempre com cartao e sempre que houver opcao de SER atendido por uma pessoa vou sempre optar por isso.

    Era bom que me pagassem por passar os produtos no leitor ai ate pensava it para as automáticas
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Hugo.
  3.  # 3

    Sobre os supermercados tambem nunca vou ao automatico, e 90% das vezes faço as compras numa pequena mercearia, acho que se as pessoas apoiassem mais os negocios da sua zona era melhor para todos.
    Concordam com este comentário: lpetinga
  4.  # 4

    Colocado por: Reduto25

    Por acaso nao levanto dinheiro Pago sempre com cartao e sempre que houver opcao de SER atendido por uma pessoa vou sempre optar por isso.

    Era bom que me pagassem por passar os produtos no leitor ai ate pensava it para as automáticas


    Quando paga em cartão devia saber que isso paga taxas (o comerciante) e não faltam locais que não aceitam cartão sobretudo para compras inferiores a 5€ ou 10€.
  5.  # 5

    Colocado por: Jose_BMSobre os supermercados tambem nunca vou ao automatico, e 90% das vezes faço as compras numa pequena mercearia, acho que se as pessoas apoiassem mais os negocios da sua zona era melhor para todos.
    Concordam com este comentário:lpetinga


    Os supermercados apareceram porque os hábitos de consumo mudaram e as mercearias já não davam resposta a novos hábitos e comodidades, assim como a horários de pessoas que precisavam de fazer compras depois da hora do jantar ou ao fim de semana.

    Eu não tenho mercearias perto de casa. Se tivesse também não ia lá. Não respondem aos meus hábitos de consumo e comodidade.

    Isso de ajudar o comércio local é uma demagogia sem resultado. Ajuda a mercearia do Sr. faustino e da mulher, mas não ajuda o supermercado que tem dezenas ou centenas de funcionários directos e indiretos.
  6.  # 6

    Colocado por: Sandra_cc

    Quando paga em cartão devia saber que isso paga taxas (o comerciante) e não faltam locais que não aceitam cartão sobretudo para compras inferiores a 5€ ou 10€.


    Locais que não aceitam pagamento com cartão não entram no meu espectro comercial
  7.  # 7

    Colocado por: Reduto25

    Locais que não aceitam pagamento com cartão não entram no meu espectro comercial


    Pois claro, quando vai tomar um café paga com cartão, claro está.
  8.  # 8

    Colocado por: Reduto25Locais que não aceitam pagamento com cartão não entram no meu espectro comercial


    Se um negócio, pura e simplesmente não aceita cartões, mesmo quando o gasto médio é superior a €5, pode crer que não ponho lá muito os pés. Acontece com uma cadeia de pastelarias aqui do burgo, por exemplo. Aceito totalmente que imponham um limite mínimo para aceitação de cartão.

    Já o "meu" merceeiro, que também tem um pequeno café nos fundos da loja, aceita o pagamento do tal café com cartão, sem qualquer tipo de stresses.

    A única excepção que abro a esta regra é o restaurante local, mas esse deixa transferir por MbWay.
  9.  # 9

    Colocado por: Sandra_cc

    Pois claro, quando vai tomar um café paga com cartão, claro está.


    Não bebo café
  10.  # 10

    Colocado por: CaravelleSe um negócio, pura e simplesmente não aceita cartões, mesmo quando o gasto médio é superior a €5, pode crer que não ponho lá muito os pés.
    Faço o mesmo a não ser que sejam um monopólio. Cheira-me sempre a sonegação de impostos.
    Quase deixei de beber café fora de casa desde que em janeiro ele aumentou para 70-75 cent. Quando o faço, só uso cartão e quero fatura. Pelo menos para equilíbrio fiscal, esta automatização acaba por ser positiva.
  11.  # 11

    Colocado por: Reduto25

    Não bebo café


    Claro, nem bebe água, nem cerveja.
  12.  # 12

    Colocado por: Sandra_cc

    Claro, nem bebe água, nem cerveja.


    Água bebo , cerveja não. E água bebo em casa não vou ao café.
  13.  # 13

    Colocado por: CarvaiNão vai ser por causa dos juros subirem que as pessoas que estão a pagar as suas casas as vão vender ao desbarato. Isso é processo que leva anos e só os menos preparados é que cedem.
    Mas de certeza que as casas que estão á venda vão ter mais dificuldades em as vender. E quem precisar mesmo de o fazer vai ter que ceder nos preços, principalmente no segmento dos 150-400K €.
    Concordam com este comentário:eu


    As pessoas têm de vender ao preço que o mercado estiver a comprar.

    O efeito imediato da subida dos juros nos preços advém do facto de muita gente, estupidamente, apenas olhar ao valor da prestação na hora de decidir até quanto está disposta a pagar.

    Mas se a subida dos juros for muito elevada e causa uma crise, o preço poderia descer mais.

    A subida dos juros retira dinheiro à economia porque se alguém ganhava 1000 € e pagava 300 € de prestação, tinha 700 € para gastar, mas se a prestação subir para 500 € passa a ter apenas 500 € para gastar. São menos 200 € que vão ser gastos num supermercado, ou numa loja, num restaurante, etc.

    Isto pode levar a desemprego, etc. E aí vem o segundo motivo que pode levar a baixar preços: pessoas que deixam de ser capazes de pagar as prestações. :D
  14.  # 14

    Colocado por: HAL_9000Isto concordo, simplesmente porque o CH está muito mais caro não vai haver tanto dinheiro disponível. O problema é que o aumento dos custos de construção não vão permitir "o preço das casas venha realmente por aí abaixo", pelo menos não em habitação nova.


    A construção vai simplesmente entrar em coma novamente.

    Isto vai ser tramado...
  15.  # 15

    Colocado por: Sandra_cc

    O nr. de estrangeiros com benefícios fiscais é pouco significativo, nunca suficiente para alavancar um mercado inteiro.


    Sim, o pessoal fala tanto de vistos gold e afins e esquece-se de algo que pressiona muito mais no lado da procura, principalmente para a classe media/baixa: imigrantes.

    Basta ver que este ano batemos o recorde de 212 mil brasileiros em Portugal, quando há 5 anos eram 85 mil.

    E isto nem conta a historia toda, pois só em 2020 foram naturalizados mais de 120 mil estrangeiros, foram mais de meio milhão de estrangeiros naturalizados em 5 anos.

    Ora, toda esta gente precisa dum sitio para viver.


    Fontes:

    https://www.cnnbrasil.com.br/nacional/numero-de-brasileiros-em-portugal-nunca-foi-tao-alto-segundo-embaixada-portuguesa/

    https://www.dn.pt/edicao-do-dia/12-nov-2020/portugal-concede-nacionalidade-a-121-mil-estrangeiros-brasileiros-lideram-pedidos-13025619.html
  16.  # 16

    Eu acho que o problema, está muito para lá dos preços das casas, pois trata-se de todo o ecosistema socio-financeiro que está a colapsar.

    Reparem o país ganhou milhentos prémios que Portugal é o melhor país do mundo para se viver, nem sequer vou opinar sobre esses prémios, mas com isso o país foi invadido por estrangeiros com um poder de compra incomparável com o tuga. Claro está que o mercado viu essa "trend" e começou a alavancar os preços.

    Claro que existem 1001 fatores que levaram aos aumentos, mas este em concreto foi um fator que diferenciou muito. Tanto é que o segmento alto/muito-alto de apartamentos/Moradias esgotam em menos de nada.

    O que sobra são imóveis necessitam de ser adquiridos via Crédito Habitação, e é aqui que começa o grande problema...

    O preço das casas aumentou de forma galopante, os salários obviamente não acompanham e neste momento quem é de classe média que trabalha, muito dificilmente encontrará um imóvel que se adeque á sua capacidade financeira, mesmo com recurso a crédito.

    Este é um problema muito grave que ainda não vi qualquer solução para ele, e a tendência é agravar-se com questão da guerra, etc...

    A alternativa seria o aluguer, mas como esta forma de habitação é muito reduzida devido à elevada tributação fiscal, logo poucos investem em casas para alugar , pelo contrário quem tem capital investe em imóveis para vender e rentabilizar assim o seu património.

    Por isso é deveras difícil ver alguém optar por arrendar casa, devido ao elevado valor das rendas, já para não falar de muitos donos de imóveis exigirem 12 rendas de caução.

    Então voltando ao inicio, acho que quem procura casa, provavelmente ou vai viver para um quarto ou quarto partilhado ou vai ficar na casa dos pais por muitos mais anos do que estava a ponderar.
    Concordam com este comentário: NLuz
  17.  # 17

    È secreto porque? Para o povo não perceber que está a ser enganado? Supostamente qualquer economista sabe a composição que esse cabaz deve ter! Mas não estamos numa democracia?



    Colocado por: ricardo.rodriguesÉ facto. O cabaz de produtos utilizado pelo ine é secreto e é uma bela treta, porque não representa a inflação sentida por aqueles portugueses que não têm como "fugir a ela" (a maioria, portanto).

    Os preços aumentam para todos, mas que tem capital esta-se a marimbar para o aumento do preço das garrafas de óleo.

    Já os custos com hotéis e restaurantes (bem representados no cabaz do INE) não interessam grande coisa aos portugueses que raramente passam férias, se muitos vão mas é acampar.
    Concordam com este comentário:eu
  18.  # 18

    Colocado por: ferreiraj125

    As pessoas têm de vender ao preço que o mercado estiver a comprar.

    O efeito imediato da subida dos juros nos preços advém do facto de muita gente, estupidamente, apenas olhar ao valor da prestação na hora de decidir até quanto está disposta a pagar.

    Mas se a subida dos juros for muito elevada e causa uma crise, o preço poderia descer mais.

    A subida dos juros retira dinheiro à economia porque se alguém ganhava 1000 € e pagava 300 € de prestação, tinha 700 € para gastar, mas se a prestação subir para 500 € passa a ter apenas 500 € para gastar. São menos 200 € que vão ser gastos num supermercado, ou numa loja, num restaurante, etc.

    Isto pode levar a desemprego, etc. E aí vem o segundo motivo que pode levar a baixar preços: pessoas que deixam de ser capazes de pagar as prestações. :D


    A sua opinião parte duma premissa errada na primeira frase: "As pessoas têm de vender ao preço que o mercado estiver a comprar."

    Isso não sucede!

    Nenhuma entidade tem que vender se não lhe for compensatório! Se o negócio for abaixo de "X"(cada um tem o seu "X") há um sem número de "players" que saí do mercado, ou seja, deixa estar vendedor.
  19.  # 19

    Colocado por: Sandra_cc

    A sua opinião parte duma premissa errada na primeira frase:"As pessoas têm de vender ao preço que o mercado estiver a comprar."

    Isso não sucede!

    Nenhuma entidade tem que vender se não lhe for compensatório! Se o negócio for abaixo de "X"(cada um tem o seu "X") há um sem número de "players" que saí do mercado, ou seja, deixa estar vendedor.


    Certo, mas não vai deixar toda a gente de vender (até porque isso subiria o preço e tornaria mais apetecivel vender).

    Quem quiser vender vai ter de se sujeitar ao preço do mercado, tal como que quer comprar tem de se sujeitar.
  20.  # 20

    Colocado por: HAL_9000Cheira-me sempre a sonegação de impostos.


    É também o que me parece. Não sou tão radical, mas negócios que poderiam ter MB para conveniência do cliente e não parecem ter problemas de solvência financeira, estão riscados da minha lista, a não ser em condições excepcionais.
 
0.0516 seg. NEW