Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Olá,

    Moro há vários anos numa casa em que o contracto de arrendamento se encontra em meu nome, bem como os contractos da água,luz, internet, etc. Face ao valor elevado da renda, sempre tive que partilhar com mais duas pessoas (a casa tem 3 quartos) e dividir a renda e despesas. Tudo é do conhecimento do senhorio, sempre funcionou assim e nunca houve problemas - eu giro a casa, os contractos estão em meu nome, faço as transferências para o senhorio e acerto contas com os colegas de casa. Sempre correu bem durante anos, até agora.

    Era sempre stressante quando alguém saía da casa, muitas vezes com pouca antecedência. Tornava-se difícil conseguir alguém de confiança às vezes em apenas um mês, correndo o risco de ser eu a ficar agarrado.

    Como disse, nunca houve problemas, até agora. Duas pessoas que entraram no ano passado, em Agosto/Setembro têm causado enormes transtornos à minha vida pessoal, saúde e trabalho. Antes de cá morarem foram acordadas as regras normais de convivência que acordava sempre com todos: limpeza dos espaços comuns todas as semanas (cada um limpava um espaço: sala, cozinha, etc), não fazer barulho à noite e permitir o descanso de todos, avisar quando pretendem levar alguém a casa, uma vez que esta não é muito grande e se cada um levar 1/2 pessoas torna-se impossível. Enfim, o normal.

    Acontece que as regras nunca forma cumpridas. Eu fazia as limpezas, como aliás sempre fiz, todas as semanas e eles nada. Eu continuei a limpar e a alertar, com boa onda, que era preciso fazê-lo. Isto durou meses, até que chegou a um ponto em que deixei de fazer a minha parte - não era justo ser o único a limpar ou perder 3 horas do meu fim de semana a limpar a cozinha e na manhã seguinte estar completamente nojenta.

    Tenho várias fotos ao longo do tempo do estado da casa. É inacreditável. Para além disso, o barulho é constante, não há respeito pela privacidade e descanso, trazem pessoas sem avisar, inclusive para dormir cá sem qualquer conhecimento da minha parte. Como disse, avisei muitas vezes ao longo do tempo.

    Cheguei a um ponto de burnout à conta disto. Estive deprimido e com sintomas graves de ansiedade, que me levaram a estar fora 2 meses, na casa da minha mãe. Não me sentia nem sinto bem na casa onde moro por culpa dos colegas. Durmo mal, não uso a cozinha há meses porque está nojenta. O mesmo para a sala. Tento comer fora ou comprar já feito e comer no quarto. Não tenho alternativa em relação à casa de banho.

    Após estes 2 meses, regressei esta semana e deparei-me com a casa num estado absolutamente inacreditável - insalubre, degradada, nojenta. Cheguei ao meu limite, não aguento mais. Liguei ao senhorio desesperado, expliquei a situação e ele compreendeu - disse para eu comunicar-lhes que têm que sair, porque ele precisará da casa. Foi o que fiz.

    Eles não aceitam nem querem sair. Não sei o que fazer mais. Eu quero e tenho o direito de ficar nesta casa, onde moro há anos, está tudo em meu nome e não sou eu que estou a incomodar ninguém. Dei-lhes dois meses para procurarem outros quartos, também não aceitam, dizem que não saem. No desespero, fui à policia: disseram-me que nada podem fazer, mas off the record, o senhor agente disse-me: "Se eles não saírem no prazo que lhes deu, mude a fechadura. Se houver problemas, ligue pra nós que vamos lá - os contractos estão todos em seu nome".

    Ainda nem me pagaram a última renda e as contas, são quase 1000€ a menos na minha conta.

    Se alguém me conseguir ajudar agradecia mesmo muito, estou completamente desesperado e não sei o que fazer. Isto afecta a minha saúde, o meu trabalho, tudo.

    Muito obrigado
  2.  # 2

    Colocado por: ze__jose"Se eles não saírem no prazo que lhes deu, mude a fechadura. Se houver problemas, ligue pra nós que vamos lá - os contractos estão todos em seu nome"

    Este é o melhor conselho, que irá ter.
    Concordam com este comentário: Dias12, Quilleute, AlexMontenegro, desofiapedro
    Estas pessoas agradeceram este comentário: ze__jose
  3.  # 3

    Colocado por: sognim
    Este é o melhor conselho, que irá ter.
    Concordam com este comentário:Dias12,Quilleute
    Estas pessoas agradeceram este comentário:ze__jose


    Queria ao máximo evitar conflitos mas não vejo mais nenhuma hipótese. Sinto-me mal por pôr pessoas na rua mas já chegou ao ponto de afectar a minha saúde.

    Caso mudasse a fechadura, como seria? Se partirem para a violência o que faço? e os bens deles?

    Muito obrigado pela resposta
  4.  # 4

    Colocado por: ze__jose

    Queria ao máximo evitar conflitos mas não vejo mais nenhuma hipótese. Sinto-me mal por pôr pessoas na rua mas já chegou ao ponto de afectar a minha saúde.

    Caso mudasse a fechadura, como seria? Se partirem para a violência o que faço? e os bens deles?

    Muito obrigado pela resposta


    Chama a polícia …se se armarem em violentos .
    Para levantar os bens deles , marque uma “festa “ com uns amigos .😏, na altura de levantarem os bens .
    Estas pessoas agradeceram este comentário: ze__jose
  5.  # 5

    Colocado por: Quilleute

    Chama a polícia …se se armarem em violentos .
    Para levantar os bens deles , marque uma “festa “ com uns amigos .😏, na altura de levantarem os bens .
    Estas pessoas agradeceram este comentário:ze__jose


    Obrigado. Chego à conclusão que não me resta opção a não ser esta, infelizmente
    • size
    • 3 março 2024

     # 6

    Angariou uma complicação por sua inteira responsabilidade;

    1º - Aventurou-se a arrendar uma habitação de tamanho desnecessário para a sua necessidade
    2º - Depois, subarrendou os quartos, se calhar, sem contrato de arrendamento
    3º - Nunca deveria desabitar a casa, deixando os subarrendatários/hospedes à deriva

    Pois, agora, para os colocar na rua será necessário ter que recorrer a uma acção de despejo e terá que proceder à reparação da casa dos danos que eles causaram.
  6.  # 7

    Colocado por: sizeAngariou uma complicação por sua inteira responsabilidade;

    1º - Aventurou-se a arrendar uma habitação de tamanho desnecessário para a sua necessidade
    2º - Depois, subarrendou os quartos, se calhar, sem contrato de arrendamento
    3º - Nunca deveria desabitar a casa, deixando os subarrendatários/hospedes à deriva

    Pois, agora, para os colocar na rua será necessário ter que recorrer a uma acção de despejo e terá que proceder à reparação da casa dos danos que eles causaram.


    - Não foi nada disso que aconteceu, não me "aventurei e arrendei ua habitação de tamanho desnecessário para a minha necessidade" eu vim morar para um quarto, o senhorio é que só faz 1 contracto, e tem que ficar em nome de alguém.

    Não subarrandei nada, apenas divido a renda e as despesas. Não tenho nem quero ter qualquer lucro, muito pelo contrário, só prejuizo, financeiro e a nível da minha saúde.
    • size
    • 3 março 2024

     # 8

    Colocado por: ze__jose

    - Não foi nada disso que aconteceu, não me "aventurei e arrendei ua habitação de tamanho desnecessário para a minha necessidade" eu vim morar para um quarto, o senhorio é que só faz 1 contracto, e tem que ficar em nome de alguém.

    Tem a certeza, que o contrato de arrendamento que aceitou e formalizou com o senhorio foi de apenas 1 quarto da casa, com a elevada renda que está a pagar ? Duvido.

    Toda a narrativa que acima descreve, não configura tal situação.

    É que, nada impede que o senhorio formalize um contrato por cada quarto, por cada arrendatário. Não foi isso que foi feito. Você arrendou a casa toda.
  7.  # 9

    Seja como for, o que interessa é seguir para a frente. Hipoteticamente, será melhor dar a essas duas pessoas um prazo certo para irem embora, ou mudar as fechaduras já amanhã? Hipoteticamente também, não valerá a pena gastar 200-500€ em pessoas que o possam ajudar a resolver o problema com expediência, retirando sumariamente os pertences dessas duas pessoas? Há muita malta por aí que não tem problemas em conflitos mas tem falta de dinheiro.
    • bit0
    • 27 março 2024

     # 10

    Colocado por: zemvpferreiraSeja como for, o que interessa é seguir para a frente. Hipoteticamente, será melhor dar a essas duas pessoas um prazo certo para irem embora, ou mudar as fechaduras já amanhã? Hipoteticamente também, não valerá a pena gastar 200-500€ em pessoas que o possam ajudar a resolver o problema com expediência, retirando sumariamente os pertences dessas duas pessoas? Há muita malta por aí que não tem problemas em conflitos mas tem falta de dinheiro.


    Onde se encontram essas pessoas? Dava-me um jeitaço às vezes :)
    • bit0
    • 27 março 2024

     # 11

    Colocado por: sognim
    Este é o melhor conselho, que irá ter.
    Concordam com este comentário:Dias12,Quilleute,AlexMontenegro,desofiapedro
    Estas pessoas agradeceram este comentário:ze__jose


    Sinceramente, acho uma excelente abordagem ao problema. Não tenha medo. Faça como eles indicaram. Eu faria sem hesitar. Lembre-se que não o respeitaram a si em 1o lugar.
 
0.0174 seg. NEW