Iniciar sessão ou registar-se
    • NGC
    • 5 junho 2024

     # 1

    Caros foristas,

    Recentemente submeti projeto de arquitetura, o qual contempla EPS 6cm + tijolo/bloco térmico 30cm.

    Em conversa com amigos mencionei o facto de me fazer confusao partir isolamento (bloco/tijolo termico)para abrir roços de especialidades, ao qual me foi sugerido como alternativa passar para  tijolo/bloco 25 ou menor e colocar tijolo burro de 11. 

    Claro que com esta solução irei perder alguma área, mas os roços passariam só pelo tijolo 11, o que para mim faz mais sentido, mas gostava de ouvir mais opiniões, nomeadamente impacto nos custos e na térmica.

    Também gostava de saber se é uma solução praticada ou não.

    Desde já o meu obrigado
  1.  # 2

    Colocado por: NGCEm conversa com amigos mencionei o facto de me fazer confusao partir isolamento (bloco/tijolo termico)para abrir roços de especialidades, ao qual me foi sugerido como alternativa passar para  tijolo/bloco 25 ou menor e colocar tijolo burro de 11.

    Os seus amigos gostam de complicar.
    Está preocupado com o isolamento térmico, e aplica EPS apenas com 6cm!!!
    Já agora o que é que está previsto no estudo térmico?
    • NGC
    • 5 junho 2024

     # 3

    eu ainda não tenho a térmica feita, só mesmo a arquitetura
  2.  # 4

    E fazer paredes em gesso cartonado? Assim evita os roços...
    Concordam com este comentário: Na_mouch, tiagodiaf
  3.  # 5

    O problema da termica não são os blocos/tijolos, são os pilares.

    Vai gastar mais dinheiro a fazer a solução do tijolo de burro e termicamente não ganha muito
    • NGC
    • 6 junho 2024

     # 6

    Colocado por: Tiagonvs29E fazer paredes em gesso cartonado? Assim evita os roços...
    Concordam com este comentário:Na_mouch


    nao sou grande fan pela perda da inercia

    Colocado por: Na_mouchO problema da termica não são os blocos/tijolos, são os pilares.

    Vai gastar mais dinheiro a fazer a solução do tijolo de burro e termicamente não ganha muito


    ok então entedo que tèrmicamente a perda de material na abertura de roços é despresavel
  4.  # 7

    Colocado por: NGC

    nao sou grande fan pela perda da inercia



    ok então entedo que tèrmicamente a perda de material na abertura de roços é despresavel


    Veja com os seus técnicos a melhor solução.

    No entanto, ao avançar com a especialidades veja com o técnico da estabilidade a espessura dos pilares e vigas. Muito provavelmente o técnico irá utilizar pilares e vigas de 25cm de espessura e para deixar tudo alinhado utilize tijolo/bloco de 25 e aumente a espessura de isolamentos para 8/10cm (tem de validar depois a espessura com o técnico da térmica).

    Quanto a abertura de rocos vai depender muito de quem executa, mas com uma rebarbadora e picar com cuidado não faz assim tanto estragos. O pior é que muitas vezes isso não acontece e quem executa esses trabalhos é meia bola e força e vai quase 2/3 do tijolo/bloco a vida. Para compensar aumente a espessura do isolamento.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: NGC
  5.  # 8

    Colocado por: NGCEm conversa com amigos mencionei o facto de me fazer confusao partir isolamento (bloco/tijolo termico)para abrir roços de especialidades, ao qual me foi sugerido como alternativa passar para  tijolo/bloco 25 ou menor e colocar tijolo burro de 11.


    Colocado por: NGCnao sou grande fan pela perda da inercia


    Faz muito bem em não optar por pladur.

    Isto da abertura dos roços é um não problema. Representa uma pequeníssima % de área de toda a superfície das paredes.

    Nunca percebi este trauma da malta contra os roços. O isolamento exterior fica intacto, e apenas se esgravata uns cms da parede interior que posteriormente é enchida com material ainda mais denso que o material de origem.

    Se quer manter, e bem, a inércia térmica, da mesma maneira que ao abrir os roços no bloco/tijolo, está a perder inércia, também depois ao voltar encher com cimento, acaba por recuperar o que perdeu com material denso. Na pratica não perdeu nada de nada.

    Preocupem-se com coisas que realmente valham a pena e não aborreçam as vossas equipas com essas preciosidades.
  6.  # 9

    Colocado por: Nostradamusposteriormente é enchida com material ainda mais denso que o material de origem

    A densidade não será muito importante, mas as propriedades termicas sim. Mais denso até pode ser melhor condutor termico, o que neste caso seria menos bom.
    No entanto, é como diz, perfeitamente desprezável.

    Colocado por: NGCnao sou grande fan pela perda da inercia

    O gesso cartonado tem menor condutubilidade termica que o reboco, embora as espessuras sejam pequenas.
    Mesmo com caixar de ar (se o gesso não for colado directamente nas paredes), terá algum impacto mensurável? Ou, tal como os roços, é apenas um detalhe desprezável?
    Paredes de gesso cartonado sem lã de rocha dentro, claro.
  7.  # 10

    Colocado por: pguilhermeA densidade não será muito importante, mas as propriedades termicas sim.


    Nas paredes, a densidade (inércia) é mais importante que as propriedades térmicas propriamente ditas.
    O isolamento de uma casa não é para ser garantido pelos blocos ou tijolos, independentemente de serem térmicos ou não. Mas se forem térmicos, melhor ainda.

    Queremos ter boas propriedades térmicas no verdadeiro isolamento exterior completado com paredes com boa inércia térmica (não é por acaso que os blocos e tijolos térmicos são mais densos que os ditos normais).

    Colocado por: pguilhermeMesmo com caixar de ar


    As paredes exteriores não devem ter caixa de ar com o interior.

    Neste caso não se abriu roço nenhum, pode-se pensar que se salvou a "inércia" dos blocos. O problema é que para o calculo da classe de inércia, o valor da massa dessas paredes não é contabilizado a 100% devido a esta caixa de ar, e leva um coeficiente de penalização em que varia em função da constituição desta caixa de ar.
    Faz toda a diferença entre ser classe Forte, Média, ou Fraca.

    Ou seja, se a ideia de um DO é de querer evitar os roços dos blocos e fazer uma caixa de ar de pladur para passar as tubagens e melhorar o desempenho térmico, acaba é por criar um pior desempenho térmico da casa, principalmente na estação de aquecimento.
  8.  # 11

    Minha opinião: a discutirem roços que são "pintelh@s" e tanta coisa que depois é negligenciada e com implicações a sério no comportamento térmico do geral.
    Concordam com este comentário: Camões, Na_mouch
  9.  # 12

    Colocado por: NostradamusNas paredes, a densidade (inércia) é mais importante que as propriedades térmicas propriamente ditas.

    Não creio.
    Por norma, quanto mais denso, melhor condutor térmico (as partículas estão mais próximas). E sabemos que os blocos térmicos são piores condutores que os tijolos normais, certo?

    Os tijolos tradicionais têm muito mais espaço vazio que os blocos térmicos, o que enviesa o calculo de densidade pelo peso / volume do bloco.
    Será que o material do tijolo não é mais denso que o material do bloco térmico?

    Colocado por: NostradamusQueremos ter boas propriedades térmicas no verdadeiro isolamento exterior completado com paredes com boa inércia térmica (não é por acaso que os blocos e tijolos térmicos são mais densos que os ditos normais).

    Se queremos boa inércia térmica (boa capacidade calorífica e condutibilidade térmica) os blocos térmicos não são uma boa opção pq o seu objectivo é justamente o contrário, acho.
    Paredes de betão, por exemplo, seriam melhores para esse efeito (e suspeito que o tijolo tradicional ou tijolo maciço tb).

    Colocado por: NostradamusAs paredes exteriores não devem ter caixa de ar com o interior.

    Depende se as placas de gesso são colado na alvenaria ou fixadas com montantes ou perfis ómega. Onde passa tubagem, não pode ser colado (a não ser que se façam roços, claro).

    Colocado por: NostradamusNeste caso não se abriu roço nenhum, pode-se pensar que se salvou a "inércia" dos blocos.

    Não acho que se pense que o roço possa diminuir a inércia da parede, mas sim que possa reduzir o isolamento térmico nessa zona.
    Como disse, acho que, embora sejam chatos de fazer, os roços são desprezáveis.

    Colocado por: NostradamusOu seja, se a ideia de um DO é de querer evitar os roços dos blocos e fazer uma caixa de ar de pladur para passar as tubagens e melhorar o desempenho térmico, acaba é por criar um pior desempenho térmico da casa, principalmente na estação de aquecimento.

    Haverá algum ensaio que teste e quantifique a diminuição da inércia térmica com a aplicação de placas de gesso cartonado (sem lã de rocha atrás)?
  10.  # 13

    Colocado por: powerPTMinha opinião: a discutirem roços que são "pintelh@s" e tanta coisa que depois é negligenciada e com implicações a sério no comportamento térmico do geral.

    Certo.

    Apurar o impacto de paredes de gesso cartonado seria útil, a meu ver, porque é uma solução mais limpa/rápida/prática/flexível do que paredes de alvenaria e abertura de roços.
  11.  # 14

    Acho que o mais importante sobre os roços é nunca os abrir em elementos estruturais.
    Concordam com este comentário: joanamsequeira
    Estas pessoas agradeceram este comentário: NGC
  12.  # 15

    Colocado por: Dias12Acho que o mais importante sobre os roços é nunca os abrir em elementos estruturais.
    Concordam com este comentário:joanamsequeira


    Completamente de acordo, mas olhe que estou inscrito num forum de eletricidade, e ao percorrer as conversas é impressionante a quantidade de eletricistas que o fazem,e para eles não é nada logo que não se corte o ferro ....🙄
  13.  # 16

    pguilherme, você mistura conceitos..

    Inércia térmica não tem nada haver com a "boa capacidade calorífica e condutibilidade térmica" ou "melhor condutor térmico (as partículas estão mais próximas)".

    A densidade dos materiais não tem relação directa com a conductividade térmica. Basta ver os metais: alumínio, cobre, aço, inox, tungesténio, etc.

    A inércia é uma propriedade que só depende da massa. O resto das propriedades físicas não entram na equação. Seja a inércia de um tijolo ou a inércia do "volante de inércia do motor" de um carro.

    Em ambos os casos é a massa que permite guardar energia para ser usada posteriormente, uma sob a forma de calor, e a outra sob a forma de movimento. Uma conservou a energia sob a forma de calorias na própria massa do bloco, o outra o momento angular da rotação do motor.

    O interesse da inércia é este mesmo. Armazenar energia para usar mais tarde gratuitamente. Esta propriedade é intransigente às diversas áreas de engenharia que a usam.

    Colocado por: pguilhermeHaverá algum ensaio que teste e quantifique a diminuição da inércia térmica com a aplicação de placas de gesso cartonado (sem lã de rocha atrás)?


    Se for com caixa de ar é o factor "caixa de ar" tal como é usado nas janelas de vidro duplo e triplo. O ar tem propriedades isolantes.Não precisa de estudos nenhuns para isto, exemplos destes estão presentes à nossa volta.

    Se for chumbado directamente à parede, vai depender muito dos valores do acabamento final no que respeita a resistência térmica. Tal como no chão, se for um acabamento à base de materiais leves/isolantes, pode ter de levar um factor correctivo de 50% a 100%. Muitos "técnicos" nem sabem desse pormenor e nem aplicam o coeficiente de redução.

    E porquê? Porque não se deve "isolar" esta bateria térmica do edifício (paredes+chão) porque é ela que serve para manter um conforto térmico passivo sem o uso de AC e outros sistemas.

    Neste aspecto o SCE está bem feito, e já são 20 anos de constantes melhorias.
  14.  # 17

    Colocado por: NostradamusInércia térmica não tem nada haver com a "boa capacidade calorífica e condutibilidade térmica" ou "melhor condutor térmico (as partículas estão mais próximas)"

    Claro que tem.
    Grosso o modo, a capacidade do material "absorver" calor (1), a sua capacidade de condução (2) e emissão (3).

    Se fornecer a mesma quantidade de calor a 1 Kg de XPS e a 1 Kg de cobre, acha que vão ambos ficar à mesma temperatura e que vão ambos transferir a mesma quantidade de calor para o ambiente?

    Colocado por: NostradamusA densidade dos materiais não tem relação directa com a conductividade térmica. Basta ver os metais: alumínio, cobre, aço, inox, tungesténio, etc.

    Claro que está relacionada. Não é uma regra absoluta (varia também com a composição molecular, entre outros), mas *por norma*, quanto mais denso, melhor condutor.

    Colocado por: NostradamusA inércia é uma propriedade que só depende da massa. O resto das propriedades físicas não entram na equação. Seja a inércia de um tijolo ou a inércia do "volante de inércia do motor" de um carro.

    Parece-me que está a confundir inércia térmica com inércia cinética.
    Para a inércia cinética (movimento), apenas interessa a massa do corpo, sim.
    Mas para a inércia térmica, a transferência de energia depende da composição do material, tanto para receber, como depois para conduzir e emitir.

    Colocado por: NostradamusSe for com caixa de ar é o factor "caixa de ar" tal como é usado nas janelas de vidro duplo e triplo. O ar tem propriedades isolantes

    Primeiro, esta caixa de ar não é estanque, logo, este ar é tão isolante quanto o ar que está dentro da própria divisão. Não é comparável à que está nos vidros.

    Depois, sobretudo com piso radiante, a maior parte da transferência dá-se por radiação.
    A placa de gesso irá reduzir a transferência de calor, tanto por condução como por emissão. Mas se é em quantidade significativa é que é a questão.

    De qq forma, não creio que a aplicação de gesso cartonado tenha um impacto significativo no comportamento térmico da casa, mas se houverem dados em contrário, estou sempre interessado em aprender.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: NGC
  15.  # 18

    Desisto.
  16.  # 19

    Conclusão:

    Ignore a perda térmica dos roços.

    Termicamente e em termos de inercia térmica, ter gesso cartonado (sem lá de rocha) ou estuque é praticamente igual.

    Vantagem do gesso cartonado é poder colar xps/eps/lá de rocha (30mm é suficiente) aos pilares/vigas pelo interior da casa de modo a compensar a falha térmica destes elementos. Ao se efetuar esta operação, o isolamento tem de cobrir 5/10cm do bloco térmico de cada lado da viga.
    • NGC
    • há 7 dias

     # 20

    estou esclarecido e tambem já percebi que não é practica comum nem relevante

    muito obrigado a todos
 
0.0270 seg. NEW