Iniciar sessão ou registar-se
    • 6 Novembro 2008 editado

     # 1

    (esta discussão deriva desta: https://forumdacasa.com/discussion/2054/porque-e-que-tenho-que-ter-um-plano-de-seguranca-e-saude/)

    marco1
    Eu tb pensava assim, por isso ter contratado um arquitecto que me fizesse os proj todos e não aqueles que só se resp pela arq. e despois eu tinha que arranjar quem fizesse as especialidades.
    Aconteçe que como a maioria das pessoas eu nunca construi uma casa e nem sequer sabia quais os passos a dar.
    Confiei num profissional que me disse que o seu preço incluia tudo.
    Incluia inclusivé o acompanhamento da obra e o seu fecho.
    Pensei que tinha feito uma boa opção
    Hoje penso o contrário
    Comparo o meu projecto e o serviço que me estão a prestar com o de um colega que recorreu a uma equipa de um desenhador e de um engenheiro e manifestamente estou muito mal servido.
    Enquanto eu fui confrontado com pouco mais de duas propostas pois a legislação hoje era muito castradora e não permitia fazer aquelo que queriamos, o meu colega teve uma série de propostas até que chegaram ao que realmente idealizava sendo a legislação e os condicionalismos os mesmos.
    Hoje vejo-me confrontado com a necessidade de ainda ter que arranjar um coordenador e o mais grave que agora me foi imposto que é o facto de não entregando a casa a uma das 3 empresa propostas pelo meu arquitecto ele não se responsabilizar por acompanhar a obra.
    A equipa do projecto do meu colega foi logo perentoria dizendo que eles assumiam a fiscalização da obra fosse qual fosse a empresa construtora mas que esta tinha a obrigatoriedade de ter alguem para fazer a direcção técnica.
    Sem que provavelmente há por aí alguns arquitectos sérios.
    Eu provavelmente tive azar
  1. Ícone informação Anunciar aqui?

  2.  # 2

    Colocado por: Tómarco1

    Hoje vejo-me confrontado com a necessidade de ainda ter que arranjar um coordenador e o mais grave que agora me foi imposto que é o facto de não entregando a casa a uma das 3 empresa propostas pelo meu arquitecto ele não se responsabilizar por acompanhar a obra.


    Alguma explicação decente para este facto?
    • 6 Novembro 2008

     # 3

    Segundo o meu Sr. arq. não confia em mais nenhuma empresa da região para construir uma obra dele.
    Ainda lhe perguntei:
    Mas pensei que a obra fosse minha e não sua.
    Disse-me que tem direitos de autor sobre a obra dos quais não abdica, e que embora a obra seja minha não posso fazer qualquer tipo de alteração sem o seu consentimento...

  3.  # 4

    Colocado por: TóSegundo o meu Sr. arq. não confia em mais nenhuma empresa da região para construir uma obra dele.
    Ainda lhe perguntei:
    Mas pensei que a obra fosse minha e não sua.
    Disse-me que tem direitos de autor sobre a obra dos quais não abdica, e que embora a obra seja minha não posso fazer qualquer tipo de alteração sem o seu consentimento...


    E agora o que pensas fazer, seguir o "conselho" do Arquitecto?
    Outra coisa em que tenho curiosidade em saber, o projecto já está concluído, levaste algum esboço inicial, as tuas sugestões/alterações foram sempre aceites ou de facto o projecto é 100% da criatividade do Arquitecto?
  4.  # 5

    Colocado por: TóHoje vejo-me confrontado com a necessidade de ainda ter que arranjar um coordenador e o mais grave que agora me foi imposto que é o facto de não entregando a casa a uma das 3 empresa propostas pelo meu arquitecto ele não se responsabilizar por acompanhar a obra.




    Se este fórum lhe servir para alguma coisa, que seja só para o lhe dizer: Não, Não, Não, Não, Não, Não, Não

    Sabe quanto vale isso? 3% do valor da obra, que é quanto o angariador recebe se tiver os preços controlados, isto é, se saber quanto é o valor da propostas concorrentes, permitindo maximizar a jogada, ou 1% se apenas levar a obra para a empresa. Numa vivenda de 250.000€ vale 7500€ o que é mais do que o valor do projecto e que pode explicar certos preços maravilha para alguns projectos.

    Durante a obra, como o arquitecto e o empreiteiro são amigos, a favor de quem acha você, que serão as decisões? Não se esqueça, que consigo, o arquitecto irá trabalhar uma única vez, com o empreiteiro, vai trabalhar imensas vezes

    Quanto ao facto de ele acompanhar a obra.

    Se não acompanha, não acompanha, arranja-se outro. Se ele não assinar, você nem lhe paga o que faltar. Isso é chantagem, pura e simples, gostava de saber o que a ordem diria uma coisa dessas. E sendo um bocadinho mais duro, a verdade é que a maior parte da vezes, não fazem lá falta nenhuma, se o empreiteiro quiser aldrabar, ele não apanham e se o empreiteiro não souber fazer, eles também ajudam em nada, escrevem como eu já vi num projecto "o empreiteiro que se desenrasque". Foi marreta para cima e ficou desenascado


    Colocado por: TóDisse-me que tem direitos de autor sobre a obra dos quais não abdica,

    Mas a obra é sua ou dele? Quem é que a paga? Fale mas é com a ordem dos arquitectos
    •  
      FD
    • 6 Novembro 2008 editado

     # 6

    Pergunte ao seu arquitecto se já leu isto: http://arquitectos.pt/documentos/1164128893X0gVT2va4Lj32WL0.pdf

    Nomeadamente:

    Artigo 7.° Deveres do arquitecto no desempenho da sua actividade

    (...)

    7. O arquitecto deve evitar toda a situação em que interesses privados, mesmo legítimos, possam levá-lo a prejudicar ou preterir os do seu cliente ou empregador.

    Exponha a sua situação ao Provedor da Arquitectura: http://arquitectos.pt/?no=202066,191
  5.  # 7

    Colocado por: TóSegundo o meu Sr. arq. não confia em mais nenhuma empresa da região para construir uma obra dele.
    Ainda lhe perguntei:
    Mas pensei que a obra fosse minha e não sua.
    Disse-me que tem direitos de autor sobre a obra dos quais não abdica, e que embora a obra seja minha não posso fazer qualquer tipo de alteração sem o seu consentimento...


    E o que vale é que por enquanto ainda não somos obrigados a recorrer aos senhores arquitectos.
    É fartar , vilanagem..
  6.  # 8

    Colocado por: TóDisse-me que tem direitos de autor sobre a obra dos quais não abdica, e que embora a obra seja minha não posso fazer qualquer tipo de alteração sem o seu consentimento...

    No limite se ele se armar mesmo em parvo, rasge-lhe o projecto na cara. O dinheiro que já pagou? Dê-me o projecto que arranjo-lhe soluções alternativas que lhe poupam mais do que o suficiente para pagar isso
    • 6 Novembro 2008

     # 9

    Paulo
    Agradeço a disponibilidade.
    O que aconteçe é que tenho o projecto quase todo pago, pelo que apenas estou á espera das ultimas especialidades para entregar na câmara e começar a pedir orçamentos.
    O que vai aconteçer é que depois de ter a licença na mão vou prescindir dos serviços do sr. arquitecto, inclusivé irá ser proibido de entrar na obra.
    A fiscalização irá ser feita por outra pessoa, neste caso um engenheiro.
    Se tiver que alterar a obra concerteza que irei alterar e nãi será ele que me irá impedir
  7.  # 10



    Cuidado, tem de ver a questão das assinaturas das telas finais, mas ai sou leigo. Poderá ser mais fácil prescindir mesmo dos serviços antes da entrega na câmara, por causa desses aspectos legais.
    • 6 Novembro 2008

     # 11

    Já me informei na câmara e segundo eles se fizer alterações meto um projecto de alterações que pode ir assinado por outro técnico que eles não tem nada a ver com isso.
    Dizem que isso do direito de autor não é com eles mas sim entre mim e o sr. arquitecto.
    Se não fizer basta-me o termo do director técnico e do director da fiscalização a dizer que a obra está de acordo com os projectos.
    Como nenhuma destas pessoas vai ser o sr. arquitecto...
  8.  # 12

    Como arquitecto gostava de pelo menos deixar no ar que nem todos os profissionais trabalham da mesma maneira.
    No meu caso a proposta inicial apresentada ao cliente discrimina todas as fases que constam do processo de construir uma casa, deixando para para ele a decisão do que pretende entregar ou não. Isto é, em primeneiro lugar dou um valor para o projecto de licenciamento que tem obrigatóriamente que ser feito e que inclui arquitectura, especialidade e assistencia á obra. Numa 2ª fase para pedir preços e levantamento da licença dou valor para projecto de execução, plano de segurança, coordenação de segurança, fiscalização ou direcção de obra. Numa 3ª fase dou valor para a fase de licença de utilização, em que consta o valor para a ficha técnica da habitação, medições térmicas e acusticas etc.
    O que normalmente acontece é que o valor total de todos esses serviços assusta o cliente e ele opta por adjudicar o licenciamento e o resto logo se vê, e quando chega á altura acontece o que o Tó refere, mas no meu caso o cliente tem conhecimento desde a proposta inicial.

    Quanto á questão dos empreiteiro eu prefiro nem comentar, no meu caso posso indicar alguém que conheça (sem quaisquer 3%) mas a decisão de entregar ou não é sempre do cliente.

    Quanto á direcção da obra tenho visto que maioria das opiniões são de deixar essa direcção para o empreiteiro, que a meu ver pode dar muitos problemas, visto ser essa pessoa que terá que assumir no final da obra perante a Autarquia para a emissão da licença de utilização, e já tive vários casos em que tudo correu bem até essa altura, mas quando chegou á altura das contas o empreiteiro apareceu com uma grande fatia de extras com o qual o cliente não concordava. O que acontece é que o cliente ficou na mão do empreiteiro, com a obra pronta não pode ter a licença de ocupação pois a direcção de obra estava a cargo do engenheiro do empreiteiro que gurdou o livro de obra, não passou os termos sem que fosse pago o que ele pediu.

    Deixo também a pergunta quais os poderes reais de uma fiscalização, o que pode esta fazer a não ser comunicar ao cliente o que se passa na obra, se esta não correr bem, se houver erros pode a fiscalização retirar o termo de responsabilidade e parar a obra? Acho que não!

    O que agradecia era que não julgassem toda a gente pela mesma bitola. Como em todas as áreas há bom e maus profissionais.
  9.  # 13

    Colocado por: PaulossComo arquitecto gostava de pelo menos deixar no ar que nem todos os profissionais trabalham da mesma maneira.

    Ninguém têm dúvidas disso, mas se não ajudarmos a eliminar os maus do sistema, é o próprio sistema que fica descredibilizado e os próprios profissionais.

    As percentagens existem, todos sabemos disso, mas apesar de tudo, conheço muita gente que se recusa a entrar nesses sistemas, agora dizer que é aquele ou não é, é no mínimo suspeito.
  10.  # 14

    Concordo que a actuação desse Sr Arquitecto é no minimo suspeita, mas muita atenção à questão dos direitos de autor, se ele quiser levar o caso a tribunal e fizer prova que os seus direitos de autor foram violados, o tribunal poderá ordenar a demolição de tudo o que vá contra o projecto do arquitecto e a reposição desse mesmo projecto. A posição da câmara foi muito salomónica ao dizer que isso é assunto entre o dono da obra e arquitecto.
  11.  # 15

    Como já fui projectista posso opinar.
    Nunca indiquei nenhum empreieteiro aos meus clientes, aliás sempre os adverti que todos eram um pouco como os meninos.
    Dáse-hle a mão e eles querem logo o pé. (perdoem-me os srs. empreiteiros que por aqui andam e a quem não cabe a carapuça)
    Quanto ao problema do Tó já conheçi muitos identicos.
    De facto o direito de autor é algo que apenas deve dizer respeito ao arq. e ao dono de obra, as câmara não devem intervir nessa disputa isso é caso para os tribunais.
    Tb não acredito que um tribunal mande deitar a obra abaixo só pk o dono de obra se sentiu lezado e fez umas alterações legais.
    Quanto ao obter a liçença de habitabilidade nada mais simples.
    Mesmo que o empreiteiro retenha o livro de obra e não apresente o termo, a legislação permite-me mesmo assim obter a lic de habitabilidae basta para isso que requeira à cãmara a competente vistoria.
  12. Ícone informação Anunciar aqui?

  13.  # 16

    Colocado por: rjmsilvaConcordo que a actuação desse Sr Arquitecto é no minimo suspeita, mas muita atenção à questão dos direitos de autor, se ele quiser levar o caso a tribunal e fizer prova que os seus direitos de autor foram violados, o tribunal poderá ordenar a demolição de tudo o que vá contra o projecto do arquitecto e a reposição desse mesmo projecto. A posição da câmara foi muito salomónica ao dizer que isso é assunto entre o dono da obra e arquitecto.


    Para baralhar ainda mais este assunto, mas agora imaginemos que o cliente leva o esboço da casa que pretende, quer a nivel de planta quer a nivel de alçados... o arquitecto desenvolve esse esboço, tendo o resultado final semelhante ao esboço do cliente.

    Podemos falar na mesma em direitos de autor para o aquitecto?

    Um abraço
    •  
      FD
    • 6 Novembro 2008

     # 17

    No que diz respeito aos direitos de autor dos arquitectos existiu/existe uma polémica muito interessante em Espanha.

    O Santiago Calatrava (aquele da estação do Oriente) fez uma ponte pedonal em Bilbao, Espanha. Para o chão escolheu uns painéis com vidro que permitiam ver o rio que a ponte atravessa. Lindo.
    Mas quando chove, o piso fica escorregadio, o pessoal cai e aleija-se.
    A Câmara de Bilbao pergunta ao Calatrava se pode mudar os painéis para o pessoal não cair.
    O Calatrava diz que não, porque senão o espírito estético da obra perde-se.
    E as pessoas continuam a cair.

    Melhor.

    Entretanto, a Câmara precisou, por causa de outras obras, de construir umas rampas ou escadas de acesso a essa mesma ponte. Contratou outro arquitecto. Calatrava pede uma indemnização de 3 milhões de € porque tais acessos atentavam os direitos morais da sua propriedade intelectual.

    http://www.elmundo.es/elmundo/2007/05/03/cultura/1178204437.html

    Entretanto, parece que o homem continua a gostar de mandar o pessoal ao chão, arquitectou mais uma ponte em Veneza e as pessoas continuam a cair:

    http://www.elmundo.es/elmundo/2008/09/30/cultura/1222795677.html

    A ponte em questão:

    ponte calatrava zubi zuri
  14.  # 18



    Para baralhar ainda mais este assunto, mas agora imaginemos que o cliente leva o esboço da casa que pretende, quer a nivel de planta quer a nivel de alçados... o arquitecto desenvolve esse esboço, tendo o resultado final semelhante ao esboço do cliente.

    Podemos falar na mesma em direitos de autor para o aquitecto?

    Um abraço


    Não há duvidas de que sim, é ele que se responsabiliza legalmente pela pela autoria. Tal como todos os outros intervenientes no processo, engenheiros, THS, etc.

    Era para referir algo semelhante. Mas do ponto de vista de alguém ter um acidente grave, e poder processar o Calatrava. Nos EUA são processos correntes.
  15.  # 19

    Uma leitura interessante que lança luz sobre este assunto: link
  16.  # 20


    O Santiago Calatrava (aquele da estação do Oriente) fez uma ponte pedonal em Bilbao, Espanha. Para o chão escolheu uns painéis com vidro que permitiam ver o rio que a ponte atravessa. Lindo.
    Mas quando chove, o piso fica escorregadio, o pessoal cai e aleija-se.


    Pois, esse é o autor do genial conceito "as estações de comboios são locais de passagem, não devem ser confortáveis" (palavras dele, juro...), que tem a sua expressão máxima na Gare do Oriente, a qual é de facto extremamente desconfortável para os seus utentes.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: carlosmcd
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">