Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Olá a todos,

    Tal como o meu username indica sou um novato no ramo da construção, limitando-se a minha experiência somente a ter lixado três portas, pintando-as de seguida e pintando igualmente umas paredes e uma parte de um móvel de madeira. Digo desde de já que as portas ficaram razoavelmente pintadas apesar da falta de materiais nessa situação.
    Tenho agora andado a pensar em restaurar um roupeiro de madeira (provavelmente dos anos 60/70, mais provavelmente do tardar dos 70), pintando-o. Andei a ver uns vídeos a explicar como decapá-lo e pintá-lo, mas como sou um completo "noob" no assunto resolvi registar-me aqui neste fórum e perguntar-vos acerca do que é necessário para começar a restaurar esse móvel e depois possivelmente começar a restaurar móveis (tenho uma marquise relativamente grande que até daria para por lá um móvel e tratar dele, desde que o móvel não fosse de dimensões gigantes. O roupeiro vou ter de restaurá-lo talvez no hall de entrada ou noutra divisão da casa. Gostaria que me dessem uma ajuda em relação aos materiais necessários e técnicas que terei de utilizar. Também precisava de saber qual seria o custo aproximado desses materiais para iniciar o restauro e depois um part time. Por enquanto tenho os fins de semana e as tardes disponíveis para restaurar e possivelmente daqui a uns meses terei os dias todos para dedicar ao restauro.
    Seria possível começar o negócio (negóciozinho) por menos de 300 ou 400 euros? É que eu para além de novato, não sou rico e é essa quantidade de dinheiro que talvez consiga com umas vendas de "tralhas" que tenho em casa, talvez no espaço de umas duas semanas venda a tralha.
    Acham que seria rentável comprar ou mesmo arranjar uns móveis através de conhecidos e restaurá-los, vendendo-os de seguida no olx, custojusto, etc... , para além de poder restaurar para pessoas? O negócio numa primeira fase podia ser para amigos e depois registar-lo-ia, pois pelo que eu li poderei ter benefícios fiscais se o rendimento não ultrupassar os 10000 euros anuais. É que não quero os "gajos do fisco" atrás de mim heheheh ;) (com todo o respeito por esses funcionários, que aliás admiro pelo trabalho muitas vezes não reconhecido e mal encarado).

    Obrigado :)
  2. Ícone informação Anunciar aqui?

  3.  # 2

    Nestas coisas Nada como fazer uma formacao de restauro e aprender com os mestres.

    Depois, acredito, que possa enriquecer se for trabalhador, organizado e competente.

    O meu conselho e mesmo que avance, pois ja demonstrou que e empreendedor.
    Concordam com este comentário: DEEPblue, Joao Dias, novatonoramo
    Estas pessoas agradeceram este comentário: novatonoramo
  4.  # 3

    Acho muito bem a sua iniciativa. Só não me parece mal não ambicionar ganhar mais de 10.000 por causa do fisco.

    Ambicione sempre que a sua atividade fature mais e de modo mais sustentável. Com os homens do fisco vai-se preocupando conforme vai aumentando o seu rendimento.
    Concordam com este comentário: novatonoramo
    Estas pessoas agradeceram este comentário: novatonoramo
  5.  # 4

    boas eu ja faço este trabalho ja tenho qualificaçao ja tenho as maquinas todas tenho espaço proprio para fazer isto e nao chego a ter10000 euros por ano talvez 3000 aparece sempre alguem que quer restaurar moveis antigos mas se for muito caro nao querem por isso tem de ser baixo..e naocompensa uito a gente só trabalha por que nao ha mais nada..
    Concordam com este comentário: novatonoramo
    Estas pessoas agradeceram este comentário: novatonoramo
  6.  # 5

    Colocado por: luis_guilhermeNestas coisas Nada como fazer uma formacao de restauro e aprender com os mestres.

    Depois, acredito, que possa enriquecer se for trabalhador, organizado e competente.

    O meu conselho e mesmo que avance, pois ja demonstrou que e empreendedor.
    Concordam com este comentário:novatonoramo
    Estas pessoas agradeceram este comentário:novatonoramo


    Muito obrigado Luís. O seu conselho é muito bom. De facto reparei à uns dias que existe ao pé de mim um centro de artes e ofícios, centro esse que dá formações de restauro de móveis. Tenho de ver quando começa e talvez depois saber junto deles se há algum espaço ou empresa que possa ceder um espaço para trabalhar (alugar) ou posso até mesmo estar uns tempos à experiência para ir aprendendo.
  7.  # 6

    Colocado por: doisarquitectosAcho muito bem a sua iniciativa. Só não me parece mal não ambicionar ganhar mais de 10.000 por causa do fisco.

    Ambicione sempre que a sua atividade fature mais e de modo mais sustentável. Com os homens do fisco vai-se preocupando conforme vai aumentando o seu rendimento.
    Concordam com este comentário:novatonoramo
    Estas pessoas agradeceram este comentário:novatonoramo


    Agradeço o seu comentário.
    O que eu quiz dizer é que o benefício fiscal é muito bom. Pelo que me disseram se uma pessoa faturar imagine-se 9500 euros ou até mais (até 9999 euros) e depois passar faturas depois do ano novo, nesse próximo ano fica com isenção de IVA (assim me disseram, mas tenho de verificar se ainda é de facto).
  8.  # 7

    Colocado por: tiyxuboas eu ja faço este trabalho ja tenho qualificaçao ja tenho as maquinas todas tenho espaço proprio para fazer isto e nao chego a ter10000 euros por ano talvez 3000 aparece sempre alguem que quer restaurar moveis antigos mas se for muito caro nao querem por isso tem de ser baixo..e naocompensa uito a gente só trabalha por que nao ha mais nada..
    Concordam com este comentário:novatonoramo
    Estas pessoas agradeceram este comentário:novatonoramo


    Boa noite Tiyxu,
    Desde já agradeço o seu comentário.
    Se não for incomodo da sua parte, posso perguntar-lhe onde exerce o restauro, que preços é que pratica, quantas encomendas tem por mês, quantas horas trabalha para essas encomendas? Não é preciso dar número exatos como é óbvio, apenas gostaria de saber como anda o setor do restauro. Pelo que pesquisei na minha cidade (Lisboa, apesar de morar um pouco nos subúrbios) há algumas empresas e profissionais ligados ao restauro de móveis inclusive uma associação de caridade. Não me pareceu haver grande concorrência pois também o volume de pedidos de restauro não deve ser muito, muito elevado presumo.
    Um problema que me parece grande é o de depois vender os móveis após restaura-los depois de comprados ou dados.

    Obrigado,
  9.  # 8

    Se tivese ja por por encomendas era bom ...niguem quer moveis antigos so querem novos e ainda com garantia... eu faço de ves em quando com sei fazer se aparecer algo pego no trabalho e faço eu trablaho com mais coisas as vezes tenho de recuzar quando nao posso por coisa de outros copromisos.. trabalho no Porto o tempo que passo ...so no fim de dia ou se for muito importante sou capaz de estar todo dia metido na minha oficina a trabalhar ...por ex tive agora recente umas caixas de madeira exotica vindas de africa nos anos 60 que estavam com partes falta e em muito mal estado mas muito bunitas tive que os limpar de po..depois tive que os reparar ...depois invernizar com vernis a baze de alcool (de buneca ou white sprite) e agora aguardo envio para os EUA isso sim foi um bom trabalho mas nao aparece assim muitos ...era bom pelo menos todos messes um asssim ouate maiores para ocupar o mes todo e dar um medio de 3000 por mes assim era bom mas isso so nos sonhos..e precisa conhecer muita gente que trabalha na aria ... e depois se no for a primeira mao só por intermediarios fic sempre mais barato trabalho ...por isso digo boa sorte tem de investir bastante em feramentas e conhecimento e nao chega 1 ano para aprender todo que for precisa para poder restaurar moveis eu fiz 6 anos e trabalhei 8 em fabricas de moveis e precisa saber meo uita coisa e ter um boua dextreza com feramentas complicadas e perigosas eu ja vi acidentos com pesoas com dezenas de anos de experiencia isto nao e para brincar se um clinte ficar mal servido nunca mais volta para la e potencialmente outros dezenas de clientes...investimento em feramentas ultrapasa 2000 euros +renda+luz +agua....se nao aranjar pelo enos 1000 euros por mes em trabalho nao compensa ter um spaço dedicado so a isto eu tenho um spaço onde faço de tudo tambem tenho muita ferameta mas sempre falta algo....eu tenho +de 10000 euros em feramentas só,.por isso pensa bem se quer entra bem e depois chegar a concluzao que ainda se enganou...
  10.  # 9

    Caro novatonoramo,
    O restauro de antiguidades é uma arte brutalmente exigente e que requer anos e anos de prática. Para além da ferramenta necessária que é muita e cara, é preciso ter BASES, essas, as realmente necessárias, OS SEGREDOS, ninguém lhos vai dar em nenhum curso de "vão de escada". O único local onde realmente conseguiria ter formação adequada seria na fundação Ricardo Espírito Santo em Lisboa. O problema é que essa mesma formação é muito cara (centenas de euros por Mês durante pelo menos três anos) e independentemente de ser muitíssimo completa, há que ponderar os prós e os contras.
    No que toca ao mercado do restauro, sendo um mercado em que estou inserido, posso-lhe afiançar que actualmente o restauro não dá dinheiro pois raramente é valorizado. O restauro PROFISSIONAL feito por bons Mestres é um verdadeiro "Time consumer" o que obrigando a fazer contas sérias ao contabilizar tempo de mão de obra, custos de desgaste da ferramenta, custos de eletricidade, custos com seguros e toda a restante panóplia a que o estado obriga, leva invariavelmente a preços que o cliente por é simplesmente não quer pagar.
    Depois tem de contar com o facto de que se quer "intrometer" num mercado muito restrito onde pairam 4 ou 5 restauradores (individuais ou firmas - zona de Lisboa) que por já terem cartas firmadas e provas dadas da sua qualidade, tendencialmente já fidelizaram o cliente.
    Posto isto, não o querendo de forma nenhuma desmoralizar (embora pareça), gostaria só de lhe dizer que o restauro, feito com qualidade, obriga sempre a uma dose muitíssimo elevada de paixão.
    Há que perceber que quando estamos a restaurar uma antiguidade a mesma não é só um simples pedaço de madeira, é regra geral um bocado de história tão ou mais importante que a peça em si!!
    O restauro não admite "dias maus"!!
    De resto, se realmente gosta da coisa é uma questão de começar efectivamente por adquirir bases e depois o resto vem com a prática.
    Boa sorte.
    Concordam com este comentário: tiyxu, DEEPblue
    •  
      jccp
    • 9 Fevereiro 2016

     # 10

    Colocado por: Joao DiasO restauro de antiguidades é uma arte brutalmente exigente


    o homem disse que quer restaurar moveis dos anos 60/70/,não a o trono do Luis XIV
  11.  # 11

    Colocado por: jccp

    o homem disse que quer restaurar moveis dos anos 60/70/,não a o trono do Luis XIV

    Esse é logo um dos erros mais banais e graves no que ao restauro diz respeito.
    Quer seja uma peça de 30€ quer seja uma peça de 30.000€ a qualidade deverá sempre ser a mesma. É uma questão de ética profissional que á grande maioria nada diz. Dai, os bons, os reconhecidos, serem tão poucos. Ou acha que nós restauramos peças de topo todos os dias??
    Mal seria se a distinção que relatou constasse no nosso dicionário!!!
    E se falo tão a sério é porque me parece pelo discurso de quem abriu o tópico de que está seriamente a pensar em lançar-se no ramo. Mesmo em part-time, deveria sempre começar com boas bases e bons valores.
    Mas isto sou eu a falar que sou e serei sempre um eterno apologista do "se é para fazer algo, que se faça bem feito !!"
    Concordam com este comentário: tiyxu
    •  
      jccp
    • 9 Fevereiro 2016 editado

     # 12

    Colocado por: Joao DiasQuer seja uma peça de 30€ quer seja uma peça de 30.000€ a qualidade deverá sempre ser a mesma.


    completamente de acordo,mas daí a ter que frequentar um curso de três anos pago a peso de ouro na fundação Ricardo Espírito Santo em Lisboa para restaurar moveis sem o minimo de valor histórico parece-me desproporcionado.Certamente existirão opções mais baratas e igualmente eficazes para o tipo de restauro em causa.

    Não me interprete mal,embora não conheça nenhum tenho a maior admiração por quem restaura obras de arte,como parece ser o seu caso.

    cumprimentos
  12.  # 13

    Colocado por: jccp

    completamente de acordo,mas daí a ter que frequentar um curso de três anos pago a peso de ouro na fundação Ricardo Espírito Santo em Lisboa para restaurar moveis sem o minimo de valor histórico parece-me desproporcionado.Certamente existirão opções mais baratas e igualmente eficazes para o tipo de restauro em causa.

    Não me interprete mal,embora não conheça nenhum tenho a maior admiração por quem restaura obras de arte,como parece ser o seu caso.

    cumprimentos

    Percebo o seu ponto de vista mas o problema é que as bases do restauro são as mesmas. Depois cada um poderá eventualmente colocar o seu cunho pessoal e tentar optimizar aqui e ali alguns aspectos, mas, as bases são as bases.
    É claro que não estou a dizer para ir para a Ricardo, estou simplesmente a alertar para um facto.
    Isto é muito mais do que agarrar num bocado de lixa e pintar ou reenvernizar.
    Concordam com este comentário: tiyxu, jccp
  13.  # 14

    Colocado por: Joao Dias
    Percebo o seu ponto de vista mas o problema é que as bases do restauro são as mesmas. Depois cada um poderá eventualmente colocar o seu cunho pessoal e tentar optimizar aqui e ali alguns aspectos, mas, as bases são as bases.
    É claro que não estou a dizer para ir para a Ricardo, estou simplesmente a alertar para um facto.
    Isto é muito mais do que agarrar num bocado de lixa e pintar ou reenvernizar.
    Concordam com este comentário:tiyxu,jccp
    eu ja dise que estudei 6 anos carpinteria de moveis e foi um ano profesor +trablaho em fabrica....agora posso pegar em qualquercoisa ligada a essa aria tanto pode ser movei como portas chao de madeira ,de tacos, telhados,,,sei la o que o client encoenda ja me chamarem para fazer trabalhos no Palacio de Bolsa no Porto e trabalhei la 4 semanas fiz la muita coisa.... e precisa saber o que e madeira e como se comporta em todas situaçois so isto estudei durante 2 anos .ainda fiz um ano de tapiseria de moveis ...2 aulas por semana e 2mese de pratica ..e depois quantos milhares de m3 de madeira e moveis pasaram por a minha mao e ja foi há muito tempo.... 12 anos...
    Concordam com este comentário: Joao Dias
  14.  # 15

    O João dias mostrou que sabe do que fala.

    Deu certamente bons conselhos, mas parece-me que podera ser possivel encontrar aqui um meio termo em termos de formacao e custo de mao de obra.

    Ha cada vez mais gente interessada em coisas antigas, porque como eu ja perceberam que o valor esta no que e antigo. Mas temos que adaptar esta realidade a realidade Portuguesa, tendo em atencao que somos um pais pobre e de salarios baixos.

    A mao de obra em Portugal tem que ser mais barata que nos outros paises da Europa.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Joao Dias
  15. Ícone informação Anunciar aqui?

  16.  # 16

    Colocado por: luis_guilhermeO João dias mostrou que sabe do que fala.

    Deu certamente bons conselhos, mas parece-me que podera ser possivel encontrar aqui um meio termo em termos de formacao e custo de mao de obra.

    Ha cada vez mais gente interessada em coisas antigas, porque como eu ja perceberam que o valor esta no que e antigo. Mas temos que adaptar esta realidade a realidade Portuguesa, tendo em atencao que somos um pais pobre e de salarios baixos.

    A mao de obra em Portugal tem que ser mais barata que nos outros paises da Europa.
    Estas pessoas agradeceram este comentário:Joao Dias

    Boas Luis,
    Entendo perfeitamente o que quer dizer mas infelizmente cada vez mais me vejo obrigado a não concordar minimamente.
    A mão de obra especializada e com provas dadas na minha opinião deve ser SEMPRE mais valorizada pelo cliente e essa valorização reflete-se obviamente no preço a pagar por determinado serviço. Parece-me injusto o esforço desmedido que muitos profissionais fazem e depois olhar para o lado e ver trabalhos pagos ao mesmo valor a tipos sem a menor competência para os efectuar. Culpa de quem?? De um mercado cada vez mais competitivo no qual não se olha a meios para atingir os fins. Os donos das firmas ditas pequenas e médias cada vez mais aflitos para fazer face ás despesas fixas e clientes cada vez menos exigentes na qualidade mas mais exigentes no preço. Milagres quando os há é para os lados de Fátima portanto enquanto não se valorizar mas valorizar a sério a mão de obra especializada e aquela para quem a expressão "customer care" efectivamente quer dizer alguma coisa, temo que a qualidade continue comprometida!!
    E tudo passa por aquilo que disse, somos pobrezinhos portanto temos de trabalhar barato. Nada disso, temos e devemos de aplicar coeficientes estruturais de custos adaptados á nossa realidade. Mas o que não temos nem devemos fazer é trabalhar de borla!!! Eu não o faço e como tal o meu grau de exigência em todos os trabalhos que executo é muitíssimo acima do expectável !!
    Concordam com este comentário: Picareta
  17.  # 17

    Colocado por: luis_guilhermeHa cada vez mais gente interessada em coisas antigas, porque como eu ja perceberam que o valor esta no que e antigo


    acha mesmo? vejo tanta coisa deitada fora. em cada remodelação de casa antiga é só olhar para os contentores de entulho e ver boas carpintarias lá dentro... para serem substituídas por fancaria.

    portugal não é só um país de baixos salários é um país de ignorantes. não é politicamente correto mas pronto, já disse..
    Concordam com este comentário: Apagado6512, Joao Dias, luis_guilherme
  18.  # 18

    Portugal é um pais de 8 e 80, é pena é ter que haver muito 8 para poder haver 80s, talvez só em certos países mais ricos no norte da europa é que não seja tanto assim.
    mas que era fixe sermos todos um pouco mais cultos e instruídos era.
    Concordam com este comentário: Apagado6512, tiyxu, Joao Dias
  19.  # 19

    Colocado por: gazebo

    acha mesmo? vejo tanta coisa deitada fora. em cada remodelação de casa antiga é só olhar para os contentores de entulho e ver boas carpintarias lá dentro... para serem substituídas por fancaria.

    portugal não é só um país de baixos salários é um país de ignorantes. não é politicamente correto mas pronto, já disse..
    Concordam com este comentário:Joao Dias

    Sem duvida, só no ano passado apanhei do lixo pelo menos três peças que valem umas centenas de euros valentes. Uma delas, uma mesinha de cabeceira D. Maria estava completamente imaculada, não precisava de mais do que um enceramento... Há coisas que não percebo!! Mas pronto, por mim deitem tudo fora para trocar por Ikeas e companhia que eu agradeço.
    Ainda ontem passei por uma cama estilo D. José encostada aos caixotes, infelizmente não estava com a carrinha...
    Concordam com este comentário: Apagado6512
  20.  # 20

    Só o preço da maquinaria toda que ia precisar, e não estamos a falar de gama profissional (isso é ali com o João Dias), mas sim de amador DIY, gastaria na boa mais de 2mil euros...Mas na boa.
    Concordam com este comentário: Joao Dias
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">