Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 61

    Colocado por: emadConcordo que a preocupação de manter a identidade não foi a prioridade como tentam descrever, mas acho o resultado excelente.
    Mas se calhar eu sou suspeito neste tipo de arquitectura.

    Nunca ponha em causa aquilo que aprecia. Isso é que é importante para si - a autenticidade :o)
    Hà arquitectura deste estilo que aprecio, mas confesso que tenho alguma resistência a esta descaracterização do passado em que deixa de ter voz mas apenas porque houve uma troca pelo novo, mas um novo vazio e sem grande mais valia sem ser apenas o ser moderno..mas não digo que não haja exemplos excelentes deste tipo de reabilitação..porque hà.
  2.  # 62

    percebo um pouco as suas preocupações.

    a meu ver os departamentos urbanísticos das camaras e seus técnicos, estão MUITO aquém do papel que deveriam ter, a excelência dos mesmos está apenas virada para as obras municipais e não para "fornecer" quer uma efetiva ajuda ao privado quer pedagógica, quer ainda no campo da sistematização de planos e estudos para os seus territórios. a focagem está para a obra de fachada, as obras municipais. entretanto a paisagem urbana vai-se "fazendo" ao sabor de mais ou menos compadrio e levianamente ao sabor das mentes sejam elas quais forem os seus devaneios e artes.
    Concordam com este comentário: CMartin
    • TZW
    • 29 março 2017

     # 63

    Colocado por: marco1percebo um pouco as suas preocupações.

    a meu ver os departamentos urbanísticos das camaras e seus técnicos, estão MUITO aquém do papel que deveriam ter, a excelência dos mesmos está apenas virada para as obras municipais e não para "fornecer" quer uma efetiva ajuda ao privado quer pedagógica, quer ainda no campo da sistematização de planos e estudos para os seus territórios. a focagem está para a obra de fachada, as obras municipais. entretanto a paisagem urbana vai-se "fazendo" ao sabor de mais ou menos compadrio e levianamente ao sabor das mentes sejam elas quais forem os seus devaneios e artes.
    Concordam com este comentário:CMartin


    Foi apenas um devaneio, não é uma preocupação minha porque eu dificilmente irei construir algo novo que tenha impacto publico, no meu barraco rabisco por dentro e só precisa de ser funcional para mim, mas são realmente poucas as obras que se destacam e que o custo se adapta á nossa economia, como já disse, difícil é fazer algo superior com pouco, porque é preciso recriar.
    • TZW
    • 29 março 2017

     # 64

    Colocado por: Anonimo06082021

    dê um exemplo

    Pegue lá...
      sem nome2.png
  3.  # 65

    não estraga nada, isso é uma bela arquitetura, e nisso tal como o TZW e eu disse e o James também demonstrou, até nas coisas mais simples se vê a arte.
  4.  # 66

  5.  # 67

    esta é em Coimbra e tem um nome muito engraçado

    http://afasiaarchzine.com/2016/02/joao-branco-2/
  6.  # 68

  7.  # 69

  8.  # 70

    Colocado por: Anonimo06082021

    antes/acima da Arte está a Natureza.

    na foto está um exemplo....Mãe e filho
    Concordam com este comentário:marco1


    Mimesis de Platão?
  9.  # 71

  10.  # 72

    CMartin

    tanto uma como outra, pelo menos para mim não me servem de inspiração para nada.
    ou seja tenha lá a personalidade que tiver, nem as casas nem os donos me inspiram.
  11.  # 73

    Colocado por: TZWNão sei, mas imaginava ao contrario, até podiam começar por desenhar galinheiros mas se tivessem muita pinta e tal, subiam


    Quando li isto lembrei-me de um projecto de um galinheiro que eu gostei bastante. Ainda para mais um projecto com bases origami.
    Eu achei brutal a ideia. De como um material básico como rede consegue ser autoportante na horizontal e vertical.
    Por incrível que pareça, o galinheiro está publicado no Archdaily.

    http://www.archdaily.com/215329/origami-coop-chris-mullaney
    Concordam com este comentário: marco1, TZW
  12.  # 74

    ..... e com porta pivotante na entrada ......
  13.  # 75

    Estamos a ir para os extremos, marco1 e Castela. Claramente as casas que o Castela mostra são aberrantes e não vamos gastar latim nelas.
    Claramente que ter personalidade que se reflecte na nossa casa, ou no nossa apreciação dum determinado estilo de arquitectura é num sentido em que funciona para o bem e para o mal.

    Podemos é talvez discutir se ter mau gosto será preferível a não ter gosto sequer.
  14.  # 76

    Colocado por: marco1CMartin

    tanto uma como outra, pelo menos para mim não me servem de inspiração para nada.
    ou seja tenha lá a personalidade que tiver, nem as casas nem os donos me inspiram.


    Sim, mas qual é a outra que refere (para além da de Palmela que agora vimos) ?
  15.  # 77

    Este projecto do Mestre ESM.. está bem conseguido...
    http://divisare.com/projects/340951-eduardo-souto-de-moura-nelson-garrido-sao-lourenco-do-barrocal?utm_content=buffera7c7c&utm_medium=social&utm_source=facebook.com&utm_campaign=buffer

    Identifico-me muito com isto, é pena ser muito complicado convencer as pessoas a apostar neste tipo de abordagem, nesta compaixão e respeito pela história e a arquitectura vernácula.
    Concordam com este comentário: Anonimo06082021, Toika
  16.  # 78

    Colocado por: Anonimo06082021

    não existe definição para a Natureza....a Natureza é tudo.

    a Mãe de tudo!


    Daí a "mimesis". :)
  17.  # 79

    Colocado por: CMartin

    Podemos é talvez discutir se ter mau gosto será preferível a não ter gosto sequer.


    Assim, já faz mais sentido.
  18.  # 80

    Colocado por: Pedro BarradasEste projecto do Mestre ESM.. está bem conseguido...
    http://divisare.com/projects/340951-eduardo-souto-de-moura-nelson-garrido-sao-lourenco-do-barrocal?utm_content=buffera7c7c&utm_medium=social&utm_source=facebook.com&utm_campaign=buffer

    Identifico-me muito com isto, é pena ser muito complicado convencer as pessoas a apostar neste tipo de abordagem, nesta compaixão e respeito pela história e a arquitectura vernácula.

    Está excelente. Gosto muito.
 
0.0899 seg. NEW