Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Preço das casas em Portugal faz soar os alarmes em Bruxelas

    "O valor médio do imobiliário em Portugal subiu 7,1% no ano passado, o que traduz um aumento de 6% dos preços do setor em cima de uma inflação geral da economia de 1,1%. Os dados são da Comissão Europeia (CE), que conclui que esta subida de 6% toca o limite a partir do qual a União Europeia (UE) considera existir receios quanto à existência de desequilíbrios na economia.

    Segundo o Jornal de Negócios, a evolução do preço do imobiliário deflacionado é um dos seis indicadores principais de acumulação de desequilíbrios internos do mecanismo de avaliação de desequilíbrios macroeconómicos da UE, um mecanismo de coordenação de políticas europeias que foi criado durante a crise (os desequilíbrios externos, contam com outros cinco indicadores, e o desemprego com mais três). Para todos eles existe um limite a partir do qual a evolução das variáveis suscita uma avaliação qualitativa para identificar causas e riscos.

    Bruxelas analisou a situação económica nacional no início deste ano e embora a dinâmica no mercado imobiliário já fosse bem conhecida, ainda não existiam dados para 2016. O tema não mereceu grande destaque na altura, já que os economistas da CE concentraram-se nos grandes desequilíbrios nacionais: elevadas dívidas pública e privada, desemprego e baixa competitividade.

    Certo é que nos próximos dias a CE atualizará a sua análise com as previsões económicas que publicou em maio, os dados do crescimento do primeiro trimestre, e as novas versões do Programa de Estabilidade e do Plano Nacional de Reformas apresentadas pelo Governo em abril. Daí sairão novas recomendações ao país, não sendo certo qual a gravidade que será atribuída ao aquecimento do mercado imobiliário, escreve a publicação.

    Setor em recuperação

    De referir que a valorização do setor imobiliário não se verifica só em Portugal. O país está, no entanto, num dos lugares cimeiros do ranking da Zona Euro: a subida de 7,1% em 2016 é a quarta maior do euro, sendo apenas superada por Malta (9,2%), Letónia (8,8%) e Áustria (8,5%).

    Os dados da CE para 2016 mostram que após uma valorização de 15% nos últimos três anos, os preços já estão praticamente ao nível de 2008 (a 0,4% de distância), o ano em que se verificou o pico de preços desde o início do século.

    Um dos riscos das valorizações excessivas do mercado imobiliário é o de poder haver uma bolha. Se tal acontecer, haverá perdas de riqueza para as famílias e empresas, menos emprego e serão prejudicados os balanços dos bancos que têm muito imobiliário e crédito associado nos balanços. Certo é que até a bolha imobiliária rebentar, a valorização tem o efeito oposto: incentiva consumo e investimento, cria emprego e ajuda o balanço dos bancos, escreve o Jornal de Negócios."

    O que acham do momento que estamos agora a atravessar? Bolha imobiliaria que interessa ao Bancos, às Imobiliarias? Quem são os investidores e os promotores?
  2. Ícone informação Anunciar aqui?

  3.  # 2

    A meu ver não há explicação lógica a não ser especulação, para um aumento de valor das casas quando ainda há um parque habitacional abandonado e sem compradores.

    Especulação imobiliária vai dar em mer#$
    Parece que nunca aprendem!
    Concordam com este comentário: jorgferr, rafaelisidoro, mhpinto, coveiro
  4.  # 3

    E alguns edificios prontos a habitar sem licenças de habitação e penhorados pelos bancos.

    Ninguem aprendeu nada com a crise de 2010?
  5.  # 4

    Portugal não é só Lisboa.

    Esses dados parecem não conhecer a fundo a realidade em todo o território português.

    Em Lisboa sim.Tem havido uma explosão no sector sobretudo nas zonas históricas.E também no centro histórico do Porto.
    Mas no resto do país não.
  6.  # 5

    En portugal estan muito mais caras que x ejem Espanha e con una renda per capita muito mais baixa,en o norte o que pedem por uma casa de segunda mão en uma aldeia e mesmo inacreditável.
    •  
      mhpinto
    •   agradecimentos
    • 18 Maio 2017 editado

     # 6

    Colocado por: coveiroNinguem aprendeu nada com a crise de 2010?

    Aprenderam os bancos que pedem muito mais garantias agora que antes. Os fiadores que não se ponham a pau.

    O tuga é que não há maneira de aprender. É sempre mais esperto que os outros e o azar só acontece aos outros. Os juros estão em mínimos históricos mas basta dar uma vista de olhos aqui no fórum em tópicos onde se fala de crédito que o que mais se vê é que toda a gente acha que vão ficar assim para sempre.
    Os que ficaram sem casa durante a crise devem ter achado o mesmo quando a compraram.
    Com juros tão baixos estou mesmo a ver o pessoal a ficar louco com as simulações e a acreditar que não terá problemas em pagar casarões. Basta a euribor voltar a subir para 3 ou 4% que ficam com uma prestação monstruosa.

    A brincar fiz agora uma simulação para um apartamento de 200k a 80%, ou seja para pedir 160k. Subindo 2% a prestação são perto de 200€ a mais por mês, isto numa casa de valor bastante modesto. Agora imaginem que a euribor volta aos 4% e que em vez de 160k pediram 200k ou 300k. E se acham que taxas de 4% são pré-históricas, lamento mas basta recuar 9 anos, o que não é nada no prazo de um crédito, para as encontrar: http://www.euribor-rates.eu/euribor-2008.asp
    Eu bem me lembro do valor da minha prestação nessa altura. Qualquer coisa como mais do dobro do que pago agora.

    E isto já para não falar que bastará uma crise maior qualquer, tipo o fim do Euro ou Portugal sair da UE, cenários não tão improváveis quanto isso, para que a coisa dispare ainda mais.

    Quem nunca irá ser fiador de um crédito à habitação nesses termos sei eu quem sou.
    Concordam com este comentário: coveiro
  7.  # 7

    Colocado por: LuisPereiraEspeculação imobiliária vai dar em mer#$
    Parece que nunca aprendem!




    Colocado por: mhpintoOs juros estão em mínimos históricos mas basta dar uma vista de olhos aqui no fórum em tópicos onde se fala de crédito que o que mais se vê é que toda a gente acha que vão ficar assim para sempre.


    para agravar porque isso está tudo na boa e na maior o problema está muito mais complexo , não é só os juros subirem para os 3 ou 4% ... é isso acontecer com a sobrevalorização de imóveis e os bancos não quererem perder as suas taxas ...

    quem comprou casa após o pico da crise pode ficar sem ela num tempo recorde ...
  8.  # 8

    a subida dos preços que se verifica em nada tem a ver com a banca ou com taxas baixas.... mas sim uma imensa procura de casas por estrangeiros, nomeadamente franceses..... ora como bons tugas que somos e achamos que temos uma barra de ouro quando na realidade é so prata, vá de subir os preços..... afinal são "camones" e até pagam o que se pede!

    ate porque bem vistas as coisas os bancos nao desataram a conceder crédito ao desbarato... foi aberta a torneira mas muito suavemente....

    Mas isto em Lisboa, porto e Algarve..... nao representa Portugal, na aldeia "ainda" se compa barato!
  9.  # 9

    Já agora alguem tem tido experiencia de baixar significativamente o valor de venda das casas (mais de 10% por exemplo?)

    Seria um bom indicador da especulação (ou não) que estamos a atravessar.
  10.  # 10

    Colocado por: coveiroJá agora alguem tem tido experiencia de baixar significativamente o valor de venda das casas (mais de 10% por exemplo?

    Faça propostas abaixo desse valor, pode ficar surpreendido com os (alguns) resultados.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: coveiro
  11.  # 11

    Colocado por: Jota5En portugal estan muito mais caras que x ejem Espanha e con una renda per capita muito mais baixa,en o norte o que pedem por uma casa de segunda mão en uma aldeia e mesmo inacreditável.

    En una aldea?No puedo creer.Es una aldea turística?
  12.  # 12

    O mercado do Imobiliário de luxo em Portugal está em alta.

    PORTUGAL ESTÁ NA MODA.

    Mas o sector médio-baixo não tem preços que tenham subido assim tanto.Ou tem?
  13.  # 13

    Colocado por: mhpintoCom juros tão baixos estou mesmo a ver o pessoal a ficar louco com as simulações e a acreditar que não terá problemas em pagar casarões. Basta a euribor voltar a subir para 3 ou 4% que ficam com uma prestação monstruosa.


    Mais as comissões de crédito, imt, imi, etc...

    Não consigo perceber como existem pessoas que compram casas de 300 k para cima nos subúrbios de Lisboa...
  14.  # 14

    Achei engraçado:

    CARLITOS A VIVER SOZINHO

    Esta semana comecei a pesquisar casas e não sabia que para arrendar um T0 com 4m2 na Pontinha é preciso receber 18 mil euros por mês e ter um fiador que faça parte do top 20 da Forbes. Fora isto, até tem sido um processo fácil.
  15.  # 15

    Colocado por: coveiroAchei engraçado:

    CARLITOS A VIVER SOZINHO

    Esta semana comecei a pesquisar casas e não sabia que para arrendar um T0 com 4m2 na Pontinha é preciso receber 18 mil euros por mês e ter um fiador que faça parte do top 20 da Forbes. Fora isto, até tem sido um processo fácil.

    Principado da Pontinha-super exclusiv" royal" estate.
    https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Principado_da_Pontinha
  16. Ícone informação Anunciar aqui?

  17.  # 16

    Colocado por: coveiro

    Mais as comissões de crédito, imt, imi, etc...

    Não consigo perceber como existem pessoas que compram casas de 300 k para cima nos subúrbios de Lisboa...


    Deixe lá, que eu nao percebo quem dê 300mil para estar num prédio decrépito no Centro da capital, sem elevador....ou num remodelado mas com 50m2.
    São prioridades... E enquanto for esse valor por uma moradia... Não entendi mesmo é que andem a comprar t2 com 10 anos, nas Colinas do Cruzeiro e Infantado, por +50 ou 70mil do que custavam novos.
    Concordam com este comentário: coveiro
  18.  # 17

    “Nunca vai haver uma bolha imobiliária em Portugal”, diz Luís Lima

    Luís Lima, presidente da da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP), considera que o preço das casas está elevado em “algumas cidades do país”, mas descarta a existência de uma bolha imobiliária. Dados da Comissão Europeia indicam que o valor médio do imobiliário em Portugal subiu 7,6% em 2016 e que os preços da habitação recuperaram os valores pré-crise. Bruxelas vai, de resto, fazer recomendações ao país nos próximos dias.

    “Em Portugal nunca vai haver uma bolha imobiliária. O que está a acontecer é que em algumas cidades do país, nomeadamente Lisboa e Porto, e numa parte do Algarve, há zonas específicas onde os preços, para mim, estão acima daquilo que é o valor razoável”, disse o líder da associação de mediadores, citado pela Rádio Renascença.

    Luís Lima lembrou que já em 2008 se falava no risco da criação de uma bolha imobiliária, mas alertou para a importância de não se olhar para o setor imobiliário de igual forma a nível nacional: “Não é por zonas específicas que vai haver uma bolha imobiliária. Os preços estão muito caros nessas zonas, mas noutras há outros preços. Temos de nos lembrar o que já aconteceu em 2008: falava-se muito que iria haver uma bolha imobiliária e já na altura demonstrei que não podemos olhar para o imobiliário como sendo igual em todo o país”.

    No que diz respeito ao mercado de arrendamento, Luís Lima reiterou que o mesmo não está dinamizado. “Andámos todos a discutir muito a questão da liberalização das rendas em vez de irmos àquilo que estava no preâmbulo da lei, que era a dinamização do mercado de arrendamento. Não fomos ao mais importante: criar confiança nos proprietários através da criação de um seguro de renda e a parte fiscal. Enquanto quem investe no mercado de arrendamento não for tributado pelo seu rendimento, pelo seu negócio, nunca vamos ter um verdadeiro mercado de arrendamento”, explicou.

    O facto de haver falta de dinamização no mercado de arrendamento tradicional faz com que muitos proprietários optem atualmente por apostar no Alojamento Local (AL), que acaba por ser mais rentável. “Os proprietários apoiam-se no AL porque investem onde há mais rentabilidade. No arrendamento é completamente impossível investir com a carga fiscal que temos. É impossível atuar no mercado. Só o Estado é que pode, através das autarquias, atenuar esta dificuldade, senão a única hipótese dos jovens é comprar casa e isso não é para todos”, concluiu o líder da APEMIP."

    Se afirma-se o contrario é que era de estranhar...
    •  
      Mk Pt
    •   agradecimentos
    • 19 Maio 2017 editado

     # 18

    Colocado por: loverscout uma imensa procura de casas por estrangeiros, nomeadamente franceses..... ora como bons tugas que somos e achamos que temos uma barra de ouro quando na realidade é so prata, vá de subir os preços..... afinal são "camones" e até pagam o que se pede!

    ate porque bem vistas as coisas os bancos nao desataram a conceder crédito ao desbarato... foi aberta a torneira mas muito suavemente....

    Mas isto em Lisboa, porto e Algarve..... nao representa Portugal, na aldeia "ainda" se compa barato!


    Zona oeste também é muito isto.
    Franceses, belgas e alguns holandeses. Têm benefícios fiscais se vierem para cá, ficam a pagar muito menos impostos.

    Só não é também camones [ingleses/britânicos] por causa do Brexit.
    Os camones também já estavam a investir bem no imobiliário, mas com o Brexit e a incerteza gerada com o mesmo 'desapareceram'.

    No entanto, ao contrário do que indica, os bancos já começam a ceder um bocado à tentação do crédito fácil e as avaliações que antes ['crise'] iam por baixo já começam a tentar que vão 'por cima'.

    Parte da valorização do imobiliário, principalmente Lisboa/Porto/Algarve e mais algumas zonas costeiras é muito devido aos estrangeiros sim, não só por comprarem como também pelo crescimento do turismo no nosso país [e casas mais fáceis de arrendar para aluguer de curta duração é normal é sinónimo de maior valorização]...

    Mas também já se está a voltar a fazer alguns erros do passado a nivel de crédito e de especulação imobiliária.


    As crises são cíclicas e nunca vão deixar de o ser.
    Mas não é só em Portugal.


    Em principio 2018 será ano de pico e depois algures por 2021 será período de forte crise.
    Pesquisem por ' Benner Cycle'.
    • lai
    • 19 Maio 2017 editado

     # 19

    É pura especulação, por exemplo, em Faro/Olhão, a maioria das casas vendidas são velhas ou devolutas, os clientes são franceses e italianos na sua maioria. Realmente os preços subiram ligeiramente devido à procura. Se houver um bolha imobiliária, ainda faltam uns anos para isso acontecer outra vez.

    Nos apartamentos T2 e T3 usados, os preços estão + - 1/2% acima em relação ao ano 2016.

    Julgo que esse aumento é apenas relacionado com os estrangeiros. Alguns querem é aproveitar-se disso.

    Nas casas de luxo o preço até baixou devido ao Brexit, o Brexit incentiva os britânicos a venderem as casas que adquiriram no Algarve.
    Ver casas de luxo na Quinta do Lago
  19.  # 20

    Eu tambem acho que as casas em portugal estao bem caras, a maior parte ainda tem a ideia que uma casa nao desvaloriza, vajo casas com 20/30 anos com precos que nao lembra a ninguem, as pessoas nao tem noção que nao deixam de ser casas velhas...
    Concordam com este comentário: jorgferr
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">