Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Bons dias!

    Há uns fins de semana atrás um senhor bateu no carro da minha mãe numa rotunda, partindo parte do retrovisor. A minha mãe, assustada e confusa trocou apenas numeros de telemóvel e emails com o senhor que dizia estar com pressa e veio-se embora, sem matrícula sequer, sem marca, nada. Trocou emails e mensagens com o senhor acerca do orçamento do arranjo. Chega o dia do arranjo o senhor não aparece. A minha mãe pagou e sempre relembrando ao senhor da situação. Este no dia não responde nem atende telefonemas, no dia a seguir responde, pedindo desculpa porque esteve ocupado e a indicar que iria proceder à transferência. Ora ja passaram pelo menos 2 semanas e... nada.

    Eu tenho nome, numero de telemóvel, email da empresa e por isto sei onde trabalha.

    O que fariam nesta situação?
  2. Ícone informação Anunciar aqui?

  3.  # 2

    Contactava um advogado para aconselhar.. o problema é que provavelmente o custo do arranjo e o custo não justificará o advogado!
    Concordam com este comentário: desofiapedro
  4.  # 3

    Foram 93euros, provavelmente o advogado sairá mais caro. Enfim... Já pensei em enviar um e-mail diretamente pra empresa. Secalhar devo tentar telefonar do meu número primeiro e ver o que ele diz. Nestas coisas mais vale sempre accionar o raio do seguro, mas a minha mãe atrapalhou-se toda affff.

  5.  # 4

    Apareça no local de trabalho dessa pessoa, confronte a mesma cordialmente sobre a situação de pagamento.
    Se a conversa azedar, assuste com queixa nas autoridades e processo cível.

    Mas no fim, vai sempre depender da honestidade do tal senhor, que pelo que conta de honesto não têm nada...

    Tal como lhe disseram, dependendo do valor do arranjo pode compensar ou não resolver a coisa pela via judicial...

    Boa sorte.
    Concordam com este comentário: desofiapedro
  6.  # 5

    Agora nada mais tem a fazer que não seja assumir o custo.
    Que lhe sirva de exemplo. Por muito pequeno que seja o toque, no mínimo, tem que tirar umas fotos e ficar com a carta verde do culpado. Se ele não aceitar chame as autoridades.
    Concordam com este comentário: JoelM
  7.  # 6

    Colocado por: hnogueiraApareça no local de trabalho dessa pessoa, confronte a mesma cordialmente sobre a situação de pagamento.
    Se a conversa azedar, assuste com queixa nas autoridades e processo cível.


    è necessário ter cuidado ao abordar, há pessoas capazes de virar de cordeiros a touros em menos de 1 minuto.
    Concordam com este comentário: hnogueira
    • tnjp
    • 20 Dezembro 2018

     # 7

    Foi uma lição que custou 93 euros à sua mãe... Na próxima vez já não cometerá o mesmo erro.

    Eu evitava mais confusões.
    Concordam com este comentário: desofiapedro
  8.  # 8

    Colocado por: Wardruna

    Cuidado ao abordar, há pessoas capazes de virar de cordeiros a touros em menos de 1 minuto.
    Concordam com este comentário:hnogueira


    Exacto dai ter mencionado cordialmente... No entanto o desenrolar de uma situação dessas na minha opinião é de também não mostrar medo e deixar as coisas passar impunes...
    No entanto e dado ao valor em questão... Muita gente não se estava para chatear e pagava do seu bolso. O que sinceramente acho errado e dão asas a que situações do género se repitam...

    De chico-espertos o mundo está cheio... Por vezes têm é azar.
  9.  # 9

    Colocado por: tnjpFoi uma lição que custou 93 euros à sua mãe... Na próxima vez já não cometerá o mesmo erro.

    Eu evitava mais confusões.
    Concordam com este comentário:desofiapedro


    Pois, secalhar é melhor mesmo ver por essa perspectiva...
  10.  # 10

    Colocado por: BelhinhoAgora nada mais tem a fazer que não seja assumir o custo.
    Que lhe sirva de exemplo. Por muito pequeno que seja o toque, no mínimo, tem que tirar umas fotos e ficar com a carta verde do culpado. Se ele não aceitar chame as autoridades.


    Colocado por: tnjpFoi uma lição que custou 93 euros à sua mãe... Na próxima vez já não cometerá o mesmo erro.

    Eu evitava mais confusões.


    Nada disso! Identificando-se a viatura do culpado, basta que a lesada participe à sua companhia de seguros.
  11.  # 11

    sousa tavares, o problema é que ela não se lembra sequer do carro... se tivesse a marca e matrícula teria ido logo a polícia.
  12.  # 12

    Colocado por: desofiapedrosousa tavares, o problema é que ela não se lembra sequer do carro... se tivesse a marca e matrícula teria ido logo a polícia.


    Pode sempre ligar para a empresa em questão já que sabe qual é (Penso que devia estar identificada na viatura).
    Pedir para falar com os recursos humanos e expor a situação...

    É uma outra maneira...
    Concordam com este comentário: desofiapedro
  13.  # 13

    Colocado por: hnogueira

    Pode sempre ligar para a empresa em questão já que sabe qual é (Penso que devia estar identificada na viatura).
    Pedir para falar com os recursos humanos e expor a situação...

    É uma outra maneira...


    Eu sei a empresa porque está no email que ele deu, o carro do acidente possivelmente era dele. É uma Connect, de Torres Vedras.
  14.  # 14

    Colocado por: sousa tavares



    Nada disso! Identificando-se a viatura do culpado, basta que a lesada participe à sua companhia de seguros.

    Treta!
    E o suposto culpado diz assim: "não fui eu!" e depois? A palavra de uma pessoa vale mais que outra?
  15.  # 15

    Colocado por: desofiapedro

    Eu sei a empresa porque está no email que ele deu, o carro do acidente possivelmente era dele. É uma Connect, de Torres Vedras.
    Eu assumia o custo de reparação mas, mais cedo ou mais tarde, o carro desse chico-esperto iria aparecer todo riscado...
  16. Ícone informação Anunciar aqui?

  17.  # 16

    Colocado por: BelhinhoEu assumia o custo de reparação mas, mais cedo ou mais tarde, o carro desse chico-esperto iria aparecer todo riscado...


    Pois, pago já está e arranjado... enfim nem vale a pena fazer isso, não vá ele lembrar-se do nosso carro e fazer pior :/ Torres tbm é pequena, e trabalhando ele na cidade há-de se cruzar com a minha mãe. Só não se cruzou ainda porque o carro tem vindo pra Lisboa comigo, mas pra semana já volta à base.
  18.  # 17

    Colocado por: Belhinho
    Treta!
    E o suposto culpado diz assim: "não fui eu!" e depois? A palavra de uma pessoa vale mais que outra?


    tambem nao funciona bem assim..... ele ate pode dizer que estava na china, a seguradora e as autoridades vao verificar a viatura e se houver indicios que houve batida, riscos, amolgadelas, etc etc etc a seguradora vai da-lo como culpado!

    ja tive uma situação destas que um chico esperto bateu-me no carro a sair do estacionamento e foi-se embora! azar dos azares eu estava a chegar e tirei a matricula...o resto a seguradora e as autoridades resolvem. a minha viatura foi arranjada e paga pela seguradora do outro!
  19.  # 18

    Para ser pela seguradora , não devia ter arranjado , duvido que a seguradora agora faça alguma coisa , nem pode peritar os estragos...
    Concordam com este comentário: loverscout, desofiapedro
  20.  # 19

    Colocado por: loverscout

    tambem nao funciona bem assim..... ele ate pode dizer que estava na china, a seguradora e as autoridades vao verificar a viatura e se houver indicios que houve batida, riscos, amolgadelas, etc etc etc a seguradora vai da-lo como culpado!

    ja tive uma situação destas que um chico esperto bateu-me no carro a sair do estacionamento e foi-se embora! azar dos azares eu estava a chegar e tirei a matricula...o resto a seguradora e as autoridades resolvem. a minha viatura foi arranjada e paga pela seguradora do outro!

    Nenhuma seguradora aceita ressarcir danos se o seu cliente não se der como culpado.
    Eu tive um caso como o seu no Algarve. Até tive uma testemunha que aguardou que eu chegasse e me deu uma foto do carro que me bateu. Reclamei ao seguro que me disse posteriormente que a pessoa não aceitou a culpa. Se quisesse recorrer a tribunal poderia (por ter testemunha) vencer, mas ficar-me-ía bem mais caro. Conclusão: Paguei que me fud..
  21.  # 20

    Colocado por: Belhinho
    Nenhuma seguradora aceita ressarcir danos se o seu cliente não se der como culpado.


    longe de mim querer estar a trocar galhardetes, mas olhe que isso não é verdade! alias basta pensar que mal seria se fosse assim!
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">