Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Boa tarde,

    Crio este tópico para discutirmos a realidade portuguesa relativamente ao Projeto de Execução- CAD ou BIM. Da minha realidade, o projeto de execução tem sido sempre associado às peças desenhadas e peças escritas, naturalmente, contudo sempre em CAD e depois uma lista em Excel com as demais informações.

    Tenho noção que a realidade portuguesa ainda está muito assente no CAD mas tenho visto cada vez maior utilização dos arquitetos de programas BIM, como o Revit e Archicad, em vez do CAD, como o Autocad.

    Gostaria de saber a vossa realidade, se os demais projetistas e empreiteiros estão abertos a este novo software e se sim, como realizam o projeto de execução. Se é realizado, por exemplo, unicamente no Archicad ou se transferem para um outro software de gestão de obras, em especial, para obter uma maior rigidez de orçamento.


    PS: Sou arquiteto, da área geográfica de Santa Maria da Feira, e estou aberto a contatos de engenheiros e empreiteiros que utilizem o Archicad. Gostaria de montar uma equipa em que todos trabalhassem no mesmo software.
  2. Ícone informação Anunciar aqui?

  3.  # 2

    Peças desenhadas - CAD 2D , desenho à mão, também com esquemas tecnicos executados em Sketchup os quais são sujeitos a layout em CAD, ou no layout.
    software de gestão de obras pra quê!? quem vai usar isso, o empreiteiro, ou as equipas de fiscalização... onde há verba para esse detalhe... ou usam MSproject diagramas de gantt, etc. depende depois da estrutura do empreiteiro, Só mesmo grandes, grandes empreiteiros com quadro técnico pesado, usam essas cenas.

    è a minha ideia. estarei enganado!?
  4.  # 3

    Não Pedro, está correcto.

    Se o TMGutter se disponibilizar a financiar o pessoal usa, sem problema, só tem de se formar primeiro as pessoas.

    Se for só para uma obra ou duas de vez em quando nao vale a pena o encargo adicional.

  5.  # 4

    A minha questão pessoal de software de gestão de obras, se o realizam ou não no próprio software BIM ou se passam para terceiros softwares (estou curioso), é mesmo uma tentativa de maior rigor de orçamento. Vi algo como o Primus IFC que faz toda essa ligação mas parece algo longínquo da nossa realidade mas que realmente parece uma enorme vantagem para o rigor.

    A minha questão é mesmo tentar perceber outros que o utilizem, em especial engenheiros e empreiteiros, porque é tudo ótimo quando todos cumprimos o mesmo processo. Sem todos o fazer, a meu ver, não vale o investimento de tempo de aprendizagem e dinheiro.
  6.  # 5

    Excel, maior parte é só.

    Faça um Mapa bem elaborado, com soluções exequiveis e economicamente viaveis, bons desenhos e um bom CE e já fez 90% mais que grande parte dos seus colegas.
    Concordam com este comentário: Pedro Barradas, antonylemos
  7.  # 6

    eu meço e orçamento a arquitectura à unha ( no CAD) e uso uma folha de excel... então quendo são obras de reabilitação, ainda menos compensa bims e tal... está cheio de trabalhos adicionais que o programa não sabe/ não vê, não dá para introduzir...

    Para fazer bem, é preciso tempo e dinheiro, maquinas mais potentes, e que os projecto TODOS sejam feitos desse modo, que toda a cadeia de produção tire partido. senão, é giro...
    Para já é giro, é porreiro. ;)
    Concordam com este comentário: RRoxx
  8.  # 7

    O objetivo deste tópico não é de todo a discussão BIM ou CAD, apesar de o título o parecer. Se há algo que tenho aprendido nos últimos anos, em especial, neste último ano, como se diz em bom português "depende do artista". Já sabemos que uma tem vantagens para certos tipos de projetos, a outra para outros. A realidade que tenho observado é que mesmo os auto-intitulados de "BIM", na real verdade, não o são, simplesmente não sabem pormenorizar.

    Mas, como disse e bem, o objetivo deste tópico é mesmo esse! Procura-se na zona geográfica de Santa Maria da Feira/ Grande Porto toda uma cadeia de produção em Archicad, engenheiros e projetistas para ser giro e porreiro. Na real verdade é só isso.
    • JoelM
    • 14 Setembro 2020 editado

     # 8

    Colocado por: TMGutterGostaria de saber a vossa realidade, se os demais projetistas e empreiteiros estão abertos a este novo software e se sim, como realizam o projeto de execução. Se é realizado, por exemplo, unicamente no Archicad ou se transferem para um outro software de gestão de obras, em especial, para obter uma maior rigidez de orçamento.


    tudo desenhado em Archicad, parte de execução é em 2D com base no modelo 3D!

    Colocado por: RRoxxExcel, maior parte é só.

    Faça um Mapa bem elaborado, com soluções exequiveis e economicamente viaveis, bons desenhos e um bom CE e já fez 90% mais que grande parte dos seus colegas.
    Concordam com este comentário:Pedro Barradas


    isso não tem nada a ver com usar ou nao BIM!

    Colocado por: Pedro Barradasentão quendo são obras de reabilitação, ainda menos compensa bims e tal... está cheio de trabalhos adicionais que o programa não sabe/ não vê, não dá para introduzir...


    olha que estas enganado pedro.. eu trabalho muito com renovações, ampliações, etc e o programa separa por fases na perfeição!

    Colocado por: Pedro Barradase que os projecto TODOS sejam feitos desse modo, que toda a cadeia de produção tire partido. senão, é giro...

    muito importante sem duvida!
  9.  # 9

    JoelM, ou seja, quando fazes o PE em Archicad retiras automaticamente pelos mapas quantitativos? Só esse método?
  10.  # 10

    Colocado por: TMGutterJoelM, ou seja, quando fazes o PE em Archicad retiras automaticamente pelos mapas quantitativos? Só esse método?


    eu faço / tiro tudo automáticamente do archicad, de listagens de areas, desenhos técnicos, mapas de vãos (eu não trabalho em PT e por cá é muito importante isto porque os vãos são encomendados meses antes da obra começar pelo que erros no mapa de vãos saem carissimo). No entanto há informação que não vale a pena estar modelada em 3D (maioria dos detalhes), pelo que é feito no archicad mas em 2D.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: fredcunha
  11.  # 11

    Colocado por: JoelM

    eu faço / tiro tudo automáticamente do archicad, de listagens de areas, desenhos técnicos, mapas de vãos (eu não trabalho em PT e por cá é muito importante isto porque os vãos são encomendados meses antes da obra começar pelo que erros no mapa de vãos saem carissimo). No entanto há informação que não vale a pena estar modelada em 3D (maioria dos detalhes), pelo que é feito no archicad mas em 2D.
    Estas pessoas agradeceram este comentário:fredcunha

    Esta é a minha ideia: o "grosso" ser modelado em 3D, para compatibilizar engenharias e entre arquitetura assim como mais facilmente retirar cortes, alçados e mapas de quantidades. Os pormenores e elementos de pormenorização são feitos em 2D. Eu tenho feito isso em alguns poucos projetos.

    Fazer tudo 100% em 3D, neste momento parece-me que não compensa o tempo investido.
    • JoelM
    • 14 Setembro 2020 editado

     # 12

    Colocado por: fredcunha
    Esta é a minha ideia: o "grosso" ser modelado em 3D, para compatibilizar engenharias e entre arquitetura assim como mais facilmente retirar cortes, alçados e mapas de quantidades. Os pormenores e elementos de pormenorização são feitos em 2D. Eu tenho feito isso em alguns poucos projetos.

    Fazer tudo 100% em 3D, neste momento parece-me que não compensa o tempo investido.


    mas essa é a exactamente a ideia subjacente do BIM, alias, o archicad por exemplo tem uma ferramente em que seleciona no corte onde quer fazer o detalhe (por exemplo parapeito de janela), ele marca automaticamente aquela zona e atribui um numero e abre automaticamente o que estiver dentro daquela area numa jenela, transformando os elementos das vista em elementos 2D (linhas e tramas).

    Mas BIM e archicad em particular é muito mais que simplesmente o modelo 3D ou os desenhos, por exemplo, eu não perco tempo a por nomes nas folhas para impressão, nem a escala, nem numerar e datar revisões, isso é feito tudo automaticamente pelo programa. Quando quero fazer uma impressão do PBL por exemplo, é clicar e sai tudo com a data daquela dia, todas as revisões/alterações feitas, quando foram feitas e em que que consistiram.
    Exportar ficheiros DWG, IFC o outro formato qualquer, idem aspas.
    Concordam com este comentário: CMLS265
  12.  # 13

    Eu por cá trabalho em BIM, pelas inegáveis vantagens.
    Porém, o resto da cadeia é quase inexistente. Ou seja, engenheiros é raro trabalharem sobre o mesmo suporte e empreiteiros então, em boa verdade, em obra, não conheço nenhum.
    Concordam com este comentário: antonylemos, CMLS265
  13.  # 14

    Respondendo a ambos, concordo. O BIM, pelo menos neste momento, é isso mesmo. O desenvolvimento máximo de detalhe no 3D e a pormenorização em 2D ou através do 3D mas editada. Já vi novos avanços no estrangeiro mas ainda longe da realidade de cá que é a associação das empresas de construção que basicamente criam toda uma cadeia dos seus produtos em BIM e então, essa pormenorização em 2D começa a ser drasticamente menor porque já é o caixilho que queremos, a porta que queremos, etc...

    Só fico com pena de escutar o ADROatelier, e explico também um pouco o propósito da publicação. Estive num projeto gigantesco de expansão que fazia parte de uma faculdade e empresa. A equipa de arquitetura trabalhava em BIM, a equipa electrotécnica, de engenharia, etc, em CAD. O que me levou a um certo constrangimento porque a rapidez com que executávamos e muitos dos problemas que apareceram mais à frente podiam ter sido evitados mesmo que eles não trabalhassem no nosso software BIM mas noutro BIM qualquer a seu gosto e se exportasse em IFC, por exemplo.

    Não conhecem ateliers de engenharia que trabalhem em BIM no Grande Porto? E sabem de algum software que saia associado a orçamentação? Não tenho encontrado a respeito.
  14.  # 15

    Trabalho na área do Porto e já lidei com vários gabinetes de engenharia, e também freelancers. Quase todos estão convictos da importância do sistema BIM, mas há qualquer coisa que dificulta o arranque. A maior parte das vezes tem a ver com a formação. Os mais velhos têm dificuldade em perder tempo com a aprendizagem e o tempo que demora a implementar no escritório. Esperemos que a malta
    mais jovem se interesse mais pelo sistema BIM e aí torna-se mais fácil a implementação. É um pouco como quando se passou do rotring
    para o autocad.
    Concordam com este comentário: JoelM, antonylemos
  15. Ícone informação Anunciar aqui?

  16.  # 16

    Colocado por: CMLS265mas há qualquer coisa que dificulta o arranque.
    o elevado investimento inicial em material e tempo de formação. Não batsa a formação, vai ter de renovar o hardware todo pois puxa muito pelas máquinas.
    mais depressa encontras um gabinete de arqª com BIM que um de Engenharia. O que é pena.

    tenho primos e amigos engºs que têm experiencia com bim desde a faculdade, mas no mundo 'real' é só cad e cype
    Concordam com este comentário: ADROatelier
  17.  # 17

    Obvio...
    REal world.
    Se o preço dessas coisas é igual ou ate mais barato pela europa fora...( maquinas e software), mas os salarios e o preço dos projectos são mais baixos... como querem que vingue...só atraves de legislação que obrige o uso de BIM.

    A um alemaão deve custar menos dar 5000€ por software do que um arquitecto protugues... o mesm se passa com o haedware...
    Qundo é que tens ROI disso!? muito dificil...

    Bem sei como é... tenho um gabinete para gerir estes assuntos.
  18.  # 18

    Colocado por: Pedro Barradassó atraves de legislação que obrige o uso de BIM.

    Isso é que não!

    Se é vantajoso funcionalmente também o será comercialmente. Se não for, é porque não compensa e ninguém deve ser obrigado a tal.

    Ao ser obrigatório por lei, quem acaba por pagar será o DO, que pode não sentir vantagem nenhuma na prática, mas irá pagar mais caro por isso. Seria o mercado a funcionar ao contrário.
    A maneira mais económica (não é a mais barata, atenção) acabará por sair vitoriosa.
  19.  # 19

    Colocado por: Pedro BarradasObvio...
    REal world.
    talvez se iniciarem desde logo com essas ferramentas seja possivel, mas gabinetes estabelcidos nao creio que o façam. mesmo só obrigados, ou pela legislação como disseste, ou se fizerem trabalos ou parcerias em paises onde seja necessa´ria.
  20.  # 20

    Colocado por: pguilhermeé vantajoso funcionalmente também o será comercialmente
    as vantagens que traz para nós profissionais vai se traduzir em custos adicionais nos projectos para os clientes...

    eles já querem rapar o fundo das panelas quando nos contratam por isso ... mesmo que se traduza mais afrente em alguma poupança vc acredita mesmo, pelo que tem aparecido cá no forum, pelas formas como os DO encaram as construções projectos etc que eles querem saber disso? a maioria já têm orçamentos/empreiteiro escolhido e a única coisa que sabem concretamente é a localização e a área da futura casa! O empreiteiro já sabe os matreriais e sistema construtivo que vai usar e ainda nao há arquitecto...

    não é fácil. e a única razao que os arquitectos usam BIM ou outra ferramenta extra tipo sketchup é porque hoje em dia os DO querem 3D para porem nos FB e mostrarem aos amigos
    Concordam com este comentário: ricardo.rodrigues
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">