Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    A intenção com este tópico não é discutir politicas ou ideias sobre o COVID-19 mas sim partilhar experiencias de quem já apanhou o virus e estáa recuperar.
    Desta forma podermos ajudar mutuamente quem está a passar por esta dificuldade e alertar os restantes.
    Por favor abestenham-se de entrar em discussões politicas, para isso há outros tópicos abertos sobre o assunto.
    Concordam com este comentário: desofiapedro, fredcunha, marques78
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Anonimo1710, NLuz
  2.  # 2

    Eu comecei a ter dores de cabeça enormes numa sexta-feira, dores de cabeça como nunca tive e que se prolongaram até segunda-feira de manhã. Nao conseguia abrir os olhos, mexer a cabeça, nunca tinha experenciado tal mas nunca relacionei com Covid (não tinha febre, tosse ou perca de paladar e olfacto).
    Na Segunda e Terça-feira, tinha algumas dores de cabeça mas já as conseguia supportar com ajuda de ibuprofen e fui trabalhar.
    Terça-feira á noite a minha esposa ao ir se deitar comecou com uma tosse persistente mas por vezes tinha problemas de refluxo que provocava a tosse e não demos importancia.
    Quarta-feira de manhã a minha esposa acorda muito mal, nao se conseguia levantar, tosse persistente e febres altas.
    Ficamos logo de alerta, assustados e ficamos todos em casa, minha esposa obviamete, eu e as minhas duas filhas apesar de nenhum de nós termos sintomas alguns (apenas a minha ligeira dor de cabeça).
    Teste feito a ela na Quarta-feira. Aqui conven dizwer que estamos em Inglaterra e as regras para quem é testado são diferentes das de Portugal.
    Aqui só é testado quem tem sintomas e os testes são feitos por nós proprios, não há enfermeios ou medicos. Vamos a um parque de estacionamento, dão o kit pela janela, lemos as instruções, enfiamos aquilo na garganta e nariz, metemos no frasco e entregamos.
    Esperamos pelo resultado que chegou Quinta-feira por mensagem e email e deu positivo.
    Ela continuava com febres altas e muita tosse, mas alimentava-se bem e bebia.
    Aqui não há acompanhamento medico a não ser que se tenha problemas graves respiratorios e se vá parar ao hospital.
    Eu e as minhas filhas até quinta-feira não tinhamos quaisquer sintomas.
    De Quinta para Sexta-feira eu fiz febre ligieira apenas uma vez, nao cheguei a tomar nada e na Sexta-feira acordei sem febre, bem apenas com alguma irritação no peito que me fazia tossir mas muito esporadicamente.
    Resolvi pedir um teste para mim e para a minha filha mais velha com 18 anos (mentimos sobre os sintomas).
    A minha esposa continuava de cama com febre e tosse.
    Sábado recebemos o resultado dos nossos testes, o meu deu positivo e o da minha filha negativo mas eu não mostrava nenhuns sintomas.
    Domingo a minha esposa estava sem febre e a tosse continuava e assim esteve por mais uns dias, sem febre e a tosse persistente com o peito a queimar por dentro, referia ela. Uma sensação de que o peito queima quando respira.
    Os dias foram passando, todos bem e a minha esposa a recuperar, já nao tinha febre á dias e a tosse ia diminuindo.
    Na quinta-feira seguinte, uma semana depois do meu episodio de febre passei o dia com nauseas, tonturas. Só estava bem deitado e sempre com vontade de vomitar apesar de nunca o ter feito mas mais nenhum sintoma.
    Os dias passaram o segundo fim de semana veio e eu sentia-me bem e a minha esposa muito melhor. Já só tinha uma tosse mas mais esporadica.
    Segundo as regras implementadas cá em Inglaterra, podemos voltar ao trabalho 10 dias depois do teste positivo, sem necessidade de contra-testes, se nao apresentarmos febre. Assim fizemos, fomos trabalhar e continuamos a trabalhar a semana toda.
    Eu sentia episodios de nauseas que duravam uns minutos e dor de cabeça forte na testa mas que tambem duravam uma meia hora a uma hora.
    A minha esposa com os dias a passar começou a ficar melhor da tosse até deixar de a ter mas estava a ficar muito cansada.
    Na sexta-feira, 3 semanas e meia depois dos primeiros sintomas a minha esposa estava KO, o estado deteriorou-se, mal conseguia respirar e a perder a voz ao minimo esforço.
    Sábado ela acordou melhor mas rápidamente ficava sem ar, dificuldades em respirar depois do minimo esforço e até mesmo a falar tinha de parar para recuperar a respiração.
    Era fim de semana e o medico de familia nao atende, ligamos a linah de saude e disseram que era normal em doentes COVID que não havia nada a fazer a não ser "aguentar".
    E estamos aqui hoje, um mês depois de termos sintomas e testado positivo em recuperação.
    A minha esposa continua sem conseguir trabalhar ou mesmo fazer pequenas tarefas sem ter de parar para recuperar a respiração. Ela era saudável, corria frequentemente e agora não consegue subir um lanço de escadas sem ter de parar para descansar.
    Eu tambem era saudável, também corria 25/30km por semana e apesar de nao ter praticamete sintomas nenhums agora não consigo correr 15 minutos, fico com falta de ar como se tivesse feito um sprint de 1km e as nauseas aparecem inesperadamente tal como desaparecem.
    Este virus afeta muito os idosos, temos de os proteger mas tambem afecta muita gebte que é saudável e das mais diversar formas.
    O grande medo é não sabermos o futuro, vamos recuperar? quando? Vamos ter maselas para o resto da vida, que maselas?
    Espero que esta partilha de alguma forma ajude outros que estão passar pelo mesmo, pelo menos foi bom para nõs sabermos de outras pessoas que estão no mesmo barco, que nao estamos sozinho nem malucos.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: A. Madeira, Vítor Magalhães, FFAD, RCF, fredcunha, Nobody
  3.  # 3

    As melhoras pra vocês, infelizmente cairam na percentagem de pessoas a quem o vírus causa estragos. Força por aí <3
    Concordam com este comentário: JotaP, A. Madeira
    Estas pessoas agradeceram este comentário: A. Madeira, LuisPereira
  4.  # 4

    Obrigado por partilhar a sua experiência. Acho que há de facto uma ideia geral que o vírus só é perigoso para a população mais idosa, e um pouco de facilitismo por parte dos mais novos já que pensam que não terá mais consequências do que uma febre por uns dias.
    Concordam com este comentário: LuisPereira
    • RCF
    • 16 Outubro 2020

     # 5

    Colocado por: LuisPereiraEu comecei a ter dores de cabeça enormes numa sexta-feira, dores de cabeça como nunca tive e que se prolongaram até segunda-feira de manhã. Nao conseguia abrir os olhos, mexer a cabeça, nunca tinha experenciado tal mas nunca relacionei com Covid (não tinha febre, tosse ou perca de paladar e olfacto).
    Na Segunda e Terça-feira, tinha algumas dores de cabeça mas já as conseguia supportar com ajuda de ibuprofen e fui trabalhar.
    Terça-feira á noite a minha esposa ao ir se deitar comecou com uma tosse persistente mas por vezes tinha problemas de refluxo que provocava a tosse e não demos importancia.
    Quarta-feira de manhã a minha esposa acorda muito mal, nao se conseguia levantar, tosse persistente e febres altas.
    Ficamos logo de alerta, assustados e ficamos todos em casa, minha esposa obviamete, eu e as minhas duas filhas apesar de nenhum de nós termos sintomas alguns (apenas a minha ligeira dor de cabeça).
    Teste feito a ela na Quarta-feira. Aqui conven dizwer que estamos em Inglaterra e as regras para quem é testado são diferentes das de Portugal.
    Aqui só é testado quem tem sintomas e os testes são feitos por nós proprios, não há enfermeios ou medicos. Vamos a um parque de estacionamento, dão o kit pela janela, lemos as instruções, enfiamos aquilo na garganta e nariz, metemos no frasco e entregamos.
    Esperamos pelo resultado que chegou Quinta-feira por mensagem e email e deu positivo.
    Ela continuava com febres altas e muita tosse, mas alimentava-se bem e bebia.
    Aqui não há acompanhamento medico a não ser que se tenha problemas graves respiratorios e se vá parar ao hospital.
    Eu e as minhas filhas até quinta-feira não tinhamos quaisquer sintomas.
    De Quinta para Sexta-feira eu fiz febre ligieira apenas uma vez, nao cheguei a tomar nada e na Sexta-feira acordei sem febre, bem apenas com alguma irritação no peito que me fazia tossir mas muito esporadicamente.
    Resolvi pedir um teste para mim e para a minha filha mais velha com 18 anos (mentimos sobre os sintomas).
    A minha esposa continuava de cama com febre e tosse.
    Sábado recebemos o resultado dos nossos testes, o meu deu positivo e o da minha filha negativo mas eu não mostrava nenhuns sintomas.
    Domingo a minha esposa estava sem febre e a tosse continuava e assim esteve por mais uns dias, sem febre e a tosse persistente com o peito a queimar por dentro, referia ela. Uma sensação de que o peito queima quando respira.
    Os dias foram passando, todos bem e a minha esposa a recuperar, já nao tinha febre á dias e a tosse ia diminuindo.
    Na quinta-feira seguinte, uma semana depois do meu episodio de febre passei o dia com nauseas, tonturas. Só estava bem deitado e sempre com vontade de vomitar apesar de nunca o ter feito mas mais nenhum sintoma.
    Os dias passaram o segundo fim de semana veio e eu sentia-me bem e a minha esposa muito melhor. Já só tinha uma tosse mas mais esporadica.
    Segundo as regras implementadas cá em Inglaterra, podemos voltar ao trabalho 10 dias depois do teste positivo, sem necessidade de contra-testes, se nao apresentarmos febre. Assim fizemos, fomos trabalhar e continuamos a trabalhar a semana toda.
    Eu sentia episodios de nauseas que duravam uns minutos e dor de cabeça forte na testa mas que tambem duravam uma meia hora a uma hora.
    A minha esposa com os dias a passar começou a ficar melhor da tosse até deixar de a ter mas estava a ficar muito cansada.
    Na sexta-feira, 3 semanas e meia depois dos primeiros sintomas a minha esposa estava KO, o estado deteriorou-se, mal conseguia respirar e a perder a voz ao minimo esforço.
    Sábado ela acordou melhor mas rápidamente ficava sem ar, dificuldades em respirar depois do minimo esforço e até mesmo a falar tinha de parar para recuperar a respiração.
    Era fim de semana e o medico de familia nao atende, ligamos a linah de saude e disseram que era normal em doentes COVID que não havia nada a fazer a não ser "aguentar".
    E estamos aqui hoje, um mês depois de termos sintomas e testado positivo em recuperação.
    A minha esposa continua sem conseguir trabalhar ou mesmo fazer pequenas tarefas sem ter de parar para recuperar a respiração. Ela era saudável, corria frequentemente e agora não consegue subir um lanço de escadas sem ter de parar para descansar.
    Eu tambem era saudável, também corria 25/30km por semana e apesar de nao ter praticamete sintomas nenhums agora não consigo correr 15 minutos, fico com falta de ar como se tivesse feito um sprint de 1km e as nauseas aparecem inesperadamente tal como desaparecem.
    Este virus afeta muito os idosos, temos de os proteger mas tambem afecta muita gebte que é saudável e das mais diversar formas.
    O grande medo é não sabermos o futuro, vamos recuperar? quando? Vamos ter maselas para o resto da vida, que maselas?
    Espero que esta partilha de alguma forma ajude outros que estão passar pelo mesmo, pelo menos foi bom para nõs sabermos de outras pessoas que estão no mesmo barco, que nao estamos sozinho nem malucos.
    Estas pessoas agradeceram este comentário:RCF,fredcunha

    As melhoras Luís!
    Tudo há-de ficar bem convosco.
    Apesar de não serem boas experiências, é bom conhecê-las. Nesta guerra, todo o cuidado é pouco.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: LuisPereira
    • RCF
    • 16 Outubro 2020

     # 6

    Colocado por: LuisPereiraSegundo as regras implementadas cá em Inglaterra, podemos voltar ao trabalho 10 dias depois do teste positivo, sem necessidade de contra-testes, se nao apresentarmos febre. Assim fizemos, fomos trabalhar e continuamos a trabalhar a semana toda.
    Eu sentia episodios de nauseas que duravam uns minutos e dor de cabeça forte na testa mas que tambem duravam uma meia hora a uma hora.
    A minha esposa com os dias a passar começou a ficar melhor da tosse até deixar de a ter mas estava a ficar muito cansada.
    Na sexta-feira, 3 semanas e meia depois dos primeiros sintomas a minha esposa estava KO, o estado deteriorou-se, mal conseguia respirar e a perder a voz ao minimo esforço.

    E ainda há quem diga mal do funcionamento do SNS cá em Portugal…. Cá (e bem digo eu) tem-se alta médica e pode voltar-se ao trabalho após 2 testes negativos seguidos.
  5.  # 7

    Colocado por: fredcunhaObrigado por partilhar a sua experiência. Acho que há de facto uma ideia geral que o vírus só é perigoso para a população mais idosa, e um pouco de facilitismo por parte dos mais novos já que pensam que não terá mais consequências do que uma febre por uns dias.
    Concordam com este comentário:LuisPereira


    A ideia geral está correcta. As excepções, como em tudo, existem.
    Gostam tanto de números neste tema e afinal as decisões tomadas não são com base nos números que interessam...

    Tantas medidas e a última coisa que ouvi nas notícias (por acidente, pois deixe de ver notícias) foi que não conseguem VOLUNTÁRIOS para os lares, porque as "pessoas estão assustadas".

    Trabalhar num lar é das profissões mais complexas em termos humanos e das mais mal pagas...e querem que venham voluntários para os substituir?
  6.  # 8

    Daquilo que vou observando de pessoas que conheço que tiveram, a sensação que tenho é que depende a variante do vírus que se apanha.
    Coincidência ou não, mas os que eram infectados em grupo tinham normalmente os mesmos sintomas. Ou seja, houve um grupo que basicamente tinha diarreia e dores musculares e outro grupo tinha febre de fraqueza.
  7.  # 9

    Colocado por: marques78Daquilo que vou observando de pessoas que conheço que tiveram, a sensação que tenho é que depende a variante do vírus que se apanha.
    Coincidência ou não, mas os que eram infectados em grupo tinham normalmente os mesmos sintomas. Ou seja, houve um grupo que basicamente tinha diarreia e dores musculares e outro grupo tinha febre de fraqueza.


    Como sabem a variante do virus, se o exame que é feito nem sequer apura com certeza se é covid19, pelo simples facto de dar positivo?
  8.  # 10

    Colocado por: JotaP

    Como sabem a variante do virus, se o exame que é feito nem sequer apura com certeza se é covid19, pelo simples facto de dar positivo?


    Eu não sei se é variante ou não. Só acho estranho os que têm o mesmo link de contagio tenham o mesmo tipo de sintomas. Vi isso em dois grupos de pessoas que conheço.
  9.  # 11

    Colocado por: LuisPereira
    Teste feito a ela na Quarta-feira. Aqui conven dizwer que estamos em Inglaterra e as regras para quem é testado são diferentes das de Portugal.
    Aqui só é testado quem tem sintomas e os testes são feitos por nós proprios, não há enfermeios ou medicos. Vamos a um parque de estacionamento, dão o kit pela janela, lemos as instruções, enfiamos aquilo na garganta e nariz, metemos no frasco e entregamos.
    Estas pessoas agradeceram este comentário:A. Madeira,Vítor Magalhães,FFAD,RCF,fredcunha,Nobody

    Fiquei estupefacta quando soube que em Inglaterra são as pessoas que fazem o teste
    Espero que fiquem bem rapidamente
    Estas pessoas agradeceram este comentário: LuisPereira
  10.  # 12

    Colocado por: primaveraFiquei estupefacta quando soube que em Inglaterra são as pessoas que fazem o teste


    sim somos, temos a hipotese de ir a um parque de estacionamento onde fazemos a nós proprios dentro do carro. Temos de esfregar nas amigdalas por 10 segundos, eu consegui meio segundo. Depois o mesmo "cotonete" enfiar numa narina uns 3/4 centimetros e rodar mais 10 segundos.
    Tive entretanto na semana passada de fazer á minha filha de 6 anos e mais uma vez, parque de estacionamento e tive de fazer a ela, a diferença para crianças é de nao precisar de esfregar na garganta e depois uma narina mas esfregar em ambas as narinas.
    A outra opção é pedir um kit para casa, entrega no dia seguinte pela Amazon, fazer o teste e enviar por correio no mesmo dia que se fez. A minha mais velha fez o teste desta forma.
    • RCF
    • há 6 dias

     # 13

    Luis
    Como é que isso está?
    Estão melhores?
    Concordam com este comentário: SS1128
    Estas pessoas agradeceram este comentário: LuisPereira
  11.  # 14

    O eletricista que andou aqui em casa também esteve infetado logo no inicio. Apanhou da esposa que apanhou no lar aqui na zona..

    Tanto quanto sei recuperou bem porque já falei com ele depois disso e pareceu-me ok.
  12.  # 15

    Colocado por: RCFLuis
    Como é que isso está?
    Estão melhores?
    Concordam com este comentário:SS1128


    Desculpe a demora e obrigado pela mensagem.
    eu estou recuperado a minha esposa ainda não totalmente.
    Não apresenta qualquer sintoma tipo febre, tosse, dor de cabeça mas tem dias que perde o paladar e continua a ficar fácilmente cansada.
    Ela que estava em boa forma fisica, corria varias vezes por semana agora caminha 50 metros e precisa de parar para descansar. Tem dias piores e dias melhores mas ainda nao consegue ir trabalhar.
    Concordam com este comentário: nvale
    Estas pessoas agradeceram este comentário: nunos7
    • RCF
    • há 20 horas

     # 16

    Colocado por: LuisPereiraeu estou recuperado

    ótimo!

    Colocado por: LuisPereiraa minha esposa ainda não totalmente

    Também há-de ficar! Até pela sua experiência. E que seja um ânimo para ela.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: LuisPereira