Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Reparado o jardim no terraço estou agora a preparar o arranjo destas paredes no rés-do-chão.

    Estou a pensar em fazer cortes por trás dos rodapés e isolar para a humidade não subir e causar o problema da tinta a descascar. Isolar com tela ou alguma membrana impermeável.

    A minha pergunta é para quem já fez isto. Soluciona? Ou mais vale revestir as paredes a meia altura com lambrim?


    3jEqla.md.jpg
    3jEfKg.md.jpg
    3jEFiF.md.jpg
    3jE3V1.md.jpg
  2.  # 2

    Colocado por: againIsolar com tela ou alguma membrana impermeável.


    Não resolve.



    Colocado por: againOu mais vale revestir as paredes a meia altura com lambrim?


    Não resolve.
  3.  # 3

    O meu conceito de “resolver” é mesmo só não ter que pintar a cada 2 ou 3 anos e estar a descascar.
    Que a água continua na fundação isso sei mas tendo uma barreira no fundo da parede não vejo como a humidade a vai ultrapassar e subir.

    Se quiser desenvolver a sua opinião agradeço.
    • Nelhas
    • 3 Novembro 2020 editado

     # 4

    Simples.

    A humidade desenvolve-se e sobe em toda a extensão do interior da parede.
    Tapar 40 centimetros ou 1 metro de parede a partir do chão, so vai fazer com que a mesma apareça acima dessa altura.

    Para ser eficaz, teria de desfazer a parede , refazer, isolar a fundação TOTAL da parede, e voltar a construir.
    Ora isso não é viável.

    Da minha experiência pessoal , já experimentei 3 ou 4 soluções.

    A que apresentou mais eficácia foi fazer diversos furos com broca larga de 5 em 5 centímetros na horizontal ao longo da parede, ai a cerca de 10 centímetros do chão.

    Depois encher os buracos com espuma, resina ou algum componente que resista a amplitude térmica e que seja isolante.
    Tapar os buracos , rebocar, pintar.
    • Nelhas
    • 3 Novembro 2020 editado

     # 5

    Colocado por: againQue a água continua na fundação


    Não significa que exista água pré-existente em lado nenhum.

    A Humidade é gerada devido ao choque térmico entre 2 temperaturas dispares.

    Se a fundação não for isolada , significa que em algum ponto da parede a temperatura gerada dentro da habitação e a temperatura que vêm da sua fundação se encontram gerando humidade elevada.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: again
  4.  # 6

    Colocado por: NelhasSimples.

    Depois encher os buracos com espuma, resina ou algum componente que resista a amplitude térmica e que seja isolante.
    Tapar os buracos , rebocar, pintar.


    Parece uma solução interessante.
    Pode, por favor, dar um exemplo de produto, espuma ou resina, para esta aplicação?

    Obrigado
  5.  # 7

    Colocado por: NelhasSimples.

    A que apresentou mais eficácia foi fazer diversos furos com broca larga de 5 em 5 centímetros na horizontal ao longo da parede, ai a cerca de 10 centímetros do chão.



    A que distância faz os furos uns dos outros?

    Obrigado
    Estas pessoas agradeceram este comentário: lmcaet
  6.  # 8

    Já testei com Espuma de Poliuretano, Com um componente da SIKA, e com uma mistura de Esferovite com Tela Liquida de Alcatrão endurecida.

    Como o Poliuretano é o mais barato e apresenta resultados idênticos, foi esta a opção.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: again
  7.  # 9

    Colocado por: ruiantonioA que distância faz os furos uns dos outros?


    Normalmente , se a parede for interior , faço de um lado ao outro , com broca mais pequena de 5cm em 5 cm uns dos outros.
    Neste caso depois terá de efetuar remate de ambos os lados.

    E como se estivesse a costurar a parede.
  8.  # 10

    Colocado por: NelhasA que apresentou mais eficácia foi fazer diversos furos com broca larga de 5 em 5 centímetros na horizontal ao longo da parede, ai a cerca de 10 centímetros do chão.

    Depois encher os buracos com espuma, resina ou algum componente que resista a amplitude térmica e que seja isolante.
    Tapar os buracos , rebocar, pintar.

    Há quanto tempo fez isso?

    É que para resolver isto é importante isolar a causa do problema, não?
    Uma coisa é condensação, outra são paredes que funcionam como esponja.
    O seu caso parece-me ser de condensação, será que é o mesmo do ruiantonio?
  9.  # 11

    Colocado por: PoisÉUma coisa é condensação, outra são paredes que funcionam como esponja.


    Explique-me o conceito técnico.
    • SrR
    • 3 Novembro 2020

     # 12

    Colocado por: Nelhas

    Explique-me o conceito técnico.
    capilaridade
  10.  # 13

    Há uma infiltração, a água "entra" para a parede (tijolo + massa), a parede absorve e encharca.
    Há calor, a água infiltrada e absorvida quer evaporar, empola a tinta para "escapar", estraga pintura.

    É técnico o suficiente? :D
  11.  # 14

    xiiii o que vai para aí.
  12.  # 15

    Colocado por: SrRcapilaridade


    Isto

    Não é isto.

    Colocado por: PoisÉHá uma infiltração


    Volto a insistir.
    O Problema apresentado não têm haver com infiltração de agua.
    Têm haver com humidade ascendente que não pode ser travada por nenhum das sugestões técnicas que foram fornecidas pelo técnico que o forista levou ao local.
    Podem ser tapadas, escondidas.
    Sem o isolamento TOTAL da fundação, nada vai resolver aquilo.

    A solução que testei , o que faz , é manter a humidade ascendente na fundação.
    Não permitir que ela propague pela parede acima.
    Como disse so digo que resulta, pois testei e resultou.
    A solução está implementada a cerca de 3 anos.
    A diferença é abismal.

    Se resolve o problema de forma definitiva e total?
    Não.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: PoisÉ
  13.  # 16

    Colocado por: Nelhaspara resolver isto é importante isolar a causa do problema, não?
    Uma coisa é condensação, outra são paredes que funcion


    Eu acho que não percebeu o que estava a pensar fazer. A minha ideia era cortar a parede em baixo a toda a largura sem apanhar pilares. Colocar uma membrana ou xps e voltar a rebocar. Como estara por detras do rodapé a membrana pode ficar à face.

    A minha ideia está a preto. A sua ideia (a vermelho) também já vi pela net e parece mais fácil de executar com menos pó. Será tao eficiente?

    34tz8u.md.jpg
  14.  # 17

    Colocado por: againA minha ideia era cortar a parede em baixo a toda a largura sem apanhar pilares

    Se corta a parede em toda a largura o q é q acha q vai acontecer com a parede?
    Concordam com este comentário: Nelhas, Ana_Dado
  15.  # 18

    Colocado por: nunos7Se corta a parede em toda a largura o q é q acha q vai acontecer com a parede?

    Vai ficar mais curta.
    :)
    Concordam com este comentário: nunos7
  16.  # 19

    Não sou eng civil mas fazendo metade de cada vez e sem apanhar pilares contava que ficasse do mesmo tamanho.

    A ideia não é propriamente minha, vejo muitos casos. E a minha foto acima até é parede dupla.


    36tXLl.md.png
  17.  # 20

    Colocado por: nunos7
    Se corta a parede em toda a largura o q é q acha q vai acontecer com a parede?


    Opção “Parede curta”
    BARREIRA DE IMPERMEABILIZAÇÃO OU MEMBRANA ESTANQUE
    As novas construções já usam este tipo de impermeabilização. Contudo, a aplicação deste tipo de barreira é bastante difícil e complexa para construções já existentes. Esta técnica consiste em:

    .
    1
    Retirar, com a ajuda de um cizel, uma fileira de tijolos da parte inferior da parede ou em realizar uma fenda com uma serra estilo tico-tico, por exemplo.
    2
    Realizar o trabalho por áreas, um metro de cada vez.
    3
    Em cada fenda coloque um pedaço da barreira de impermeabilização (revestimento betuminoso hidrófugo, película de metal inoxidável, como o chumbo, ou uma membrana plástica macia ou rija).
    4
    Se usar uma membrana em rolo, coloque-a sobre todo o comprimento da parede, antes de a cortar.
    5
    À medida que vai colocando uma tira da membrana na fenda, coloque novamente os tijolos no local de origem, evitando diferenças de cor entre os materiais novos e usados.
    6
    Preencher posteriormente as juntas com uma argamassa específica para a situação.
    7
    Aplique um revestimento que permita retardar o aparecimento de salitre


    Opção “Nelas”
    INJECTAR UM HIDRÓFUGO
    Este método tem como finalidade de saturar a parte inferior da parede com um produto hidrófugo, (por exemplo: este), a fim de se realizar uma barreira química contra a humidade ascendente capilar presente na alvenaria.

    1
    Faça vários furos 5 centímetros acima do chão e a 10 a 15 centímetros uns dos outros, com um berbequim. Realize os furos num ângulo de 10 a 15 graus e 80% da espessura da parede.
    2
    Insira os tubos injectores nos furos e instale os doseadores, suspensos, por exemplo, numa tábua. Para evitar que o produto saia, coloque um vedante entre os tubos e a parede, com cimento de secagem rápida.
    3
    Introduza a resina líquida na parede através destes furos durante mais ou menos 1 hora, confirmando que o líquido não se escapa pelos furos.
    4
    Após 24 horas repita o processo, e após outras 24 horas dê o processo por finalizado.
    5
    Corte agora os tubos rente aos furos e tape-os com argamassa hidrófuga. Alise a parede.
    6
    Aplique um revestimento que permita retardar o aparecimento de salitre