Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    • eu
    • 31 Maio 2021

     # 2

    Ninguém sabe.

    Esperemos que seja apenas um pico devido à aceleração económica pós-pandemia.
    Concordam com este comentário: NLuz
  2.  # 3

    Colocado por: euNinguém sabe.

    Esperemos que seja apenas um pico devido à aceleração económica pós-pandemia.
    isto vem muito ántes da pandemia fazer qualquer efeito, durante a pandemia até diminui o fenômeno derivado á menor procura
    Concordam com este comentário: NLuz
  3.  # 4

    É a malta que tem a garagem cheia de rolos de papel higiénico e bidons de gasóleo que está a asarbancar 😁
    Concordam com este comentário: Vítor Magalhães
  4.  # 5

    Colocado por: NLuzÉ a malta que tem a garagem cheia de rolos de papel higiénico e bidons de gasóleo que está a asarbancar 😁


    Se repararem em muitos estaleiros, estão cheios de placas azuis...
    • eu
    • 31 Maio 2021

     # 6

    Esferovite... o novo ouro. ;)
  5.  # 7

    https://www.cmjornal.pt/mundo/detalhe/construcao-civil-na-alemanha-abranda-em-abril-devido-a-estrangulamentos-de-material?fbclid=IwAR2crelN0-_Nexx_WFAqZ-XmZcK6TtrILxbWREkbpeQU8I8gCj95Sxo3N2Q

    Construção civil na Alemanha abranda em abril devido a estrangulamentos de material
    Fatores especiais na produção também podem ter desempenhado um papel neste abrandamento, tais como o início do inverno nos Estados Unidos.

    A atividade da indústria da construção alemã abrandou em abril devido a "sérios estrangulamentos de material" que não ocorriam desde 1991, anunciou hoje o instituto alemão ifo num comunicado.
    "Não temos visto um estrangulamento como este desde 1991. Isto causou evidentemente um abrandamento da atividade de construção em abril, pelo menos temporariamente", afirmou Felix Leiss, um especialista em inquéritos do instituto ifo.


    PUB
    Na construção de edifícios, 23,9% das empresas relataram em abril que estavam a ter problemas na aquisição de materiais de construção a tempo, contra 5,6% em maio, refere o ifo.

    A escassez na engenharia civil agravou-se consideravelmente em abril, ao atingir 11,5% das empresas, contra 2,9% em março.

    "O que estamos a constatar da indústria é que há escassez de materiais em muitos locais. Ao mesmo tempo, os preços subiram devido a dificuldades de abastecimento em vários mercados, como por exemplo, aço para construção, madeira e materiais sintéticos tais como isolamento e chapas", afirmou Ludwig Dorffmeister, um especialista da indústria da construção do instituto alemão.

    Dorffmeister disse ainda que é provável que a capacidade tenha sido reduzida por causa da pandemia, mas que depois a procura aumentou mais rapidamente do que o esperado.

    Fatores especiais na produção também podem ter desempenhado um papel neste abrandamento, tais como o início do inverno nos Estados Unidos, que atrasou a produção, processamento e transporte da madeira, sublinhou.
  6.  # 8

    Colocado por: Palhavahttps://www.jn.pt/economia/escassez-de-materiais-de-construcao-leva-precos-a-disparar-35-13786689.html


    O que se está a passar?

    Vai subir e nunca descerá?


    Então não era você que dizia que os construtores são gananciosos, e que praticam margens de lucro de 100 %?

    Pelos vistos, muitos assumem o prejuízo do aumento do custo dos materiais, mantendo os preços de orçamentos com mais de 3 meses.

    Estamos a chegar ao ponto de ter materiais ao preço do ouro e serventes a ganhar o salário mínimo, tudo por causa de clientes como estes que abrem tópicos aqui no fórum, não têm dinheiro, têm de recorrer a financiamento e querem construir uma moradia com 150 mil euros.
  7.  # 9

    Colocado por: marteloescoproEstamos a chegar ao ponto de ter materiais ao preço do ouro e serventes a ganhar o salário mínimo, tudo por causa de clientes como estes que abrem tópicos aqui no fórum, não têm dinheiro, têm de recorrer a financiamento e querem construir uma moradia com 150 mil euros.

    Não quer ajudar quem vem a este fórum, não ajude.
    Concordam com este comentário: desofiapedro, DEEPblue
  8.  # 10

    Dizem que na área dos semicondutores está igual, muita escassez e preços elevados.
  9.  # 11

    Colocado por: marteloescopro
    Pelos vistos, muitos assumem o prejuízo do aumento do custo dos materiais, mantendo os preços de orçamentos com mais de 3 meses.

    Eu já revi praticamente todos os orçamentos que dei nos últimos três Meses e neste momento os nossos orçamentos têm uma validade de três dias. E mesmo assim já nem assim é seguro. Ainda hoje me aumentaram 4€ o m2 num soalho que orçamentei... no Sábado.
    Isto está completamente descontrolado e o pior ainda está para vir. Estive a falar com alguns traders de madeira Estrangeiros e as compras estão na base do "açambarcar" só para garantir produção. Se os produtores Europeus não fecharem a torneira aos EUA, daqui por seis Meses temos o Carvalho em prancha a 4000€ m3...
    E desengane-se quem pense que as imitações vão ser a tábua de salvação. As colas dos laminados subiram em linha de produção 40% desde Fevereiro sendo expectável que a subida escale para perto dos 90% até Novembro. Ainda não se começou a sentir muito porque ainda se está a escoar stock nos grandes fabricantes. Os vinis vão pelo mesmo caminho e a seguir vêm o mercado dos cimentos cola e dos isolamentos.
    E esta realidade começa a ser transversal a muitas vertentes da construção civil.
    Não irá tardar muito até os famosos 1200€ m2 de valor de construção sejam uma distante e saudosa miragem.
    Deus queira que me engane, mas não me parece que consigamos parar esta escalada tão cedo.
    Com os preços dos transportes a ajudar á festa então. Não sei não.
  10.  # 12

    E qual sera a solução ? Usar materias locais, madeira da região ?
    É que se os preços aumentarem assim tanto deixa de haver quem tenha carteira para cosntruir
  11.  # 13

    Colocado por: DR1982deixa de haver quem tenha carteira para cosntruir
    casas de 300m2.
  12.  # 14

    Colocado por: DR1982E qual sera a solução ? Usar materias locais, madeira da região ?
    É que se os preços aumentarem assim tanto deixa de haver quem tenha carteira para cosntruir

    A solução na minha opinião vai passar por regulação governamental na maior parte dos Paises da Europa. Vai ser preciso intervenção dos diversos governos para parar esta escalada de preços e de escassez de matéria prima.
    Os fundos de apoio para estes sectores devem estar ai a estourar não tarda.
    E vamos lá ver se os preços entretanto descem para valores normais. Seria bom para todos mas acho que isso só vai acontecer quando estivermos todos na merd@ outra vez.
    Agora tem de ser um dia de cada vez.
  13.  # 15

    Vou dar a minha perspetiva, vale o que vale, não sei tudo...

    Em alguns casos, já tive de mudar de materiais... ainda pensei em colocar PIR nas paredes de empena, voltei ao XPS... no aço não há volta a dar, necessito dele agora, cravei um amigo para o negociar com o desconto dele que compra centenas de toneladas por ano.

    Noutros casos vou esperar, a info que tenho de um grande produtor de isolamento térmico, é que no meio/fim do Verão os preços vão baixar (vamos ver para que níveis...), porque a matéria prima baixará, pois está dependente do consumo de combustível da aviação e outros meios de transporte.

    Estou em vias de mudar a impermeabilização da cave de telas asfálticas para manta bentonitica, que está menos exposta a variação de preços por não ser um produto de grande procura, porventura até é tecnicamente mais adequada ao meu caso. É uma estratégia que vou tentar seguir noutras especialidades.

    Tudo o que envolva madeiras, janelas de pvc, serralharias, tenho orçamentos do fim do ano passado, vou seguindo atentamente a evolução dos preços, só necessito deles daqui a nove meses, pago para ver, quando surgir a melhor oportunidade compro, se não surgir terei de comprar na mesma...

    Aqueles materiais de produção nacional, ou os que normalmente só sofrem atualização da tabela de preços anualmente, vou tentar comprar e armazenar antes do fim do ano.

    Outra coisa que me aconteceu, perante a subida incrível dos isolamentos térmicos, foi agarrar-me ao telefone e ligar para ex-colegas e perguntar pelos melhores fornecedores de Lisboa e arredores, por incrível que pareça consigo agora comprar XPS 500 kPa quase a metade do preço que tinha no inicio do ano, porque arranjei um fornecedor com um preço mais competitivo, caso contrário nem me tinha dado ao trabalho.

    Portanto, obriga a uma gestão mais difícil, dá mais trabalho, mas há esperança! :)

    Quanto à teoria de que o Dono de Obra é que vai pagar a fava deste aumento, vamos ver, acho que há fava para todos...

    Aquelas empresas de construção com parceria com imobiliárias famosas aqui no FdC, deram o estoiro muito por causa disto, deram orçamentos em quantidade, iniciaram muitas obras e os preços da mão de obra subiram bastante em 2 anos, o resto da história já vocês conhecem.

    Tempos de navegação à vista...

    PS: Estava a escrever isto e lembrei-me que esta conjuntura não é diferente de obras noutras geografias... a ver se amanhã ligo a uns ex colegas para saber que estratégias usavam quando geriam obras no continente africano e na américa do sul e central. Pode ser uma boa pista...
  14.  # 16

    Colocado por: Palhavahttps://www.jn.pt/economia/escassez-de-materiais-de-construcao-leva-precos-a-disparar-35-13786689.html


    O que se está a passar?

    Vai subir e nunca descerá?
    é facil o preço do combustivel sobe tudo o resto acompanha
    Concordam com este comentário: Anonimo06082021, Joao Dias
  15.  # 17

    Na Suíça ja falam no mesmo, falta de XPS, ja falaram la na empresa a vir buscar isolamento a Portugal...
    Uma coisa é certa, o isolamento anda a ser poupado como se poupa o azeite :)
  16.  # 18

    Quando houve a primeira crise do petróleo em 1973,começou a fazer-se carros mais pequenos e mais eficientes. A manter-se esta situação, os projectos terão que ser muito mais racionais e menos emocionais.
  17.  # 19

    Colocado por: rjmsilvaQuando houve a primeira crise do petróleo em 1973,começou a fazer-se carros mais pequenos e mais eficientes. A manter-se esta situação, os projectos terão que ser muito mais racionais e menos emocionais.
    Ou entao projetar algo que se possa adaptar a varios cenarios possíveis.
    Uma casa tipo em módulos por exemplo
    Estas pessoas agradeceram este comentário: mica
  18.  # 20

    Colocado por: Joao Diasneste momento os nossos orçamentos têm uma validade de três dias

    Na indústria assim anda. Quem compra matérias primas (especialmente metais) recebe orçamentos com 2-3 dias de validade. E comprar agora para receber em 2022!
    Construtores de máquinas em série e pequenas em que todo o lucro habitual já desapareceu no aumento dos metais.
    Há quem defenda que a indústria vai levar um abanão como já não há memória.