Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Boas,
    não pude deixar de vir aqui de maldizer do nosso governo (e atenção que não sou partidário, por mim podiam arder todos) e das suas boas intenções para encher os olhos do povo(e lugares no inferno para eles, espero eu!): o programa IVAucher.

    "Ai e tal é fácil, basta dar o NIF quando pagar nos sectores abrangidos entre Junho e Agosto que o IVA suportado fica automaticamente disponível para descontar numa compra nos mesmos sectores entre Outubro e Dezembro". Porreiro! Pensou o povo.

    Mas... afinal é preciso validar as facturas até Setembro, senão não contam.

    Mas... afinal é preciso fazer um registo com a saltpay, autorizar o acesso ao portal das finanças, associar um cartão bancário... tudo bem, não estará acessível a todos, mas siga.

    Mas... afinal os comerciantes também têm que se registar para "darem" esse benefício de volta aos clientes. Dos 118.000 estabelecimentos dos sectores abrangidos apenas 1500 se registaram, e o usufruto dos benefícios começa dentro de dias! WTF???

    Mas, esperem! Afinal também é preciso que o banco que emitiu o nosso cartão, e que temos que associar ao registo, também adira! WTF x2???

    Então como é que é? Andamos a brincar com as pessoas a prometer este benefício para fomentar o comércio nestas actividades e depois é isto???

    Então se fiz tudo certo e agora não há estabelecimentos na minha zona que se dignaram a registar-se para isto? Vou fazer 100 Km para ir a um restaurante?
    Então e se o meu banco não estiver na "whitelist", vou ter que abrir outra conta para ter cartão que possa associar? E pagar o respectivo cartão?

    Isto é só de quem não queria dar nada de volta. Ponto. É um hino à estupidez, à complicação e à burocracia. Um hino aos "tachos" que se devem ter criado pelo caminho. Então não era tão fácil, por exemplo, as facturas pagas nos sectores abrangidos entre Outubro e Dezembro serem automaticamente reconhecidas no portal das finanças (ainda que validadas primeiro pelo consumidor, tudo bem) e o valor de IVAucher disponível creditado nos reembolsos de IRS? Ou de outra maneira simples? Parece que não, porque da maneira complicada lembraram-se eles. Devem ter grupos de trabalho pagos para arranjar maneira de complicar as coisas e assim dificultar o processo.

    Por mim, a boa intenção tem lugar no inferno.
    Concordam com este comentário: ClioII, Pobretanas90, eu, dmatos, HAL_9000, simaoguim
    Estas pessoas agradeceram este comentário: smart
    •  
      RRoxx
    • 27 setembro 2021

     # 2

    Viva o comunismo!!!

    A maquina tem de se alimentar. E alimenta-se com impostos, dai pagarmos tantos, para alimentar 750.000 funcionários públicos.

    Desde inicio que era claro que ia ser assim. Dai so gastar o que já ia gastar.
    • DS86
    • 27 setembro 2021

     # 3

    O programa não é dos mais simples, mas inicialmente os comerciantes diziam que não aderiam porque tinham receio que o estado demorasse muito tempo a devolver o dinheiro. Alteraram o processo para que a devolução fosse realiazada diretamente ao consumidor.

    Agora não aderem porque não veem um ganho direto a fundo perdido. Nem conseguem vislumbrar a ideia de ter mais clientes que querem gastar o valor acumulado.

    A mim parece-me que o problema é que todos se queixam porque querem subsidios, mas quando tem uma oportundiade de faturar uma pouco mais mesmo que tenham de trabalhar para isso, saltam fora e continuam com as queixas de sempre.

    O sector se quer recuperar também tem de ajudar e trabalhar para tal, não pode ficar a reclamar subsidios eternos sem fundamento.
    Concordam com este comentário: Buzy
  2.  # 4

    Concordo com ambos. Por um lado é preciso alimentar a máquina do estado e tudo o que ficar por usar pelos contribuintes fica nos cofres do estado. Limpinho!

    Por outro, os sectores beneficiados pelas medidas parecem agora estar a marimbar-se para quem os mantém abertos, que são os clientes. Mesmo sabendo que nada lhes sairá do bolso. Podiam retribuir ao cliente e teriam, certamente, mais clientes nem que fosse para usar o incentivo do IVAucher. Mas este é um país de subsídios e se podem "mamar" do estado porque se dariam ao TRABALHO de cumprir com a parte deles. É uma vergonha da parte do estado ter criado um processo TÃO desnecessariamente complicado. Mas também é uma vergonha da parte dos comerciantes não fazerem a parte deles para que o sistema de incentivos funcione, mesmo sendo descabidamente complicado.

    E se agora os consumidores, se Outubro a Dezembro, boicotassem os estabelecimentos que não aderiram? Isso é que era!
    Daqui a uns tempos estão a dizer que não têm clientes e que a iniciativa do IVAucher não funcionou e que precisam de subsídios...

    Eu também só gastei o que ia gastar, mas tenho quase 100€ que poderia usar de volta e, por exemplo, fazer um almoço ou jantar extra com a família. No entanto, olhando para os números lamentáveis de adesão dos comerciantes, provavelmente haverá poucos (se algum) restaurante na minha zona que aderiu. E se for o caso, por mim, os que não aderirem podem ir chupar limões. Vou a restaurantes porque quero, não porque preciso. Posso deixar de querer.
    • FFAD
    • 27 setembro 2021 editado

     # 5

    Eu acho a ideia bastante interessante, e que veio a simplificar-se, antes obrigava a registo de cartões bancários por parte dos consumidores e a contratos de comerciantes com TPA's saltpay, agora simplificaram isso tudo.

    Só não entendo uma coisa, se para os comerciantes actualmente não tem qualquer custo, por que raio precisam de aderir, deveria ser automaticamente a adesão com o CAE certo. Estupidez, além de não haver uma lista disponivel dos aderentes, o que facilitava o consumidor a escolher onde vai comer/dormir etc.

    Eu só gastei o que ia gastar, mas neste trimestre provavelmente ia gastar mais que o normal, porque tenho 50% de desconto até gastar o saldo que é bastante substancial, + de 1k.
  3.  # 6

    O estado já parece um supermercado, com cartão de cliente. É ridículo. Só medidas avulso, de alcance limitado.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: PLP
  4.  # 7

    Oh FFAD, tem 1000€ de IVAucher para gastar? Poça, isso é que foi despesas nos sectores abrangidos em apenas 3 meses! Eu acho que já gastei de mais e só tenho ~100€ ;-)

    Mas pelo que li em notícias muito recentes, continua a obrigar a registar cartões bancários por parte dos consumidores, além de que só alguns bancos aderiram, por isso tem que ser cartões desses bancos! Eu tive que registar um cartão... não me lembro de qual (tenho que ver!) mas acho que nem é de um banco, é do cetelem. Ou seja, mesmo que tenha feito tudo e vá a um estabelecimento que aderiu corria o risco de não usufruir de nada. O processo é todo ele uma estupidez. Quando começaram a falar no IVAucher eu pensei logo no sistema simples que mencionei: O consumidor paga e as facturas elegíveis acumulariam o saldo disponível no portal das finanças. O consumidor volta aos comércios elegíveis (qualquer um, sem tretas de registos dos comerciantes), faz despesa e o saldo disponível seria creditado no reembolso do IRS (por exemplo). Não parece complicado, só que elevaria MUITO a taxa de "execução" dessas verbas. Parece-me que não é o que pretendem, nem nunca pretenderam. Assim é bem complicado e a taxa de utilização desse saldo será muito baixa, sobretudo para quem vive mais longe dos centros urbanos, que é onde deve estar a maioria dos estabelecimentos que aderiu.

    De seguida, para fomentar mais a economia, vamos fazer duas pontes...
    Concordam com este comentário: Blackbass
  5.  # 8

    Como se vê quanto acumulámos?
    • FFAD
    • 27 setembro 2021

     # 9

    Colocado por: pcspinheiroOh FFAD, tem 1000€ de IVAucher para gastar? Poça, isso é que foi despesas nos sectores abrangidos em apenas 3 meses! Eu acho que já gastei de mais e só tenho ~100€ ;-)

    Mas pelo que li em notícias muito recentes, continua a obrigar a registar cartões bancários por parte dos consumidores, além de que só alguns bancos aderiram, por isso tem que ser cartões desses bancos! Eu tive que registar um cartão... não me lembro de qual (tenho que ver!) mas acho que nem é de um banco, é do cetelem. Ou seja, mesmo que tenha feito tudo e vá a um estabelecimento que aderiu corria o risco de não usufruir de nada. O processo é todo ele uma estupidez. Quando começaram a falar no IVAucher eu pensei logo no sistema simples que mencionei: O consumidor paga e as facturas elegíveis acumulariam o saldo disponível no portal das finanças. O consumidor volta aos comércios elegíveis (qualquer um, sem tretas de registos dos comerciantes), faz despesa e o saldo disponível seria creditado no reembolso do IRS (por exemplo). Não parece complicado, só que elevaria MUITO a taxa de "execução" dessas verbas. Parece-me que não é o que pretendem, nem nunca pretenderam. Assim é bem complicado e a taxa de utilização desse saldo será muito baixa, sobretudo para quem vive mais longe dos centros urbanos, que é onde deve estar a maioria dos estabelecimentos que aderiu.

    De seguida, para fomentar mais a economia, vamos fazer duas pontes...


    Sim, não poupo em férias e restauração ;)

    Eu também registei um cartão inicialmente, mas se lá for, já desapareceu, as regras têm mudado a meio do jogo, para melhor, mas não o suficiente. Creio que a grande maioria dos bancos aderiu, pelo que o grande problema está no limitado número de comerciantes que aderiram, repito, estupidez não ser automático.
    • FFAD
    • 27 setembro 2021 editado

     # 10

    Colocado por: desofiapedroComo se vê quanto acumulámos?


    no e-factura consegue ver...
    Concordam com este comentário: desofiapedro
      ivaucher.JPG
  6.  # 11

    Colocado por: FFAD

    no e-factura consegue ver...
    Concordam com este comentário:desofiapedro
      ivaucher.JPG


    Obrigada <3
  7.  # 12

    Se não gastar saldo do IVAucher abate no IRS...

    O saldo acumulado através do IVAucher que não chegue a ser usado pelos contribuintes vai ser canalizado para abater ao IRS no âmbito da dedução por exigência de fatura. Segundo as regras já reveladas, o saldo acumulado poderá ser usado para pagar até 50% de uma nova compra.

    No entanto, segundo fonte oficial do Ministério das Finanças, caso o saldo não seja utilizado (na totalidade ou parcialmente) o valor remanescente será canalizado para a dedução por exigência de fatura.

    Fonte
  8.  # 13

    Mas abater no IRS é se a pessoa tiver de pagar.. No caso de receber não vai acrescentar esse valor , penso que seja como as despesas Gerais que algumas pessoas mesmo sem descontar ficam a pensar que vão receber 250€
  9.  # 14

    Eu cá acho que foi uma idea inovadora. E conseguir fazer isto tudo e articular com o TPA do fornecedor mais cartao e receber a massa na conta nao estava à espera de uma solução simples.
    Se o seu banco nao aderiu, nao é grande banco.
    Na hora de escolher o que nao cobra, é lembrarem-se destes pormaiores.
    https://eco.sapo.pt/2021/09/07/financas-esperam-que-todos-bancos-adiram-ao-ivaucher/
  10.  # 15

    Não vejo isto assim tão mal.
    Registei-me sem grande trabalho. Na altura não registrei cartão de pagamento pois não era necessário. Agora também deixou de ser necessário.

    Entretanto, com evolução da coisa, o valor ivaucher é devolvido pelo banco.

    Você paga, dá nif para fatura, recebe na conta bancária o valor correspondente.

    A maioria dos bancos portugueses já aderiu.

    Ora o problema está em encontrar estabelecimentos, onde permita deduzir esse valor .
    Não obstante esta-se a ponderar, que quem não use, desconta em sede de IRS no próximo ano. Quem usar já não entra no IRS do próximo ano.

    Bem como, pretendem acabar com o sorteio.

    Ora eu nem sei, mas se calhar até prefiro que o valor vá para o IRS do próximo ano, do que andar a gastar à maluca , só por gastar em almoços e jantares, para poder usufruir disso.

    Não sei qual a realidade do pessoal, mas a maioria do pessoal , quando chega verão já gastou quanto baste em restauração para ir buscar os 250 euros do efatura. Ora a partir desta data já ninguém quer saber das faturas.
    Assim o estado incentiva o povo a pedir mais faturas durante férias de verão, e por conseguinte a pedir novamente a partir de outubro para usufruir do benefício. Inteligente, não ?
  11.  # 16

    Colocado por: SirruperEu cá acho que foi uma idea inovadora. E conseguir fazer isto tudo e articular com o TPA do fornecedor mais cartao e receber a massa na conta nao estava à espera de uma solução simples.
    Se o seu banco nao aderiu, nao é grande banco.
    Na hora de escolher o que nao cobra, é lembrarem-se destes pormaiores.
    https://eco.sapo.pt/2021/09/07/financas-esperam-que-todos-bancos-adiram-ao-ivaucher/

    Já vi a lista, eram praí 7 ou 8 os mais conhecidos. Para os bancos que não aderem, também estão a prever soluções
  12.  # 17

    Os portugueses gostam é de raspadinhas e de ter a ilusão que ganham alguma coisa.
    Concordam com este comentário: bettencourt
    • vf74
    • 28 setembro 2021

     # 18

    Os meus gastos das férias , o hotel em que estive, a fatura de 10 dias não apareceu no e-fatura.

    Apenas apareceu uma fatura de 2 dias (decidi ficar mais 2 dias no fim)

    Reclamei com o hotel , disseram que foi lapso???

    Já denunciei na AT
  13.  # 19

    Registe a fatura manualmente no e-fatura

    Com a app e-fatura é uma maravilha, é só ler o código QR
  14.  # 20

    Incrível, ainda acreditamos no Pai Natal…
 
0.0292 seg. NEW